Jump to content


Photo

Busca por jatos eficientes pode beneficiar Embraer


  • You cannot start a new topic
  • Please log in to reply
No replies to this topic

#1 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 23,708 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 17 de May de 2018 - 10:09

Meus prezados

Busca por jatos eficientes pode beneficiar Embraer

As ações da Embraer fecharam em alta ontem na B3 influenciadas pela expectativa de que o petróleo mais caro estimule a demanda por jatos novos, apontaram agentes de mercado. Os papéis fecharam cotados a R$ 22,94, valorização de 3,52% no dia.

Em entrevista nos Estados Unidos à firma de consultoria e informação Flightglobal, semana passada, o diretor de vendas da Embraer, Arjan Meijer, disse que o combustível mais caro tende a aumentar a demanda por jatos novos na indústria da aviação.

"Acho que vimos um período em que substituir aeronaves antigas por novos jatos podia ser adiado porque havia o benefício do preço do combustível. Agora eu acho que estamos começando a ver, de uma perspectiva de consumo de combustível, uma volta de um maior foco em nova tecnologia, mais eficiente", afirmou.

A nova família de jatos comerciais da Embraer E2 são até 25% mais eficientes com consumo de combustível que os modelos mais antigos. A carteira de pedidos da Embraer fechou o primeiro trimestre com encomendas e serviços contratados que somam US$ 19,5 bilhões, ante US$ 18,3 bilhões em 31 de dezembro.

Além do petróleo, o dólar mais caro favorece a Embraer, que faz mais de 90% de sua receita em vendas internacionais.

O presidente da fabricante brasileira, Paulo Cesar de Souza e Silva, disse ontem, após reunião do conselho consultivo internacional da Fundação Dom Cabral, em Nova York, que estão bastante avançadas as negociações com o governo português para a venda do avião cargueiro KC-390.

Fonte: João José Oliveira para jornal Valor Econômico via CECOMSAER 17 MAI 2018