Jump to content

Skylane68

Usuários
  • Content Count

    49
  • Joined

  • Last visited

About Skylane68

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    São Paulo
  • Data de Nascimento
    27/06/1988

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Curitiba
  1. Congonhas com uma pista e Marte transformado em parque seriam o fim da aviação executiva de asa fixa.
  2. Vai facilitar slot em CGH? Duvido muito! Provavelmente fortalecer a máfia. Decisões como essa estão matando a aviação geral no Brasil. Dependo do compromisso do chefe Jundiaí já fica longe, o cara opta por ir de comercial. Sem falar que lá a VoeSP cobra tarifas bem amigáveis e já anunciou que só terá uma posição de estadia.
  3. Adoro a GOL, torço para que cresça cada vez mais, mas olha, peguei um voo no GTV esses dias e o pitch apertadíssimo, não consigo imaginar algum conforto em voo internacional longo nessa configuração.
  4. Eu acredito que com essa capacidade (19pax) possa ser uma ótima aeronave para operações regionais como a TWO vem fazendo recentemente. Outro grande mercado seria o transporte de carga/malote. Há muitos taxi aéreos operando Carajá, Bandeirante e Cheyenne que não vão muito mais longe, o SkyCourier parece ser o sucessor "natural"
  5. Resumindo, só para quem está ou já esteve na linha aérea.
  6. Acredito que os mínimos do PDF são diferentes dos divulgados na imagem porque o segundo é específico para o roadshow aqui no Brasil. Pelo o que me parece a remuneração da TAP pode não ser muito boa, porém é um ótimo trampolim para acumular horas, obter cidadania e aplicar para outra empresa melhor ou nos Emirados. Por exemplo eu que voo na 91, não tenho os mínimos de equipamento para aplicar em uma EK da vida, iria para a TAP para obter essa experiência.
  7. A tributação varia com estado civil e filhos então. Casado e com um filho melhora ou piora?
  8. Alguém que voa na região ou possui contatos por lá, essa remuneração média anunciada de 80mil euros/ano está alinhada com o mercado?
  9. Pelo o que percebi a principal diferença é o fim do lançamento em décimos de hora, conforme o artigo 16: Art. 16. Os horários de partida, decolagem, pouso, e corte dos motores devem ser informados, em hora UTC (hora zulu), para cada voo, no formato HH:MM, onde: I - HH corresponde à hora; e II - MM corresponde aos minutos. Art. 17. Os quantitativos de horas de voo diurnas e noturnas, voo em condições IFR-R (real) e IFR-C (sob capota) e tempo total de voo devem ser registrados, em hora UTC (hora zulu), no formato HH:MM, onde: I - HH corresponde à hora; e II - MM corresponde aos minutos.
  10. Como é que pode né, nas mãos da Bombardier era um mico, nas mãos da Airbus virou um sucesso. Diferença que faz ter uma marca pesada por tras.
  11. Já tive a oportunidade de voar todos, exceto o IV. O Seneca foi evoluindo nas versões em motorização, controles e aerodinâmica. O I acabou ficando como aeronave de escola por ser relativamente fraco para o dia-a-dia, tem motor 200hp aspirado. É uma areniva dócil e por isso mesmo um ótimo treinador. O II resolveu o problema da potência disponibiliando o motor turbo, essa é sua única diferença em relação ao I, até o painel é o mesmo. Algumas aeronaves tem radar, hélices bi-pa ou tri-pa e flaperon. O III já possui mudanças significativas, novo painel (muito melhor), pára-brisas inteiriço, flap elétrico e mudanças nas caranagens do motor. No Brasil a maioria dos II e III são produzidos pela Embraer. O V novamente apresenta mudanças de painel, carenagem do motor, este passa a ser equipado com wastegate automático evitando excesso de pressão do turbo (overboost), ar condicionado (não lembro se os III tinham como opcional) e acabamento interno. É uma aeronave mais lisa embala mais fácil que os outros. Questão de voo são todos parecidos, nariz pesado para arredondar, o segredo do pouso é uma aproximação bem compensada, flap full 90kt e boa. Nos II e III cuidado com o overboost. De resto Piper é tudo igual, roda com 80kt e aproxima com 90kt 😅
×
×
  • Create New...