Jump to content

Hélio Freitas

Usuários
  • Content Count

    417
  • Joined

  • Last visited

About Hélio Freitas

  • Birthday 01/03/1979

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    São Paulo - SP - Brasil
  • Data de Nascimento
    03/01/1979

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    São Paulo - SP - Brasil
  1. Olha, pra quem viaja com crianças pequenas isso ficou bem complicado. Com a antiga franquia já não era fácil, agora então... Eu nunca viajei de avião com minha filha, desde que ela nasceu nós priorizamos viagens de carro. Nessas viagens, eu e minha esposa dividimos uma mala. Todo o resto do porta-malas é ocupado pelas coisas necessárias para a pequena não passar perrengue na viagem (você nunca vai levar só roupa de calor ou só roupa de frio para uma criança, por exemplo, mesmo num simples passeio você acaba levando os dois tipos numa mochila).
  2. Fato... muita gente usa essa linha para integrar com os terminais de ônibus urbanos de Guarulhos. A rodoviária na estação CECAP e o Terminal Taboão na estação Aeroporto. Uma estação no T2 seria de fato uma mão na roda, de preferência conectada às Asas C/D ou eventualmente interligada à passarela que liga o T2 ao T3 (tem uma grande área disponível ali, usada como estacionamento pelos controladores de voo).
  3. Lipe, é necessário pontuar algumas coisas sobre a L13 e seus impactos nas linhas do entorno (L11 e L12). Até o começo dos anos 80, o trecho entre Roosevelt e Engenheiro Gualberto da linha da Central do Brasil em SP tinha apenas um par de vias operacionais. Para ampliar a capacidade, quando construíram as estações Bresser e Belém do metrô demoliram as antigas estações Engenheiro São Paulo e Clemente Falcão, e refizeram as estações Catiguá e Engenheiro Sebastião Gualberto (a última antes da bifurcação das linhas da Central). Antes da quadruplicação da linha, os trens da Variante Leste (atual L12) que vinham no sentido do Brás precisavam aguardar sinalização para cruzar a via sentido Estudantes da Leste Tronco (atual L11) e entrar na via sentido Brás desta linha. Com a implantação das quatro vias, esse problema deixou de existir. Hoje é a L13 que sofre desse mal de cruzamento de vias. Os trens que vêm do aeroporto chegam até Engenheiro Goulart em vias exclusivas. Desse ponto em diante, tanto o Connect quanto o Express precisam aguardar sinalização para cruzar a via sentido Calmon Viana da L12 e depois entrar na via sentido Brás dessa mesma linha (ou seja, duas transposições de via sendo que na primeira o sentido de circulação é oposto ao seu). Para o Connect o transtorno para por aí, mas o Express precisa encarar mais algumas transposições de via para chegar até a Luz: entre Tatuapé e Brás ele precisa sair da via sentido Brás da L12, cruzar a linha sentido Estudantes da L11 para entrar na via sentido Brás da L11, a única que permite acessar o desvio no interior da estação Brás que interliga as linhas da Central e da Santos-Jundiaí. Uma vez que saiu da estação Brás sentido Luz, precisa cruzar a via sentido Estudantes outra vez para acessar a via que dá acesso à Plataforma 5 da Estação da Luz. No sentido contrário não há problemas na Luz e nem em Engenheiro Goulart, já que os trens já estão do lado "certo" da via, mas os trens do Express precisam fazer dois cruzamentos de via na saída do Brás: deixar a L11 sentido Estudantes, entrar na L12 sentido Brás e finalmente entrar na L12 sentido Calmon Viana. Resumindo... esses serviços Express e Connect "mataram" o carrossel de trens da L12 e prejudicaram o da L11. Se era para ser assim, tinham que ter pensando em um sistema de passagem inferior/viaduto para que os trens pudessem fazer as transposições sem ter que invadir uma via com trens em sentido contrário. A própria CPTM já tem isso entre L8 e L9 em Presidente Altino e a L1 do Metrô tem isso na estação Paraíso (era para o "rabicho Moema" que existia no projeto original, mas não foi para a frente e virou a atual L5 do Metrô).
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade