Jump to content


Photo

[Dúvida] Aluno de PP com CMA 1ª classe?


This topic has been archived. This means that you cannot reply to this topic.
29 replies to this topic

#21 Amengol

Amengol
  • Usuários
  • 17 posts

Posted 31 de January de 2013 - 11:37

Foi por isso mesmo.
O problema de se ter 1°classe no PP, é que você precisa ser portador do 2°classe para tirar o de 1°. Ou seja, da no mesmo. Vai gastar grana...

Qual seria o regulamento que diz da necessidade de ser portador de 2ª para tirar o de 1ª? (Não é pergunta retórica)

O que vi aqui http://www2.anac.gov...RBAC67EMD00.pdf (RBAC 67) é que:


"(f) Um CMA de 1ª classe válido pode ser apresentado em lugar de um CMA de 2ª ou 4ª classe, assim
como um CMA de 2ª classe válido pode ser apresentado em lugar de um CMA de 4ª classe."

Pelo que entendi, em todos os tramites em que são exigidos (pelo menos o de) 2ª classe podem ser aceitos com de 1ª.

e:

";(g) Um CMA só pode ser revalidado na mesma classe, ou um CMA 1ª classe pode ser revalidado
como um CMA de 2ª ou 4ª classe, ou um CMA de 2ª classe pode ser revalidado como um CMA de 4ª
classe, bastando o candidato à revalidação submeter-se a um exame de saúde pericial de revalidação com
os critérios da classe pretendida e permitida."

Ou seja, é possível um "down grade".

Certo?

Edited by Amengol, 31 de January de 2013 - 11:40 .


#22 E195-SDU

E195-SDU
  • Usuários
  • 6,748 posts

Posted 01 de February de 2013 - 10:03

Cada um sabe do seu bolso e dos riscos. Eu mesmo, depois do PP, levei 4 anos pra checar o PC IFR. Ia ter que fazer 1ª classe 3 vezes, sendo q hj o cara nao ia precisar gastar um ##### com CMA durante esse periodo.

Vc ta sendo meio ingenuo achando que a regra é pq a ANAC quer proteger o bolso do cara, nao ta nao? Pra mim, é babacada mesmo.

Abs.


Parece que isso não vem diretamente da ANAC. Foi copiado do FAR. Mas o objetivo é este mesmo cara. Ingenuidade é gastar grana e tentar a sorte no final do curso. Ja vi muita gente se ferrar com ganchos no psicotécnico e precisaram esperar alguns meses para checar. E outros poucos com desvio septo, caries e outros probleminha menores.

#23 E195-SDU

E195-SDU
  • Usuários
  • 6,748 posts

Posted 01 de February de 2013 - 10:26

Qual seria o regulamento que diz da necessidade de ser portador de 2ª para tirar o de 1ª? (Não é pergunta retórica)

O que vi aqui http://www2.anac.gov...RBAC67EMD00.pdf (RBAC 67) é que:


"(f) Um CMA de 1ª classe válido pode ser apresentado em lugar de um CMA de 2ª ou 4ª classe, assim
como um CMA de 2ª classe válido pode ser apresentado em lugar de um CMA de 4ª classe."

Pelo que entendi, em todos os tramites em que são exigidos (pelo menos o de) 2ª classe podem ser aceitos com de 1ª.

e:

";(g) Um CMA só pode ser revalidado na mesma classe, ou um CMA 1ª classe pode ser revalidado
como um CMA de 2ª ou 4ª classe, ou um CMA de 2ª classe pode ser revalidado como um CMA de 4ª
classe, bastando o candidato à revalidação submeter-se a um exame de saúde pericial de revalidação com
os critérios da classe pretendida e permitida."

Ou seja, é possível um "down grade".

Certo?


Ja que não é retórico, eu respondo. rsrsrs

Tanto o RBAC 67 quanto o 61 não dizem mais que você precisa ser portador de classes inferiores, para chegar ao último (1° classe). Porém eu ainda não vi nos principais hospitais os médicos liberando os CMAs 1° classe para candidatos a PP.
Talvez se o candidato levar os RBACs que fazem referência, os caras venham a liberar. Mas sinceramente prefiro não gritar com militar.
Quanto ao downgrade, ele é possível, desde que você não seja PC, PPIFR ou PLA. Caso contrário, o piloto perderá seu certificado e tornará a ser Piloto Privado. E para isso acontecer, sinceramente não sei como funciona. Não sei se o piloto deve passar por um recheque, por uma nova avaliação teórica. Por isso é mais fácil você revalidar seu CMA, gastando mais um pouco, porém vai manter uma CHT mais "robusta".
Mas se o cara for PP e tiver 1° classe, ele pode sim pedir na revalidação um downgrade. Os exames serão de revalidação, mas com as considerações de uma avaliação de 2° classe.
Sinceramente? Não recomendo que ninguém faça isso. Mesmo os que não tem intenção de seguir na comercial ou qualquer aviação que requer o 1° classe. Tudo bem que é um saco você ter que se submeter a exames anuais. Mas o dia que o cara quiser uma habilitação IFR, o mesmo terá que fazer um novo incial para PC. Olha a dor de cabeça. Sem necessidade. Tirar sangue e urinar no potinho uma vez por ano não mata ninguém. Rsrsrsrs


#24 E175

E175
  • Usuários
  • 16,428 posts

Posted 01 de February de 2013 - 11:25

No RBAC que regula as escolas (snme 141) existe um formulário de responsabilidade que pelo que entendi substitui a exigência do CMA de 1ª classe. Ele exclui a responsabilidade da escola e da ANAC se posteriormente o aluno não for considerado apto nos exames médicos exigidos para PC/IFR. Mas eu não achei nada disso no RBAC67, aliás lá também não fala qual classe é exigida para cada curso, só diz que cada um terá sua exigência.

Antigamente era possível fazer o PC visual todo com CCF 2ª classe. Essa mudança é relativamente recente.

Edited by E175, 01 de February de 2013 - 11:26 .


#25 E195-SDU

E195-SDU
  • Usuários
  • 6,748 posts

Posted 01 de February de 2013 - 18:57

No RBAC que regula as escolas (snme 141) existe um formulário de responsabilidade que pelo que entendi substitui a exigência do CMA de 1ª classe. Ele exclui a responsabilidade da escola e da ANAC se posteriormente o aluno não for considerado apto nos exames médicos exigidos para PC/IFR. Mas eu não achei nada disso no RBAC67, aliás lá também não fala qual classe é exigida para cada curso, só diz que cada um terá sua exigência.

Antigamente era possível fazer o PC visual todo com CCF 2ª classe. Essa mudança é relativamente recente.


E175, tem no RBAC61. O 67 regula somente os exames e médicos credenciados.

#26 E175

E175
  • Usuários
  • 16,428 posts

Posted 02 de February de 2013 - 15:02

É, me referia ao 61 mesmo, troquei os números. Em parte menciona isso?

#27 Alfa X-Ray

Alfa X-Ray
  • Usuários
  • 166 posts

Posted 02 de February de 2013 - 18:31

Os RBACs 61 e 67 são muito claros acerca desta questão:
-Para o PP, a gente precisa ter um CMA 2° classe válido.
-Para PC/VFR/IFR, PP/IFR e PLA, a gente precisa de um CMA 1° classe válido.
As Escolas, Aeroclubes e outros similares que fogem desta determinação, podem sofrer punições bem como os alunos pilotos.

A maneira que interpretam os regulamentos é que pega. O certo é você ter os certificados logo no início dos cursos práticos.



SIm cara, mas isso agora (desde 22/06/2012), mas eu comecei a voar o PC antes disso e antes não tinha nada que dizia que não podia.

#28 E195-SDU

E195-SDU
  • Usuários
  • 6,748 posts

Posted 02 de February de 2013 - 21:01

É, me referia ao 61 mesmo, troquei os números. Em parte menciona isso?


61.95 Requisitos de aptidão psicofísica para a concessão da licença de piloto comercial
(a) O candidato a uma licença de piloto comercial deve ser titular de CMA de 1a classe válido.



SIm cara, mas isso agora (desde 22/06/2012), mas eu comecei a voar o PC antes disso e antes não tinha nada que dizia que não podia.


Ai vai da Escola, X-Ray. Existem escolas que colocam como "mínimos internos". Não sei se é legal isso, mas comigo foi assim. Só consegui me matricular com 1° classe.

#29 Alfa X-Ray

Alfa X-Ray
  • Usuários
  • 166 posts

Posted 03 de February de 2013 - 20:08

POis é tche, tudo questão de interpretação.

#30 E195-SDU

E195-SDU
  • Usuários
  • 6,748 posts

Posted 18 de February de 2013 - 07:35

Senhores, minha intenção neste post é auxiliar os amigos que estão inciando seus cursos de Piloto Privado e Piloto Comercial.

Sobre os alunos que não querem tirar o CMA (antigo CCF), ai vai um extrato de uma larte do RBHA141:
141.89 - MATRÍCULA
(a) A escola de aviação civil deve dispor, para cada aluno matriculado em curso homologado, dos seguintes
itens:
(1) uma ficha de matrícula, devidamente assinada pelo aluno e pelo diretor da escola, que inclua, pelo menos:
(i) o nome e a filiação do aluno;
(ii) o nome do curso no qual ele está matriculado;
(iii) a data da matrícula;
(iv) dados pessoais e de escolaridade do aluno, cabendo à escola a aferição da veracidade destes da- dos; e
(v) validade do certificado de capacidade física (CCF) do aluno, que varia de acordo com o curso mi- nistrado;
(2) uma cópia da programação das aulas;
(3) uma cópia da relação dos procedimentos e práticas desenvolvidos pela escola com vista à segurança, abrangendo a utilização de suas instalações e equipamentos; quando se tratar de cursos de pilotos, a relação deve incluir procedimentos quanto à operação das aeronaves, além de instruções sobre:
(i) os mínimos meteorológicos exigidos pela escola para vôos solo e duplo;
(ii) procedimentos gerais para partida e treinamento nas aeronaves de instrução;
(iii) procedimentos e precauções contra-incêndio; e
(iv) procedimentos específicos com as aeronaves dentro e fora do aeródromo de instrução.
(b) no início do curso, o aluno deve receber o Regulamento do Curso, mediante recibo, com indicação de todos os aspectos referentes ao curso, como documentação necessária, síntese da programação com todas as atividades da instrução, inclusive, períodos de recuperação e 2a época, atividades extraclasse, freqüência mínima, formas de avaliação, limites mínimos de aprovação, obrigatoriedade de CCF e demais informações específicas a cada curso. Em se tratando de curso de Comissário de Vôo, neste Regulamento deve estar ex- pressa a inteira responsabilidade da escola pela segurança dos alunos nos treinamentos práticos.
© Caso o aluno não tenha completado dezoito anos é necessário a autorização por escrito de seu responsável legal para a matrícula no curso.
[(d) Nos cursos teóricos para obtenção de licenças que exigem aprovação em exame de saúde nos ter- mos do RBHA 67 ou seja, licenças de piloto, mecânico de vôo, comissário de vôo e operador de equi- pamentos especiais, a exigência do parágrafo (a)(1)(v) desta seção pode ser substituída por um “Termo de Compromisso”, assinado pelo candidato, declarando estar ciente de que a obtenção do CCF é obri- gatória para início do instrução prática, que a não obtenção do mesmo por incapacidade física tem como conseqüência a impossibilidade de obtenção da licença pretendida inicialmente e isentando a escola e o DAC de qualquer responsabilidade decorrente de uma eventual não obtenção do CCF.]

Tirem suas conclusões e sejam felizes.
Minha recomendação? Tirem logo o CMA que lhe compete.

Abrs!