Jump to content


Photo

Marinha do Brasil modernizará Super Lynx MK-21A


  • You cannot start a new topic
  • Please log in to reply
8 replies to this topic

#1 transvasp

transvasp
  • Usuários
  • 5,142 posts
  • Gender:Male
  • Location:Salvador
  • Cidade/UF/País:Salvador - Bahia - Brasil
  • Data de Nascimento:04/02/1974

Posted 10 de September de 2008 - 06:30

No dia 26 de agosto de 2008 foi assinado na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, RJ, um contrato de aquisição de sistemas eletro-ópticos Sea Safire III para serem instalados nos helicópteros Westland Super Lynx MK-21A (AH-11A) da Marinha do Brasil.

O Sea Safire III é um sistema giroestabilizado fabricado pela FLIR Systems e é dotado de múltiplos sensores incluindo imageador térmico, câmera de TV, telêmetro laser e designador de alvos com laser.

Está prevista inicialmente dentro do Programa de Reaparelhamento da Marinha, a instalação do Sea Safire III em seis helicópteros Super Lynx por um montante de R$ 34,7 milhões.


Fonte: http://www.tecnodefe...p;id=a89d2b0297

#2 MLN-SJP

MLN-SJP
  • Moderador
  • 4,147 posts
  • Gender:Male
  • Location:SJP
  • Data de Nascimento:21/08/1970

Posted 10 de September de 2008 - 13:47

O Lynx é um exccelente vetor... Além da modernização precisaria de mais algumas unidades. Não existe helicóptero suficiente para todos os navios da Marinha...

MODO CÍNICO ON

OPS, como nem metade dos navios da marinha conseguem navegar acho que o que tem dá...

MODO CÍNICO OFF

MLN
  • BlackAce likes this

#3 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 22,719 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 10 de September de 2008 - 22:44

QUOTE(transvasp @ Sep 10 2008, 06:30 AM) <{POST_SNAPBACK}>
(...)O Sea Safire III é um sistema giroestabilizado fabricado pela FLIR Systems e é dotado de múltiplos sensores incluindo imageador térmico, câmera de TV, telêmetro laser e designador de alvos com laser.(...)
Prezado transvasp: O Sea Star Safire III tem apenas o imageador térmico como item de série. Os demais dispositivos são opcionais. Se os Safire vierem com todos esses opcionais citados: câmera de TV, telêmetro laser e designador de alvos com laser, creio que os helis da MB ficarão mais bem equipados que seus congêneres Lynx MK-8 da Real Armada Inglesa. Se o Lynx já é uma aeronave excelente, com a instalação deste Safire tornar-se-á excepcional. Para maiores detalhes deste valiosissimo instrumento:
http://www.gs.flir.c...rSAFIRE_III.pdf
A Marinha Brasileira procura manter os Lynx no estado-da-arte, pois este será o segundo up-grade pelo qual eles passam.

Edited by jambock, 10 de September de 2008 - 22:46 .


#4 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 22,719 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 08 de July de 2014 - 21:05

Meus prezados:
A negociação para a modernização dos helicópteros Lynx da Marinha do Brasil tem a influência direta e empuxe do seu Comandante o Almirante-de-Esquadra Moura Neto.
http://www.defesanet..._false_null.jpg
O Comandante da Marinha, Almirante Moura Neto e comitiva com executivos
    
No dia 30 de junho de 2014 a Marinha do Brasil, através da Diretoria de Aeronáutica da Marinha (DAerM),  firmou um contrato com a Empresa AGUSTA WESTLAND Ltd., para modernização de oito aeronaves “Super Lynx” Mk 21A.

Este contrato mostra a filosofia implementada pelo comandante da Marinha do Brasil,Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, e as ações para contornar problemas advindos de contratos e programas, que tornam-se miragens.
Pavilhões do Riocentro, transcorria a LAAD 2013, e todos os olhares focados nos grandes programas estratégicos de cada Força.  Esperado  no stand da AgustaWestland  o Almirante Moura Neto e sua comitiva.
Porém, o tom direto e objetivo surpreendeu aos executivos. Em vez de pensar nos grandes projetos, e muitos já quase inatingíveis pelas razões orçamentárias, que avistavam-se no horizonte o Comandante da Marinha foi no ponto. O processo de modernização dos Lynx, como ter em operação em um prazo viável os verdadeiros “bois de canga” que são os Super Lynx Mk 21A.
A Marinha na época trabalhava com o Programa de Obtenção de Navios de Superfície (PROSUPER),  e que previa a aquisição de 5 navios de escolta a aquisição dos helicópteros maiores como o Sikorsky Seahawk ou o UH-15 (EC725). Sem o PROSUPER e sem os Seahawk / UH-15  a prioridade passa a ser o “Plano B” – Corvetas e modernizar  os helicópteros Lynx.
Aos representantes da empresa italiana-britânica, liderados pelo Comandante Roberto Duhá, perguntas diretas e objetivas e longos minutos junto ao modelo do AW139 Wildcat.   A aquisição da nova geração do Lynx, o AgustaWestland  AW139 Wildcat é impensável pela mesmas razões da miragem que tornava-se o PROSUPER.
Em um período relativamente curto, sempre sob o olhar do Almirante Moura Neto, foi formatado o escopo do trabalho, o que poderia ser feito e em especial, os custos. Atendendo às demandas da Estratégia Nacional de Defesa o que seria incluído nas contrapartidas comerciais (Offset).
O Lynx
Junto com as seis fragatas MK10 Classe Niterói, adquiridas nos anos 70, foram encomendados os helicópteros Westland Lynx. A MB já tinha operado outros modelos da empresa inglesa como o Wasp,  porém o Lynx daria um novo conceito à Aviação Naval embarcada dentro da Marinha do Brasil.
As aeronaves “Lynx” estão em atividade na Aviação Naval desde 1978, compondo o inventário do 1º Esquadrão de Helicópteros de Esclarecimento e Ataque (EsqdHA-1). Em meados da década de 1990, foram adquiridas mais nove aeronaves “Super Lynx”, e as cinco remanescentes do lote original foram convertidas para este padrão.
A Modernização
Em 30 de junho de 2014 a Marinha do Brasil celebrou um contrato com a Empresa AGUSTA WESTLAND LIMITED para modernização de oito aeronaves “Super Lynx” Mk 21A.

A atualização englobará os seguintes componentes:
1- Substituição dos motores das aeronaves
O melhor desempenho dos motores CTS800-4N em relação aos RR GEM Mk. 1017, ora instalados nas aeronaves, aumentará a capacidade das aeronaves em ambientes quentes e altos, permitindo maior carga útil e melhor alcance.
2- Melhorias no sistema de navegação e nos aviônicos:
Um novo “glass cockpit” será complementado por uma nova suíte de aviônicos composta de:
a -  Processador tático;
b - Navegação satelital;
c - TCAS (Traffic Collision Avoidance System);
d - Sistemas de pouso por instrumentos;
e - RWR (Radar Warning Receiver), e,
f - MAGE (Medidas de Apoio à Guerra Eletrônica) integrados com lançadores de “flare”.
Notas:
a - Total compatibilidade com dos avionicos com o emprego de óculos de visão noturna (NVG), e,
B - Também será instalado um guincho elétrico em substituição ao atualmente em uso, de acionamento hidráulico.

As atividades
A célula do Lynx têm uma resistência incomum, sendo que um dos 8 a serem modernizados é do lote recebido em 1978. O limite foi de as células não terem ultrapassado o teto de 6.000 horas de voo.

O rotor e as pás permanecem às mesmas trocadas em 1996. O motor CTS800-4N é mais pesado 200kg, mas garante mais potência e permitirá operação de pouso no convoo com uma só turbina (emergência), sem demandar que o navio tenha velocidade a mais.

Também garantirá uma operação mais estável em ambientes com temperatura elevada.
Dentro das negociações de offsets foram acordados os seguintes itens:
1 – Manutenção  do rotor e pás a serem feitas no Brasil, e,
2 – Apoio Logístico diretamente no Brasil.

Também está em discussão com empresas nacionais o desenvolvimento / produção de um simulador de voo.
As novas modificações nas aeronaves “Super Lynx” garantirão uma significativa melhoria em suas capacidades, com melhor performance, alcance e capacidade operativa.

As atividades de modernização começarão em 2015 na fábrica da AGUSTA WESTLAND, em Yeovil, na Inglaterra. A primeira aeronave modernizada deverá ser entregue à Marinha do Brasil no final de 2017, e a última, no início de 2019.

O valor do contrato anunciado pela AgustaWestland para a modernização das 8 unidades do helicóptero Lynx e desenvolvimento e aquisição do simulador é de U$ 160 milhões de dólares.
Comentário DefesaNet
Assim a Marinha do Brasil certamente não terá os navios de escolta do PROSUPER até 2017-2019, mas dará ao Plano B, às Corvetas o ferrão que as tornará uma arma respeitada, o "Super Lynx” Mk 21A modernizado.
Fonte: Defesanet



#5 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 22,719 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 03 de December de 2014 - 23:34

Meus prezados:

CTS800 equipara Super Lynx
Motor foi selecionado pela Marinha do Brasil em contrato de modernização
superlynx.jpg
A Marinha do Brasil selecionou a Light Helicopter Turbine Engine, uma empresa administrada em parceria pela Honeywell e a Rolls-Royce, para participar do programa de modernização de meia-vida da frota de Mk21A Lynx.
Este programa de atualização incluirá o fornecimento dos motores LHTEC CTS800 que proporcionarão à aviação naval brasileira uma melhoria significativa em sua capacidade, fornecendo melhor desempenho, alcance e eficácia operacional na aeronave.
O motor surgiu durante o desenvolvimento do programa RAH-66 Comanche, sendo o CTS800-4N utilizado no Lynx Mk9A do exército britânico, no Super Lynx 300 e no AW159. Este motor irá fornecer grandes melhorias de desempenho para a frota brasileira em ambientes de altitude e altas temperaturas, permitindo maior capacidade de carga e área de operação. Estas melhorias são possíveis graças a maior eficiência no consumo combustível e a melhor relação peso/potência.
O contrato, avaliado em mais de 117 milhões €, inclui além da substituição dos motores, a instalação de um novo sistema navegação, inclusão de cockpit totalmente digital e modernos sistemas de missão, que inclui um processador tático, sistema de navegação baseado em satélite, TCAS, sistema de pouso por instrumento e RWR/ESM integrados.

O novo painel será totalmente compatível com o uso de OVN (Óculos de Visão Noturna). As atualizações ainda contemplam um de contramedidas (Chaff/Flare) e um novo guincho de resgate (Hoist), acionado eletricamente.
As atualizações dos helicópteros começarão em meados de 2015 na fábrica da AgustaWestland em Yeovil, na Inglaterra, com o primeiro helicóptero programado para ser entregue para a Marinha do Brasil no final de 2017.
O lote completo das aeronaves atualizadas está previsto para entrega no início de 2019.
Fonte: aeromagazine.uol.com.br 18 nov  2014 às 17:00



#6 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 22,719 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 10 de June de 2017 - 00:48

Meus prezados
Leonardo Helicópteros diz que 1º Lynx modernizado da Marinha do Brasil voa no mês que vem (jul/2017) 
LinceLynxemroverABREABREABRE.jpg
A empresa Leonardo Helicopters, uma das sete divisões do Grupo Leonardo S.p.A.(antiga Finmeccanica), sediado em Roma, informou à reportagem do portal de notícias IHS Jane’s Defence Weekly, que está pronta para testar em voo, já no mês que vem, o 1º helicóptero Super Lynx AH-11B modernizado para a Marinha do Brasil (MB).
De acordo com o contrato assinado em 2014 pela Força Naval brasileira, as oito aeronaves Lynx MK.21 enviadas a esse programa de revitalização na Inglaterra devem ser devolvidas ao Esquadrão HA-1 – Lince –, da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (sede da Força Aeronaval do Brasil), entre os meses de novembro deste ano e fevereiro de 2019.
Linceempacotadonacarreta.jpg
Remoção de um Lynx, em 2014, para seu encaminhamento à Inglaterra
O serviço nos Lynx brasileiros ficou em 117 milhões de Euros (equivalentes, à época da contratação, a 132 milhões de dólares).
Esses helicópteros são, normalmente, embarcados nos escoltas da Força de Superfície da Esquadra (imagem abaixo), mas, de acordo com um oficial do Estado-Maior da Armada ouvido pela coluna INSIDER, a entrega do último deles, dentro de mais 20 meses, irá coincidir com a época em que, se estima, a MB possa estar recebendo o porta-helicópteros britânico HMS Ocean, recentemente oferecido ao Brasil – isso no caso, obviamente, de os chefes navais brasileiros conseguirem os recursos necessários a sua aquisição (cerca de 80 milhões de Euros) e modernização.
Ontem (08.06), os quatro oficiais (um capitão de mar e guerra e três capitães de fragata) designados para realizarem uma primeira vistoria no navio – que se encontra em sua base de Devonport (sul da Inglaterra) –, encerraram o seu trabalho.
Seus relatórios, previstos para ficarem prontos ainda este mês, vão embasar a decisão do Comando da Marinha de enviar uma nova equipe de especialistas, mais numerosa, entre os meses de julho e agosto, para realizar uma demorada “inspeção técnica” no navio.
A não designação do novo grupo de vistoria indicará que a Marinha considerou inadequada a compra da embarcação.
LinceLynxdescendoemfragata.jpg
Equipamentos – A elevação do Lynx AH-11 brasileiro ao padrão B inclui, entre outras benfeitorias:
– A instalação de motores CTS800-4N;
– Glass cockpit digital com três grandes displays GE Avionetics;
– Sistema de processamento tático da empresa britânica General Dynamics acoplado a gravador de eventos de segurança;
– Sistema Identificador Friend or Foe (Amigo/Inimigo) Avionics RX-5;
– Sistema de Prevenção de Colisão em Tráfego Garmin’s GTS-855;
– Transponder digital GTX-33DH Mode S;
– Software Curtiss-Wright configurável para unidade aérea;
– Instrumentos para o Sistema de Pouso da aeronave;
– Novo sistema de comunicação em VHF;
– Interface tipo touch-screen Garmin GTN-650;
– Sistema de ESM (Electronic Suport Measure) SAGE da Leonardo e suíte de controle auxiliar de medidas defensivas;
– Dispensadores de contramedidas eletrônicas Thales Vicon XF; e
– Pequeno guindaste de acionamento elétrico.
Fonte: Roberto Lopes para site Plano Brasil 9 JUN 2017



#7 PHAJET

PHAJET
  • Usuários
  • 777 posts
  • Gender:Male
  • Cidade/UF/País:RJ/Brasil
  • Data de Nascimento:01/01/1980

Posted 10 de June de 2017 - 09:41

boa notícia, mas, ao mesmo tempo, está havendo o desmonte do programa nuclear brasileiro. saibam pelo menos uma parte da história, sobre o cientista Othon, almirante da Marinha do Brasil: https://www.brasilde...-por-politicos/



#8 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 22,719 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 29 de September de 2017 - 15:58

Meus prezados
Primeira aeronave Super Lynx modernizada realiza voo experimental na sede da empresa Leonardo (IT)

38019_resize_620_380_true_false_null.jpg

A aeronave N-4001, primeiro dos oito helicópteros Super Lynx da Marinha do Brasil (MB) em processo de modernização, realizou com êxito o seu voo experimental, em 28 de setembro, a partir da sede da empresa Leonardo Marconi Westland (LMW), situada em Yeovil, Reino Unido.

Esse voo representa importante marco para o Programa de Modernização e para a Aviação Naval, que vem operando as aeronaves Lynx desde 1978, quando recebeu seus primeiros nove helicópteros Mk21.

Posteriormente, em 1996, a MB modernizou cinco dessas aeronaves e adquiriu mais nove, perfazendo um total de quatorze aeronaves no padrão Super Lynx Mk21A.

O helicóptero N-4001, aeronave protótipo do atual projeto de modernização, prosseguirá com os voos de teste até dezembro de 2017. Posteriormente, será utilizada para treinamento e qualificação dos pilotos do Esquadrão HA-1, sendo estimado o início destes voos para janeiro de 2018, na sede da empresa. Seu envio para o Brasil está programado para maio do mesmo ano, conjuntamente com a N-4004.

O Super Lynx Mk21B é equipado com dois motores CTS800-4N, empregados nos helicópteros Super Lynx 300 e AW159 “Wildcat” da Marinha Real britânica.

Devido aos diversos aperfeiçoamentos introduzidos, esses motores propiciam às aeronaves grande melhoria de desempenho, especialmente em ambientes quentes, aumentando a carga útil da aeronave e permitindo o cumprimento de sua missão de forma mais eficiente.

Um novo painel digital (glass cockpit) será complementado por aviônica avançada que inclui um processador tático, sistema de navegação baseado em satélite, sistema de prevenção de colisão de tráfego (TCAS), sistema de identificação automática (AIS), receptor de alarme de radar (RWR) / medidas de apoio à guerra eletrônica (MAGE) integradas com dispensadores de contramedidas (Chaff/Flare), cockpit compatível com óculos de visão noturna (NVG) e um novo guincho elétrico de resgate.

Fruto de seus novos recursos, essas aeronaves ao voltarem a operar com nossos escoltas ampliarão, em muito, a capacidade de a Esquadra conduzir operações de esclarecimento, de interdição marítima (MIO) e ações contra ameaças de superfície e de submarinos, além de apoiar operações de socorro (SAR) e outras ações humanitárias, ao longo de toda a Amazônia Azul e em qualquer outra área onde seja necessária a atuação da MB.
Fonte: Defesanet 29 SET 2017



#9 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 22,719 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 06 de November de 2017 - 16:46

Meus prezados
CENTRO DE INTENDÊNCIA DA MARINHA EM SÃO PEDRO DA ALDEIA

EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO
Espécie: Termo de Justificativa de Inexigibilidade de Licitação n°06/2016;
Contratante: Comando da Força Aeronaval;
Contratada: Empresa LEONARDO HELICOPTERS, com sede localizada no endereço, Lysander Road, Box 36, Somerset, Yeovil, England, BA20 2YB, Reino Unido.

Objeto: Prestação de serviços de inspeção, revisão, reparo, o que inclui o fornecimento das peças de substituição mandatória ou que estejam defeituosas, e incorporação de modificações técnicas em duas unidades do componente aeronáutico - "MAIN GEARBOX ASSEMBLY", PN WG0068-1003-089, SN AFA5692 e PN WK3068-1300-083, SN AEW0429 pertencentes ao HELICÓPTERO LYNX MK 21A da Marinha do Brasil.
Custo: O Valor total para a contratação é de R$ 7.394.252,15 (sete milhões, trezentos e noventa e quatro mil, duzentos e cinquenta e dois reais e quinze centavos).
Recurso Orçamentário: X.252.1C.0.0.9AM do PA-2016.
Enquadramento: Art. 25, caput da Lei n.º 8.666/1993; e Art. 26 parágrafo único, inciso II da Lei nº 8.666/1993.
Aprovo, conforme o previsto no Art. 26 da Lei nº 8.666/1993; São Pedro da Aldeia, RJ., em 25 de novembro de 2016;
Capitão de Mar e Guerra AUGUSTO JOSÉ DA SILVA FONSECA JUNIOR - Ordenador de Despesas.
Ratifico, conforme previsto no Art. 26 da Lei nº 8.666/1993; São Pedro da Aldeia, RJ., em 28 de novembro de 2016;

Contra-Almirante PAULO RICARDO FINOTTO COLAÇO - Comandante da Força Aeronaval.


Edited by jambock, 06 de November de 2017 - 16:47 .