Jump to content

Galeão-Cumbica

Acionistas
  • Content Count

    4,466
  • Joined

About Galeão-Cumbica

  • Rank
    Vulgo GIG-GRU

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    RJ - SP / Brasil

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Rio de Janeiro

Recent Profile Visitors

1,288 profile views
  1. A operação de pouso dele pela 09R começou em 01/05, com as primeiras 10 operações assistidas/coordenadas entre ACC-BS, ACC-CW, APP-SP e TWR-GR para aplicação de separações maiores para os tráfegos que vinham atrás. Além de testes do tempo de utilização da pista após pouso, a separação servia para dar tempo de fazer inspeção de F.O.D. sem implicar em esperas dentro da TMA-SP. Já o tratoramento até o gate, realmente curioso. Deve ter chegado cansado de viagem e empacado..
  2. Um detalhe que pode passar despercebido: Oman não rompeu relações com o Catar. A maneira mais rápida e fácil de fazer um DXB-DOH é com conexão em MCT
  3. Crash: Laser Colombia DC3 near Villavicencio on Mar 9th 2019, lost height on approach By Simon Hradecky, created Saturday, Mar 9th 2019 22:17Z, last updated Sunday, Mar 10th 2019 01:10Z A Laser Aereo Colombia Douglas DC-3, registration HK-2494 performing a flight from San Jose del Guaviare to Villavicencio (Colombia) with 14 people on board, was on approach to Villavicencio when the crew declared emergency at 10:40L (15:40Z), the aircraft subsequently lost height and impacted ground at La Bendicion and burst into flames. All occupants perished in the accident. Colombia's DGCA reported no survivors were found, the aircraft carried 12 people. The crew had declared emergency while on approach to Villavicencia, the wreckage was found in the village of La Bendicion near Villavicencio (editorial note: located about 2.2nm south of the aerodrome). Later the DGCA published a list of 14 occupants. Media in Colombia also mention the village of San Martin as location of a Finca La Bendicion. Three such fincas/farms can be found, the closest to the village of San Martin is 25nm south of the aerodrome, another 21 and the third 19nm south of the aerodrome. Fonte (e mais infos/fotos): http://avherald.com/h?article=4c52f8b2&opt=0
  4. Aquela tag de última hora que é presa na mala com um elástico de nariz de palhaço (ou de chapeuzinho de festa de criança) que arrebenta com um susto? Isso é uma fábrica de bagagem perdida. Fora o óbvio problema de peso e balanceamento. O voo é encerrado e despachado pelo DOV com um peso e meio voo resolve despachar bagagens de 10, 15kg no portão ("pq é de graça") e esse peso fatalmente não é inserido no sistema a tempo de uma corretiva. Bem bacana quando isso virar febre e tivermos variações de quase tonelada pra cima..
  5. A ideia deve mesmo ser essa de aumentar a capacidade horária de GRU, mas há de se considerar que o pico da manhã é historicamente IMC. E o procedimento novo só estará em vigor quando em VMC. Posso estar errado e queimar a língua, mas não imagino que seja prudente usar o ganho de capacidade pra aumentar slots, por exemplo, no período entre 4h e 8h da manhã. Quem opera em GRU nesse horário, principalmente a partir das 6h da manhã, sabe que é quase certeza dar uma voltinha pra entrar no sequenciamento. E essas esperas não necessariamente tem a ver com meteorologia.
  6. Aí o finalzinho da reportagem que dá uma pincelada... "funcionários também devem ser beneficiados". Os caras pensando em bagageiro, espaço pra bagagem, blá blá blá e etc. Ok, até precisa disso. Mas eu não vejo um único governante fazendo uma obra de transporte em qualquer aeroporto do país falando que vai beneficiar funcionário. Quem enche transporte público pra aeroporto no Brasil é peão. Trem de GRU, Monotrilho de CGH, BRT do GIG, VLT do SDU, tudo vai ser sustentado basicamente pela comunidade de funcionários desses aeroportos. Uma porcentagem bem mínima é de passageiros.
  7. Li, reli e há pouco recebi por e-mail de um colega de trabalho e li pela terceira vez. Incansável leitura, dá vontade de continuar lendo, de juntar uns amigos e ficar até longa madrugada ouvindo e contando mais histórias de aviação dourada como essa. A Cruzeiro é algo de muito especial na minha vida. Nunca voei na Cruzeiro, nunca nem estive dentro ou perto (terraço de aeroporto não conta) de um avião da Cruzeiro. Meu avô, uns tios e meu pai foram funcionários de terra da Cruzeiro em Boa Vista e, depois, no Rio. Meu pai, agora publicitário, conta até hoje histórias dessa "família", coisas deliciosas de se ouvir, relatos emocionados de uma época que nunca vai voltar... ele saiu da Cruzeiro e da aviação antes da fusão com a Varig. Cansou, saiu fora, mas tem saudades. Nasci depois disso, nunca nem vi meu pai indo pro aeroporto pra trabalhar, só pra viajar. E agora só tem uma explicação pra minha paixão pela aviação: DNA. E a Cruzeiro é a responsável por isso.
×
×
  • Create New...