Jump to content

diasfly

Usuários
  • Content Count

    989
  • Joined

  • Last visited

About diasfly

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    BR
  • Data de Nascimento
    16/07/1984

Profile Information

  • Location
    ES

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. No Brasil é quase impossível ser rentável sem "dominar todos os mercados". Justamente por conta do custo Brasil. É caro demais operar regional, por isso nenhuma empresa apenas regional consegue crescer de forma sustentável. Talvez depois da reforma tributaria isso mude, mas vai saber quando que isso vai sair do papel.
  2. Não sabia que a VOEPASS operava o Eirunepé, boa informação! A distância é enorme mas realmente é possível de ser atendida por ATR, só acredito que devem ocorrer algumas restrições de peso caso não haja reabastecimento em Eirunepé.
  3. Dei uma olhada superficial via google maps e entre esses destinos anunciados alguns me chamaram a atenção: Eirunepé, que será atendida por ATR e está localizada à aproximadamente 1200 km de distância de MAO. Se realmente partir de MAO esse será de longe o voo de ATR mais longo do país, ganhando por muito do CNF-BRA e suas atuais 2:20 hrs de viagem. Barcelos, Borba, Maués e Itacoatiara, que possuem um casebre menor do que um ônibus coletivo para ser utilizado como terminal aeroportuário. Por fim, Novo Aripuanã, que aparentemente possui uma pista de cascalho. Edit.: É possíve
  4. Pois é... Nem sei qual o desconto de ICMS que negociaram, mas chutando que seja uma redução de 3 a 5% no ICMS, só o que a Azul deixa de pagar de ICMS em um voo MAO-VCP de A330 já paga ao menos uma meia dúzia de voos de Caravan pela floresta afora. E isso já assumindo que os voos de Caravan realmente vão sair quase sempre vazios, o que é improvável, mas só saberemos após algumas semanas de operação.
  5. Aquele meu primeiro comentário (citado acima), que aparentemente alguns não entenderam, também foi baseado nessas declarações do presidente da GOL. Também acredito que ela está claramente se posicionando em função do risco real de a Azul absorver a Latam e todos os seus slots de CGH. É como se tivesse marcando seu território, construindo um muro mais alto para proteger o seu quintal... Errada não tá. Só acho que a G3 tinha que começar a pensar em ter aeronaves menores para bater de frente com a Azul em rotas regionais, pra ontem, se quiser realmente bater de frente e fazer concorr
  6. Se realmente pretendem entrar no mercado regional com a compra, já estão errando logo na largada ao anunciar que vão se desfazer dos ATR e colocar os "mais modernos e eficientes 737-700" para atender as rotas. Mas imagino que a intenção real por trás da compra realmente seja concentrar mais slots em CGH, o que fortaleceria a GOL frente à um cenário onde a Latam realmente seja engolida pela Azul em um futuro próximo. Provavelmente vão pegar os slots e sumir com a MAP do mapa, o que ao meu ver é jogar fora uma oportunidade de ouro de ao menos começar a tentar fazer concorrência à Azul no me
  7. Então, de acordo com seus cálculos, em meados de fevereiro próximo a Azul quebra? Aposto 10 tampinhas que em março de 2022, com ou sem compra da Latam BR, a Azul continuará existindo em situação de liquidez no mínimo igual está hoje. Endividada como qualquer aérea do planeta que não recebeu dinheiro dado do governo, mas pagando as contas e operando normalmente.
  8. Até onde eu sei os voos da Conecta em REC estão até vendendo bem pra situação em que se encontra a demanda da aviação nacional. Comparar com aquela lavanderia que foi o Voe Minas é bem injusto.
  9. Perfeitamente sensato, a tendência é a desvalorização enquanto tiver piloto ganhando a vida fazendo bico. Pra isso melhorar só com uma inversão de tendências, onde vagas de emprego apareçam mais do que pilotos formando. Mudando um pouco de assunto, passei por CNF hoje e quando fui no balcão da Azul despachar minha mala notei que os divisores de fluxo e balcões que a ITA ocuparia parecem ter sido removidos. Estranhei pois algumas semanas atrás estava tudo organizado, dando uma impressão de "tudo pronto pra começar", passar e ver tudo vazio hoje me deu uma certa estranheza.
  10. Por mais que de fato todas as aéreas (principalmente a Azul) estejam endividadas até o pescoço, esse tipo de matéria não leva em consideração muitos aspectos financeiros que são particularidades da aviação. Considerar o valor total do contrato de leasing como uma dívida total bruta por exemplo, é o mesmo que considerar o valor somado do aluguel de um estabelecimento comercial como uma dívida bruta e ficar comparando com o lucro mensal do estabelecimento. Se uma loja de shopping por exemplo tiver um lucro mensal médio de 10 mil por mês, pagando um aluguel mensal de 15 mil, se o contrato de
  11. O Neeleman não dá um ponto sem nó, parece que os chilenos não sabiam disso e descobriram só agora. De qualquer forma, acho muito improvável que um movimento de compra envolvendo duas majors brasileiras realmente surja e vá para frente, só com um lobby muito grande no CADE, que imagino que a Azul não tem (pelo menos por enquanto). E tenho certeza que a Azul sabe disso, mas é de pleno interesse da Azul usar a situação para se mostrar ao mercado como a mais forte no cenário pós pandemia. E não tem outra maneira melhor de demonstrar força do que ameaçar comprar uma concorrente. Não estou
  12. Pra quem achava provável uma fusão, não foi dessa vez... (ainda bem). Aparentemente o acordo parece ter sido muito melhor para a Azul do que foi para a Latam. Imagino que a diferença de capilaridade das malhas influenciou bastante nesse desequilíbrio. Provavelmente muito mais passageiros Latam voaram de Azul para destinos regionais do que passageiros Azul voaram de Latam para destinos centrais. Para exemplificar, a probabilidade de ter clientes Latam oriundos de CGH em um CNF-GVR da AD é bem maior do que de ter clientes Azul oriundos de GVR em um CNF-CGH da Latam.
  13. Tenho notado recentemente uma certa boa vontade do Lito em apontar erros por parte dos pilotos nos vídeos recentes dele. Pra mim isso ficou bem evidente em uma análise de acidente que ele fez à respeito de um jato que pousou em chamas e todos morreram, não que a análise daquele caso esteja completamente errada, afinal realmente ocorreram erros absurdos conforme as investigações apuraram, mas o fato de ele escolher falar desse acidente em especial diz muita coisa. Sobre o caso do Antonov em GRU, de fato é grande a possibilidade de realmente ser uma aproximação instável e alta demais, com n
  14. É impressionante o trabalho que ele deu para ser removido mesmo tendo "pisado" na grama só com o trem de nariz. Se tivesse varado a pista por 200 metros provavelmente estaria lá até agora.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade