Jump to content

diogodvd

Usuários
  • Content Count

    30
  • Joined

  • Last visited

About diogodvd

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Goiânia Goias Brazil
  • Data de Nascimento
    11/05/1987

Profile Information

  • Location
    Taguatinga DF
  1. Meus sentimentos. Que Deus possa dar força para seus familiares neste momento.
  2. Um avião Boeing 737-800 fez esta sexta-feira uma aterragem de emergência na cidade de Syktyvkar, a noroeste da Rússia, após uma falha no motor. O avião partiu de Mirny, a leste do país, com destino a Moscovo. O avião aterrou em segurança e não há registo de qualquer incidente, avança a agência russa Sputnik. A aeronave está neste momento no aeroporto de Syktyvkar e as autoridades russas já estão a investigar o incidente, mas suspeitam de que uma falha no motor tenha sido a causa da aterragem de emergência. “Confirmamos que aconteceu [a aterragem de emergência). Está em curso uma investigação preliminar. A versão inicial é a de que o motor falhou”, informou um representante do comité russo de investigação de acidentes, à agência russa. O caso acontece após um aparelho Boeing 737 Max 8, da Ethiopian Airlines, ter caído na manhã de domingo, dia 10 de março, na Etiópia. A bordo do avião seguiam 157 pessoas – 149 passageiros e oito membros da tripulação – e nenhuma sobreviveu. As caixas negras deste avião já estão a ser analisadas em França e, após vários países terem proibido o modelo de sobrevoar o seu espaço aéreo, a fabricante decidiu “suspender temporariamente” toda a frota. https://observador.pt/2019/03/15/aviao-da-boeing-faz-aterragem-de-emergencia-na-russia/
  3. https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2019/03/mensagens-mostram-que-piloto-de-boeing-detectou-problemas-quase-imediatamente.shtml Todos os contatos entre os controladores e a aeronave, o voo ET 302 para Nairóbi, no Quênia, foram perdidos cinco minutos após a decolagem, afirmou a pessoa, que falou anonimamente porque as comunicações não foram oficialmente divulgadas. Os controladores concluíram, mesmo antes da mensagem do capitão, que ele havia tido uma emergência. O relato das comunicações lançou luz sobre detalhes arrepiantes sobre os minutos finais antes de o avião cair, matando todos os 157 ocupantes. O acidente, que levou a um veto mundial aos MAX 8, foi o segundo envolvendo a aeronave da Boeing em menos de cinco meses. Autoridades reguladores dos EUA e do Canadá afirmam que padrões semelhantes nas trajetórias dos dois aviões podem apontar para uma causa comum nos dois acidentes. Mas elas alertaram que nenhuma explicação havia sido excluída ainda e que as aeronaves podem ter caído por motivos diversos. As revelações sobre os últimos momentos do voo 302 apareceram enquanto pilotos discutiam o que descreveram como uma velocidade perigosamente alta que o avião alcançou após a decolagem em Adis Abeba. Os pilotos estavam agitados com as informações de radares, disponíveis publicamente, que mostravam que o avião acelerou muito mais do que o considerado padrão, por motivos que continuam obscuros. "A coisa mais anormal é a velocidade", afirmou John Cox, consultor de segurança de aviação e um ex-piloto de 737. "A velocidade é muito alta", disse Cox, que já foi diretor de segurança da Associação de Pilotos de Aeronaves dos EUA. "A pergunta é porquê. O avião acelerou muito mais do que deveria." A Ethiopian Airlines informou que a tripulação do voo 302 relatou problemas de controle do avião aos controladores de tráfego aéreo minutos antes de o contato ser perdido. O relato da comunicação entre os controladores e o piloto —Yared Getachew, que tinha 8.000 horas de experiência aérea — dá mais informações sobre o que aconteceu na cabine. Dentro de um minuto após a saída do aeroporto, Getachew relatou um problema de controle de voo em uma voz calma. Naquele ponto, os radares mostravam que a altitude da aeronave estava bem mais baixa que o conhecido como a altura mínima de segurança durante uma subida. Dentro de dois minutos, segundo a pessoa que viu as comunicações, o avião havia subido para uma altitude mais segura, e o piloto disse que queria manter o rumo a 14.000 pés. Os controladores notaram então o avião subir e descer em centenas de pés, e pareceu que se movia excepcionalmente rápido. Os controladores começaram então a discutir em voz alta sobre o que estava acontecendo. Dois outros voos da Ethiopian estavam se aproximando e os controladores, temendo uma emergência no ET 302, deu ordem para que permanecessem em altitude mais alta. Durante a troca de mensagens com os outros aviões, Getachew, com pânico na voz, pediu para retornar. O ET 302 estava com apenas três minutos de voo e havia acelerado ainda mais, muito além dos limites de segurança. Após ter autorização para voltar, o avião virou à direita e subiu um pouco mais. Um minuto depois, a aeronave desapareceu do radar sobre uma área militar restrita. O acidente levou a comparações imediatas com a queda do Boeing MAX 8 da Lion Air, na Indonésia. Ambos ocorreram logo após a decolagem e tentaram voltar ao aeroporto. Em ambos os casos, os pilotos tiveram problema para controlar a aeronave. A possibilidade de que os dois acidentes tivessem causas similares foi elemento central na decisão dos regulares de vetar voos com todos os Boeings da família MAX, que entrou em operação há menos de dois anos. As investigações sobre o acidente na Etiópia ainda está em seus estágios iniciais, e autoridades dizem que ainda é cedo para tirar conclusões. As caixas-pretas chegaram à França nesta quinta para análise.
  4. Sinto muito pela trágica perda de vidas e pelas pessoas a bordo de ambas as aeronaves que se acidentaram. Ao mesmo tempo, que a imagem da Boeing com essa série está a cada dia mais afetada!! A gravidade dessa situação terá um tremendo impacto na Boeing, na indústria, nas autoridades certificadas, nas companhias aéreas e nos passageiros.
  5. Então me parece que o MCAS não foi o causador, mas contribuiu para o fato...
  6. As decisões de impressão com economia de custos como essa certamente causarão consternação por algum tempo no futuro:
  7. A AC afirmou em comunicado que transporta 9000 a 12 mil pessoas por dia em seus MAXs, o que é um enorme impacto que afetará todo o sistema deles. Eu me pergunto como eles podem realocar tantos passageiros? Cancelando os voos MAX, ou eles têm aeronaves estacionadas de reposição, ou eles trariam de volta as aeronaves paradas? Alguma ideia de quanto tempo isso poderia levar?
  8. Em uma taxa de colisão por voo, uma aeronave moderna típica como a série A320 ou a série Boeing 737 (ex-os primeiros modelos dos anos 60/70 ) mostraria uma taxa de colisão de 0,11-0,15 por milhão de vôos. Atualmente, o Boeing 737 Max está em 4 grandes colisões por milhão de vôos . Além disso, a taxa de acidentes nesses outros jatos modernos geralmente inclui causas exógenas. Mesmo o Concorde, que tem uma taxa feia igual a 11, teve um único acidente fatal - devido ao encontro de detritos na pista (portanto, exógeno). Por enquanto, é provável que os dois crashes do 737 Max tivessem causas endógenas. Não é surpresa que países de esquerda e direita estejam proibindo o 737 Max de cruzar seus céus. Texto interessante em: https://seekingalpha.com/instablog/1006811-paulo-santos/5280437-boeing-might-wrong-737-max
  9. Eu tmb não acredito.... Neste momento recente da tragédia, de fato, acho que nenhum membro da CIA concorrente iria rir... Mas daqui há algum tempo, pelo menos achar que a situação dos fatos foi benéfica para tal empresa, isso eu acho possível... Partindo da natureza do ser humano, difícil não imaginarmos nenhum tipo de situação possível. abs
  10. As ações da Boeing devem cair mais ainda depois desse último gancho de direita.
  11. Ficou muito feio pra Boeing... Agora que os EUA colocaram no chão tmb, piorou mais ainda.
  12. Postado no tópico do fabricante, mas eu pensei que isso era digno de ser postado aqui ... "Então o proprietário da Lion Air, Rusdi Kirana, afirmou que a Boeing tentou encobrir o sistema AoA / MCAS, culpando injustamente a má manutenção do Lion. Declaração interessante sobre uma aeronave basicamente nova. Um dos sensores AoA tinha acabado de ser substituído por causa de leituras errôneas pelo processo de manutenção da Boeing. Ele acusou publicamente a Boeing de ser imoral, espertA e muito inadequadA em suas ações. Palavras fortes! Ele também está alegando que, se legalmente possível, cancelará a ordem restante para o 737 MAX, no valor de US $ 22 bilhões (suponho que este seja o preço de lista). A Bloomberg alegando que um total de US $ 57 bilhões em pedidos está em risco por causa de problemas com a confiança na Boeing." Vídeo com o dono do ar Lion: https://www.bloomberg.com/news/videos/2018-12-12/lion-air-co-founder-kirana-on-cancelling-boeing-s-order-growth-video Artigo completo sobre o cancelamento do Lions: https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-12-11/lion-air-stands-firm-on-canceling-22-billion-boeing-jet-orders $ 57 bilhões pedidos cancelados: https://www.bloomberg.com/news/articles/2019-03-12/kenya-airways-may-pull-back-from-boeing-plan-in-favor-of-airbus?srnd=premium-europe
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade