Jump to content


Photo

F-X2 Shorlist

Boeing Embraer Centro de aviônica avançada

This topic has been archived. This means that you cannot reply to this topic.
1602 replies to this topic

#21 transvasp

transvasp
  • Usuários
  • 5,189 posts

Posted 17 de August de 2008 - 00:59


Amigo Flytronix,

Como é bonito o F-18 !!!

reverencia.gif


#22 Landing

Landing
  • Cadastrando
  • 11,915 posts

Posted 17 de August de 2008 - 01:28

Bonito, caro, com os algoritimos fechados, e com o armamento indisponivel!

#23 transvasp

transvasp
  • Usuários
  • 5,189 posts

Posted 17 de August de 2008 - 03:48

QUOTE(marcato @ Aug 17 2008, 01:28 AM) <{POST_SNAPBACK}>
Bonito, caro, com os algoritimos fechados, e com o armamento indisponivel!



Amigo Marcato,

Verdade e acho que a FAB só aceitou a proposta, como se diz por ai, por aceitar mesmo !!!!!!!!!

A minha opinião:

- Vai dar Rafale !!

Agora que o bichinho é bonito, (o F-18), há isso ele éééééééééééée !!!!


Um grande abraço.

#24 Carajato

Carajato
  • Usuários
  • 1,089 posts

Posted 17 de August de 2008 - 21:36

Não há quem me tire da cabeça que existe um botão que pode ser apertado pelos americanos para apagar os aviões vendidos a outros países...vem tudo capado pra cá...

#25 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 26,098 posts

Posted 17 de August de 2008 - 21:56

QUOTE(marcato @ Aug 17 2008, 01:28 AM) <{POST_SNAPBACK}>
Bonito, caro, com os algoritimos fechados, e com o armamento indisponivel!
Prezado marcato: concordo com você em gênero, número, caso e grau! De nada adianta termos aeronaves up-to-date se o armamento não acompanhar tal nível. Talvez agora, mesmo porque creio inevitável, permitissem o uso do M61A1/A2 Vulcan 20mm, o que foi proibido para o A-1 brasileiro, apesar de os AMX italianos portarem. Mas duvido que nos vendessem e liberassem o AIM-120 AMRAAM (snme, a liberação dos mísseis chilenos depende de autorização do Congresso estadounidense)






#26 MLN-SJP

MLN-SJP
  • Moderador
  • 4,260 posts

Posted 18 de August de 2008 - 16:48

Alguém pode me dizer se a catapulta do São Paulo consegue lançar o F-18 E/F ?
Ainda sou mais fã do Rafaele.. E antes que alguém comece a me xingar eu sei que esta proposta é para a FAB, mas acho que a MArinha torce para que seja um destes dois pois teria a opção de no futuro trocar os A-1 por um aparelho compatível...

MLN

#27 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 26,098 posts

Posted 18 de August de 2008 - 18:41

QUOTE(MLN-SJP @ Aug 18 2008, 04:48 PM) <{POST_SNAPBACK}>
Alguém pode me dizer se a catapulta do São Paulo consegue lançar o F-18 E/F ? Ainda sou mais fã do Rafaele..(...) MLN
Prezado MLN-SP: Permita-me a correção de um êrro (em que eu também incorrí), o nome da aeronave de que és fã é Rafale e não Rafaele. Quanto ao lançamento do F-18 pelas catapultas do "São Paulo" creio não ser possível, pois as mesmas têm capacidade para lançar aeronaves de até 20.000kg. O F-18, vazio, pesa 13.864 kg; carregado, 21.320 kg e com seu peso máximo de decolagem, 29.900kg. Infelizmente, a Marinha Brasileira não poderia contar com tal aeronave em seu porta-aviões. A não ser que fosse possível e economicamente viável trocar as catapultas , mas ainda restam os elevadores. Será que eles têm capacidade para os F-14?
Já o Rafale foi testado no "São Paulo", quando êle ainda se chamava "Foch" e foi aprovado!
http://defesabr.com/Mb/mb_rafale.htm

Edited by jambock, 18 de August de 2008 - 18:44 .


#28 Landing

Landing
  • Cadastrando
  • 11,915 posts

Posted 18 de August de 2008 - 20:36

QUOTE(jambock @ Aug 17 2008, 09:56 PM) <{POST_SNAPBACK}>
Mas duvido que nos vendessem e liberassem o AIM-120 AMRAAM (snme, a liberação dos mísseis chilenos depende de autorização do Congresso estadounidense)


Exatamente, precisa de autorização.
Indpendente desse problema, tenho certeza que o Brasil nao tem interese nos AIM-120.
Está investindo muito com a Africa do Sul para desenvolver seus proprios misseis, além disso os AIM-120 são carrissimos!


#29 Marco SBCT

Marco SBCT
  • Usuários
  • 2,327 posts

Posted 18 de August de 2008 - 22:02

QUOTE(Romulo Oliseski @ Aug 17 2008, 09:36 PM) <{POST_SNAPBACK}>
Não há quem me tire da cabeça que existe um botão que pode ser apertado pelos americanos para apagar os aviões vendidos a outros países...vem tudo capado pra cá...

Romulo:
Este botão que falas existe sim, atende pelo nome SUPRIMENTO.
Em outras palavras se fecharem as fontes de peças de reposição as frotas ficam no chão.
Assim como já ouvi falar que os chips Pentium ficam trocando figurinhas com a América, já ouvi que há aparatos controlando toda WEB ... pode até ser mais uma lenda cibernética , mas ....

#30 *Fênix*

*Fênix*
  • Usuários
  • 3,096 posts

Posted 19 de August de 2008 - 15:03

Atualizando a notícia :

Boeing envia proposta oficial de programa de renovação de frota da FAB

Participam da concorrência, além da Boeing, outras cinco empresas.

A frota de caças Mirage-2000, F-5M e A-1M será substituída.

A Boeing enviou ao governo brasileiro sua proposta detalhada para o programa F-X2 de renovação da frota de caças militares do país. A fabricante norte-americana participa da concorrência com seu caça de ataque F/A-18E Super Hornet.

A intenção da Força Aérea Brasileira (FAB) com esse programa é adquirir 36 aeronaves, com potencial para elevar as compras para 120 aparelhos. Participam da concorrência, além da Boeing, outras cinco empresas: a Lockheed Martin, com o F-35 Lightning II; a francesa Dassault, com o Rafale; a Rosoboronexport (Sukhoi), com o SU-35; a Saab, com o Gripen; e a Eurofighter, com o Typhoon.

Os aviões serão usados para substituir a atual frota de caças Mirage-2000, F-5M e A-1M em uso pela FAB. Além de trocar as aeronaves atuais dentro de seu cronograma de aposentadoria, a intenção da Aeronáutica é também padronizar sua frota. Os caças devem ser incorporados à FAB em 2015 e devem ter vida útil de cerca de 30 anos.

Na configuração utilizada pelas forças armadas dos EUA, o Super Hornet da Boeing tem preço unitário de US$ 55,2 milhões. Considerando esse valor, o total gasto pela FAB seria de entre US$ 1,98 bilhão (para 36 jatos) e US$ 6,62 bilhões (para 120).

"O interesse internacional no Super Hornet, já provado em combate, continua a crescer e a Boeing está honrada pelo Brasil considerá-lo apto a cumprir seus requisitos de defesa de curto prazo", afirmou o vice-presidente do programa do F/A-18E, Bob Gower.

Escolha

De acordo com a FAB, a aeronave vencedora será escolhida de acordo com uma lista de requisitos operacionais. Também serão pontos importantes os sistemas de logística, os custos de operação e as condições de ofertas de compensação. Uma das principais avaliações da FAB, porém, será o grau de transferência de tecnologia para a indústria brasileira que a companhia concorrente está disposta a oferecer.

O programa F-X2 faz parte de um programa de defesa do governo brasileiro, que deve ser formalmente apresentado no próximo dia 7 de setembro. O projeto de renovação da frota de caças do país resgata o programa F-X, que foi cancelado em 2005 sem a finalização da compra de qualquer aeronave.

Segundo a Boeing, o produto que será oferecido ao Brasil é similar ao utilizado pela Marinha dos EUA e que hoje está sendo fornecido à Força Aérea Real Australiana.

"O Super Hornet que estamos oferecendo para o Brasil entrega o que há de melhor disponível hoje em capacidade para caças de ataque multi-tarefa", afirmou Gower.

Fonte: Valor OnLine

Edited by Seguro Aero, 19 de August de 2008 - 15:04 .


#31 MLN-SJP

MLN-SJP
  • Moderador
  • 4,260 posts

Posted 19 de August de 2008 - 16:07

QUOTE(jambock @ Aug 18 2008, 06:41 PM) <{POST_SNAPBACK}>
Prezado MLN-SP: Permita-me a correção de um êrro (em que eu também incorrí), o nome da aeronave de que és fã é Rafale e não Rafaele. Quanto ao lançamento do F-18 pelas catapultas do "São Paulo" creio não ser possível, pois as mesmas têm capacidade para lançar aeronaves de até 20.000kg. O F-18, vazio, pesa 13.864 kg; carregado, 21.320 kg e com seu peso máximo de decolagem, 29.900kg. Infelizmente, a Marinha Brasileira não poderia contar com tal aeronave em seu porta-aviões. A não ser que fosse possível e economicamente viável trocar as catapultas , mas ainda restam os elevadores. Será que eles têm capacidade para os F-14?
Já o Rafale foi testado no "São Paulo", quando êle ainda se chamava "Foch" e foi aprovado!
http://defesabr.com/Mb/mb_rafale.htm



thumbsup.gif thumbsup.gif thumbsup.gif

Ele só não foi testado como o então Foch sobreu reformas para ser adptado ao avião... MAs os requisitos opercional da força naval francesa mudaram e ele foi disponibilicado ao Brasil.

MLN

Edited by MLN-SJP, 19 de August de 2008 - 16:08 .


#32 AngeloAvila

AngeloAvila
  • Usuários
  • 74 posts

Posted 19 de August de 2008 - 16:37

Belo o F/A-18, mas só isso não adianta. Pelo que parece vai ser igual a proposta antiga pelos F-16, eles até vendem os AIM-120 pra nós, mas eles ficam lá nos USA e só seriam entregues caso passasse pela aprovação deles. Vulcan 20mm... será que agora liberam??? Além disso código fechado...
De que adianta uma vetor tão avançado se ele não tem armas condizentes?? Serve para enfeitar? Isse é verdade, o Super Hornet é bonito demais!!!
Que venha o Rafale... ou mesmo o Flanker que além de belos são "armáveis". (se bem que os russos as vezes pisam na bola em matéria de manutenção e logística)

Abs,
-A-






#33 rcettolin

rcettolin
  • Usuários
  • 168 posts

Posted 20 de August de 2008 - 20:24

QUOTE(Romulo Oliseski @ Aug 17 2008, 09:36 PM) <{POST_SNAPBACK}>
Não há quem me tire da cabeça que existe um botão que pode ser apertado pelos americanos para apagar os aviões vendidos a outros países...vem tudo capado pra cá...


isso é verdade e não seria a primeira vez em caso de algum país que possua caças americanos usar esses aviões contra os EUA, no momento não lembro em qual conflito isso aconteceu, mas aconteceu!

#34 Rafael Lopes

Rafael Lopes
  • Usuários
  • 276 posts

Posted 21 de August de 2008 - 01:49

Boa Noite,

Com referncia ao uso dos F-18 no Nae São Paulo, Já foram testado quando ele ainda era Foch, A França estudava um substituto para o F-8 Crusader. Neste periodo foi constatado que deveriam ser executados diversas modificações no Nae, incluindo elevadores, catapultas e sistema de pouso ( se decola-se com carregado, e na possibilidade de ter que pousar teria que alijar a carga antes do pouso ) pois não estavam aptas a operaram com carga plena do F-18, tendo sido então descartado esta possbilidade e França optou por modernização dos F-8.

No inicio dos anos 90 foram executados reformas no Foch, entre as a citadas acima, Foi aumentado a area do defletor de decolagem e colocação de um pequeno skyjump para que pudesse ser executados os diversos testes do Rafale embarcado, tendo sido aprovado então.

Mesmo assim ainda exite algumas restrições quanto ao peso maximo.

Na minha opinião o melhor caça para a FAB seria o SU-35. Porem como os A-4 da marinha terão que ser substituido um dia acredito que Rafael será opção mais sensata assim como o F-35 se tivesse a abertura de suas tecnologias. Pois assim teremos uma plataforma apta tanto para a FAB quanto para a Marinha.

Abraços

#35 Demencius Jack

Demencius Jack
  • Usuários
  • 6 posts

Posted 22 de August de 2008 - 15:13

O Super Hornet é muito lindo, fora que é uma plataforma de guerra fantástica. Mas para o Brasil, fico com as opções do Eurofighter ou Sukhoi SU-35

#36 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 26,098 posts

Posted 26 de August de 2008 - 20:17

Meus prezados

Programa F-X2

Lockheed não oferece o F-35 ao Brasil para não compartilhar tecnologia


José Sergio Osse


SÃO PAULO - A gigante da norte-americana de defesa Lockheed Martin confirmou que decidiu não apresentar seu avião caça modelo F-35 Joint Strike Fighter à licitação do governo brasileiro para a modernização de sua frota militar. Segundo a empresa, o motivo para não incluir o jato em sua proposta foi o alto grau de transferência de tecnologia, imposto pelas regras da concorrência.

Pelo estipulado pelo governo para o projeto F-X2, o fabricante vencedor terá que repassar toda a tecnologia necessária para manter o avião em operação.

Por isso, a Lockheed decidiu apresentar à licitação o modelo F-16BR, uma versão do F-16, um dos aviões de caça mais utilizados em todo o mundo, adaptada às necessidades da Força Aérea Brasileira. Embora seja um sucesso de vendas, o F-16 é um caça mais antigo, tendo sido desenvolvido nos anos 1970. Sua vantagem é ser relativamente barato e ter um baixo custo operacional. Já o F-35 foi criado no final da década de 1990, começo dos anos 2000 e tem capacidade furtiva (stealth) e de pouso e decolagem na vertical (VTOL), como o britânico Harrier.

Uma das preocupações da Lockheed Martin ao apresentar a proposta com base no F-16 e não no F-35 - uma aeronave muito mais moderna - tem a ver com o tipo de tecnologia que o governo dos EUA autorizaria repassar ao Brasil. Sem esse compromisso, o negócio poderia ser desfeito.

A Boeing, que concorre com seu F/A-18 Super Hornet, porém, acredita que isso não será problema. A proposta da fabricante inclui um sistema de radar de varredura eletrônica ativa de última geração, fabricado pela também norte-americana Raytheon. Tecnologias como essa normalmente são protegidas pelos governos dos países para os quais foram desenvolvidas, uma vez que o acesso a ela facilita a criação de contramedidas eficientes.

Além do F-16BR e do F/A-18 E Super Hornet, modelos de quatro outras fabricantes também estão concorrendo. Eles são o Rafale, da Dassault; o Typhoon, da Eurofighter; o Gripen NG, da Saab; e o Su-35, da Sukhoi.

A intenção do governo brasileiro é adquirir uma primeira leva de até 36 aeronaves, para entrega a partir de 2010. As compras, porém, podem ser elevadas para um total de 120 aparelhos.
fonte: Valor, via Defesanet 26 ago 2008



#37 transvasp

transvasp
  • Usuários
  • 5,189 posts

Posted 27 de August de 2008 - 06:46

De seis concorrentes apenas dois ou três devem permanecer na disputa que deve se estender até o próximo ano

A Força Aérea Brasileira está muito próxima de estreitar o campo de nomes para os concorrentes da sua competição para aquisição de um novo caça denominada F-X2 de seis tipos diferentes de aeronaves para três ou dois. A decisão do nome vencedor está prevista para o próximo ano.

