Jump to content


Photo

Tenente Nilofor Rhamani primeira afegã a voar solo pede asilo político aos EUA


  • You cannot start a new topic
  • Please log in to reply
6 replies to this topic

#1 transvasp

transvasp
  • Usuários
  • 5,159 posts
  • Gender:Male
  • Location:Salvador
  • Cidade/UF/País:Salvador - Bahia - Brasil
  • Data de Nascimento:04/02/1974

Posted 08 de October de 2012 - 15:32

Força Aérea do Afeganistão conhece sua primeira mulher a realizar um voo solo




Posted Image

A tenente Nilofor Rhamani tornou-se a primeira mulher a realizar um voo solo no Afeganistão, voando um Cessna 182 da Força Aérea Afegã no dia 30 de setembro de 2012. (Foto: Staff Sgt. Melissa K. Mekpongsatorn / U.S. Air Force)


tenente Nilofor Rhamani tornou-se a primeira mulher do Afeganistão a realizar um voo solo. Ela realizou um voo de treinamento no dia 30 de setembro de 2012 a bordo de um Cessna 182 da Força Aérea do Afeganistão, na Base Aérea de Shindand. Durante seu voo solo em realizou dois toques e arremetidas e depois um pouso completo, como requisito do seu curso de piloto.

Posted Image

Rhamani realizou seu voo a bordo de uma das aeronaves de treinamento Cessna 182 da Força Aérea Afegã. (Foto: Staff Sgt. Melissa K. Mekpongsatorn / U.S. Air Force)

Posted Image
A tenente afegã realizou 15 voos de treinamento e um voo solo completo com a aeronave Cessna 182. (Foto: Staff Sgt. Melissa K. Mekpongsatorn / U.S. Air Force)


Rhamani é a primeira mulher piloto a conduzir todo o seu treinamento de piloto no Afeganistão, e é a única mulher dentre os cinco alunos na classe 91-03 da Força Aérea Afegã a realizar com sucesso as 15 missões de treino e um completo voo solo nessa semana.

Posted Image

A tenente ganhou o tradicional banho de água dado pelos instrutores e colegas da base. (Foto: Staff Sgt. Melissa K. Mekpongsatorn / U.S. Air Force)

Após a realização do voo, os instrutores da Força Aérea dos EUA e seus colegas levaram ela até um tanque de água e a arremessaram dentro, uma tradição com os novos pilotos que realizam o primeiro voo solo no Afeganistão.

Fonte: http://www.cavok.com.br/blog/?p=55830
  • Bonotto, Luzspit, Sydy and 4 others like this

#2 Sydy

Sydy
  • Expulsos
  • 7,065 posts
  • Gender:Male
  • Location:SJK
  • Cidade/UF/País:SJK
  • Data de Nascimento:15/01/1970

Posted 08 de October de 2012 - 15:35

Ducaramba!

E pensar que eram pra treinar em Super-tucanos!


Edited by jambock, 03 de January de 2017 - 18:26 .


#3 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,032 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 11 de October de 2012 - 12:10

Meus prezados:
A ten. Rhamani conseguiu realizar seu difícil sonho, solando uma aeronave militar afegã.
Há cinco anos atrás, uma adolescente afegã cujo sonho era pilotar aviões, viu seu sonho ir por água abaixo por pressão, nem dos pais, mas de um tio!
http://forum.contato...__fromsearch__1

#4 Landing

Landing
  • Usuários
  • 11,805 posts
  • Gender:Male
  • Cidade/UF/País:br
  • Data de Nascimento:06/06/1966

Posted 11 de October de 2012 - 13:50

A Al-Qaeda vai adorar isso!

#5 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,032 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 25 de December de 2016 - 23:44

Meus prezados
Após ameaças, primeira mulher piloto do Afeganistão desiste da carreira militar.
Niloofar Rahmani vem recebendo ameaças de morte do Telaban e pressão da família
captNiloofar-Rahmani_08.jpg
captNiloofar-Rahmani_07-750x420.jpg

captNiloofar-Rahmani_02-750x420.jpg
Niloofar Rahmani deixa a Força Aérea do Afeganistão, mas seu futuro é promissor (Foto – FAA)
A primeira mulher a se tornar comandante de aeronaves militares no Afeganistão desistiu de sua carreira em seu país. Após receber ameaças de morte do grupo terrorista Taleban e ceder a pressão de membros de sua família, que também vêm sendo ameaçados pelos terroristas e ainda têm de lidar com o preconceito da cultura local, que considera inaceitável a posição alcançada por Niloofar Rahmani, Capitã da Força Aérea do Afeganistão.
Em reportagem publicada no Wall Street Journal, a Capitã Rahmani contou que sempre sonhou em ser piloto e teve muito incentivo de seu pai, que desejava ver a filha como um modelo para outras mulheres que também buscavam uma vida fora de casa.
Com medo, oito membros de sua família estão vivendo escondidos. As primeiras ameaças de morte começaram em 2013 com telefonemas em uma língua que Rahmani não entendia, mas com uma mensagem clara: saio ou morra.
Mais tarde uma carta, datada de 03 de agosto de 2013, chegou com a mensagem: “O Islã tem instruções para não trabalhar com os americanos ou britânicos. Se você continuar a fazer o seu trabalho, você vai ser responsável pela sua destruição e de sua família”.
Essa ameaça veio do Taliban, mas a Capitã Rahmani disse que ela também tem recebido ameaças de membros da família “envergonhados” pelo seu trabalho.
Outros membros da família foram atacados, seu pai perdeu o emprego no ano passado, e sua irmã mais velha teve problemas com o marido e, eventualmente, se divorciaram por conta das desavenças sobre a carreira militar.

Rahmani e sua família fugiram para a Índia por um tempo, e quando voltou no início deste ano, o exército afegão pediu-lhe para renunciar, dizendo que ela tinha abandonado o seu dever. No entanto, por pressão da coalização liderada pelos Estados Unidos, seu posto foi preservado. Mas por pouco tempo.
No início deste mês a piloto afegã deixou seu posto na força aérea de seu país, mas não vai parar de voar. Os militares americanos ofereceram uma estadia temporária nos EUA, onde Rahmani, aos 23 anos, terá a oportunidade de treinar em aeronaves C-130 Hércules. A comandante também tem planos de se inscrever em uma escola de aviação fora do Afeganistão e obter um licença de piloto comercial.
Carreira
Niloofar Rahmani foi apenas terceira mulher afegã que teve a chance de pilotar um avião e foi a primeira da Força Aérea do Afeganistão, onde ingressou em 2012. Sua primeira experiência de voo solo foi com um momotor Cessna C-182, comum em centros de treinamentos de piloto. Ao receber a formação, passou para o cargueiro C-208 (o Cessna Caravan).
Ao comando dos C-208 do Afeganistão, Rahmani transportou soldados até regiões de conflito e também os trouxe de volta após o combate, nem todos com vida. A Capitã afegã é também é a única mulher de seu país com licença para pilotar helicópteros.

Fonte: Thiago Vinholes para site Airway 10 AGO 2015



#6 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,032 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 26 de December de 2016 - 00:33

Meus prezados
Aviadora militar afegã em treinamento numa base americana no Texas pede asilo político ao governo Barack Obama

A capitã Niloofar Rahmani, primeira aviadora qualificada em aparelhos de asa fixa da Força Aérea do Afeganistão, que se encontra em um período de treinamento de 15 meses em uma base aérea do estado do Texas, não quer mais voltar para seu país.
De acordo com a agência de notícias Khaama Press, na última sexta-feira (23.12) Rahmani, de 24 anos, solicitou formalmente asilo político ao governo Barack Obama.
“As coisas não estão mudando [para melhor no Afeganistão]”, declarou a aviadora ao jornal The New York Times. “As coisas estão ficando pior e pior”, completou, sem especificar as circunstâncias a que se referia.
O jornal apurou que a capitã afegã confidenciou a seus instrutores que gostaria de prosseguir na carreira de piloto militar, mas não sob o pavilhão de seu país. Ela já preencheu a documentação de solicitação de asilo, e tem a esperança de, no futuro, ser aceita na US Air Force.
Ameaças – Rahmani é uma das personalidades mais celebradas da sociedade do Afeganistão, mas disse à imprensa que, ano passado, recebeu ameaças de morte.
Nos Estados Unidos ela está sendo adestrada na pilotagem do monomotor de transporte Cessna Caravan C-208 (foto abaixo).

A afegã ganhou notoriedade também em 2015, ao ser homenageada, de público, durante a cerimônia do Prêmio Internacional Mulher de Coragem, que aconteceu em Washington.
“Rahmani está tão empenhada em encorajar outras jovens a seguirem seus passos agora, como ela eestava, aos 18 anos de idade, sonhando com a escola de vôo”, disse a Primeira-Dama americana Michelle Obama, que presidiu a solenidade.
Aviadoraafeg%C3%A3nacabinedeumavi%C3%A3o
Rahmani no assento traseiro da cabine de um jato F-18 do esquadrão de demonstração aérea da USAF “Blue Angels”
Fonte: Roberto Lopes para site Plano Brasil 25 DEZ 2016


  • MissedApproach likes this

#7 jambock

jambock
  • Membro Honorário
  • 25,032 posts
  • Gender:Male
  • Location:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Interests:aeronáutica, militar em geral, informática, fotografia
  • Cidade/UF/País:Porto Alegre/RS/Brasil
  • Data de Nascimento:13/10/1941

Posted 04 de December de 2017 - 12:36

Meus prezados
Primeira mulher piloto de caça na Força Aérea Afegã está buscando asilo
Niloofar-Rahmani-1024x707.jpg
Niloofar Rahmani, primeira piloto de caça afegã

 

Em  2013, Niloofar Rahmani tornou-se o primeiro piloto feminino da Força Aérea Afegã, um passo em direção à igualdade e enviando uma mensagem de esperança às mulheres de todo o mundo.
No entanto, a conquista de Rahmani resultou em uma reação considerável contra ela e sua família, já que de repente ela se tornou uma figura reconhecível em um país onde o Talibã ainda reina. Agora, Rahmani está buscando asilo nos Estados Unidos.
Nos três anos desde que ela se tornou piloto de caça, Rahmani, que agora tem 25 anos, recebeu ameaças de morte de insurgentes e até de funcionários do governo, de acordo com seu advogado. Falando para a CNN, a advogada de Rahmani, Kimberly Motley, disse: “Se ela voltasse para o Afeganistão, ela teria medo por sua segurança”.
Rahmani treinou em bases aéreas em todo o sul dos Estados Unidos durante o ano passado. Durante sua entrevista com Jake Tapper da CNN, Rahmani elaborou seu pedido de asilo: “Há guerra, há violência e há discriminação contra a mulher no Afeganistão”.
Enquanto militares afegãos acusaram Rahmani de fabricar ameaças de morte para fortalecer seu caso de asilo, suas críticas parecem apoiar seu caso.
Rahmani, cujo caso está pendente, apelou diretamente ao presidente eleito com a determinação de continuar a luta contra o ISIS nos Estados Unidos. “Infelizmente, como uma mulher afegã muçulmana, sempre tento lutar contra o ISIS”, disse ela.
Fonte: www.popsugar.com via site Poder Aéreo 4 dez 2017