Jump to content

EMB195ER

Usuários
  • Content Count

    338
  • Joined

  • Last visited

About EMB195ER

  • Birthday 02/05/1975

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Londres/UK
  • Data de Nascimento
    06/02/1975

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Londres
  • Interests
    Aviação Civil

Contact Methods

  • Website URL
    http://www.turningleftforless.com.br
  1. E eles vivem fazendo promoção na classe executiva para o Brasil. Hoje mesmo publiquei no blog uma tarifa de £1050 libras de Genebra para São Paulo via Madri ou Londres. Isso é bem barato para valores da Suíça. Nesse ano já teve promoção em executiva de Lisboa, Porto, Amsterdã, Roma e Milão. Acho que não estão conseguindo encher a executiva. Isso sem falar as promoções para os Estados Undos. E estão com uma outra para Johanesburgo também. Interessante que quando se olha a concorrência, não se vê tanta promoção. Será que tem a ver com o produto LATAM?
  2. Existem dois fatores que influenciam o preço das passagens saindo de Londres: 1 - A taxa de embarque cobrada é ridiculamente cara. Por exemplo, para um voo intercontinental em classe executiva o passageiro paga £150 libras de imposto para o governo britânico. 2 - LHR é um dos aeroportos mais caros para se operar, daí as empresas repassam os custos para as passagens. Então eu não acredito que a entrada de outras empresas na rota LHR-BRA baixaria o preço dos bilhetes. Claro que existe a possibilidade de se voar de outros aeroportos que não seja LHR, mas aí já acho que não seja viável e a única exceção é Gatwick, claro!
  3. Eu estive em Lisboa tem umas três semanas e fiquei impressionado com a quantidade de americanos visitando a cidade. Acredito que as novas rotas da TAP e o programa de stopover gratuito são os principais responsáveis por isso.
  4. Interessante! Uma pergunta aos experts: será que com isso teremos mais slots disponíveis nos horários de pico?
  5. Observe que o texto diz que a imposição do CADE é que sejam criadas duas novas rotas para a Europa e APENAS UMA delas seja for a do eixo Rio-São Paulo.
  6. Com certeza boa notícia para a LATAM! Já para os passageiros, não estou tão seguro em termos de preços dos bilhetes.
  7. Concordo com você. Porém, o que fiz algumas vezes foi ir de premium para os Estados Unidos, por ser voo diurno, e voltar de business por ser noturno.
  8. Realmente uma das cabines mais lucrativas. Na British Airways, por exemplo, é difícil conseguir emitir bilhetes com avios na premium economy, o que mostra o quão lucrativo e disputada essa cabine é.
  9. Estou 100% de acordo com o que o colega A345 disse acima! Agora o triste é ver um veículo de comunicação como o PANROTAS, que tem foco na indústria de viagens e portanto deveria conhecer bem as coisas, publicar uma matéria superficial como essa.
  10. Tenho visto todo esse movimento na Argentina e fico me perguntando se eu estou deixando passar algo, pois: 01 - O peso derreteu, o que faz com que muitos argentinos pensem duas vezes antes de viajar para outro país. 02 - O mercado Argentino não é tão grande assim para justificar a abertura de tantas rotas assim. Sei não, ou é fogo de palha, ou vamos assistir múltiplas falências no próximo ano. Mas ... eu posso estar completamente enganado, claro!
  11. Mas eu estava me referindo a Brasil - Europa e vice-versa! Me perdi agora. Acho que vou ler desde o começo de novo!
  12. Sempre me pareceu um "acordo de cavalheiros que não se discute". Hoje em dia, qualquer coisa que custe €1,500 ou menos já é um excelente negócio, ao passo que para a Ásia não é difícil achar bilhetes por menos de €1,200 para rotas com distância semelhante ao Brasil. Recentemente a LH/LX começaram a fazer umas campanhas (já rolou duas vezes) onde dois passageiros viajando juntos pagariam €1,500/pessoa. O que é uma sacada boa, pois tem um preço mais sensato e ao mesmo tempo não impacta o mercado corporativo, pois quem viaja a trabalho viaja sozinho (e sempre compra de última hora pagando mais).
  13. Você quiz dizer Europa para a America do Sul, certo?
  14. Fugindo um pouco do tópico, mas ainda relacionado, eu acompanho bem de perto o preço de passagens em classe executiva. Constantemente temos ofertas em J da Europa para a Asia e para os Estados Unidos, já para a América do Sul raramente aparece algo. Dizem que é falta de concorrência, mas às vezes tenho a impressão que é mais um acordo de cavalheiros para manter os preços altos. Comparando-se com a Ásia, eu entendo que o custo para o Brasil, por exemplo, é um pouco mais alto, pois as empresas deixam os aviões no solo por várias horas antes de retornar para a Europa. Isso tem um custo, não só de estacionamento no aeroporto, mas também o fato de que essas aeronaves poderiam estar voando e fazendo dinheiro em algum lugar. Mas aí vemos o exemplo da KLM em GRU e BA, IB, e KLM, para ficar só nessas três, que fazem bate e volta no Rio e o preço não é nem um pouco menor.
  15. Alguns sites especializados estão apontando a saída da Norwegian de Singapura como consequência da concorrência de empresas com serviços bons, a alta do querosene de aviação e o yield médio baixo da rota. Indicam ainda que a vinda para o Rio de Janeiro se explica pelos altos yields da rota o que da à Norwegian a possibilidade de ganhar dinheiro. Sendo assim, quero ver o quão mais barato vão vender os bilhetes. Se bobear vão por alguns poucos lugares bem baratos por voo para fazer marketing e a tarifa média deixam bem próximo da atual. Vamos ver!!!
×
×
  • Create New...