Jump to content


Photo

A-4M da Marinha do Brasil


  • You cannot start a new topic
  • Please log in to reply
63 replies to this topic

#61 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,050 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 16 de March de 2018 - 01:38

Srs, sem qualquer intenção de menosprezar, mas qual a real capacidade operacional da marinha com esses A-4? Eles realmente servem pra alguma coisa, ainda mais sem um porta-aviões? 6 aeronaves antigas, mesmo que modernizadas, estao muito longe do estado da arte e sem um porta- avioes me parecem mais um capricho da Marinha pra poder falar que tem avioes do que qq outra coisa... Acredito que o pouco que se pode fazer com esses avioes poderia facilmente ser suprido pela FAB com seus proprios avioes... Sou leigo no assunto e gostaria realmente entender....

Prezado NAT6

Os A-4 tiveram importante papel no Vietnam, como aeronaves de apoio aéreo aproximado. Creio que tal função seria muito bem executada junto aos fuzileiros navais brasileiros. 



#62 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,050 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 03 de September de 2018 - 13:56

Meus prezados
Marinha do Brasil recebe quarto jato AF-1 modernizado pela Embraer
Recebimento-do-AF-1B-N-1008-na-Embraer.j
Recebimento do AF-1B N-1008 na Embraer

 

No dia 23 de agosto, Dia da Aviação Naval, foi finalizada a fase de aceitação da aeronave modernizada AF-1B N-1008, encerrando mais uma etapa do contrato de modernização dos AF-1B/C.
Em 29 de agosto, a aeronave foi transferida ao setor operativo, aumentando a capacidade de inteligência e defesa aérea da Força Naval e possibilitando a demonstração de incremento da Base Industrial de Defesa, por meio da empresa Embraer Defesa e Segurança.
A empresa desenvolveu tecnologia nacional para integração de sistemas embarcados para combate e criou integralmente o software embarcado de missão das aeronaves modernizadas (Operational Flight Program), o que permite maior independência nacional.
O AF-1B N-1008 modernizado poderá ser utilizado em operações de inteligência, uma vez que apresentou evolução no quesito furtividade, por receber pintura que reduz a identificação visual.
Todas as aeronaves modernizadas receberam o radar israelense EL/M 2032, que possui os seguintes modos de operação: ar-ar, ar-mar, ar-solo e navegação, e tem como principal tarefa detectar e rastrear alvos aéreos e de superfície, além de fornecer medida de distância ar-solo para o subsistema de pontaria de armas.
O radar, no sub-modo TWS (Tracking While Scan), possui capacidade de localizar e rastrear automaticamente 64 alvos, simultaneamente, marítimos ou terrestres. No modo SAR (Abertura Sintética), é possível fazer o mapeamento terrestre em operações de esclarecimento (reconhecimento).
elta-2032.jpg
Radar Elta-2032

 

Com a incorporação do Porta Helicópteros Multipropósito (PHM) “Atlântico” e seu Radar 3D 997, será possível realizar a vetoração das aeronaves decolando a partir de terra, para conduzir operações de guerra naval em apoio à Força Naval. Será igualmente possível realizar ações de defesa aeroespacial, ativa e passiva, da Força Naval ou de Fuzileiros Navais, garantindo um nível de proteção e ações em oposição à ameaça aérea inimiga.
Ao verificar a obsolescência dos sistemas de combate das suas aeronaves de asa fixa e objetivando fomentar a indústria nacional, a Marinha celebrou em 2009, contrato exclusivo com a Embraer Defesa e Segurança, escolhida para ser a Primer Contractor para a modernização de suas aeronaves de asa fixa.
Desde então, a Embraer iniciou projetos mediante requisitos diferentes daquelas aeronaves que operam apenas a partir de terra. O projeto de modernização objetivou atender a requisitos de um avião que operasse com capacidade de alinhamento do sistema inercial sob plataforma móvel e que precisasse operar em ambiente com alta emissividade eletromagnética. Estas características são um marco no contrato que elevam o know how em projetos, tanto para a Marinha do Brasil quanto para a Embraer.
Recebimento-do-AF-1B-N-1008-no-Esquadr%C
Recebimento do AF-1B N-1008 no Esquadrão VF-1

Fonte: Marinha do Brasil via site Poder Aéreo 3 set 2018



#63 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,050 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 03 de October de 2018 - 10:29

Meus prezados
Marinha do Brasil incrementa expertise em ações de Guerra Eletrônica em testes dos AF-1B/C Modernizados
41490_resize_620_380_true_false_null.jpg
1° Esquadrão de aviões de Receptação e Ataque, 1° Esquadrão de Helicópteros A e Grupo de Fiscalização e Recebimento das Aeronaves AF-1/1ª

Em 21 de setembro, em um esforço conjunto e coordenado pelo Grupo de Fiscalização e Recebimento de aeronaves AF-1/1A, Centro de Guerra Eletrônica da Marinha (CGEM), 1° Esquadrão de Helicópteros Anti Submarino (HS-1) e 1° Esquadrão de aviões de Interceptação e Ataque (VF-1), com o apoio da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate, a Marinha do Brasil realizou uma inédita Ação de Guerra Eletrônica nas instalações do Complexo Aeronaval, em São Pedro da Aldeia.
Essa atividade consistiu na coleta dos parâmetros reais de emissões, em todos os modos de transmissão, do novo Radar instalado nas aeronaves modernizadas AF-1B/C. As emissões foram recebidas, identificadas e armazenadas pela aeronave SH-16 (Esquadrão HS-1), que possui capacidade de Inteligência Eletrônica.
Os dados serão analisados minuciosamente pelo CGEM, responsável em prover a biblioteca de guerra eletrônica dos meios no âmbito da Marinha do Brasil (MB). O objetivo primário desse Ensaio em Solo foi permitir o desenvolvimento de uma Biblioteca de Guerra Eletrônica (Biblioteca de Ameaças) necessária para ser carregada nas aeronaves AF-1B/C, as quais realizarão, em breve, um Ensaio em Voo visando à validação final do novo Sistema Radar Warning Receiver (RWR).
1538418512_Guerra%20Eletr%C3%B4nica%2000
Militar do 1° Esquadrão de Helicópteros Anti Submarino analisa dados do ensaio - Foto: MB

Oportunamente, serão realizados exercícios com o AH-15B (Super Cougar), incrementando de forma contínua as capacidades de guerra eletrônica da MB.
O resultado desse evento representa um incremento do Poder Naval, com o acréscimo nas capacidades do Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” e sua Ala Aérea embarcada, e aumento nas capacidades operacionais do AF-1B/C, permitindo a participação mais eficaz em diversas operações.
Fonte: portal Nomar via Defesanet 1 out 2018



#64 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,050 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 21 de November de 2018 - 14:34

Meus prezados

Datena voa a bordo de um caça-bombardeiro Skyhawk AF-1C (modernizado) da Marinha do Brasil


Edited by jambock, 21 de November de 2018 - 14:39 .