Jump to content

All Activity

This stream auto-updates     

  1. Today
  2. Talvez conquiste o consumidor pelo preço. Valor deveras interessante. Paguei pouco menos do que isso (230) de ônibus saindo de Araraquara rumo a Foz.
  3. Achei gozado, certamente, o foco não deve ser a ligação entre Foz e PG. Do interior paranaense, pelo que vejo, apenas LDB teria uma possível demandinha de ATR p/ IGU de ATR.
  4. Alitalia mantém 2 diários p/ FCO de 772. Não é pouca coisa. Deve ter 300k ou mais ao ano. Veremos os próximos capítulos. Fico ainda surpreso de MXP não ir pro A359, acredito não ser falta de demanda, mas sim, muitos conectando em outros aeroportos e acabando em LIN. Ah, se fosse a LA deixava a Alitalia sangrar na rota caso esteja mesmo, não arriscaria nem 4vps.
  5. É difícil pra Gol lucrar aqui pela América Latrina. Além de mercados que vivem patinando economicamente, a economia um pouco mais robusta - Chile - já tem dona, a Latam. No alto da minha ignorância, acho que apostar em Bolívia, Equador, Venezueja, Suriname, Guianas e cia ltda., é dar murro em ponta de faca.
  6. https://www.aeroin.net/comandante-assume-o-controle-do-aviao-no-ultimo-segundo-para-evitar-pouso-duro-do-copiloto/?fbclid=IwAR0UwYe6vDPeTYVwGNyngkwyzE9_zOCeumTIinzolCUx9pCYgNrgFumXKQ0
  7. Mas a Embraer nem sequer lançou um turbo-hélice para voltar ao mercado
  8. To torcendo para que não saia essa compra, para manter a competição uma Air France/KLM ou LH precisariam investir, não sei se vai rolar, mas seria o senário ideal
  9. Desde que seja só code-share... mas jamais vai poder avançar como chegou a ser pensado , em uma joint venture. Mas... órgãos de defesa da concorrência, eu só confio nos Americanos mesmo. É o único lugar do mundo onde isso não aconteceria e nem a ideia seria levantada - no restante... dúvidas.... Vide Brasil onde tudo pode e monopólio subsidiado pelo estado foi uma constante nos últimos anos.
  10. Meus prezados EUA aumenta tarifas punitivas sobre aviões da Airbus Os Estados Unidos anunciaram na sexta-feira à noite que aumentariam para 15% as tarifas alfandegárias impostas aos aviões da Airbus importados da Europa, mantendo inalterados os impostos que penalizam outros setores nos dois lados do Atlântico. Neste sábado, a fabricante europeia de aeronaves reagiu a uma decisão que "lamenta profundamente" e que "cria mais instabilidade para as companhias aéreas americanas, que já sofrem com a falta de aeronaves", principalmente em razão da proibição de voo que atinge o 737 MAX da sua concorrente Boeing. "Tomamos nota do anúncio dos Estados Unidos", disse uma porta-voz do ministério da Economia alemão, contactada pela AFP. "Nossa posição é clara: rejeitamos qualquer aumento unilateral nos impostos alfandegários, que são prejudiciais a todos, inclusive aos Estados Unidos". Os ministros europeus, que têm várias reuniões agendadas para segunda-feira em Bruxelas, podem aproveitar a oportunidade para expressar uma posição comum sobre o assunto. Desde outubro, em retaliação aos subsídios à fabricante europeia Airbus, o governo americano impõe tarifas alfandegárias punitivas de 25% sobre 7,5 bilhões de dólares em produtos importados (incluindo vinho, queijo, café e azeitona). Até agora, os aviões eram tributados em 10%. O novo aumento será válido a partir de 18 de março. Além do conflito entre a Airbus e a Boeing através de seus Estados, há importantes tensões comerciais entre Washington e Bruxelas. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, utiliza esses impostos como uma ferramenta de negociação. Após meses de guerra comercial com a China, com tarifas punitivas recíprocas, ele exclamou: "nossa estratégia valeu a pena!", depois que os dois países assinaram um acordo em meados de janeiro. Sua atenção agora está focada na Europa. Trump e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciaram no final de janeiro, após uma reunião em Davos (Suíça), seu desejo de relançar as discussões e concluir um acordo nas próximas semanas. Mas, no momento, as negociações não foram bem-sucedidas e as relações permanecem tensas, já que Trump voltou a ameaçar tributar as importações de carros europeus. Na segunda-feira, disse que era hora de negociar "muito a sério" um acordo comercial com a União Européia. Ele quer que os países membros da UE abram mais seus mercados aos produtos americanos, especialmente produtos agrícolas. Em outubro, após 15 anos de batalha legal, a Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou Washington a adotar sanções recordes, julgando que a fabricante aeronáutica europeia havia realmente se beneficiado de subsídios indevidos. Em um processo espelhado, espera-se que a OMC autorize a UE a impor taxas alfandegárias na primavera, como resposta a subsídios indevidos pagos pelo governo americano à Boeing. Fonte: Defesanet 18 fev 2020
  11. Meus prezados PNG Air será o cliente de lançamento do ATR 42-600S http://www.revistaflap.com.br/web/aviacao-civil/noticias/19122-png-air-sera-o-cliente-de-lancamento-do-modelo-atr-42-600s Fonte: revista FLAP É. As coisas estão ficando difíceis para o projeto do turbohélice da EMBRAER.
  12. Sim, mas creio que teria que assumir um hub no sul do país para Cone Sul. Outro dia estava avaliando profundamente a Southwest, tentando entender o modelo e como ela ganha dinheiro operando em Nashville, Houston, Fort Mayers, Baltimore... e notei que tem zero rota internacional de LAX, zero rota internacional de Nova York, zero rotas internacionais de Boston, zero rotas internacionais de SFO... não tem main hub em nenhuma delas e ganha mais dinheiro há mais tempo que qualquer outra operadora de 737 e só recentemente foi ultrapassada pela Delta em rentabilidade doméstica... São mercados diferentes do que o Brasil, mas ter voos internacionais curtos funciona bem para a Southwest. Se eu fosse da Gol investigava isso ao invés de procurar voo longo. A Gol no passado tinha um mini-hub em POA, mas falhou em continuar construindo isso (na época em que ganhava dinheiro). Pensa no desvio comparando com EZE-LIM-UIO ! Gol entrega em 13h e tem concorrente entregando em 8h30 Rota pra dar certo precisa de interação econômica, histórica. Concordo contigo num aspecto, pode se desenvolver, mas o problema é que custa caro operar antes da rota atingir o ponto de equilibrio e ainda mais quando ao seu redor tem pelo menos 2 ou 3 players que te fazem limitar sua tarifa (Latam, Copa e Avianca). Segundo player que tenta em menos de 5 anos. Meu maior receio com o Max na GOL era esse, que a empresa tivesse que "procurar" mercado pra voar.
  13. 2 diário é muito com o euro a 5/1, mas como é estatal e o governo sempre socorre, duvido que saiam de Gru ou reduzam voos para o Brasil
  14. O produto deles é inferior ao da concorrência. O interior do 777 parece uma volta ao passado.
  15. Meus prezados FAB inaugura Centro Regional de Monitoração do CINDACTA IV Nova estrutura vai aumentar a qualidade do serviço de controle de tráfego aéreo e da defesa das fronteiras do país O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, inaugurou, na quinta-feira (30/01), o Centro Regional de Monitoração (CRM), do Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV), em Manaus (AM). O evento de inauguração contou com a presença do Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, de uma comitiva de militares bolivianos, entre outras autoridades. Segundo o Tenente-Brigadeiro Bermudez, a criação do CRM representa um marco na manutenção dos equipamentos, resultando em um aumento de qualidade tanto do serviço de controle de tráfego aéreo, quanto da defesa das fronteiras do país. “Esta implantação proporcionará benefícios diretos à confiabilidade do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro, com a redução principalmente de custos de manutenção, incremento na segurança e na possibilidade de coleta de dados para projeções futuras. É, portanto, um grande marco para o Comando da Aeronáutica”, afirmou. O Tenente-Brigadeiro Domingues destacou a transição para um modelo mais moderno. “O CRM irá proporcionar a transição de um modelo antigo e dispendioso para a Força Aérea para um sistema direto e objetivo, onde vamos reduzir os custos. Ou seja, mudamos realmente e chegamos no futuro, por intermédio do Centro Regional de Monitoração”, declarou. O CRM funciona a partir de Telemetria e Gerenciamento Remoto dos Destacamentos de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA) e Estações de Apoio ao Controle do Espaço Aéreo. Fotos: Cabo A. Pardo / Ala 8 Fonte: Ten.Dantoniele, Ten.Cristiane, Asp.Flávia e Cap.Landenberger para Agência Força Aérea 3 fev 2020
  16. Que pena! Espero que a Alitalia consiga se recuperar.
  17. A VoePass anunciou um novo voo direto entre as cidades paranaenses de Ponta Grossa e Foz do Iguaçu. A rota ainda contará com uma perna para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A nova operação terá início do dia 29 de março e contará com voos diários entre os três destinos. De Ponta Grossa (PGZ) para Foz do Iguaçu (IGU) as saídas serão às 16h10 e chegada às 17h30 de domingo a sexta, e aos sábados com saídas as 9h10 e chegada em Foz do Iguaçu às 10h30. De Ponta Grossa (PGZ) para Foz do Iguaçu (IGU) as saídas serão às 16h10 e chegada às 17h30 de domingo a sexta, e aos sábados com saídas às 9h10 e chegada em Foz do Iguaçu às 10h30. Do Aeroporto de Congonhas (CGH) para Foz do Iguaçu (IGU) as saídas serão às 14h25 com chegada às 17h30 de domingo a sexta, e aos sábados saída de Congonhas às 07h25 com chegada em Foz do Iguaçu às 10h30 (voo com escala de 25min em Ponta Grossa). De Foz do Iguaçu (IGU) para São Paulo as saídas serão às 17h55 com chegada às 20h55 de domingo a sexta, e aos sábados com saída de Foz do Iguaçu as 11h00 e chegada em Congonhas às 14h05 (voo com escala de 25min em Ponta Grossa). Além do mercado corporativo, as operações atenderão o fluxo turístico para Foz do Iguaçu, um dos destinos nacionais mais procurados. “Existe uma ligação muito forte da região dos Campos Gerais com a região de Foz do Iguaçu. Esse passageiro era muito mal assistido e por vezes fazia a viagem de carro, tamanha a dificuldade de chegar até Foz do Iguaçu, com preços altíssimos das passagens aéreas. Nossa intenção é atender a essa demanda reprimida, facilitando e estimulando o trânsito desses passageiros” diz Eduardo Busch, CEO da VoePass. Os voos serão operados por aeronaves ATR72, com capacidade para 70 passageiros. Para o lançamento dos voos, a VoePass oferece tarifas promocionais: de São Paulo (Congonhas) para Foz do Iguaçu a partir de R$ 249,99 e de Ponta Grossa para Foz do Iguaçu a partir de R$ 199,00. As passagens podem ser adquiridas diretamente em seu website www.voepass.com.br ou através das agências de viagens. Para mais informações, os passageiros podem entrar em contato por meio do SAC 0800-7770297. Fonte: Mercado e Eventos
  18. Não vai acontecer pelo menos por agora amigo, primeiro, pq as rotas afetadas foram as operadas pelo MAX, segundo é mais facil cancelar a perna para JPA do q o MCZ-EZE, alem do mais a GOL tem desconto no QAV nas duas cidades com esse voo, e as ocupações são ate mais do q esperado para um voo simplesmente pelo incentivo. Portanto não acredite nisso por enquanto, ate pq se ela quisesse cancelar ela já teria cancelado ha muito tempo.
  19. Era esperado SCL, concorrência muito forte via GRU, EZE e MAD. Será que não GRU-FCO não poderia rodar novamente, nem que seja 4 semanais?
  20. https://www.google.com.br/amp/s/noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/ansa/2020/02/18/alitalia-planeja-fechar-rotas-para-seul-e-santiago-do-chile.amp.htm
  21. EZE , MVD e ASU têm opções pra Quito com Latam, Copa e Avianca. A jogada da Gol, creio, foi capturar os brasileiros. E não deu certo. E, na minha opinião, não dará tão cedo.
  22. Yesterday
  23. Pelo jeito só, mas tinha algo que eles pretendiam desfazer da linha Global Express. Um fim melancólico para uma outrora gigante de engenharia.
  24. Meus prezados CINDACTA IV controla o espaço aéreo de mais de 60% do território nacional Comandante Cléber Ribeiro Sediado em Manaus, o quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV) faz parte do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). O Centro tem como missão executar as atividades relacionadas à vigilância e ao controle da circulação aérea geral, bem como conduzir as aeronaves que promovem a manutenção da integridade e da soberania do espaço aéreo brasileiro, nas áreas sob sua responsabilidade na Região Amazônica. Para esse fim, conta com 1.700 militares e servidores civis, distribuídos em 26 Destacamentos de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA), além da própria sede, situada em Manaus. Dotado de pessoal altamente qualificado e de equipamentos tecnologicamente diferenciados, o CINDACTA IV cuida de, aproximadamente, 60% do espaço aéreo nacional, seja por meio de controle do tráfego aéreo comercial, seja no combate a ilícitos, utilizando aeronaves militares; ou mesmo na Busca e Salvamento (SAR), em terra, rios e mar, em apoio à Marinha do Brasil, por meio do SALVAERO-Amazônico. Para o Coronel Aviador Alexander Santopietro, Comandante do CINDACTA IV, “é um orgulho liderar uma unidade que contribui para a segurança do espaço aéreo brasileiro”. Santopietro ressalta que, quando conversa com pilotos comerciais, recebe constantes elogios pelo trabalho realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB). “É gratificante receber feedbacks positivos de usuários do sistema”, destacou. O comandante enfatizou, ainda, que a criação de uma sala técnica remota, destinada à realização de mais de 290.000 manutenções anuais programadas, possibilitou o incremento da capacidade de manutenção a distância e propiciou a redução de 80% nos gastos com manutenção preventiva e de 54% com homem-hora. Caso essas manutenções não fossem feitas, poderia haver prejuízos à segurança, desde o aumento da espera de aeronaves no ar até o fechamento de aeroportos, o que geraria transtornos, tanto para os passageiros como para as empresas. “É bom saber que, por detrás da voz que auxilia o piloto, existe um ou uma militar da FAB na orientação dos procedimentos”, ressaltou. O CINDACTA IV realiza atividades técnicas e operacionais de acordo com a tarefa desenvolvida. No tocante às atividades técnicas, desenvolve ações na área de Meteorologia Aeronáutica, Defesa Aeroespacial, Gerenciamento de Tráfego Aéreo, Telecomunicações Aeronáuticas e Informações Aeronáuticas, além de busca e salvamento. No Centro de Controle de Área Amazônico (ACCAz), por exemplo, que abrange os controles dos espaços aéreos de Porto Velho (RO), de Belém (PA), e de Manaus (AM) é realizado o acompanhamento de todos os voos para essas áreas e orientados os procedimentos de aproximações para pousos e pós decolagem. Já o setor que cuida de combate a ilícitos, monitora a área e conduz interrogatórios necessários nos casos de percepção de ingresso de aeronaves não identificadas, no espaço aéreo brasileiro. O Major Especialista Renato Wilson Souza Oliveira, que trabalha na área de controle aéreo há mais de vinte anos, disse que, para ele, “é um orgulho ajudar no desenvolvimento do país por meio da contribuição para a segurança do voo, e, com isso, propiciar que brasileiros e estrangeiros possam circular, por via aérea, para trabalhar e se divertir, com a certeza de que a missão da Força Aérea está sendo bem executada. O CINDACTA também atua na Busca e Salvamento, em terra, nos rios e no mar, em apoio à Marinha, e no controle aéreo de aeronaves militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea, quando atuam de forma integrada, em operações conjuntas, como aconteceu na Operação Verde Brasil, que combateu incêndios e ilícitos ambientais na Amazônia, no final de 2019. Fotos: Assessoria de Comunicação Social (Ascom) - Ministério da Defesa Fonte: Ministério da Defesa via CECOMSAER 17 fev 2020
  25. Pois é Bonotto, mas isto leva tempo, como foram os produtos japoneses nos anos 60 e coreano nos anos 90. Hoje eles têm tecnologia 5G e a um custo bem inferior que os padrões americanos e, salvo engano, estão ganhando mercado na Europa. Às vezes eles têm que fazer via aquisições: IBM/Lenovo, Motorola, Volvo Cars, produtos de linha branca...
  1. Load more activity


×
×
  • Create New...

Important Information