Jump to content

jambock

Membro Honorário
  • Content Count

    26,695
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by jambock

  1. Meus prezados P-3AM da FAB voa ao Chile para ajudar nas buscas do C-130 da FACh Fotos postadas no Twitter mostram avião sendo preparado para o voo e, depois, em Punta Arenas, no Chile. Força Aérea Chilena (FACh) também postou na rede social sobre o envio da aeronave da FAB, agradecendo o apoio Nesta quarta-feira, 11 de dezembro, a Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou fotos de aeronave P-3AM de patrulha marítima sendo preparada para o deslocamento ao Chile e após o pouso naquele país. As imagens foram divulgadas pelo Twitter. O P-3AM, aeronave de Patrulha Marítima que também está equipada para missões de Busca e Salvamento, vai apoiar as buscas ao avião de transporte C-130 da Força Aérea Chilena (FACh) desaparecido durante voo para a Antártida. Segundo as duas publicações feitas pela FAB, com quatro imagens no total, o avião decolou da Ala 11, no Galeão (RJ), na madrugada desta quarta-feira (11/12), e já está em solo chileno, no local onde será a base de apoio das buscas. Em seu site, a FAB também informou que o P-3AM Orion pousou em Punta Arenas, no Chile, às 12h40. A aeronave P-3AM, dotada de quatro motores, é operada pelo Esquadrão Orungan (1º/7º Grupo de Aviação), sediado na Ala 12. O avião também utiliza diversos recursos eletrônicos, como sistema radar e FLIR (do inglês, Forward-Looking Infrared), que proporciona visão noturna, sendo possível localizar o objeto por meio do calor emitido por ele. Ainda segundo a FAB o P-3AM tem grande autonomia, podendo permanecer em voo durante 16 horas e opera sensores eletrônicos embarcados altamente modernos, características que conferem ao P-3AM a capacidade estratégica de vigilância marítima de longo alcance. A FACh, em sua conta do Twitter, divulgou agradecimento à FAB pelo apoio enviado para as buscas: Fonte: blog Poder Aéreo 12 dez 2019
  2. Meus prezados Pilotos de Gripen tailandeses aprenderam com a derrota para os J-11 Piloto de Gripen da Tailândia com capacete Cobra, em 2018 O motivo da derrota dos Gripen JAS39C da Tailândia nos dogfights do exercício Falcon Strike 2015 com caças J-11 da China teria sido o uso do míssil ar-ar AIM-9L e a ausência de mira no capacete do piloto. Já os J-11 chineses empregaram o míssil R-73 com mira no capacete. A lição foi aprendida. A partir de 2018, os pilotos tailandeses passaram a contar com o capacete Cobra dotado de um sistema integrado de exibição montado em capacete (IHMD). O Cobra foi desenvolvido pela BAE Systems e a Saab Aerospace, com a Denel Cumulus da África do Sul. O IHMD é um desenvolvimento do capacete Striker feito para o Eurofighter Typhoon. O Cobra também está instalado no Gripen para a África do Sul e da Suécia. Ao apontar a cabeça em vez de toda a aeronave para o alvo, o piloto pode travar rapidamente o sensor do míssil usando o sistema HOTAS (hands on throttle and stick) e tirar proveito das capacidades de desempenho da arma. Um míssil pode operar com forças g muito mais altas do que uma aeronave; a proporção é de aproximadamente 60 g para um míssil e 9 g para o Gripen. O Cobra fornece melhor consciência situacional e permite maior rapidez no disparo do míssil. O visor montado no capacete exibe informações de voo, como altitude e velocidade do ar, além de identificar e detalhes dos alvos detectados na área circundante. Além do capacete Cobra, os Gripen tailandeses também foram equipados com o míssil ar-ar Diehl BGT Defence IRIS-T para combates aproximados. O IRIS-T é muito mais capaz que o antigo AIM-9L americano. A imagem de simulador mostra um caça sendo destruído por um míssil ar-ar, com o piloto olhando para o alvo usando a mira montada no capacete, sem precisar apontar o nariz do avião https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2019/12/Míssil-IRIS-T-em-um-Gripen-da-Tailândia.jpg Míssil IRIS-T em um Gripen da Tailândia https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2019/12/cobra01.jpg Capacete Cobra com IHMD Fonte: blog Poder Aéreo 12 dez 2019
  3. Meus prezados Caças J-11 chineses venceram os Gripen tailandeses no dogfight Mas os Gripen da Tailândia venceram no combate BVR Uma palestra proferida na Universidade Politécnica do Noroeste da China em 9 de dezembro, o apresentador Li Zhonghua, que teria participado do Exercício Falcon Strike 2015 na Tailândia, mostrou slides com a pontuação durante cada dia do exercício. Durante o primeiro dia, os tailandeses voando o Saab JAS39C Gripen foram derrotados por 16-0 no dogfight pelos J-11 (Su-27SK) chineses. Em outro slide, embora os tailandeses tenham se saído muito mal no primeiro dia, os caças Gripen se saíram melhor na arena além do alcance visual (BVR), com mais kills no alcance além de 30 km. Houve lições importantes para o lado chinês. Um slide explica que os pilotos chineses tiveram pouca consciência situacional. Havia muito foco na frente da aeronave, e não em toda a volta. Houve uma falta de coordenação entre aeronaves atacantes e suas escoltas. Os pilotos não tinham experiência em evitar disparos de mísseis. Sua resposta foi muito mecânica e não puderam julgar corretamente as técnicas evasivas de mísseis de alcance diferente. Em combates aéreos em larga escala, os tailandeses conseguiram kills enquanto atuavam como atacantes derrubando os defensores chineses. Quando os atacantes era chineses, eles tiveram dificuldade em passar pelos defensores tailandeses. O único sucesso dos chineses ao atacar foi quando eles foram protegidos pelos Gripen, que foi um ataque de baixa altitude. Nos cenários 2 x 2, os chineses descobriram que foram pobres em julgar a ameaça e as ações evasivas foram insuficientes. O controle de tiro e a integração de armas do J-11 ainda eram inferiores aos do Saab Gripen. Apesar de dominarem a arena de dogfight, os chineses ainda aprenderam lições importantes com os tailandeses. Eles descobriram que, ao lidar com ataques tailandeses usando o Sol como cobertura, a estratégia dos chineses foi simplificada. Quando em uma posição vantajosa, os chineses estavam com pressa em obter vitória e caíram em armadilhas armadas pelos tailandeses. Fonte: alert5.com via blog Poder Aéreo 11 dez 2019
  4. Meus prezados A Boeing e a Bell Textron entregaram o primeiro Osprey MV-22 modificado ao Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos para melhorar a prontidão e a confiabilidade da frota de motores de tração. Os fuzileiros navais dos EUA têm várias configurações da aeronave MV-22 em serviço. No programa Configuração Comum - Prontidão e Modernização (CC-RAM), a Bell Boeing está reduzindo o número de configurações atualizando as aeronaves do bloco 'B' para a configuração atual do bloco 'C'. "Nossa primeira aeronave CC-RAM que retornou à Estação Aérea do Marine Corps em New River foi uma referência fundamental do programa", disse o coronel do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA Matthew Kelly, gerente de programa do V-22 Joint Program Office. "Estamos empolgados em ver as melhorias de capacidade, comunalidade e prontidão que essas aeronaves CC-RAM trazem para a frota como parte do programa de prontidão V-22 do Marine Corps". Como uma configuração de bloco 'B', este MV-22 foi originalmente entregue à frota em 2005. Em 2018, a aeronave voou da Estação Aérea Marine Corps New River para as instalações da Boeing Philadelphia para modernização. "Esse marco marca o início de uma evolução do Osprey", disse Kristin Houston, vice-presidente de Programas de Tiltrotor da Boeing e diretora do Programa Bell Boeing V-22, em um comunicado. "Através de um foco compartilhado em segurança e qualidade, a equipe da Bell Boeing está entregando aeronaves MV-22 modernizadas, prontas para atender nossas militares e mulheres dedicadas que confiam neste recurso essencial da aviação" A próxima entrega de CC-RAM está prevista para o início de 2020. "Estamos ansiosos para que as aeronaves do bloco MV-22 "B" restantes se juntem novamente à frota na configuração do bloco "C"", disse Kelly. Fonte: Fighter Jets World 12 dez 2019 Trad./adapt. jambock
  5. Meus prezados Piloto não qualificado, treinamento inadequado e manobra fora do padrão: dentro da investigação da colisão de reabastecimento no ar em 2018 que matou seis fuzileiros navais. Por: Shawn Snow e Todd South O gravador de dados de voz recuperado do Hercules KC-130J do Corpo de Fuzileiros Navais, com o indicativo Sumo 41, capturou uma última conversa antes de o reabastecedor aéreo colidir com um F / A-18 na costa do Japão nas primeiras horas da manhã de 6 de dezembro, 2018. "Eles vão queimar por nós dois de cada lado?", Diz a última transmissão do Sumo 41. “Cara, eu estava prestes a perguntar como eles podem fazer algo legal como costumávamos fazer? Ninguém faz mais essa #####. Nunca. Eu estou fodendo como eles. Animado ... o que você diz virar à esquerda para voltar para ah, na verdade isso é perfeito. 12 [Profano 12, o indicativo do F / A-18 acidentado] está cruzando o topo da esquerda para a direita. Oh..sheeiit .... o que eles vão fazer? Visual em um. Ai está." Somente o ruído do vento e o “hollering não descritivo” podem ser ouvidos no gravador após a transmissão, de acordo com uma investigação de comando obtida pelo Marine Corps Times no final de setembro. Um piloto inexperiente, não qualificado para o reabastecimento aéreo ar-noturno, e um oficial de sistemas de armas que mais tarde descobriu ter Ambien não autorizado e um remédio para resfriado sem receita em seu sistema, acabaram de bater com seu F / A-18 nas costas de um KC-130 durante um exercício noturno de treinamento de reabastecimento aéreo. O profano 11, o indicativo de chamada do segundo F / A-18 que participava do exercício, relataria assistir o Sumo-41 pegar fogo e voar de nariz nas nuvens. Tenente-coronel Kevin R. Herrmann, 38 anos, major James M. Brophy, 36 anos, sargento-mor. Máximo Alexander Flores, 27, cpl. William C. Ross, 21, e Cpl. Daniel E. Baker, 21 anos, tripulantes do KC-130J designado para o Esquadrão de Transporte Aéreo de Reabastecimento Marítimo 152, morreram na trágica colisão. O capitão Jahmar F. Resilard, 28 anos, piloto do F / A-18 acidentado, designado para o Esquadrão de Ataque de Caça Marítimo 242, também morreu no acidente. Seu oficial de sistemas de armas foi o único sobrevivente da colisão no ar. Uma investigação do Corpo de Fuzileiros Navais criticou um clima de comando não profissional que resultou em complacência e desrespeito aos regulamentos, falta de supervisão e falta de proficiência nas operações noturnas de reabastecimento do piloto do Hornet acidentado. O tenente-coronel James R. Compton, comandante do VMFA-242, foi demitido de seu cargo em abril, antes da conclusão da investigação, devido a "perda de confiança". O Corpo de Bombeiros disse que também demitiu o diretor executivo da VMFA-242, o oficial de operações e o oficial de segurança da aviação em abril. Resilard - cujo nome foi redigido na investigação, mas que havia sido identificado pelo Corpo como piloto do condenado F / A-18 - era um oficial "bem respeitado" e "trabalhador". Mas ele também classificou 133 dos 139 pilotos durante o treinamento F / A-18 no Esquadrão de Treinamento de Ataques Marítimos 101, de acordo com a investigação. Antes da colisão, ele voou 47 horas a menos do que as 60 horas exigidas pelo sistema de registro de prontidão e treinamento de aviação do Corpo, conhecido como Programa de Prontidão para Aviação de Marine Sierra Hotel ou M-SHARP. Ele tinha apenas 13 horas registradas. 6 de dezembro de 2018, foi a "primeira exposição de Resilard a um avião-tanque noturno desde seu treinamento inicial" em 7 de julho de 2017, detalhou a investigação. O capitão da Marinha não estava qualificado para o reabastecimento aéreo noturno no momento do acidente. Resilard e seu instrutor também haviam efetuado login incorretamente no sistema de treinamento e prontidão que a Resilard estava qualificado para reabastecimento ar-ar do sistema noturno, apesar de ter concluído apenas um dos seis contatos noturnos necessários com a cesta de combustível de um avião-tanque. A pressão para manter a prontidão e a proficiência tática para os pilotos no teatro do Comando Indo-Pacífico de alta ameaça poderia ter levado os oficiais do VMFA-242 a desviarem vários padrões de treinamento. Mas não parece que o VMFA-242 tenha sido ultrapassado. O VMFA-242 voou 28% abaixo da média de horas de voo F / A-18 do Corpo de Fuzileiros Navais no ano fiscal de 2018, de acordo com a investigação. “Se [Resilard] demonstrou proficiência em se ligar ao avião-tanque, provavelmente decidiu focar o tempo programado para o alcance / voo restante em outros objetivos importantes de treinamento. A realização de interceptações noturnas, por exemplo, pode ter sido um dos aspectos de treinamento que escolheu para priorizar o contato repetido com o cesto-tanque ”, disse um fuzileiro naval, cujo nome foi redigido, aos investigadores. Apesar de sua falta de qualificações e experiência, o líder de célula noturna do esquadrão e o piloto do Profane 11 solicitaram a Resilard e seu F / A-18 que fizesse um escalonamento “fora do padrão” do movimento esquerdo após a retirada do avião-tanque de reabastecimento. Resilard "não havia sido informado anteriormente de que ele assumiria essa posição fora do padrão", diz a investigação. Enquanto Resilard cruzava o Sumo 41 da esquerda para a direita após o reabastecimento, ele perdeu a consciência situacional e "abruptamente" corrigiu de volta para o avião-tanque, atingindo a porta traseira do KC-130J. Um movimento de escalonamento esquerdo após operações de reabastecimento não é uma manobra mais complicada, é apenas considerada fora do padrão,segundo o capitão Christopher Harrison, porta-voz da Marinha, esclarecido pelo “Marine Corps Times”. "Em termos leigos, o padrão é receber aeronaves que se movam da esquerda para a direita ao operar com o avião-tanque", disse Harrison. O esquadrão VMFA-242 também mostrou complacência e uma desconsideração geral por regulamentos e políticas. Uma mudança de horário de última hora no resumo do voo antes do trágico voo de dezembro, para acomodar operações noturnas de reabastecimento aéreo do sistema. Essa mudança de horário nunca foi aprovada pelo comandante do esquadrão. Além disso, o resumo do voo realizado pelo piloto do Profane 11,descrito como “ad-hoc” na investigação, não foi supervisionado por nenhuma liderança sênior do esquadrão e durou apenas dez minutos. "Todo mundo dispara uma mensagem para o doc e pedem ambien, ele está jogando duro", o oficial de sistemas de armas do Hornet caiu em um bate-papo on-line em 3 de dezembro de 2018. Um membro médico do VMFA-242 se recusou a dar qualquer estimulante aos tripulantes aéreos e citou em várias ocasiões em uma sala de bate-papo disponível para oficiais da unidade os vários procedimentos e regulamentos de treinamento e operação aérea naval e regulamentos relacionados ao uso de medicações para melhoria de desempenho. Ainda não está claro por que os pilotos não estavam autorizados a tomar o medicamento. O Corpo de Fuzileiros Navais disse que o único estimulante autorizado a ser utilizado pela tripulação aérea sem aprovação prévia é a cafeína. “Em casos raros, o médico do esquadrão pode prescrever auxílios para dormir para ajudar as tripulações a se ajustarem às mudanças nos horários de sono, mas esses e quaisquer outros medicamentos de venda livre ou medicamentos prescritos para incluir medicamentos para alergias, auxílios para dormir e outros medicamentos comuns. medicamentos domésticos, devem ser aprovados pelo médico do esquadrão e pelo comandante antes das operações de vôo ”, afirmou Harrison. O oficial comandante do VMFA-242 nunca aprovou o uso de estimulantes ou auxiliares do sono. O Hornet colidiu com o avião-tanque pouco depois das 13h30 do dia 6 de dezembro de 2018. Quase 31 aeronaves e 11 navios da Força de Autodefesa do Japão lançaram uma operação de busca e salvamento de várias semanas. Aproximadamente quatro horas depois de colidir com o oceano a quase 300 quilômetros da costa japonesa, o oficial de sistemas de armas do Profane 12 foi resgatado por um helicóptero SH-60 japonês. Resilard ficou vivo por quase nove horas na superfície do oceano, a 68 graus F (20ºC). O smartwatch Garmin Fenix 3 que ele usava registrava uma média de 86 batimentos por minuto até 11:30 da manhã. Uma autópsia mostrou que o Resilard sofreu múltiplas abrasões, contusões, sangramento cerebral e sinais de afogamento. O manual de Padronização de Treinamento e Procedimentos Operacionais da Aviação Naval recomenda “tornar obrigatório o uso de roupas anti-exposição quando a temperatura da água for de 50 ° F (10ºC) ou abaixo, ou quando a temperatura do ar externo for de 32 ° F (0ºC) ou abaixo (com base na temperatura corrigida pelo fator de resfriamento pelo vento ); no entanto, a decisão depende do comandante ou oficial encarregado da respectiva unidade voadora ”, disse Harrison. A água naquele dia estava a 68 graus F (20ºC), de acordo com a investigação, portanto o processo não era obrigatório. Desde o acidente, o Corps diz que a nova liderança do VMFA-242 conduziu três desvantagens de segurança, com ênfase nas instruções "de volta ao básico" e foco no profissionalismo e segurança. Operações complexas de vôo também foram temporariamente reduzidas e aumentaram os requisitos de supervisão e aprovações antes de todas as operações de vôo serem adicionadas, disseram oficiais Fuzileiros Navais ao Corpo de Fuzileiros Navais. O oficial de segurança de armas da Profane 12 recebeu ação administrativa adversa, de acordo com o Corpo, mas não disse o porquê. O Corpo disse que "falhou nas responsabilidades a sua tripulação". "As muitas descobertas da investigação reafirmam nossa necessidade de avaliar constantemente os riscos, identificar condições inseguras e garantir que os controles internos sejam seguidos", disse o Corpo de Fuzileiros Navais em comunicado à imprensa na segunda-feira. "Todos devemos aprender com essas falhas e não repeti-las." Fonte: Fighter Jets World set 2019 Trad./adapt. jambock
  6. Meus prezados Avião soviético entrega helicópteros americanos para indianos Antonov An-124 transporta quatro helicópteros Apache para a Índia Aeronaves de ataque fazem parte de uma encomenda realizada pela força aérea indiana que já recebeu 12 exemplares Antonov Airlines transportou quatro helicópteros AH-64E Apache dos Estados Unidos para a Índia Em parceria com a Boeing a Antonov Airlines transportou quatro helicópteros militares Apache AH-64E, de Phoenix, nos Estados Unidos, para a base aérea de Hindan, próximo a Nova Deli na Índia. Um Antonov 124 transportou os helicópteros, que tinham uma carga útil total de 39 toneladas, incluindo suas pás do rotor desmontadas. O emprego do gigante cargueiro se deu pelo volume total dos helicópteros, que exigem um amplo espaço interno para serem armazenados juntamente com seus suportes e sistemas de transporte. “Nós trabalhamos na melhor maneira de usar o espaço disponível durante o carregamento para transportar a carga com segurança”, comentou Amnon Ehrlich, diretor comercial da Antonov Airlines nos Estados Unidos. Os engenheiros da Boeing e da Antonov comemoraram o sucesso da missão durante o carregamento. “A equipe da Antonov Airlines respondeu à altura, e estava disposta a cumprir os prazos enquanto solicitava as complexas autorizações de sobrevoo necessárias para cargas militares”, afirmou Jon Roland gerente de programas da Boeing. “A Antonov fez uma parceria conosco para garantir a liberação e as permissões necessárias, criando um ambiente cooperativo para garantir a entrega sem problemas”. Os AH-64E serão utilizados pela força aérea da Índia (IAF), que recebeu o primeiro lote de helicópteros em meados de julho. Os indianos têm ampliado os investimentos em defesa, adquirindo novos meios militares de diversos países. Atualmente a IAF já recebeu doze unidades do Apache. Fonte: Aeromagazine 10 dez 2019
  7. Reparaste no capacete de couro dos pilotos?
  8. Meus prezados Meteoros sobre o Rio! Pilotados por veteranos da 2ª Guerra Mundial sobre o Rio de Janeiro em 1955. Vídeo raríssimo da TV Tupi (narração do icônico Jatobá), os F.8 e F.7 sendo pilotados por pilotos veteranos do 1º GAvCA que lutaram na Itália. Fonte: Roberto Caiafa
  9. Meus prezados SAAB entrega instalação móvel de manutenção para Hungria AAB entrega instalação móvel de manutenção para Hungria A SAAB entregou uma Instalação Móvel de Manutenção (DAM) para a Força Aérea Húngara. Trata-se de uma solução móvel que oferece capacidade excepcional de manutenção de aeronaves e outros veículos, além de proteção superior. A entrega é resultado de um contrato firmado entre a SAAB e o Ministério da Defesa da Hungria em dezembro de 2018. A DAM fornece recursos equivalentes aos da infraestrutura fixa de manutenção. A entrega oficial aconteceu durante uma cerimônia na cidade de Pápa, na Hungria, no dia 5 de dezembro. “É um marco importante para SAAB, pois trata-se do primeiro pedido de uma solução DAM completa. É a prova da nossa capacidade contínua de entregar soluções de suporte que permitem que as forças aéreas combinem disponibilidade operacional com eficiência em custos”, afirma Ellen Molin, vice-presidente sênior e head da área de negócios de Support and Services da SAAB. A Força Aérea Húngara, atualmente, opera 14 caças Gripen C/D em um contrato de arrendamento com o governo da Suécia. A DAM fornecerá um nível superior de flexibilidade e proteção da referida frota Gripen, além de reduzir a dependência de infraestruturas fixas de manutenção. Essa solução pode ser rapidamente movida, permitindo a sustentação de operações autossuficientes por períodos prolongados, em qualquer localização, dentro ou fora do país. Fonte: Defesanet 11 dez 2019
  10. Meus prezados Foto da aeronave FAC 990 desaparecida. A pequena aeronave, parcialmente coberta, é uma Vulcanair P68 Observer 2, das quais a Marinha Chilena possui sete unidades.
  11. Meus prezados Qual vantagem eu obteria se colocasse uma hélice de três (ou quatro) pás em um Cessna 172 Skyhawk?
  12. Meus prezados WORLD EXCLUSIVE Saudia B787-9 ULTIMATE COCKPIT MOVIE: Patrick discovers long hidden world [AirClips]
  13. Meus prezados Força Aérea Chilena C-130H Hércules com 38 pessoas a bordo desaparecidas a caminho da Antártica Um Lockheed C-130H Hércules do Grupo de Aviação Aérea Nº 10 da Fuerza Aérea do Chile está ausente perto da Antártida após o contato do radar ter sido perdido pelo ATC às 18:13 LT. Existem 38 POB. O avião de carga, identificado como um Hércules C130, partiu da cidade de Punta Arenas, no sul, às 16h55. hora local (1955 GMT). Os operadores perderam contato com a aeronave pouco mais de uma hora depois. “O C-130H, serial relatado como 990 (número da construção 4776, e ex-marinha americana KC-130R 160628 que foi fornecida ao Chile em julho de 1995), levou o pessoal a verificar uma linha de suprimento de combustível flutuante e outros equipamentos no Chile. base." O avião desapareceu do radar e uma operação de busca e salvamento foi lançada. A força aérea postou um mapa no Twitter mostrando a localização aproximada do avião antes de desaparecer. Fonte: Fighter Jets World 10 dez 2019 Trad./adapt. jambock A Força Aérea Brasileira está enviando um P-3 Orion e um C-295 SAR A Marinha do Brasil está enviando o Navio Polar (NPo) Almirante Maximiano (H-41)
  14. ´Meus prezados Uma aeronave C-130 Hercules, da Força Aérea do Chile, decolou da Base de Punta Arenas, com 38 pax dia 9/12 às 16:55 (hora local) rumo a base antártida, onde deveria chegar às 18:30, mas após uma hora de voo perdeu contato com o controle de voo. Fonte: GNEWS - Jornal da meia-noite 9 dez 2019
  15. Meus prezados Polícia Civil de Rondônia, DECO/MS e ANAC fazem operação naquele Estado Empresa e funcionários alvos da operação. A Polícia Civil de Rondônia, através da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas – DRACO, deu início ao cumprimento de mandados de busca e apreensão, na sede da empresa RIMA – Rio Madeira Táxi Aéreo, bem como na residência de funcionários da empresa, inaugurando a fase ostensiva da “Operação Mendaz”. A operação é conjunta com policiais civis da DECO/MS – Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado, de Mato Grosso do Sul, hoje referência em investigação e apuração de situações envolvendo segurança de voos, fraudes em procedimentos aeronáuticos e acidentes na aviação e ANAC, a Agência Nacional de Avião Civil. Até o começo da noite de ontem, estavam cumpridos mandados de busca e apreensão, com objetivo de encontrarem material para subsidiar a investigação de falsidade ideológica e outras fraudes nos diários de bordo das aeronaves da empresa – além, de outras irregularidades administrativas. A ação desta é resultado da investigação materializada em inquérito da DRACO, de 2017, que teve início a partir da apreensão de materiais que ocorreu no cumprimento das medidas cautelares exauridas na operação Pouso Forçado em abril do corrente ano. Ao analisar os documentos apreendidos os policiais civis encontraram fotocópias de páginas de diários de bordo, as quais, cotejadas com as páginas originais, indicavam adulterações nas horas de voo. De acordo com a polícia, a normativa que regula o preenchimento dos diários é taxativa quanto à imprescindibilidade das informações e dados referente aos voos e jornada de número de horas e ciclos para a manutenção e inspeção das aeronaves. As informações fidedignas sobre o lançamento de horas e ciclos no Diário de Bordo, mantêm a condição de navegabilidade das aeronaves, de forma que o retardo em suas manutenções faz com que fujam da inspeção no tempo devido e naveguem em condições não seguras. A investigação ainda busca identificar os responsáveis pela adulteração em livros de diários de bordo, bem como verificar outras possíveis falsidades e fraudes perpetradas pelos servidores e responsáveis da empresa. Com o material apreendido, a ANAC, na seara administrativa e a Polícia Judiciária, por meio dos peritos criminais – poderão confrontar as informações prestadas nos documentos apreendidos. Nome da operação O adjetivo MENDAZ em um de seus significados é mentiroso ou falso, o que remete às informações lançadas em livros Diários de Bordo apreendidos. Fonte: PC/RO-TudoRondônia via TMS 2 out 2019
  16. Meus prezados Ala 10 realiza cerimônia de encerramento do Programa de Especialização Operacional Durante a solenidade foram entregues os Distintivos Operacionais aos 82 formandos das diversas aviações Tenente Elias e Tenente-coronel Santana | Publicada em 06/12/2019 06:25 A Ala 10, localizada em Parnamirim, região metropolitana de Natal (RN), realizou, nesta quinta-feira (05), a cerimônia militar alusiva ao encerramento do Programa de Especialização Operacional (PESOP) 2019. A solenidade foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, e contou com a presença do Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Egito do Amaral; do Major-Brigadeiro José Maria Custódio de Mendonça; do Major-Brigadeiro Wilmar Terroso Freitas; do Major-Brigadeiro Antonio Guilherme Telles Ribeiro; do Subchefe de Avaliação e Doutrina do Comando de Preparo (COMPREP), Brigadeiro do Ar Sergio Barros de Oliveira; do Subchefe de Planejamento, Orçamento e Gestão Institucionais do COMPREP, Brigadeiro do Ar Adriano Beraldo Andrade; do Subdiretor de Contratos e Convênios da Diretoria de Economia e Finanças da Aeronáutica, Brigadeiro do Ar Edson Fernando da Costa Guimarães; do Brigadeiro Francisco Rosenélio de Carvalho; do Brigadeiro Cláudio Alves da Silva; do Brigadeiro Carlos Eduardo da Costa Almeida; de Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares; e do Graduado Master da Guarnição de Natal, Suboficial Bruno Eduardo de Araujo Vitor. "Esta cerimônia marca o início da carreira operacional desses novos pilotos da Força Aérea Brasileira. A partir de agora, eles atuarão nos diversos Esquadrões Aéreos, onde terão a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos e elevar suas qualificações profissionais. Assim, parabenizo a todos por mais esta conquista e desejo sucesso nessa nova fase que se inicia", destacou o Comandante da Aeronáutica. O Comandante da Ala 10, Brigadeiro do Ar Marcelo Fornasiari Rivero, destacou que, após a sua formação na AFA, os pilotos passam a adquirir mais competências, habilidades e conhecimentos técnicos para desempenhar as atividades de combate. "Mais uma vez a Ala 10 coloca sua vocação de combate, formando novos Oficiais para uma Força Aérea em franco crescimento e desenvolvimento de novos projetos", ressalta. Durante a cerimônia, ocorreu a entrega dos prêmios aos Instrutores e Estagiários Padrão 2019. O prêmio é um reconhecimento aos militares que se destacaram durante o curso. O Capitão Aviador Francisco Samir Araujo Boto, do Primeiro Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação, foi um dos agraciados como Instrutor Padrão 2019. "Receber essa honraria é uma emoção muito grande e traz a sensação de dever cumprido", declarou. Já o Tenente Diego Jonatan Bertolo foi um dos agraciados com o prêmio de Estagiário Padrão 2019. "Para mim, é muito bom ter recebido esse prêmio, principalmente pelo reconhecimento de todo esforço e por poder representar os meus amigos que estiveram comigo em todo o curso de especialização", ressaltou. Também foram entregues os Distintivos Operacionais aos 82 formandos nas Aviações de Asas Rotativas; Caça; Transporte; e IVR: Inteligência, Vigilância e Reconhecimento, que prestaram o Juramento do Piloto de Combate. Em seguida, a tropa desfilou em continência ao Comandante da Aeronáutica. PESOP O PESOP tem por objetivo a qualificação operacional do Estagiário para que ele exerça as funções administrativas e operacionais inerentes aos primeiros postos da carreira. O Programa é composto pelo Curso de Tática Aérea, ministrado pelo Grupo de Instrução Tática e Especializada (GITE); pelo Curso de Especialização Operacional; e pelo Estágio Funcional, realizados no âmbito dos Esquadrões Aéreos da Ala 10. A qualificação obtida com a conclusão do programa é o passo inicial na carreira do Oficial Aviador. Os novos pilotos seguem, agora, para as Unidades Aéreas operacionais do Comando de Preparo, em todo o país. Fonte: Defesanet via CECOMSAER 7 dez 2019
  17. Meus prezados Exército Brasileiro aprova compra de aviões C-23B Sherpa Confirmação libera a Aviação do Exército a iniciar a escolha e formação de futuros pilotos O Alto Comando do Exército Brasileiro (EB) aprovou nesta semana a aquisição de aeronaves de transporte Short C-23B Sherpa de estoques da Guarda Nacional dos EUA. Com a confirmação, a Aviação do Exército (AvEx) pode iniciar a escolha e formação dos futuros pilotos. As negociações para a compra dos aviões haviam sido iniciadas em 2017. O programa vai exigir um investimento aproximado de US$ 18 milhões para recolocar as aeronaves em condições de voo. O EB vai adquirir oito unidades do C-23B, dos quais seis terão capacidade operacionais e as outras duas servirão como fonte de reposição de peças. A entrega do primeiro avião é prevista para o primeiro semestre de 2021. Os Sherpa serão operados pelo 4º Batalhão de Aviação do Exército (4° BavEx), baseado em Manaus (AM). A chegada dos aviões também exigir a construção de um novo hangar na sede do 4° BavEx com capacidade para o manejo de cargas e embarque nos bimotores turbo-hélice. O objetivo do EB é utilizar seus próprios aviões no transporte logístico na região Amazônica e assim obter independência da Força Aérea Brasileira (FAB), que hoje faz esse trabalho. Sem grandes recursos, a Exército optou por comprar aviões usados, fabricados há mais de três décadas, porém, tendo à frente cerca de 15 anos de vida útil. As outras opções analisadas pelo país eram aviões novos como o Airbus C-212 (antigo CASA C-212), DHC-6 Twin Otter, Cessna Grand Caravan e o polonês PZL M-28. Já os Sherpa utilizados pelos americanos eram aviões de uso civil convertidos no final da década de 90 para a versão C-23B e que foram utilizados pela guarda nacional dos EUA até 2014, quando foram desmontados e estocados. A ideia dos americanos, inclusive, era repassar 15 unidades, mas o Exército Brasileiro preferiu ter menos aeronaves a fim de preparar toda uma infraestrutura aérea antes de pensar na expansão da sua atuação. Ainda não se sabe se os aviões precisarão de algum tipo de modernização ou adaptação para suas funções no Brasil. O interesse do Exército em voltar a ter seus próprios aviões é antigo e só não ocorreu antes porque a FAB detinha a exclusividade de operação de qualquer tipo de aeronave em ambiente terrestre até 1986. Foi quando o governo brasileiro decidiu permitir que o Exército pudesse operar helicópteros – a Marinha já havia obtido esse direito em 1965 e, mais tarde, em 1998, passou a ter seus aviões de asa fixa, o AF-1 Skyhawk, adquiridos para uso a bordo do porta-aviões São Paulo, hoje desativado. Ex-Bombardier O Sherpa é uma versão militar do avião de passageiros Short 360 criado pela fabricante Short Brothers da Irlanda do Norte em 1981. Foram produzidos pouco mais de 160 aeronaves até 1991 quando a fabricação foi encerrada. Ele pode transportar até 20 passageiros ou cerca de 4 toneladas de carga. Embora tenha uma capacidade de transporte de passageiros semelhante a do Embraer Bandeirante, o avião irlandês tem uma configuração mais adequada ao transporte militar, com asas altas e uma porta de carga traseira de grande área. Sua fuselagem retangular e mais volumosa também favorece essa atuação cargueira. Em 1989, a Short Brothers foi adquirida pela canadense Bombardier e neste ano a unidade foi vendida ao grupo norte-americano Spirit Aerosystems. Fonte: Thiago Vinholes para Airway via CECOMSAER 8 dez 2019
  18. Sentando a púa com o Brigadeiro Rui Moreira LIma Sentando a púa com o Brigadeiro Rui Moreira Lima – parte 2 Fonte: blog Sala de Guerra
  19. Meus prezados Defesas aéreas russas derrubam drones americanos sobre a Líbia: relatório militar dos EUA De acordo com o relatório da Reuters, as forças armadas dos EUA acreditam que as aeronaves desarmadas pilotadas remotamente (RPA) do Comando Africano dos EUA informaram que perderam uma unidade em Tripoli, na Líbia, em 21 de novembro que, na verdade, foi derrubado pelas defesas aéreas russas e está exigindo o retorno dos destroços da aeronave. O general de exército dos EUA, Stephen Townsend, que lidera o comando da África, disse acreditar que os operadores das defesas aéreas na época "não sabiam que era a aeronave pilotada remotamente pelos EUA quando atiraram nela". “Mas eles certamente sabem a quem pertence agora e estão se recusando a devolvê-lo. Eles dizem que não sabem onde está, mas eu não estou comprando ”, disse Townsend à Reuters em comunicado, sem dar detalhes. A avaliação dos EUA, que não foi divulgada anteriormente, conclui que os prestadores de serviços militares privados russos ou o chamado Exército Nacional da Líbia de Haftar estavam operando as defesas aéreas no momento em que o drone foi perdido em 21 de novembro, disse o porta-voz do Comando da África da Força Aérea Coronel Christopher Karns. Karns disse que os Estados Unidos acreditam que os operadores de defesa aérea dispararam contra a aeronave americana depois de "confundi-la com uma aeronave de oposição". Uma autoridade do governo do Acordo Nacional da Líbia (GNA), reconhecido internacionalmente, disse à Reuters que os mercenários russos pareciam ser responsáveis. As autoridades russas negam o uso de prestadores de serviços militares em qualquer teatro militar estrangeiro e dizem que quaisquer civis russos que possam estar lutando no exterior são voluntários. O LNA nega que tenha apoio estrangeiro. Tal ataque reforçaria o papel cada vez mais forte de Moscou na nação rica em energia, onde mercenários russos estão intervindo em nome do comandante oriental da Líbia Khalifa Haftar na guerra civil da Líbia. Fonte: Fighter Jets World 7 dez 2019
  20. Meus prezados Defesas aéreas russas derrubam drones americanos sobre a Líbia: relatório militar dos EUA De acordo com o relatório da Reuters, as forças armadas dos EUA acreditam que as aeronaves desarmadas pilotadas remotamente (RPA) do Comando Africano dos EUA informaram que perderam uma unidade em Tripoli, na Líbia, em 21 de novembro que, na verdade, foi derrubado pelas defesas aéreas russas e está exigindo o retorno dos destroços da aeronave. O general de exército dos EUA, Stephen Townsend, que lidera o comando da África, disse acreditar que os operadores das defesas aéreas na época "não sabiam que era a aeronave pilotada remotamente pelos EUA quando atiraram nela". “Mas eles certamente sabem a quem pertence agora e estão se recusando a devolvê-lo. Eles dizem que não sabem onde está, mas eu não estou comprando ”, disse Townsend à Reuters em comunicado, sem dar detalhes. A avaliação dos EUA, que não foi divulgada anteriormente, conclui que os prestadores de serviços militares privados russos ou o chamado Exército Nacional da Líbia de Haftar estavam operando as defesas aéreas no momento em que o drone foi perdido em 21 de novembro, disse o porta-voz do Comando da África da Força Aérea Coronel Christopher Karns. Karns disse que os Estados Unidos acreditam que os operadores de defesa aérea dispararam contra a aeronave americana depois de "confundi-la com uma aeronave de oposição". Uma autoridade do governo do Acordo Nacional da Líbia (GNA), reconhecido internacionalmente, disse à Reuters que os mercenários russos pareciam ser responsáveis. As autoridades russas negam o uso de prestadores de serviços militares em qualquer teatro militar estrangeiro e dizem que quaisquer civis russos que possam estar lutando no exterior são voluntários. O LNA nega que tenha apoio estrangeiro. Tal ataque reforçaria o papel cada vez mais forte de Moscou na nação rica em energia, onde mercenários russos estão intervindo em nome do comandante oriental da Líbia Khalifa Haftar na guerra civil da Líbia. Fonte: Fighter Jets World 7 dez 2019
  21. Meus prezados Live do Caiafa sobre o Sherpa
  22. Meus prezados Esta história de incentivo... O BNDES concedia vultosos empréstimos, a juros subsidiados, exigindo criação de empregos que, na realidade, limitavam-se a pífios números. Um colega falou sobre ICMS no combustível. Já viram o imposto sobre medicamentos?
  23. Meus prezados Torcedor voando QATAR GIG-DOH-GIG gastará, só em passagens, R$ 17.000,07 na econômica (a mais econômica), além da estadia e alimentação.
  24. Meus prezados JetSmart anuncia compra da Norwegian Argentina JetSmart opera aeronaves Airbus 320 A JetSmart Airlines acaba de anunciar a aquisição da Norwegian Air Argentina, subsidiária da Norwegian Air Shuttle. De acordo com o comunicado oficial, a "ultra low cost" chilena pertencente ao fundo de investimento Indigo Partners operará a rede de rotas companhia recém-adquirida a partir do Aeroporto Jorge Newbery, em Buenos Aires, enquanto seus voos serão mantidos em El Palomar, também na capital argentina. "Estamos muito entusiasmados com a oportunidade de combinar as operações da Norwegian Argentina com as da JetSmart. Nossa empresa tem um compromisso de longo prazo com a Argentina como mercado chave em nossa visão de nos tornarmos a companhia aérea ultra low cost líder na América do Sul. Com esta transação, continuaremos oferecendo viagens aéreas acessíveis aos nossos clientes, tanto a partir do Aeroparque como de El Palomar”, declarou o CEO da JetSmart, Estuardo Ortiz Aeronaves Boeing 737 da Norwegian serão substituídas “O modelo de negócios da JetSmart foi desenhado para garantir eficiência e segurança com baixos custos operacionais, o que nos permite oferecer passagens mais acessíveis aos passageiros. Não se trata apenas de tarifas baixas, mas sim de um modelo no qual o passageiro paga apenas pelo que quer usar e nada mais”, acrescentou Ortiz. FROTAS DE BOEING E AIRBUS Segundo o anúncio, os Boeing 737 da Norwegian Argentina continuarão operando por mais alguns meses, quando serão substituídos pelos Airbus A320 utilizados pela JetSmart. As passagens aéreas da subsidiária continuarão a ser comercializadas até 29 de março. A partir da data, as compras deverão ser realizadas pelo site da JetSmart. VOOS AO BRASIL A JetSmart voará ao Brasil ligando Santiago a Salvador, Foz do Iguaçu (PR) e São Paulo a partir do fim deste mês. Já a Norwegian Argentina, embora já tenha flertado com voos ao País, por ora só opera voos domésticos. Fonte: Marcel Buono para site PANROTAS 4 dez 2019
×
×
  • Create New...