Jump to content

flightFernando

Usuários
  • Content Count

    584
  • Joined

  • Last visited

About flightFernando

  • Birthday 04/10/1963

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    base SAO
  • Data de Nascimento
    10/04/1968

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Sao Paulo

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. ATÉ 23.9 ton, não necessariamente todas as células. A vantagem é que fornecedores ainda produzem a maior parte das peças e dos rotativos.
  2. Max agora tem simulador próprio ou só on-line de Diferenças? É feito na CAE?
  3. Sucesso a Modern! Começou anêmica, sem brilho nem destaque. Agora embalou, investimentos retornando e valor de mercado inflado. É o tipo da coisa: tem que ter capital para se manter, e surfar nas ondas que o negócio tem. Carga é só alegria;não reclama, não chora, não pede reembolso nem hotel. Só não tolera atraso nem extravio. Acredito que eles vão crescer, deveriam chegar nos T.Aéreos, terceirizar para os 206/210, Caravan, uma alternativa contra Azul. Gol não vejo infelizmente pensamento nem interesse em desenvolver a Gollog no 737-800BSF, Azul e Latam até podem p
  4. Exatemente! Quem pesca a idéia sabe: pior ambiente econômico dos últimos 100 anos, mercado/clientes tarifa cheia "deserto", só em 22 ou 23 com a estabilização política é que podemos vislumbrar algo. Quem acompanha sabe, mesmo com a vacina, as restrições econômicas, viagens a negócios e lazer estão em segundo plano. Sei lá, depois de ter visto tantas aventuras como BRA, Puma Air e Avianca, claros indícios de crimes econômicos e o prejuízo que elas causaram, não me espantaria em ver mais um projeto desastroso como esse. 737-500! Aeronave fora de conjuntura, custo assento/qiolômetro e operacional
  5. Meus caros; 2021 "se tiver" uma novidade concreta, será ITA, e olhe lá....pior momento pra lançar uma empresa até 2023, mercado hight retraído, economia em "V" na cabeça perturbada do Guedes e do Mico, na realidade o contrário kkk, vivem no mundo de Alice . Virou piada dar palco para doidos, se aparecer algo consistente, AOC 121 na mão, avião confirmado no RAB...aí sim agente conversa!. Nem percam tempo com babaquices, devaneios. Vamos investir nas nossas carreiras pessoais, o grande capital quer país estável e crescendo positivamente, não essa cortina de fumaça. Óntem os EUA teve seu dia de
  6. Virou panela meu prezado! Ferro velho picado sem dó...tinha a tampa L de trem de pouso principal do A300, dava pra identificar claramente(quem sabe) escorada numa parede, acho que na parede do antigo refeitório ou área administrativa, deu pra reconhecer pois estava sem pintura e é bem grande. Foram os restos que identifiquei. Era visível sentido de quem vem da Tamoios/Washinghton Luíz para o centro/passarela. O quanto aquilo não valeria para Fedex, UPS, DHL...
  7. Lembro que até acredito que 2017 ou 18 havia a carcaça de um LV...naquele hangar lateral auxiliar da VASP para a Washinghton Luíz, de frente ao hotel e a Eacon. Dava pra ver claramente. Sinceramente, na década de 60, 70 os aeroportos regionais dos EUA tinham pista e pátio decentes, e nós ainda na época do pau-e-pedra no interior, esse avião é um desenho feito pra realidade deles, visando desempenho, não para ser pé de boi na carga e pax como o Bandeco ou DC 3. No Brasil não daria certo, já repararam que as canelas do trem são muito altas e finas? Dar reverso numa pista de piçarra ou casca
  8. Concordo 100%! Esses são os tempos de 2020, todos se fazendo de dissimulados, querendo reinventar o giro da roda, como se ninguém soubesse o verdadeiro DNA deles, de lambe botas. Como se voar wide nos fizesse "Mais ou menos" pilotos. 0 vontade de ler infantilidades como essa. Disse muito da personalidade dos mesmos.
  9. Com licença: só testes no "7", umas poucas 9 horas! Sem divulgar nada das manobras, técnicas empregadas de stall recovery, descida rápida, stabilizer motion, Manual reversion...tudo com o menor e com "melhor" handling dos 4, e porque não houve teste presencial no 8, 9 e 10, os mais pesados, com comportamento de wide? Aprenderam o geitinho Brasileiro de homologar aeronaves? Brincadeira...
  10. Esses executivos, a geração deles, já aposentou ou ficou pelo meio do caminho antes do 787 e 737 Max. O que está em jogo é a "Engenharia" cortando custos e economizando em palitos de dente, e os fornecedores de péssima qualidade, existem relatos e até documentário falando sobre.
  11. Não diria que perdeu, o nível do entrevistador é muito bom, soube conduzir bem a entrevista. Acrescentou veracidade o que muitos já desconfiavam, uma "equipe" amadora, nenhuma consistência, devaneios, falta de expertise, um sonho de uma noite de verão. Não sabem o que é os 100 dias de tristeza de uma empresa aérea, a dificuldade de negociar hedge, garantias, o Pib e a década que já começa perdida econômicamente, enfim, um descolamento do mundo real. Um rapaz jovem mais que não passa maturidade para o mercado ou investidores. Quem entrar nessa barca furada, meus pêsames. Ps: nã
  12. Como é bom a memória ainda não ter apagado essa "mancha": A história e o tempo falam por Gleison Gambogi (testa de ferro da Puma Air 2.0) e a turminha da BRA 2.0. Na época não existia whatsapp nem esta imprensa tão ferrenha e investigativa como agora, descobririam muito das conexões com empreiteiras em Angola e o General Higino..
  13. Todos os outros ex United. Estavam bem mantidos. Não tinham sarcófago.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade