Jump to content

SOUSA CPV

Usuários
  • Content Count

    4,337
  • Joined

  • Last visited

About SOUSA CPV

  • Birthday 04/02/1975

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Campina Grande / Paraíba / Brasil
  • Data de Nascimento
    02/04/1975

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Campina Grande
  • Interests
    Conhecimento e troca de informações

Contact Methods

  • Skype
    alessandro.cpv
  • Website URL
    http://www.deltacpv.com.br
  • MSN
    deltacpv@terra.com.br

Recent Profile Visitors

1,689 profile views
  1. Nova gestão sem o German as coisas fluindo de forma positiva.
  2. Avianca Holdings anuncia novo financiamento de US$ 375 milhões 10/12/2019 10:45 | Vinicius Novaes A Avianca chegou a acordos com seus principais fornecedores, segundo informou a própria companhia por meio de uma nota. Como resultado, a empresa concluiu o financiamento de US$ 250 milhões de um empréstimo conversível obrigatório da United Airlines e de uma subsidiária da Kingsland Holdings Limited. Além disso, a Avianca obteve compromissos de US$ 125 milhões em financiamento adicional, o que dá um total de US$ 375 milhões. A nota também informou que, na semana passada, a aérea conseguiu fechar os contratos com seus credores, permitindo atender certas condições necessárias para o desembolso de empréstimos conversíveis pela United e Kingsland. Por sua vez, esse financiamento atende às condições exigidas pelos próprios credores e aciona os contratos que afetam a grande maioria das obrigações de dívida da companhia aérea. Além disso, o desembolso de empréstimos conversíveis permite a troca automática de aproximadamente US$ 484 milhões em títulos da Avianca, que expiraram em maio do próximo ano, por títulos garantidos com vencimento em maio de 2023, nos termos anunciados anteriormente. Mais de 125 credores e fornecedores negociaram com a Avianca em um processo que começou no final de junho deste ano. Além de garantir extensões de prazo das linhas bancárias e cartas de crédito da Avianca, a empresa garante ter obtido um alívio no caixa de mais de US$ 250 milhões, que aconteceu por meio de negociações com locadores de aeronaves e credores e fornecedores financeiros. Fonte: Panrotas
  3. Avianca Brasil e Latam lideram queixas de clientes, diz Anac 02/12/2019 10:32 | Marcos Martins A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divulgou o relatório do segundo trimestre do ano com as reclamações feitas pelos passageiros do transporte aéreo na plataforma consumidor.gov.br. Nesse período, a quantidade de reclamações registradas para cada grupo de 100 mil passageiros pagos transportados foi de 56,6 para as empresas brasileiras, de 66,2 para as estrangeiras e de 57,7 no total. Juntas, as empresas aéreas presentes no consumidor.gov.br transportaram 98,3% dos 27.119.513 passageiros do trimestre. Entre as quatro empresas aéreas brasileiras que mais transportaram passageiros no trimestre, a Azul apresentou o menor número de reclamações para cada grupo de 100 mil passageiros pagos transportados no período, da ordem de 23,6. Em seguida, vieram Gol (26,9), Latam (36,0) e Avianca Brasil (1301,0), esta última sem operar nos últimos meses. Divulgação Já entre as seis empresas aéreas estrangeiras que mais transportaram passageiros no período, a United apresentou o menor número de reclamações para cada grupo de 100 mil passageiros pagos transportados no trimestre, da ordem de 19,1. Em seguida, vieram Aerolíneas Argentinas (30,6), Air France (31,5), Copa (35,3), American Airlines (45,9) e Tap Air Portugal (114,4). Além dos números destacados, o relatório traz os temas e subtemas mais reclamados no período, o prazo médio de resposta das manifestações, os índices de solução e de satisfação dos consumidores e a quantidade de reclamações por empresa. Divulgação Sobre os temas mais reclamados, somadas as empresas aéreas brasileiras e as estrangeiras, aparecem alteração de voo pela empresa aérea (29,1% das reclamações), reembolso (19,4%) e oferta e compra da passagem e serviços (14,9%). No caso apenas das empresas brasileiras, os três temas mais reclamados foram alteração de voo (31,6%), reembolso (21,0%) e oferta e compra da passagem e serviços (14,8%). Divulgação A Avianca Brasil entrou em recuperação judicial em dezembro de 2018 e teve suas operações suspensas em maio de 2019. Durante esse período, a empresa precisou diminuir a quantidade de operações, o que gerou impacto significativo no atendimento aos passageiros da empresa e também no desempenho de todos os indicadores do setor no consumidor.gov.br. Fonte: PANROTAS
  4. Essa queda nas ações da CVC se deve ao fato da operadora ter levado um prejuízo de quase 100 milhões de reais com a Avianca (OceanAir). O grupo (operadora e consolidadora) sempre compra assentos de forma antecipada, com a crise da cia, tiveram reacomodações e a não devolução por parte da cia de valores pagos de forma antecipada, aí já viu.... No caso da Latam, não são lojas físicas apenas, a Latam Travel é uma operadora e tem vários serviços. Só que o grupo não quer mais esse modelos de negócios, seguirá apenas como cia aérea e irá repassar TODOS os seus franqueados para AGAXTUR, o contrato já foi assinado entre elas.
  5. Assim como vc são muito.Tenho clientes de CGB que ligam falam o que quer e pede o melhor que eu possa fazer. Eles não tem tempo para isso.
  6. Um percentual muito maior via agencias física. Eu mesmo tenho vários acordos que não posso colocar no site, apenas cliente na loja.
  7. Pousar pousa, o problema é a visibilidade. Foi muita água, fortes pancadas de chuva
  8. Latam deixa a Oneworld em 1º de outubro de 2020 21/11/2019 12:31 | Danilo Teixeira Alves Danilo Teixeira Alves A Latam deve deixar a Oneworld apenas no segundo semestre do ano que vem. Pelo menos é o que diz a Qantas, parceira de aliança da companhia. Em uma página dedicada as suas parceiras, a Qantas afirma que o grupo chileno já notificou a sua saída da Oneworld em 1º de outubro de 2020. Nota no site da Qantas revelou a data da saída da Latam da Oneworld Com isso, até o dia 30 de setembro, os benefícios dos passageiros frequentes da Latam ao voarem nas empresas associadas à Oneworld serão honrados. Procurada, a Latam ainda não manifestou sobre o assunto. Fonte: Panrotas.
  9. Azul cresce 25% no 3T19: "uma das mais rentáveis do mundo" 07/11/2019 15:56 | Rodrigo Vieira Divulgação A Azul arrecadou R$ 3 bilhões no terceiro trimestre deste ano, um recorde de receita líquida na companhia e crescimento de 25,5% na comparação com o terceiro trimestre de 2018. O resultado operacional da companhia aumentou 31,4%, totalizando R$ 559,3 milhões, com margem de 18,5%. LEIA TAMBÉM: Azul apresenta proposta de joint venture à Tap O lucro desconsiderando juros, impostos e amortizações, ou EBITDA, foi de R$ 935,8 milhões, 24,4% maior, representando margem de quase 31%. Já o lucro líquido, excluindo o impacto não-caixa da variação cambial, totalizou R$ 444,4 milhões, alta de 56,7% em comparação ao período de julho a setembro de 2018. Além disso, 27,1% mais passageiros viajaram com a Azul no período, frente a um crescimento de 26,1% na oferta, resultando em uma taxa de ocupação de 84,3%, 0,6 ponto percentual maior do que no 3T18. "No final do 3T19, nossa liquidez total foi de R$4,4 bilhões, um aumento de R$ 249,6 milhões, representando 41% da receita dos últimos 12 meses", aponta comunicado da aérea. "A Azul também gerou R$187 milhões de caixa livre durante o trimestre." Crescimento também no programa de fidelidade TudoAzul, que, com 12 milh~ioes de membros, faturou 40% a mais do que no terceiro trimestre de 2018. A frota da Azul fechou o mês de setembro com 133 aeronaves. Um terço disso é considerado equipamento de nova geração, que representa 45% da capacidade da aérea no trimestre. O CEO da Azul, John Rodgerson, comemora os resultados. "Graças à dedicação de nossos tripulantes, entregamos mais um trimestre de resultados sólidos no 3T19. Nossa receita total aumentou 25% na comparação anual, alcançando um valor recorde de R$ 3 bilhões, e ao mesmo tempo nossa margem operacional expandiu para 18,5%, mantendo nossa posição como uma das aéreas mais rentáveis do mundo. Nosso forte desempenho foi impulsionado pelo nosso alto padrão de serviço e operação, além da excelente execução de nossa estratégia de transformação de frota", afirma. Fonte: Panrotas
  10. Creio que o charuto se assemelha ao 738
  11. Delta Air Lines considera desistir da Alitalia 04/11/2019 15:52 | Juliana Monaco Divulgação/Alitalia Em outubro, o governo da Itália concedeu à companhia um empréstimo para cobrir seis meses de operações A Delta Airl Lines analisa desistir de participar da licitação para investimento na Alitalia, dificultando os esforços para resgatar a companhia italiana da falência. Segundo o Corriere della Sera, a companhia norte-americana pode dizer aos administradores da Alitalia que a oferta de injetar cerca de 100 milhões de euros não é negociável. O governo estabeleceu como data limite para ofertas à Alitalia o dia 21 de novembro. A alemã Lufthansa já sinalizou seu interesse em participar da licitação, planejando injetar até 150 milhões de euros e realizar um corte de cinco a seis mil empregos para trazer a companhia italiana de volta às operações. Atualmente, a Alitalia conta com uma liquidez de 160 milhões de euros, com risco de acabar em algum momento no mês de dezembro. Em outubro, o governo da Itália concedeu à companhia um empréstimo para cobrir seis meses de operações. Fonte: Panrotas
  12. Será que a empresa brasileira sairá do papel?
  13. Gol e Air France-KLM prorrogam parceria por mais cinco anos 04/11/2019 08:27 | Artur Luiz Andrade A Gol Linhas Aéreas Inteligentes e o Grupo Air France KLM prorrogaram a parceria estratégica entre as empresas por mais cinco anos. Atualmente a parceria cobre mais de 99% da demanda entre Brasil e Europa – sendo que um em cada quatro passageiros que viajam pela Air France KLM utilizam a conexão pela Gol. No total, mais de um milhão de clientes já foram transportados em conjunto nos últimos cinco anos. O acordo de codeshare abrange 18 países, incluindo 66 cidades na Europa e mais de 30 no Brasil. Com a parceria, os clientes continuam com a garantia de serviços unificados, mais opções de viagem e benefícios com conexões mais fáceis. “A Gol tem muito orgulho desta parceria e todos os resultados obtidos nos últimos anos. Crescemos e fortalecemos os nossos negócios juntos. Para nós, é uma grande satisfação renovar essa aliança”, diz o vice-presidente comercial e Marketing da GOL, Eduardo Bernardes. “A América do Sul, em particular o Brasil, continua a ser um mercado estratégico para a Air France KLM. Estamos felizes de anunciar que renovamos nossa parceria com a Gol, que permite manter e ampliar nossa presença, e que continuemos a oferecer voos compartilhados que permitem numerosos benefícios para nossos passageiros”, explica o vice-presidente executivo, comercial, de Vendas e Alianças da Air France-KLM, Patrick Alexandre. Com o fim do acordo entre a Delta Air Lines e a Gol, havia uma expectativa em relação aos demais acordos do grupo liderado pela empresa americana, mas a Air France-KLM já havia sinalizado que a parceria com a Gol era fundamental no Brasl e agora houve essa renovação por mais cinco anos. HUBS OTIMIZADOS No Brasil, os clientes têm hoje três principais hubs de conexão das empresas, sendo São Paulo (GRU) e Rio de Janeiro (GIG) os que concentram a maior demanda, com um total de 469 voos nestes aeroportos, e o recém-criado ponto de conexão no Nordeste, em Fortaleza. Além disso, as companhias ainda oferecem facilidades de conexões nos aeroportos centrais de Congonhas (CGH) e Santos Dumont (SDU), onde também é possível embarcar de forma conveniente em um terminal doméstico para fazer uma viagem internacional, com ambas as empresas. Todos os clientes têm ainda, na Europa, os Hubs de Amsterdã (AMS) e Paris (CDG), que permitem mais opções de viagens ao continente europeu. Fonte: Panrotas
  14. Iberia anuncia compra da Air Europa por um bilhão de euros 04/11/2019 07:20 | Artur Luiz Andrade Wikicommons/StuBaileyPhoto Willie Walsh, CEO do IAG - International Airlines Group O International Consolidated Airlines Group (IAG), dono da Iberia, Vueling, Level, Aer Lingus e da British Airways, e a Globalia, anunciaram que chegaram a um acordo definitivo para a compra da Air Europa pela Iberia por um bilhão de euros, em dinheiro. Com a aquisição, o IAG quer transformar Madri em um hub que concorra de igual para igual com aeroportos como Amsterdã (KLM), Frankfurt (Lufhansa), Londres Heathrow (BA) e Paris Charles de Gaulle (Air France). Segundo comunicado, a compra da Air Europa colocaria o IAG como líder em operações entre a Europa e a América Latina, incluindo o Caribe. O investimento já seria compensado no quarto ano de operações do novo negócio, que deve ser completado até o segundo semestre de 2020. O CEO do IAG, Willie Walsh, disse que “comprar a Air Europa dará mais competitividade em termos de custos à IAG, consolidando Madri como um hub líder na Europa e resultando na liderança do IAG nas rotas para o Atlântico Sul, com isso gerando mais valor a seus acionistas”. No comunicado, o IAG destaca a aquisição recente e com sucesso da Aer Lngus, em 2015, e o grupo se diz convencido que a Air Europa apresenta um ganho estratégico ao conglomerado. “Para a Globalia, a incorporação da Air Europa pelo IAG implica no fortalecimento do presente e futuro da companhia, que manterá o caminho seguido pela Air Europa nos últimos anos”, disse o CEO da Globalia, Javier Hidalgo. “Estamos convencidos que a aquisição pelo IAG, que nos últimos anos demonstrou apoio no desenvolvimento a suas empresas e ao hub de Madri, será um sucesso”. O CEO da Iberia, Luis Gallego, acrescentou que a aquisição é estratégica para o hub de Madri, que estava atrás dos demais hubs da Europa nos últimos anos. A Air Europa é uma das empresas privadas líderes na Espanha, com voos internacionais para 69 destinos, incluindo o Brasil, Argentina, outros países da América Latina, Caribe e América do Norte. No ano passado, a empresa obteve receita de 2,1 bilhões de euros e um lucro de 100 milhões. Transportou 11,8 milhões de passageiros e terminou o ano com 66 aeronaves. No Brasil, além das operações internacionais, planeja voos domésticos em uma operação ainda não revelada. Larissa Faria MARCA MANTIDA De início, a marca Air Europa será mantida e a companhia permanecerá como uma unidade dentro da Iberia, comandada pelo CEO Luis Gallego, que comandará também a transição e integração de equipes e sistemas. Na transição também deverão ser implementados codeshares entre as empresas do grupo, ajustes de horários de voo com vista à melhor conectividade aos passageiros no hub de Madri, alinhamento de políticas comerciais e integração da Air Europa ao programa de fidelidade do IAG. Se as autoridades não aprovarem a aquisição ou houver qualquer desistência até o fim do processo, o IAG pagará uma multa de 40 milhões de euros à Air Europa. Fonte: Panrotas
×
×
  • Create New...