Jump to content

João Pedro Duarte

Usuários
  • Content Count

    54
  • Joined

  • Last visited

About João Pedro Duarte

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Recife
  • Data de Nascimento
    17/06/2000

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Recife
  1. O Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), unidade do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), sediou, no dia 12 de fevereiro, a reunião de início da implementação da setorização vertical na Região de Informação de Voo (FIR) de Brasília. O projeto faz parte do Grupo de Estudos sobre Planejamento do Espaço Aéreo (GEPEA), fórum permanente criado com o objetivo de discutir oportunidades de melhorias na organização e gerenciamento do espaço aéreo brasileiro, por meio de estudos específicos. O evento contou com a presença de profissionais da área técnica e operacional do DECEA, do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), do Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA) e do CINDACTA I. A reunião teve por objetivo apresentar, para todos os representantes das organizações presentes, o projeto com seus benefícios para o gerenciamento de fluxo por meio do aumento significativo da capacidade de setores do espaço aéreo (ATC) com foco na redução da carga de trabalho do controlador de tráfego aéreo. Na abertura, representando o DECEA, o Comandante do CGNA, Coronel Aviador Sidnei Nascimento Souza, deu as boas-vindas aos participantes e destacou a importância do projeto. “É um processo de decisão colaborativa em que todos os envolvidos são ouvidos e participam ativamente. Foram feitos estudos de casos, observadas as melhores práticas, além da disponibilidade dos meios técnicos e operacionais", enfatizou. Dando início às apresentações, o Chefe da Subdivisão de Organização e Gerenciamento do Espaço Aéreo do CGNA e Membro Substituto do DECEA no GEPEA, Major Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Marcos Roberto Peçanha dos Santos, apresentou o Grupo de Estudos sobre o Planejamento do Espaço Aéreo. “O grupo é responsável por captar e entender as necessidades dos usuários, verificar a capacidade de atender as demandas, estabelecendo uma lista de priorização de trabalho, com foco na decisão colaborativa”, destacou. Na sequência, o Tenente Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Joaquim Tavares Lôbo Junior, Chefe da Seção de Capacidade ATC da Subdivisão de Gerenciamento do Espaço Aéreo do CGNA e Relator do Grupo adhoc do GEPEA que trata dos temas relacionados com a capacidade ATC, falou sobre as bases para setorização vertical e o planejamento da implementação da fase I da FIR Brasília. “O espaço aéreo sob a responsabilidade do CINDACTA I é um dos mais importantes dentro do escopo do Projeto da Reestruturação na Área de Controle Terminal de São Paulo (TMA-SP Neo) a ser implementado ainda este ano”, afirmou. Segundo o Tenente Lôbo Junior, é de competência do CGNA a antecipação e previsão de possíveis restrições no espaço aéreo no que tange o fluxo da circulação aérea nacional. “Os setores S15/S16 da FIR Brasília serão diretamente impactados nesse processo e o CGNA já está preparando o caminho para a aplicação plena do conceito a ser implementado na Terminal São Paulo. Além desses fatores mencionados, as condições técnico-operacionais de maneira geral já estão prontas no Centro de Controle de Área de Brasília (ACC-BS), o que torna a aplicação do conceito de setorização vertical exequível e sem custos adicionais para o DECEA”. De acordo com o cronograma de implementação da Setorização Vertical na FIR Brasília está previsto o início para o dia 24 de agosto deste ano. Para o Capitão Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Leandro Muniz de Souza, Chefe da Seção de Tráfego Aéreo do CINDACTA I e representante do órgão no Grupo adhoc, a setorização vertical na região da FIR Brasília trará vários benefícios. “Ganhará maior capacidade de absorção de aeronaves dentro dos setores com grande movimento de tráfego aéreo atualmente”. Segundo o Capitão Leandro, os setores 15 e 16 serão divididos em uma determinada altitude, cujos estudos iniciais apontam para o nível de voo 350, em função das características do fluxo de tráfego aéreo nos setores, de forma a aumentar a capacidade de processamento de aeronaves com a redução significativa da complexidade no cotidiano do tráfego aéreo. “Busca-se ainda a adequação desses setores já com vistas à implementação da Terminal São Paulo NEO prevista para setembro de 2020”, pontuou. Assessoria de Comunicação Social do DECEA Reportagem: Denise Fontes Fotos: Luiz Eduardo Perez Fonte: https://www.decea.gov.br/?i=midia-e-informacao&p=pg_noticia&materia=gepea-inicia-implementacao-da-setorizacao-vertical-na-regiao-de-brasilia
  2. Concordo. O imposto poderia ser inteligente: aeronaves mais barulhentas e mais poluidoras pagam mais, como são com carros, por exemplo. Como sempre, faltou uma preparação para implantar a medida.
  3. São Paulo — Um militar da Aeronáutica foi preso na terça-feira (25), por porte de drogas em uma aeronave militar no aeroporto da cidade espanhola de Sevilha, onde o presidente Jair Bolsonaro faria escala na viagem rumo ao Japão para participar de reunião de cúpula do G20 nesta semana. O militar era tripulante do voo que transportava a equipe avançada de Bolsonaro. De acordo com o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, o militar detido é suspeito de envolvimento no transporte de entorpecentes, e foi determinada a instauração de um Inquérito Policial Militar para apurar os fatos. “O militar foi interceptado durante um controle com 39 quilos de cocaína divididos em 37 pacotes em sua mala”, disse uma porta-voz da força policial em Sevilha. O presidente Jair Bolsonaro, que faria escala na cidade, publicou mensagem no Twitter dizendo ter sido informado pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, da apreensão do militar portando entorpecentes. Bolsonaro disse ter determinado ao ministro “imediata colaboração com a polícia espanhola” na investigação do caso. “Caso seja comprovado o envolvimento do militar nesse crime, o mesmo será julgado e condenado na forma da lei”, acrescentou o presidente na publicação. A agenda original da viagem de Bolsonaro ao Japão mostrava que o avião presidencial faria escala em Sevilha na noite de terça-feira, mas uma nova agenda divulgado após o caso do militar mostrou escala em Lisboa, e não mais na cidade espanhola. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o militar envolvido no caso seria um sargento da Aeronáutica da tripulação que assumiria o voo do avião reserva do presidente, o que levou o governo a mudar a escala europeia de Sevilha para Lisboa. (Com Reuters e AFP) Fonte: https://exame.abril.com.br/brasil/militar-de-voo-presidencial-foi-preso-com-39-kg-de-cocaina-na-espanha/
  4. Uma das maiores mineradoras do mundo escolheu um tipo menos seguro de barragem para economizar alguns trocados e deu no que deu...
  5. Puro comentário de leigo, mas e se houvesse uma pane de indicação? O motor desligaria mesmo estando tudo normal? Creio que dar o alerta a tripulação e esta decidir o que é melhor de se fazer ainda é a melhor solução.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade