Jump to content


Photo

A história por trás de seu colecionismo e sua coleção


This topic has been archived. This means that you cannot reply to this topic.
7 replies to this topic

#1 pedrominiaturas

pedrominiaturas
  • Usuários
  • 606 posts

Posted 04 de September de 2016 - 23:15

Pessoal, 

 

Tive uma ideia que também vou postar no Facebook e fica legal de conhecer melhor os outros colecionadores e amigos da comunidade.

Gostaria que cada um descrevesse quando e porque razão iniciou-se no hobby, seja plastimodelismo ou diecast mesmo.

 

Eu comecei a colecionar por volta de 2007, quando estava na faculdade de comunicação social (publicidade) e além de gostar muito de aviação há bastante tempo (sempre quis ser piloto de linha aérea), tive uma entrevista na TAM para uma vaga em um estágio de marketing. Fui até a etapa final do processo e vi algumas maquetes no prédio da TAM e perguntei onde poderia comprar elas. A gerente de marketing, me disse que não vendiam dentro da TAM. Imaginando que iria ser contratado, achei uma miniatura de um A330 da TAM à venda da Herpa 1:500 e comprei por volta de 60 reais, vindo dos EUA. Demorou bastante e quando chegou, a notícia de que outra pessoa tinha sido contratada, também chegou.

 

Só voltei a colecionar dois anos depois em 2009, quando achei um emprego - a crise de 2008 ceifou minhas chances de conseguir qualquer coisa durante 2008 e a grana estava curta do meu lado.

Voltei a colecionar Herpa em 2009 e em apenas 6 meses já tinha comprado mais de 200 miniaturas em 1/500, a grande maioria de velha geração, feitas pela Hogan, com uma roda que parece de brinquedo.

Continuei a colecionar assim e parti para o 1/200 em 2010, também os colecionando da Herpa. Sempre gostei da qualidade deles e da grande variedade. Em 2011, no começo do ano, a grana ficou curta e comecei a vender os primeiros da coleção, por necessidade mesmo. A procura era muito grande e em 2012, já tinha vendido quase toda a coleção. Ainda tenho uns 1/500 da minha velha coleção por aqui...

Muitos dos que compraram comigo em 2011, tinham sede em comprar mais, dado ao fato que eu sempre tive bastante habilidade no garimpo, na negociação e na facilidade em trazer os modelos de fora, as encomendas continuaram bastante vindo e vindo até 2012. 

Até que 2012, passei a comprar da JC Wings... e foquei bastante na marca. Trouxe muita coisa barata que hoje está por aí, distribuída na casa de novos amigos por todo o Brasil. Em 2013, viajei à Hong Kong e conheci a turma da JC, Hogan e Inflight200.  A Phoenix até hoje não conheço pessoalmente, mas devo o fazer até ano que vem. A Gemini também...

O resto é história hehehe, pois aí parei de focar na minha coleção - passei a focar em povoar a coleção de vocês.

 

Muitos acham que tenho uma coleção de mais de 1000 miniaturas, mas a verdade é que desde que comecei a vender, sempre alguém fica interessado na minha coleção e minha coleção segue diminuta... Quando trago algo, mantenho o modelo guardado na caixa por 2-3 meses e logo alguém involuntariamente procura este modelo, acabo vendendo... 

Recentemente passei a fazer uma coleção dos modelos nos quais voei. Mas bem específico. Inclusive da matrícula específica que voei.

Recentemente adquiri o F-GSQI (77W) da Phoenix 1:400 com a pintura "Jon One" na qual voei para Paris em abril. Também tenho um KLM Asia B777-200 que voei em 2012 para Amsterdam. Outro que está a caminho é o A7-BBB da Qatar que voei para Buenos Aires em 2014, curiosamente voei na ida e 5 dias depois, a aeronave que havia ido até a Austrália e Japão nesse período, voltou pra me pegar.

 

Procuro o CS-TOA que voei em maio... quem quiser trocar eu topo.

 

Tenho o CS-TOP A330 da TAP que não voei, mas curiosamente tem meu nome na frente da aeronave. Nome e sobrenome, algo único. 

E vocês, qual é a história da sua coleção?

 

 



#2 Pilot SBBH

Pilot SBBH
  • Usuários
  • 878 posts

Posted 05 de September de 2016 - 07:46

Meu primeiro grande contato com diecasts ocorreu no final da década de 90, quando meu pai presenteou a mim e ao meu irmão com dois pequenos modelos em escala de 1:500. Era um 747-400 da JAL e um MD-11 da KLM. Ambos fabricados pela Herpa. O fascínio pela aviação vinha de berço e aquele presente representou muito para mim e para meu irmão. Tanto é que viemos a nos interessar por outros modelos, especialmente por de menor tamanho como 737s e 727s que na época eram as aeronaves que mais habitavam meu fascínio pois os aeroportos de BH eram majoritariamente operados por esses tipos de aviões. Numa época em que não existia internet, e onde uma simples troca de correspondências demorava meses a fio para ser efetivada, resolvemos escrever uma carta para a Herpa, solicitando um catálogo ou coisa do tipo. Comprar esses itens vindos do exterior era algo que somente poderia ser feito presencialmente, porém o catálogo seria uma ferramenta para tornar as coisas mais claras e a seleção pela escolha de modelos mais fácil. Porém isso nunca ocorreu, pois a carta jamais foi respondida. Os tempos se passaram e infelizmente os modelos deixaram de ser objetos de decoração para virar brinquedo nas mãos do meu irmão caçula que na época tinha menos de 10 anos de idade.

Após isso o colecionismo ficou esquecido na minha vida e passei a me interessar e me preocupar com outras coisas. Foi então quando em 2007, após uma rápida pesquisa na internet, me deparei com a existência de belos modelos fabricados em diecast. Eram bonitos, cheios de detalhes e muito maiores do que aqueles que eu havia recebido de presente do meu pai. Eu pouco tinha conhecimento sobre esse assunto naquela época mas sei que em questão de dois meses comprei dois modelos diferentes. Eram os 737-700 da Southwest E um 737-800 da KLM. Ambos em 1:200 e eram os primeiros da série Gemini200 recem lançada na época e que impressionavam pela beleza e riqueza de detalhes. Diferentemente de anos atrás, eu consegui fazer a compra usando a internet e também foi possível que esses modelos chegassem em Minha casa com todo o conforto e segurança. Passaram-se alguns meses e segui comprando outros modelos em 1:200 da Gemini de forma aleatoriamente até que chegou um momento que meu conhecimento sobre o hobby foi se aprofundando e o número de modelos ia aumentando. Foi quando percebi que precisava definir um tema para a minha coleção, para não correr o risco de perder o foco e gastar dinheiro desnecessariamente. Foi quando então a aeroclassics lançou o A300 da Cruzeiro. Aquele modelo foi o que marcou o início da minha coleção e do meu acervo de miniaturas e foi a partir dele que decidi que só colecionaria modelos de cias brasileiras preferencialmente em escala 1:400 devido à facilidade do tamanho dos pequenos aviões de metal.

Aí a coisa não parou mais. O fórum do CR era bastante movimentado e havia um maior número de usuários que debatiam o tema diariamente por aqui. Novos modelos foram comprados numa época em que a aeroclassics despejava no
Mercado vários modelos das cias brasileiras como os 707s VARIG e TransBrasil, 727s da TransBrasil e Cruzeiro, A300s da VASP e VARIG além de muitos outros. Junto descobri o quão fascinante era o mercado de usados e de modelos que já haviam sumido das prateleiras e foi dessa forma que passei a me interessar ainda mais sobre o tema e a encorpar ainda mais a minha coleção. Modelos como os 3 747s e DC-10 da VARIG por exemplo foram todos comprados depois de algum tempo, paciência e pesquisa em sites de leilões. É assim o tempo foi passando e hoje sou um feliz proprietário de uma coleção bem grande de modelos das cias brasileiras. Sigo ainda garimpando alguns modelos antigos que não tive oportunidade de comprar no passado e que hoje viraram raridade nas lojas como os MD-11 Star Alliance da VARIG e o Convair C440 também da VARIG com a cauda branca e o símbolo do icaro. Isso continua sendo o meu maior combustível e o que continua mais me atraindo no hobby.

Pra finalizar esse texto grande, em meio a essa época abri espaço para os modelos em 1:200 também das cias nacionais. Estão todos guardados devido ao tamanho e à dificuldade de serem expostos. Mas é também uma coleção da qual me orgulho bastante em ter e onde gastei as maiores quantias de dinheiro até hoje nesse hobby.

Grande abraço a todos e vida longa ao nosso Hobby!

#3 casqueiro

casqueiro
  • Usuários
  • 560 posts

Posted 05 de September de 2016 - 14:03

Meu primeiro contato com o hobby foi em 2007, quando desembarquei em Lisboa e dei de cara com a OceanWings, uma loja fantástica, especializada em miniaturas 1/400 e 1/200, e em destaque estava o recém lançado A310 TAP Portugal, feito pela Phoenix especialmente para a loja portuguesa, e justamente o avião que acabara de desembarcar: o CS-TEX. Meu avô então me deu de presente o modelo, que seria o primeiro de muitos.

Logo que tive acesso a internet durante a viagem, fui no site da OceanWings e fiquei "babando" nos outros modelos, e então na volta ao Brasil, "ganhei"outro A310: o CS-TEI, nas cores Air Portugal.

Já em 2008, fui fuçando na internet a procura dos melhores preços, pois havia a restrição de comprar modelos de até US$30.

A coleção foi aumentando, e a restrição de preço também ficou pra trás... hahahahaha

Determinei meu foco em VARIG e TAP, duas companhias que foram a origem pelo amor à aviação, e algumas exceções de aviões que já voei, ou que acho muitíssimo bonitos, e que valem a pena estar na estante.

Em 2010, vieram os primeiros 1/200: o 747 e o L1011 da TAP. Numa oportunidade ímpar, consegui barganhar os dois por preços bem abaixo do que eram normalmente achados no mercado, sendo que na epoca já eram modelos raros!

Nos anos seguintes, o ritmo de compras de 1/400 foi diminuindo, pois realmente me "prendo" ao foco da coleção, então só vou comprando os lançamentos recentes, e que não sejam essa repetição que temos visto recentemente...

Os 1/200 são meu novo foco, até por serem ótimas peças de decoração! Mas mesmo assim, o foco se mantém, se não o dinheiro vai todo embora! hahahahaha

 

Thats all folks!



#4 Darkwing Duck

Darkwing Duck
  • Usuários
  • 1,718 posts

Posted 05 de September de 2016 - 21:55

Pedro, parabéns pelo tópico bastante interessante!

 

Vamos lá, comecei a gostar de aviação em 1995, quando voei pela primeira vez. Neste voo, peguei a revista de bordo da Varig e levei para o hotel. Era perto do meu aniversario, estava dando uma olhada na revista quando vi umas maquetes com a pintura da Varig. Falei para minha mãe que queria uma daquelas no meu aniversário... Um ano disso se foi.

 

Pois bem, no meu aniversário de 1996 fui até o aeroporto, tinha uma loja  que vendia essas maquetes de resina, tinha pouco conhecimento em aviação, mas vi um TAM que não tinha menor ideia de qual modelo era, por não conhecer nada de aviação e comprei. Quando houve o acidente do KK402, de uma maneira trágica fiquei sabendo que aquela minha maquete se tratava de um modelo Fokker 100.

 

Depois dessa primeira, não parei mais, comprei várias, todo dinheiro que ganhava, Natal, aniversário, comprava uma nova, acabei tendo mais de 15. Fui comprando dessas de resina de 1996 até meados de 2001. Tinha costume de sempre escrever para as companhias aéreas pedindo brindes, e numa dessas cartas a TransBrasil me enviou uma miniatura de plástico de um 767, muito bacana.

 

Aí comecei a partir para Flight Simulator, radioescuta, colecionar Flap, Aeromagazine, e as maquetes foram ficando de lado....Somado a este fato, veio a primeira decepção no hobby, minha primeira, que foi o Fokker da TAM, caiu de cima da prateleira, e partiu o profundor. Fiquei bastante aborrecido.

 

Já frequento o CR a muitos anos, porém ano passado, comecei a ler essa parte de miniaturas, e comecei a me interessar pelas diecast. Olhava as fotos que o pessoal postava aqui e sempre ficava babando com a qualidade dessas miniaturas. Fui aprendendo as escalas, fabricantes, sites de compra, tudo aqui no CR e já de cara, notei que muitos modelos brasileiros não existiam, principalmente em 1/200.

 

No começo achava o preço bem pesado e via que ia ser difícil manter uma coleção crescendo bem, e outra barreira que tinha, que eu não havia conhecimento de como comprar lá fora, como era feita a taxação por parte da receita, enfim, perdi o medo e fiz minha primeira compra no ebay. Duas miniaturas 1/200, um 727-200 da TAP e outro 737-200 também da TAP ambos JCWings, não que eu tivesse algo em especial com a TAP, mas essas miniaturas estavam em um preço bastante acessível, e comprei elas para ver como era.

 

Mas a minha suspeita inicial se confirmou, o hobby era pesado para sustentar, ainda mais com o dólar alto que ainda permanece, então como alternativa, tentei passar a colecionar 1/400. Um MD-11 VASP e outro MD-11 Varig. Não deu certo, por mais que eu tentava me acostumar, o tamanho delas não me agradava. Até que cheguei a conclusão que não queria elas mais. Entrei no Mercadolivre e as coloquei a venda.

 

Rapidamente elas foram vendidas, algo em torno de 4 dias foram as duas, aí me bateu uma nova ideia, para sustentar minha coleção de 1/200 comecei a garimpar miniaturas com um preço bom, para revende-las e comprar novas para minha coleção 1/200. E deu certo, assim eu venho aumentando aos poucos minha coleção 1/200, agora um novo problema surgiu, a falta de espaço, mas isso um outro tópico a gente aborda eheheheh

 

Hoje em praticamente um ano, estou na minha coleção 1/200:

 

A380 British Airways Gemini

MD-11 Varig   PP-VPP JCWings

767-300 TAM PT-MSR JCWings

767-200 TransBrasil PT-TAA JCWings

767-300 Varig PP-VOI JCWings

727-100 Varig PP-VLG JCWings

 

E os TAP aonde foram parar? Customizei eles, o 737-200 virou um Varig e o 727-200 um VaspEx.

 

Além do hobby de colecionar, faz parte ficar horas na internet garimpando novas miniaturas, miniaturas raras, preços de oportunidade, etc...

 

É isso aí

 

Abraços



#5 asilveira

asilveira
  • Usuários
  • 154 posts

Posted 05 de September de 2016 - 22:32

A paixão pelo hobby resulta da paixão pela aviação. Esta começou lá pelo início dos anos 80, na época eu morava em Perdizes, bairro da zona oeste de São Paulo, GRU não existia e os aviões que partiam de CGH pela cabeceira 17R sobrevoavam o bairro quando faziam a curva à direita. Cresci vendo os L188, B737-200, B727-100 e 200 e A300 passarem sobre a minha casa. Na época eu colecionava carrinhos da matchbox e entres havia alguns aviões que eu guardei numa caixa depois esquecida por décadas num armário. Há mais ou menos dez anos, minha esposa decorou uma mesa de aniversário com eles, depois da comemoração eu comecei a procurar na internet e descobri os modelos, a partir de então comecei a colecionar e não parei mais. Primeiro 1/400, depois também 1/200. Minha coleção é só de nacionais, não dá para diversificar demais, acho que é bom ter um foco para organizar a coleção. Também é preciso cuidar do espaço e do bolso. É isso aí. Valeu Pedro.

#6 Darkwing Duck

Darkwing Duck
  • Usuários
  • 1,718 posts

Posted 07 de September de 2016 - 17:46

Meu primeiro grande contato com diecasts ocorreu no final da década de 90, quando meu pai presenteou a mim e ao meu irmão com dois pequenos modelos em escala de 1:500. Era um 747-400 da JAL e um MD-11 da KLM. Ambos fabricados pela Herpa. O fascínio pela aviação vinha de berço e aquele presente representou muito para mim e para meu irmão. Tanto é que viemos a nos interessar por outros modelos, especialmente por de menor tamanho como 737s e 727s que na época eram as aeronaves que mais habitavam meu fascínio pois os aeroportos de BH eram majoritariamente operados por esses tipos de aviões. Numa época em que não existia internet, e onde uma simples troca de correspondências demorava meses a fio para ser efetivada, resolvemos escrever uma carta para a Herpa, solicitando um catálogo ou coisa do tipo. Comprar esses itens vindos do exterior era algo que somente poderia ser feito presencialmente, porém o catálogo seria uma ferramenta para tornar as coisas mais claras e a seleção pela escolha de modelos mais fácil. Porém isso nunca ocorreu, pois a carta jamais foi respondida. Os tempos se passaram e infelizmente os modelos deixaram de ser objetos de decoração para virar brinquedo nas mãos do meu irmão caçula que na época tinha menos de 10 anos de idade.

Após isso o colecionismo ficou esquecido na minha vida e passei a me interessar e me preocupar com outras coisas. Foi então quando em 2007, após uma rápida pesquisa na internet, me deparei com a existência de belos modelos fabricados em diecast. Eram bonitos, cheios de detalhes e muito maiores do que aqueles que eu havia recebido de presente do meu pai. Eu pouco tinha conhecimento sobre esse assunto naquela época mas sei que em questão de dois meses comprei dois modelos diferentes. Eram os 737-700 da Southwest E um 737-800 da KLM. Ambos em 1:200 e eram os primeiros da série Gemini200 recem lançada na época e que impressionavam pela beleza e riqueza de detalhes. Diferentemente de anos atrás, eu consegui fazer a compra usando a internet e também foi possível que esses modelos chegassem em Minha casa com todo o conforto e segurança. Passaram-se alguns meses e segui comprando outros modelos em 1:200 da Gemini de forma aleatoriamente até que chegou um momento que meu conhecimento sobre o hobby foi se aprofundando e o número de modelos ia aumentando. Foi quando percebi que precisava definir um tema para a minha coleção, para não correr o risco de perder o foco e gastar dinheiro desnecessariamente. Foi quando então a aeroclassics lançou o A300 da Cruzeiro. Aquele modelo foi o que marcou o início da minha coleção e do meu acervo de miniaturas e foi a partir dele que decidi que só colecionaria modelos de cias brasileiras preferencialmente em escala 1:400 devido à facilidade do tamanho dos pequenos aviões de metal.

Aí a coisa não parou mais. O fórum do CR era bastante movimentado e havia um maior número de usuários que debatiam o tema diariamente por aqui. Novos modelos foram comprados numa época em que a aeroclassics despejava no
Mercado vários modelos das cias brasileiras como os 707s VARIG e TransBrasil, 727s da TransBrasil e Cruzeiro, A300s da VASP e VARIG além de muitos outros. Junto descobri o quão fascinante era o mercado de usados e de modelos que já haviam sumido das prateleiras e foi dessa forma que passei a me interessar ainda mais sobre o tema e a encorpar ainda mais a minha coleção. Modelos como os 3 747s e DC-10 da VARIG por exemplo foram todos comprados depois de algum tempo, paciência e pesquisa em sites de leilões. É assim o tempo foi passando e hoje sou um feliz proprietário de uma coleção bem grande de modelos das cias brasileiras. Sigo ainda garimpando alguns modelos antigos que não tive oportunidade de comprar no passado e que hoje viraram raridade nas lojas como os MD-11 Star Alliance da VARIG e o Convair C440 também da VARIG com a cauda branca e o símbolo do icaro. Isso continua sendo o meu maior combustível e o que continua mais me atraindo no hobby.

Pra finalizar esse texto grande, em meio a essa época abri espaço para os modelos em 1:200 também das cias nacionais. Estão todos guardados devido ao tamanho e à dificuldade de serem expostos. Mas é também uma coleção da qual me orgulho bastante em ter e onde gastei as maiores quantias de dinheiro até hoje nesse hobby.

Grande abraço a todos e vida longa ao nosso Hobby!

 

O MD-11 seria esse?

 

http://www.ebay.com/...0oAAOSwGtRXyOGQ

 

 

Abraços



#7 Pilot SBBH

Pilot SBBH
  • Usuários
  • 878 posts

Posted 07 de September de 2016 - 21:02

O MD-11 seria esse?
 
http://www.ebay.com/...0oAAOSwGtRXyOGQ
 
 
Abraços


Tou acompanhando esse leilão também Dark! Dependendo do preço final, vou arrematar!! Valeu um abraço!!

#8 gabrielplatonow

gabrielplatonow
  • Usuários
  • 242 posts

Posted 17 de October de 2016 - 13:34

Comigo não foi diferente, a paixão pela aviaçao sempre foi presente desde criança, eu ganhava do meu pai aquelas miniaturas de metal que vendiam em todos aeroportos antigamente com o trem de pouso de plastico todo preto, tinha 737 vasp, 767 transbrasil, 747 varig, entre outros mais. Foi em 2010 viajando pela Europa que vi os primeiros modelos de fabricantes em escala. No aeroporto de Munique eu comprei um A380 e um A340-600 da Lufthansa feitos pela Hogan. Dali passaram-se 3 anos até eu ter a brilhante ideia de pesquisar sobre o nome da marca que estava pintada nesses dois modelos. Foi aí que entendi que não eram modelos avulsos, e sim exemplares de uma marca que fazia muito mais. A partir desse momento comecei a comprar miniaturas da Hogan 1:200 pelo ebay e no mercado livre. O universo do diecast foi se apresentando aos poucos, uma vez que apareciam marcas diferentes nas pesquisas relacionadas aquelas que eu fazia. Eu acabava sempre por optar pelos 1:200, por achar que 1:400 seria mal feito ou pequeno demais. Depois de algum tempo colecionando 1:200, tanto em plastico como em diecast, resolvi arriscar a compra de dois modelos 1:400. Foram comprados pelo ebay o B777-2 da Varig e o B737-8 da Gol, ambos feitos pela Phoenix. Bastou os modelos chegarem para que eu me apaixonasse pela escala 1:400 e os modelos em metal dessa escala. Logo em seguida ja comecei a encomendar mais de diferentes sites. Em menos de 1 ano a coleção ja contava com 50 modelos, alguns deles bem raros. Conhecendo os foruns dos EUA, sites da China e vendedores avulsos, fui capaz de conseguir modelos mais raros e assim aumentando a coleção. Hoje, passados 3 anos de que comecei a colecionar modelos 1:400, minha coleção conta com 103 modelos e 4 no correio. Passei algum tempo sem comprar, mas agora estou de volta a ativa (haja coração). Um abraço a todos!