Jump to content

IceAir

Usuários
  • Content Count

    5,774
  • Joined

About IceAir

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    São Paulo
  • Data de Nascimento
    09/12/1959

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    São Paulo

Recent Profile Visitors

1,900 profile views
  1. Isso é um jato bimotor, não um Cessna 152.
  2. Sim, 11-13kt de cauda é um vento considerável. No Brasil praticamente todas as empresas trabalham com o limite de 10kt para pista seca, normalmente reduzindo ainda mais para pista molhada e chegando a ser máximo de zero de vento de cauda em determinadas combinações de pista e peso. O combustível não é medido somente pela distância da origem para o destino. Como o colega JetAge postou acima, voar naquela região nessa época exige combustível razoável para espera e alternados, combustível esse que continuará no tanque da aeronave durante o pouso no destino caso tudo ocorra bem durante o trajeto de A para B. Obviamente não posso afirmar o peso preciso do avião, mas sabendo que estava com 191 a bordo e possivelmente com combustível extra razoável, é de se deduzir que estava pesado. Portanto, juntando aquela distância do toque que você citou, com pista molhada e possivelmente escorregadia, aeronave pesada e 11-13kt de cauda, está longe, mas MUITO longe de ser uma situação confortável.
  3. Acredito que você não seja piloto, mas essa distância remanescente para um pouso com vento de cauda forte, aeronave bem pesada e pista molhada, é ruim sim. Em tempo, 1000m está fora da zona de toque da pista em questão.
  4. Acredito que nesses casos pontuais, o vital é ser bem informado pela tripulação. Um bom speech, claro e conciso, por parte de um dos tripulantes, explicando o que está ocorrendo e deixando claro que é alheio a vontade da empresa, irá satisfazer grande parte dos passageiros, evitando essa quebra de expectativa.
  5. Tem muitos voos antes de 19/07 no FR24. Provavelmente não aparece se sua conta for gratuita.
  6. https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/07/15/mp-de-socorro-ao-setor-aereo-altera-regras-de-reembolso-e-promove-outras-mudancas Foi aprovada ontem.
  7. Pelo visto aquele monte de testes que as revendedoras fazem diariamente nos caminhões, bombas e tanques não tem credibilidade nenhuma.
  8. Tira muito mais que isso ao somar os bônus e etc.
  9. Impressionante como a Latam consegue ter publicações negativas na mídia praticamente todos os dias. Para uma empresa que já está no "Chapter 11", cheias de dúvidas por parte dos passageiros com relação ao futuro das operações, será que é a hora de ficar dando margem para esse tipo de notícia? Tenho a impressão que o público leigo aos poucos vai construindo (mais uma vez) uma péssima imagem de serviço da companhia.
  10. Pelo que eu entendi é um aumento de 105% no volume de vendas comparando mês-contra-mês, mas não especificou em que período ocorrerá o transporte dessas vendas. São vendas futuras, podem ser passagens de julho, agosto, novembro, janeiro/2021 e etc.
  11. Acho que mesmo que fosse "just-in-time", esse grounding do Max + COVID desandou completamente qualquer coordenação que pudesse existir. Como já tem mais de 120 fuselagens produzidas e o ritmo de entregas da Boeing deverá ser baixíssimo, estão corretos em interromper a produção das fuselagens até absorver esse excedente.
  12. Sim, porém para esses voos específicos foi feito um acordo na ANAC. Se não me engano estão indo 4 tripulações de revezamento nos voos da Latam, alguém pode confirmar melhor isso.
  13. Acho que um caminho para a Passaredo, nesse retorno, é fazer uma malha estritamente "feeder" de voos das parcerias (Gol/Latam ainda?), focada nos horários dessas empresas, pois caminhar sozinha na retomada vai ser bem difícil.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade