Jump to content


Photo

A-400M "Atlas": notícias


  • You cannot start a new topic
  • Please log in to reply
73 replies to this topic

#61 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 29 de July de 2016 - 12:08

Meus prezados
Airbus Announces Additional €1B in Financial Charges for A400M
Correction: A previous version of this story mislabeled a monetary amount. Airbus' Defence and Space division recorded an additional net charge of "€1,026 million," or €1.026 billion.

PARIS — Airbus reported Wednesday a further €1 billion (US $1.1 billion) of financial charges on the A400M and warned there could be more “significant” hurt from revised deliveries of the military airlifter due to fixing technical problems on the engines and fuselage.

The €1.026 billion charge, announced in the first half results, adds to €5 billion of charges already incurred in development and building the airlifter.

Airbus said in a statement that “as a result of the review, including an updated assumption of export orders during the launch contract phase," the Defence and Space division recorded an additional net charge of €1.026 billion.

“Commercial negotiations with OCCAR and the nations are yet to take place with regard to the revised delivery schedule and its implications,” the company said. “As of today, the outcome of these negotiations cannot be reliably estimated. The potential impacts on the financial statements could be significant.”

OCCAR is the European procurement agency that negotiates on behalf of client nations.

Airbus Looks To the US in Search of A400M Buyers

The review referred to a revised program for the TP400-6 engine from EPI, replacing aluminium alloy cracking on the fuselage, and “some delays, escalation and cost overruns,” Airbus said.

The European Aviation Safety Agency has certified an interim fix to the engine propeller gearbox, which once available will allow air forces at least 650 flight hours before inspections of the propeller gearbox, Airbus said. Previously, inspections were held every 20 flight hours due to check for cracks on the gearbox.

Airbus Defence and Space expects a long-term solution of a new gearbox from the suppliers Avio and General Electric, its parent company, next year.

Airbus is behind on the program timetable and struggling to catch up on delivering capabilities, but there are also positive signs.

The A400M from Airbus Defence and Space is a multinational, four-engine turboprop military transport aircraft designed as a tactical airlifter to replace older transport aircraft. Lars Schwetje/Staff

“Industrial efficiency and the stepwise introduction of the A400M’s military functionalities are still lagging behind schedule and remain challenging,” Tom Enders, Airbus chairman, said in a statement.

“But we are making good progress and the A400M, servicing already five air forces with its impressive performance, proves more and more to be an exceptional aircraft,” he said.

Once the engine fixes and contracted capabilities are delivered, Airbus can expect foreign sales, an analyst said.

“The sooner the engine issues are resolved and the retrofit work required is complete, together with any other remaining issues having been sorted, I still believe that this excellent aircraft could go on to enjoy much deserved export success,” said Howard Wheeldon of Wheeldon Strategic Advisory.

A major step was taken with certification and delivery in June of the ninth A400M to France, as the aircraft met requirements on the “mission capability road map,” Airbus said. That aircraft was a “tactical” version, equipped with a protected cabin and a self-defense system to protect the aircrew and aircraft flying over hostile Islamic State militants in Africa.

The A400M problems and rescheduling of deliveries make it hard for Airbus to deliver its forecast stable 2016 free cash flow, the company said.

Airbus also announced a financial charge of €385 million on its A350 airliner program, bringing total charges to €1.4 billion.

Airbus reported a 4 percent fall in second quarter core earnings to €1.18 billion, from €1.23 billion a year ago, on sales of €16.57 billion, down from €16.86 billion.

Defense sales in the first half slipped 3 percent to €4.72 billion, down from €4.87 billion.

Fonte: Tran, Defense News 7:05 a.m. EDT July 28, 2016



#62 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 28 de October de 2016 - 10:32

Meus prezados

Airbus entregou 11 aviões A400M nos primeiros 9 meses de 2016
PARIS – A Airbus Defence and Space entregou 11 aeronaves de transporte militar A400M durante os primeiros nove meses deste ano, informou a empresa em sua declaração financeira do terceiro trimestre divulgada hoje.
Isso é cerca de metade dos 20 aviões planejados no início do ano, mas as entregas foram interrompidas pela descoberta em março de uma falha significativa na caixa de engrenagem da hélice, para a qual uma correção temporária está sendo implementada.
Em 2015, a Airbus entregou apenas 11 das 16 aeronaves que havia prometido aos seus clientes, e durante os primeiros quatro meses de 2016, só tinha entregue três – todos elas para a Real Força Aérea do Reino Unido.
“No lado militar, nós estamos enfrentando agora um sério desafio para a produção e entrega aos clientes do A400M devido a novas questões inesperadas com a caixa de velocidades da hélice do motor. É muito frustrante, mas nós vamos ter que trabalhar por isso com os nossos parceiros de motores”, Enders disse em um comunicado 28 de abril, sobre os seus resultados financeiros do primeiro trimestre.
No entanto, na declaração de hoje sobre os resultados de 9 meses, a empresa observa que “o cronograma de entrega de aeronaves foi fortemente deslocado para o Q4 (quarto trimestre).”
Em relação ao A400M, a Airbus disse que “progresso está sendo feito no lado industrial em termos de desenvolvimento de capacidades e governança do programa, embora a situação global do programa continue a ser um desafio. A frota já completou 10.000h de voo em serviço. ”
O comunicado acrescenta que “as negociações comerciais com a OCCAR e as nações ainda deverão ser feitas sobre a revisão do calendário de entrega e suas implicações”, o que é surpreendente, dado que estas conversações deveriam ter começado em 2014.
A Airbus acrescentou que “doravante, o resultado destas negociações não pode ser estimado com segurança.”
Hoje, a Airbus também observou uma queda acentuada no seu fluxo de caixa livre de 9 meses que “também inclui carga financeira significativa para o A400M,” mas não forneceu qualquer outra indicação do estado financeiro do programa.
Clique aqui para acessar o balanço financeiro total de 9 meses, no site da Airbus.
Fonte: Defense-Aerospace.com via site Poder Aéreo 27 OUT 2016



#63 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 19 de November de 2016 - 10:58

Meus prezados
O Jane’s noticiou que a Espanha recebeu da Airbus Defence e Space seu primeiro cargueiro A400M durante uma cerimônia na linha de montagem final (FAL), em Sevilha, em 17 de novembro.
A entrega formal da aeronave, serial MSN44, ocorreu cerca de dois meses e meio após o voo inaugural, realizado na mesma instalação no sul da Espanha.
Como um dos principais parceiros no projeto multinacional, a Espanha contratou a aquisição de 27 aeronaves A400M para substituir seus velhos Lockheed Martin C/KC-130H Hercules.

No entanto, em maio de 2013 o país anunciou que precisaria reduzir as encomendas para 14 aeronaves por causa de pressões orçamentárias, com o restante vendido a terceiros.
Os primeiros 14 aviões serão entregues até 2022, e os restantes 13 adiados até pelo menos 2025, para que Madrid encontre um comprador.

Fonte: site Poder Aéreo 19 NOV 2016



#64 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 20 de January de 2017 - 09:11

Meus prezados
Indonésia aprova contrato de 2 bilhões de dólares para a compra de 5 unidades do Airbus A-400M Atlas.
wpid-airbus-ds-sps-avion-a400-malasia-ms

O Ministério da Defesa da Indonésia (Kementerian Pertahanan) aprovou a aquisição do avião de transporte militar A-400M Atlas fabricado pela gigante Europeia Airbus Defence and Space. Segundo informações do Ministro da defesa indonésio Ryamizard Ryacudu ,  o contrato para a aquisição de cinco unidades do avião de Transporte A-400M esta avaliado em 2 Bilhões de dólares.
389508.jpg
Os aviões serão operados pela Força Aérea da Indonésia (Tentara Nasional Indonésia-Angkatan Udara, TNI-UA ) e realizara missões de transporte de cargas,reabastecimento em voo e lançamento de paraquedistas reforçando as capacidades da força. Os aviões serão operados pelos 31º Esquadrão (Skadron Udara 31 ) sediado na Base Aérea Halim Perdanakusuma  em Jacarta e pelo 32º Esquadrão (Skadron Udara 32 ) sediado na Abdul Rachman Saleh  em Malang.
https://youtu.be/5K3LPRokqUw
Fonte: Ghost site Plano Brasil 20 JAN 2017

Cinco "Atlas" por dois bi? Puxa...


Edited by jambock, 20 de January de 2017 - 09:13 .


#65 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 30 de September de 2017 - 02:34

Meus prezados
Airbus Defence and Space entrega o 50º A400M
50th-A400M.jpg
50º A400M

 

 Airbus Defence and Space entregou o 50º avião de nova geração da A400M à Força Aérea Alemã, atingindo um marco para uma aeronave que está transformando o mundo da mobilidade aérea.
A aeronave, conhecida como MSN59, é a décima segunda a ser entregue este ano na Final Assembly Line em Sevilha e a décima terceira a ser aceita pela Alemanha.
O A400M está se tornando progressivamente a espinha dorsal da frota de transporte europeia e, nas últimas semanas, começou a demonstrar todo o seu potencial enquanto aeronaves da Alemanha, França e Reino Unido realizavam intensas missões de socorro no Caribe, atingido por furacões.
O MSN59 será imediatamente transportado para Wunstorf, na Baixa Saxônia, que abriga a unidade A400M da Alemanha — Air Transport Wing 62.
A-400M.jpg
Fonte: Airbus Defence and Space via site Poder Aéreo em 27 SET 2017



#66 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 06 de October de 2017 - 11:36

Meus prezados
A400M: primeira missão operacional tática no Sahel
A400M-no-Sahel.jpg
Um avião de transporte A400M do Armée de l´air realizou sua primeira missão operacional no Níger, transportando helicópteros, frete e pessoal diretamente da França para uma pista de pouso semi-preparada. (Foto Armée de l´air)
No dia 1 de setembro, um Atlas A400M da 61ª Ala de Transporte, com base em Orleans, desembarcou na base operacional avançada da Madama, no Níger. Esta foi a primeira vez desde a fase de testes em 2016 de que a aeronave realizou esse tipo de pouso tático sob condições operacionais na faixa Sahelo-Saharan.
Este voo confirmou as capacidades de transporte do A400M em terreno não preparado, em apoio à operação trilateral realizada conjuntamente no nordeste do Níger pelas forças armadas nigeriana e chadiana e a Força Barkhane.
Para esta operação, chamada MAI BOULALA, foram transportados cerca de 200 soldados da Força Barkhane de Gao no Mali e N’Djamena no Chade, juntamente com várias toneladas de frete. Mas é especialmente para o transporte de veículos blindados VAB e helicópteros que o A400M demonstrou seu alto valor agregado: “Graças ao grande tamanho de sua fuselagem, esta aeronave pode transportar cargas de grande porte em longas distâncias sem exigir a longa e difícil desmontagem e preparação antes de carregar para o voo”, diz o capitão.
Um helicóptero de transporte do campo de batalha Puma e um helicóptero leve Gazelle foram transportados pelo Sahel em um curto espaço de tempo graças às capacidades oferecidas pelo mais novo avião de transporte da Força Aérea.
Tendo chegado na região do Sahel em 30 de agosto, voando da Base Aérea 123 em Orléans, este A400M também entregou diretamente ao Gao um scanner de campo para o centro médico da plataforma operacional do deserto.
As capacidades do A400M dão à Barkhane Force um bem de transporte capaz de projetar um grande volume de soldados e equipamentos de um território tão grande como a Europa, a vários mil quilômetros da base e em um curto espaço de tempo.
Com o seu desempenho tático e suas possibilidades de transporte, o A400M multiplica as capacidades logísticas da Força Barkhane, oferecendo uma vasta gama de novos modos de ação.
Conduzido pelas forças armadas francesas em parceria com os países do Sahel G5, a Operação Barkhane foi lançada em 1 de agosto de 2014. Baseia-se em uma parceria estratégica com os principais países do Sahel-Sahariano: Mauritânia, Mali, Níger, Chade e Burkina Faso.
Compreende cerca de 4.000 militares cuja missão é apoiar as forças armadas dos países parceiros em seus esforços para combater os grupos armados terroristas na região e apoiar as forças armadas dos países parceiros para que possam enfrentar essa ameaça, particularmente na quadro da força conjunta G5 Sahel que está sendo estabelecida.
Niger-map.jpg
Fonte: Ministério da Defesa da França via site Poder Aéreo 5 OUT 2017
Como é a primeira vez, e talvez também para vocês, que leio este nome Sahel, fui pesquisar:
Normalmente, incluem-se no Sahel o Senegal, a Mauritânia, o Mali, o Burkina Faso, o Níger, a parte norte da Nigéria, o Chade, o Sudão, a Etiópia, a Eritréia, o Djibouti e a Somália. Por vezes, usa-se este termo para designar os países da África ocidental, para os quais existe um complexo sistema de estudo da precipitação.
images+(1).jpg
O Sahel é uma área de tensões permanentes por causa do crescimento demográfico galopante e as rivalidades tribais.
Ao longo da História da África, o Sahel assistiu à sucessão de alguns dos mais avançados reinos africanos, que se beneficiaram do comércio através do deserto, conhecidos como Reinos Sahelianos.

Comentário final: Haja filtro para estes motores, quando das operações nesta área!



#67 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 10 de November de 2017 - 12:19

Meus prezados:

Mais notícias

http://forum.contato...air-em-sevilla/

Meus prezados

 

A400M: vulnerabilidade de software contribuiu para acidente

PARIS / SEVILHA (Reuters) – A Airbus e as autoridades europeias de segurança foram avisadas no final de 2014 de uma vulnerabilidade de software no avião militar A400M que era semelhante a uma falha que contribuiu para um acidente fatal sete meses depois, descobriram pesquisadores espanhóis.

O transportador de carga e tropa, construído pela Airbus, caiu perto de Sevilha durante um voo de teste em maio de 2015, matando quatro dos seis tripulantes, depois que três dos quatro motores congelaram em potência mínima minutos após a decolagem.

Os dados necessários para o funcionamento dos motores foram apagados acidentalmente quando os funcionários da Airbus instalaram o software no avião ainda no solo, e os pilotos não tiveram nenhum aviso de que havia um problema até que os motores falharam, a Reuters informou semanas após o desastre, citando várias fontes com conhecimento do assunto.

Um relatório confidencial dos investigadores militares espanhóis do acidente, concluído neste verão, abre novas luzes sobre a má coordenação e os erros de julgamento que têm afetado o maior projeto militar da Europa.

Os resultados confirmaram que os motores foram comprometidos por dados apagados, de acordo com extratos do relatório visto pela Reuters e três pessoas familiarizadas com o inquérito.

O relatório também disse que os fabricantes de motores alertaram a Airbus e à Agência Europeia de Segurança da Aviação (EASA), em outubro de 2014, que erros de instalação de software poderiam levar à perda de dados do motor e que os técnicos podem não receber nenhum aviso antes da decolagem de que o ocorreu um problema.

Quando foi contatada pela Reuters, a Airbus disse que o acidente foi o resultado de “múltiplos, fatores diferentes e causas contributivas”, mas recusou comentários detalhados sobre as descobertas dos investigadores porque eles não são públicos.

O fabricante revisou todos os sistemas e atuou para “garantir que a cadeia de causas identificadas não ocorra mais”, acrescentou um porta-voz.

Os potenciais problemas sinalizados para a Airbus pelo fabricante dos motores em outubro de 2014 envolveram a possibilidade de erro humano no processo de instalação, de acordo com os investigadores.

O problema que ocorreu antes do acidente foi de natureza técnica, acrescentaram. Os dados para três motores foram apagados quando a instalação do software falhou inicialmente e esses arquivos nunca foram restaurados no processo de upload subseqüente.

Uma vez que o avião estava no ar, a cadeia fatal de eventos acelerou.

Incapaz de entender como executar os motores por falta de dados, o avião congelou a potência no máximo, fazendo o enorme cargueiro ir mais alto e mais rápido, de acordo com as três fontes familiares ao inquérito.

Mas os controladores de voo solicitaram que a tripulação ficasse na altitude de 1.500 pés. Tentando obedecer, a tripulação reduziu a potência, desconhecendo que os motores defeituosos só poderiam oferecer tudo ou nada, disseram as fontes. Os motores foram então bloqueados em potência mínima, deixando apenas um motor funcionando.

Segundos depois, o avião caiu em um campo.

Fonte: Reuters via site Poder Aéreo 9 nov 2017


Edited by jambock, 10 de November de 2017 - 12:19 .


#68 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 11 de January de 2018 - 09:48

Meus prezados
Airbus vai reduzir cadência de produção do A400M
A400M-reabastece-ca%C3%A7as-F-18-em-voo-
A400M

 

PARIS – A Airbus reduzirá a cadência de produção de sua aeronave de transporte militar A400M nos próximos anos para absorver o excesso de “estoque a nível de fábrica”, confirmou um porta-voz da empresa em 3 de janeiro.
A Airbus produzirá 15 A400Ms em 2018 e apenas 11 em 2019, “para otimizar o planejamento de programas de longo prazo e garantir um futuro sustentável para o A400M, levando em consideração diferentes fatores como recuperação de estoques, dando mais tempo para vendas de exportação e desenvolvimento de capacidades”, disse o porta-voz em um e-mail de 3 de janeiro.
O corte da produção não afetará necessariamente as cadências de entrega, que estão sendo negociadas com a OCCAR, a agência europeia de compras de defesa e as nações parceiras.
“Entregamos 19 A400Ms em 2017 e o plano de entrega para 2018 e 2019 está atualmente em discussão”, disse o porta-voz.
Apesar do aumento das entregas em 2017 e do fato de que as aeronaves mais recentes podem realizar a missão de reabastecimento em voo, o programa A400M permanece no que a empresa chama de “altamente desafiante”.
A partir de 31 de outubro, quando emitiu suas finanças do 3º trimestre, a Airbus descreveu progressos no A400M, assim:
“Doze A400Ms foram entregues em comparação com 11 aeronaves nos primeiros nove meses de 2016. Os pressupostos operacionais e comerciais que foram mantidos em 2016 continuam sendo a melhor avaliação atual da administração. No entanto, entretanto, os níveis de produção foram ajustados para absorver estoque com cronogramas de entrega ainda em discussão com os clientes. As atividades de desenvolvimento continuaram para alcançar o roteiro de capacidade revisado. No entanto, a conquista das capacidades técnicas contratuais e dos custos associados continua a ser altamente desafiadora. Há também desafios que restaram na obtenção de pedidos de exportação suficientes no período, na redução de custos, na eficiência industrial e na exposição comercial, o que pode afetar significativamente o programa. Discussões para diminuir o risco do programa A400M estão em andamento com as Nações e OCCAR “.
Em seu comunicado financeiro do primeiro semestre emitido em 27 de julho, a Airbus disse que entregou oito A400Ms durante o primeiro semestre, “em comparação com cinco aeronaves no primeiro semestre de 2016.”
Contudo, alguns progressos foram alcançados. Anunciando o corte da cadência de produção para a mídia espanhola em 24 de dezembro, o presidente-executivo da Airbus Espanha Fernando Alonso disse que o A400M será mais fácil de vender “agora que superou os problemas iniciais do motor”.
A Airbus também deve atualizar os A400Ms não compatíveis entregues aos países parceiros. Até à data, entregou um total de 56 A400Ms.
Fonte: Defense-Aerospace.com via site Poder Aéreo 9 jan 2018



#69 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 16 de February de 2018 - 10:16

Meus prezados

Airbus triplica lucro em 2017, mas ainda perde dinheiro com o A400M

A fabricante aeronáutica europeia Airbus quase triplicou seu lucro em 2017, mas teve que fazer novas provisões por problemas com o avião militar A400M.

O lucro líquido foi de 2,87 bilhões de euros (US$ 3,6 bilhões), enquanto o faturamento permaneceu estável, em 66,8 bilhões de euros, anunciou a Airbus.

A empresa, no entanto, se viu obrigada a reservar 1,3 bilhão de euros para enfrentar os problemas no desenvolvimento do avião militar A400M.

Fonte: portal UOL via CECOMSAER 16 FEV 2018



#70 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 18 de February de 2018 - 08:15

Meus prezados
Airbus A400 poderá ter algumas funcionalidades eliminadas
Singapura/Berlim (Reuters) – O novo transportador de tropas da Europa pode nunca entrar em batalha com todas as capacidades militares prometidas depois que os compradores do A400M concordaram em permitir que a Airbus negocie a exclusão de características consideradas difíceis de implementar.
Um documento assinado na semana passada entre a Airbus e sete nações da OTAN, e visto pela Reuters, permite que o fabricante de aviões negocie com os compradores individuais para que alguns dos complexos recursos adicionais possam ser removidos das especificações oficiais.
A nova “declaração de intenção” parece marcar a primeira vez que os compradores reconheceram que nem todos os recursos projetados para superar as aeronaves americanas concorrentes estarão disponíveis.
O acordo também reconhece que a Airbus precisa de mais tempo para entregar o avião do que originalmente planejado e prepara o caminho para negociações sobre um novo cronograma de entrega.
Em troca destas concessões, o fabricante de aviões comprometeu-se a fornecer “todos os apoios e recursos necessários ao programa A400M” após atrasos e falhas crônicas com o maior projeto de defesa da Europa, que empurraram o programa para além do orçamento original de 20 bilhões de euros (US$ 24,5 bilhões ).
A agência que representa os compradores da Bélgica, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Luxemburgo, Espanha e Turquia não respondeu a um pedido de comentário.
A Airbus disse que não poderia comentar negociações confidenciais.
Não estava claro quais recursos complementares – conhecidos como itens de “não conformidade permanente” – poderiam ser removidos das especificações do avião, pois não estavam listados no documento.
Uma fonte informada sobre o acordo, que pediu para não ser identificado por causa da natureza confidencial do assunto, disse que os países haviam argumentado que era melhor, em alguns casos, aceitar progressos parciais em direção a uma capacidade específica do que pressionar para alcançar 100%.
“Isso significa que haverá compromissos. Certas capacidades não serão entregues “, disse a pessoa.
A400M-no-Sahel.jpg
Um avião de transporte francês da força aérea A400M em sua primeira missão operacional no Níger em 2017, transportando helicópteros, frete e pessoal diretamente da França para uma pista de pouso de sujeira semi-preparada. (Foto AF francesa)
Sistemas avançados
O A400M foi encomendado em 2003 para dar à Europa uma capacidade de transporte aéreo independente para apoiar missões militares ou humanitárias, em vez de confiar no Lockheed Martin C-130 ou no Boeing C-17 agora fora de produção.
Um resgate de 3,5 bilhões de euros dos países compradores em 2010 salvou o programa do cancelamento, mas problemas permaneceram com alguns dos sistemas defensivos secretos do avião, bem como alguns tipos de lançamento de paraquedistas e reabastecimento de helicópteros.
Por alguns dos problemas do projeto, os funcionários da indústria culpam, em particular, uma lista de desejos excessivamente ambiciosa das nações compradoras, planejada em alguns casos para apoiar empregos locais. Mas o maior comprador, a Alemanha, criticou a Airbus por não ter feito o que prometeu.
Apesar de ser um avião transportador, os projetistas dizem que os sistemas avançados do A400M, como a tecnologia de aderência do solo, o tornam um dos aviões militares mais complexos já construídos na Europa. A França elogiou seu desempenho em operações em África.
Sob o acordo da semana passada, a Airbus comprometeu-se novamente a oferecer novas entregas até o padrão operacional final, conhecido como “SOC3”, que inclui voos em baixa altitude. Deve também adaptar os aviões anteriores em duas etapas até abril de 2027.
A Airbus deve, entretanto, pagar ou ceder notas de crédito por todos os danos por atrasos decorrentes do acordo da semana passada, quando o contrato foi assinado: um movimento que ressalta as prováveis perdas do quarto trimestre.
A Airbus advertiu na semana passada que pode publicar novas provisões para perdas no A400M em seus resultados anuais do 15 de fevereiro. Já perdeu quase 7 bilhões de euros no projeto.
O acordo exorta, no entanto, uma flexibilização das principais cláusulas de retenção de caixa que permitiram que os compradores congelassem os pagamentos para a Airbus por problemas de equipamentos. Em vez disso, estas serão modificadas para introduzir “mecanismos de incentivo adequados”.
Fonte: Reuters  via site Poder Aéreo 17 FEV 2018


Edited by jambock, 18 de February de 2018 - 08:34 .


#71 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 31 de March de 2018 - 19:38

Meus prezados
Alemanha tem preocupações sobre as capacidades do Airbus A400M
A400M.jpg
Airbus A400M
Por Sabine Siebold
BERLIM (Reuters) – Há preocupação dos militares da Alemanha de que a aeronave Airbus A400M não atenderá às suas necessidades a tempo, já que o problemático programa enfrenta mais problemas, segundo relatório visto pela Reuters.
O relatório militar alemão confidencial disse que há um “risco significativo” de que o A400M não cumpra todos os seus requisitos táticos no momento em que as forças armadas retirarem uma frota de aviões de transporte antigos C-160 Transall após 2021.
“Não está claro se, quando e quantos A400M estarão disponíveis com o pacote de recursos táticos contratualmente necessário”, disse o relatório.
“Há riscos significativos associados à disponibilidade das capacidades táticas necessárias no momento da aposentadoria do C-160. Uma lacuna de capacidade não pode ser excluída após 2021 ”, acrescentou.
Os problemas incluíam dados como o uso de combustível que precisa ser inserido em vários sistemas, o que significa que pode levar até 50 homens-hora para planejar evacuações médicas e outras missões, o que o relatório disse que “não é aceitável” operacionalmente.
A Airbus, que no mês passado cobrou mais 1,3 bilhão de euros pelo programa multinacional A400M, disse que a avaliação alemã do tempo de planejamento de missões difere significativamente de outras nações. Por exemplo, os militares franceses levaram no máximo 90 minutos para planejar uma missão tática e apenas 40 a 60 minutos para uma missão de rotina, disse um porta-voz da companhia à Reuters.
O programa A400M foi inicialmente avaliado em 20 bilhões de euros (US$ 25 bilhões), mas alcançou mais de 30 bilhões de euros, disseram fontes à Reuters no ano passado.
A Alemanha, o maior comprador do A400M, recebeu mais de 17 das 53 aeronaves A400M que planeja comprar.
A400M-decolando-de-pista-de-terra.jpg
A400M decolando de pista de terra
PROBLEMAS “CRÍTICOS”
O relatório alemão disse que o processo de planejamento da missão significava que certas tarefas, como o fornecimento de socorro a desastres ou a evacuação de soldados feridos, “não podem ser executadas”.
Embora o planejamento possa ser encurtado para seis a dez horas, isso só foi possível com a redução da carga de passageiros e equipamentos, disse o relatório.
O mais recente revés para a Airbus vem de um acordo preliminar pelo qual a Alemanha e outros seis países da OTAN concordaram em desacelerar o cronograma de entrega planejado e negociar a remoção de certos requisitos difíceis de alcançar para a aeronave.
Em troca, a Airbus prometeu fornecer “todo o apoio e recursos necessários” ao maior projeto de defesa da Europa.
O relatório citou as preocupações contínuas sobre a incapacidade do avião em atender aos requisitos, como a capacidade de lançar tropas de paraquedas. A empresa disse que a Airbus também pode buscar recursos adicionais para concluir o trabalho sobre as capacidades autodefensivas.
Ele também citou atrasos na realização de testes do avião devido à insuficiência de infra-estrutura na Europa, e disse que um local em Yuma, Arizona, agora está sendo considerado.
Houve também problemas “críticos” com a produção de chips sensores para o sistema de alerta aéreo do avião que não foram resolvidos, disse o relatório, observando que a Alemanha recebeu cinco aeronaves A400M sem o sistema de alerta.
Fonte: Reuters via site Poder Aéreo 30 MAR 2018



#72 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 15 de April de 2018 - 21:22

Meus prezados

Sobre os Andes! Press Flight Airbus A400M (vídeo)

http://tecnodefesa.c...us-a400m-video/



#73 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 11 de June de 2018 - 13:28

Meus prezados
A400M: testes conclusivos no reabastecimento em voo do Rafale
A400M-reabastecendo-o-Rafale.jpg
A400M reabastecendo o Rafale

 

O A400M, avião de transporte aéreo tático com alcance estratégico, é capaz de reabastecer vários tipos de aeronaves, incluindo aeronaves de combate.
O reabastecimento é possível através de dois pontos laterais através de um casulo de reabastecimento preso sob a asa (para caças) ou por uma unidade de reabastecimento HDU (Hose Drum Unit) montada na fuselagem para aeronaves de transporte e caças. Uma próxima versão específica da nacele sob as asas permitirá o reabastecimento de helicópteros.
Depois de uma campanha de testes de voo conduzida pela Direção Geral de Armamento (DGA) com o apoio da Força Aérea Francesa, o A400M acaba de passar um novo marco demonstrando sua capacidade de reabastecer o caça Rafale usando suas naceles subalares.
Durante estes testes, o Rafale foi reabastecido pelo A400M em toda o seu evelope de voo (em várias altitudes e velocidades), incluindo nos chamados modos degradados da aeronave: falha simulada de um motor e controles de voo.
Os testes foram realizados de dia e de noite, inclusive com óculos de visão noturna (NVG), em diversas configurações de Rafale (aeronaves leves, atitude pesada nas retaguardas com alta geração de arrasto).
A unidade de Ensaios a Bordo da DGA conduziu, com o apoio do Centro de Perícia Militar Aérea (CEAM) da Força Aérea, estes testes que permitirão à DGA, agindo como autoridade técnica para aeronaves estatais, autorizar muito rapidamente o Rafale a ser reabastecido pelo A400M.
A Força Aérea, por sua vez, está trabalhando para determinar as condições para colocar essa nova capacidade em serviço em um contexto operacional, estabelecendo os meios de sua implementação (procedimentos, suporte técnico, treinamento, etc.). O A400M poderá então oferecer uma capacidade de reabastecimento de teatro.
Outras campanhas de reabastecimento de voo estão previstas para 2019, como o reabastecimento duplo do Mirage 2000 através das naceles e de outras aeronaves de transporte através do ponto de reabastecimento HDU de linha central.
Fonte: Directorate-General of Armaments – DGA via site Poder Aéreo 11 JUN 2018



#74 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 24,303 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 25 de June de 2018 - 10:50

Meus prezados
Operação Barkhane: Atlas A400M transporta helicóptero Tiger
A400M-transportando-helic%C3%B3ptero-Tig
A400M descarregando o helicóptero Tiger

Como parte das recuperações técnicas de materiais no teatro, um Atlas A400M pela primeira vez, em 6 de junho, transportou um helicóptero Tiger diretamente da base aérea de Orleans para a plataforma desértica de Gao, no Mali. Este roteiro logístico de sucesso confirma as capacidades estratégicas e táticas do Atlas A400M, que oferecem novas oportunidades para exércitos que economizam um tempo considerável.
O Groupement Tactique Désert-Aérocombat (GTD-A) da Força Barkhane aguardava ansiosamente por esta recuperação técnica do Tiger, cujos tempos de resposta eram particularmente curtos. Quando helicópteros de combate embarcam em aeronaves Antonov 124, eles são sistematicamente entregues a Niamey, no Níger, onde um destacamento de diferentes especialidades é enviado do Gao para pegar a máquina, prepará-la e transportá-la para o Mali. Ao descarregar o helicóptero diretamente em sua área de operações, o A400M Atlas permitiu que o GTD-A obtivesse valiosos prazos operacionais para a força, superando essas inúmeras restrições.
Antes disso, foram necessárias cerca de dez horas de trabalho em Orleans e uma equipe de oito mecânicos do 1º Regimento de Helicópteros de Combate de Phalsbourg para remover as pás, as aletas e a torre e assim diminuir este helicóptero a uma envergadura de 4,52 metros para permitir que mecânicos e engenheiros de voo instalem e protejam a máquina adequadamente no compartimento de carga do avião.
Quando a porta traseira do A400M Atlas foi aberta, o pessoal de transporte e os mecânicos puderam iniciar imediatamente as operações necessárias para extrair o Tiger e depois voltar diretamente para as oficinas do grupo Aérocombat. Esta entrega “viva” permite assim que a aeronave esteja muito mais rapidamente operacional ao serviço da força de Barkhane.
Esta operação conjunta bem-sucedida demonstrou amplamente o valor agregado que o A400M Atlas traz para as operações externas por sua capacidade de pousar com cargas pesadas em pistas reduzidas ou improvisadas diretamente da metrópole.
Liderada pelos exércitos franceses, em parceria com os países do G5 Sahel, a Operação Barkhane foi lançada em 1 de agosto de 2014. Baseia-se numa abordagem estratégica baseada numa lógica de parceria com os principais países da região Sahel-Sahariana ( BSS): Mauritânia, Mali, Níger, Chade e Burkina-Faso. Reúne cerca de 4.500 militares cuja missão é lutar contra grupos terroristas armados e apoiar as forças armadas dos países parceiros para que possam ter em conta esta ameaça, nomeadamente no âmbito da força conjunta do G5 Sahel em curso de operacionalização.
Fonte: Ministério da Defesa da França via site Poder Aéreo 24 JUN 2018


  • GuinhoBSB likes this