Os concorrentes que participam da competição são o Boeing F/A-18E/F Block II Super Hornet, Dassault Rafale, Eurofighter Typhoon, Lockheed Martin F-16BR, Saab Gripen NG e o Sukhoi Su-30. A Lockheed confirma que o F-35 não será oferecido ao Brasil, já que não poderá transferir toda a tecnologia para manutenção da aeronave.

“O F-16BR foi desenvolvido para satisfazer requerimentos originais, quantidade e datas de entrega além do offset (transferência de tecnologia) e cooperação industrial enquanto fornecer a FAB o mais avançado e a capacidade disponível no F-16”, disse a Lockheed. Entretanto a empresa americana não divulgou maiores detalhes sobre sua oferta para o governo americano.

A Boeing planeja oferecer o Super Hornet com o radar de abertura eletrônica ativa Raytheon APG-79 “o coração da suíte de aviônica”, disse Bob Gower vice-presidente da empresa para o programa do F/A-18.

Gower não comentou sobre restrições de tecnologia ao Brasil do governo americano. O requerimento inicial do pedido do Brasil compreende de 32 a 36 caças, entretanto esse total pode ser eventualmente estendido para 120 aeronaves.

Fonte: http://airway.uol.co.../not1806_69.asp


#38 transvasp

transvasp
  • Usuários
  • 5,189 posts

Posted 27 de August de 2008 - 06:54

A moderação:

Não observei que já existe em pendurados " tópicos importantes" um tópico sobre o fx.

Se possível deslocar este prá lá !!

Obrigado.
Prezado transvasp:
Feito! Até o ano que vem este tópico vai dar muito o que falar...se o Commander-in-Chief não fechá-lo antes.
Um abraço e até mais...

Edited by jambock, 27 de August de 2008 - 21:54 .


#39 BlackAce

BlackAce
  • Usuários
  • 3,274 posts

Posted 28 de August de 2008 - 12:09

Aposto um confeito chupado como dá Rafale na cabeça... Esta parceria estratégica entre Brasil e França pode ser benéfica, além do que acho o caça françês um excelente avião em todos os aspectos, e formidável no principal deles: A confiabilidade.
Da mesma forma acho que a FAB está subestimando o potencial dos Mirage 2000 frente aos F-5M. Corrijam-me se estiver errado, mas penso que um upgrade em aeronaves construídas no final dos anos 80 e começo dos 90 é muito melhor que em outra dos anos 70.
Espero que dê Rafale na testa.

Abraços thumbsup.gif

#40 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 26,098 posts

Posted 28 de August de 2008 - 13:07

QUOTE(BlackAce @ Aug 28 2008, 12:09 PM) <{POST_SNAPBACK}>
(...)Da mesma forma acho que a FAB está subestimando o potencial dos Mirage 2000 frente aos F-5M. Corrijam-me se estiver errado, mas penso que um upgrade em aeronaves construídas no final dos anos 80 e começo dos 90 é muito melhor que em outra dos anos 70.
(...)Abraços thumbsup.gif
Prezado BlackAce: Tens razão, mas a questão é que a FAB considera, realmente, o M2000 como uma aeronave tampão, avaliando que não vale a pena um upgrade para tão pouco tempo de uso (+/-10 anos). O grande diferencial do F-5M é sua capacidade de agir em rede, com datalink. Dispositivo que o M2000 não tem, nem terá, tudo leva a crer.
Também espero que de Rafale, não na testa, mas na cabeça! eheheheh
Já imaginastes se a Marinha também adota o Rafale? Teríamos economia de escala em manutenção, em instrução (um só simulador de alto nível e quadro único de instrutores para as duas Forças), quantidade mínima de biplaces para treinamento das duas Forças, mecânicos em um só centro de manutenção atendendo as duas Forças, etc.

Edited by jambock, 28 de August de 2008 - 13:14 .