Jump to content


Photo

EW Europe 2018: Até 2020 Saab estará voando o ‘jammer pod’ Arexis

Jammer Pod Arexis

  • You cannot start a new topic
  • Please log in to reply
No replies to this topic

#1 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 23,912 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 07 de June de 2018 - 13:21

Meus prezados
EW Europe 2018: Saab vai voar o ‘jammer pod’ Arexis até 2020

Saab-Arexis-e1505485168694.jpg
Jammer Pod Arexis, da Saab

 

A empresa sueca Saab anunciou que começará os testes de voo para um novo “jammer pod” de bloqueio eletrônico até o início da próxima década, uma vez que observa uma exigência crescente de várias forças aéreas para capacidades de ataque eletrônico orgânico.
O pod de interferência, que foi revelado pela primeira vez no ano passado como parte de um pacote de guerra eletrônica mais amplo conhecido como Arexis, está atualmente passando por um desenvolvimento de subsistema e eventualmente será construído em um protótipo pronto para testes de voo.
Esses testes de voo provavelmente ocorrerão em uma aeronave Gripen C/D, devido à disponibilidade deste tipo de aeronave para o fabricante Saab. Apesar disso, o pod estará disponível para uma variedade de aeronaves que são operadas em toda a OTAN e em outros lugares.
“Nós vemos um grande interesse nos pods de ataque eletrônico aerotransportados”, disse Petter Bedoire, diretor de marketing e vendas da EW na Saab, falando no EW Europe. “Na OTAN, há uma necessidade de ataque eletrônico aéreo … existe uma lacuna de capacidade”.
Bedoire acrescentou que as demonstrações dos clientes ocorrerão assim que o protótipo estiver pronto, o que provavelmente determinará a rapidez com que o demonstrador será transformado em um produto qualificado pronto para a produção em série.
Jonas Gronberg, diretor de gerenciamento de produtos do Gripen EW na Saab, disse que a empresa estava atualmente construindo os sub-sistemas que compõem o pod.
“A maturidade dessa tecnologia é bastante alta devido ao fato de termos reutilizado vários blocos de construção do Gripen E, incluindo a DRFM (digital radio frequency memory] e a tecnologia AESA que já temos.”
Gripen-EW.jpg
Sistema de guerra eletrônica Arexis do Gripen E

A DRFM funciona capturando digitalmente a assinatura da ameaça guiada por radar e, em seguida, emitindo um sinal de interferência para confundir o míssil atacante, geralmente dando-lhe um “alvo falso”. Esse sistema é integrado ao Gripen E, em vez de ser uma solução em pod.
Acredita-se que a capacidade de interceptação do pod será otimizada para interferência em radares de frequência mais baixa, incluindo sistemas de defesa antiaérea que proliferaram nos últimos anos.
A Saab poderia oferecer o produto aos clientes até 2022, embora as autoridades acrescentem que o desafio para a Saab não é a tecnologia, mas qualificar o pod, bem como o fornecimento interno de energia e resfriamento, para o voo supersônico.
“Isso é demorado”, disse Benoire.
Enquanto isso, a Saab está no caminho certo para começar a testar os sistemas EW a bordo de seu novo Gripen E este ano, como parte dos testes de voo contínuos para o caça sueco.
O teste do Sistema Multifuncional-EW (MFS-EW), que consiste de receptores de alerta radar e contramedidas eletrônicas, continuará em 2019 quando a primeira entrega do Gripen E for realizada.
Um programa de testes provavelmente incluirá radares que iluminam a aeronave para testar os receptores de alerta radar da plataforma, levando a aeronave a emitir energia de RF a partir de seu sistema de contramedidas eletrônicas de alta potência.
A suíte EW do Gripen E/F utiliza várias novas tecnologias, incluindo receptores digitais de banda ultralarga, nitreto de gálio, amplificadores de alta potência e bloqueadores de matriz ativa rastreados eletronicamente. A proteção eletrônica é fornecida na faixa de frequência que varia de 0,5 GHz até 40 GHz.
“Estamos realmente dando um salto tecnológico aqui, consideramos que este é o mais avançado sistema de autoproteção já instalado em um caça”, disse Bedoire.
Fonte: Shephardmedia via site Poder Aéreo 7 JUN 2018