Jump to content

PFB-CGH

Padrinho 1º grau
  • Posts

    292
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by PFB-CGH

  1. Compreendo, amigo! Me desculpe por não saber muitos detalhes, vejo apenas como passageiro, mas mesmo assim, acho um custo muito elevado pelo que entregaram. PAPIS devem custar no máximo 3 milhões, pois não sei se o valor é do conjunto para as duas cabeceiras ou são dois jogos; a estrutura da pista já existia; o balizamento já existia, as obras do terminal (estrutura física) não pode ter custado mais de 5 milhões de reais, ainda mais com aqueles acabamentos bem padrão de obra pública, onde estão os mais de 25 milhões restantes, em uma pista que já existia e que só foi recapeada e feito o grooving?! Mas concordo que perto da caixinha de fósforo que temos atualmente, o novo terminal quando entrar em uso trará mais conforto aos passageiros.
  2. Joker, Os voos da Azul reiniciam em 25/04/2022, e a Gol em 11/06/2022, se o GEIV aprovar os PAPIS! Tudo indica que os voos retornarão no terminal velho, pois o novo ainda não tem mobiliário. Também não gostei de inaugurarem algo que ainda não está em uso. Sobre o terminal, esperava muito mais, considerando que gastaram uns 3 milhões nos PAPIS (não acredito que seja mais que isso), uma área construída de 2 mil metros quadrados em construção térrea, uma maquiagem na pista e um pátio ao custo 50 milhões de reais, na minha opinião, é muita coisa. O terminal melhorou muito, mas por esse valor fizeram uma obra muito mais bonita e que processa mais passageiros em Cascavel. Passo Fundo merecia um novo terminal, mas depois de tantos meses com a pista fechada, foi um erro não aproveitarem para realizar o alargamento.
  3. Preparativos para Bolsonaro inaugurar o novo terminal Grupo precursor da Presidência da República está em Passo Fundo Por Luiz Carlos Schneider/ON 05 de Abr · 2 min de leitura Equipe precursora pousou na terça-feira à tarde no Lauro Kortz Você prefere ouvir essa matéria? A-A+ Conforme O Nacional divulgou em primeira mão, na edição de hoje, 05 de abril, o novo terminal de Passageiros do Aeroporto Lauro Kortz será inaugurado na próxima sexta-feira, 08, com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro. Também devem participar da solenidade o ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio. O ex-ministro e atual deputado federal Ônix Lorenzoni confirmou presença. A chegada do presidente está prevista para às 14h30 de sexta-feira. Da esfera estadual, deve participar da solenidade do governador Ranolfo Vieira Júnior, porém o Palácio Piratini ainda não confirmou a sua vinda. A Secretaria de Logística e Transportes do Rio Grande do Sul, gestora da obra, estará representada pelo secretário Luiz Gustavo de Souza, empossado na segunda-feira. Preparativos Os preparativos para vinda do presidente da República tiveram início ainda no sábado, 02, quando um major do GTE – Grupo de Transporte Especial da FAB, manteve o primeiro contato com o Aeroporto. Depois, na segunda-feira, obteve novas informações e, terça-feira às 13 horas, informou que um grupo de inspeção decolaria de Brasília. Às 16h33 um Embraer 190, nominado na FAB como VC-2, com a numeração 2591 pousou em Passo Fundo. Mesmo com restrições operacionais, se acordo com os NOTAMs da ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, está autorizada a operação de aeronaves militares. Um grupo de mais de 15 pessoas desembarcou e seguiu em micro-ônibus para observar outros locais. O GTE é o órgão responsável pelos voos com autoridades federais. Como trará o presidente Bolsonaro, certamente utilizará o avião presidencial, um Airbus 319. A segunda opção é o próprio VC-2 que esteve em Passo Fundo. Inspeção final Nas obras de melhorias do Aeroporto Lauro Kortz, seguindo um anteprojeto elaborado pela comunidade, foi privilegiada a construção de um novo TPS – terminal de passageiros, cujas obras foram concluídas há poucos dias. A pista recebeu melhorias, mas não foi ampliada na largura como era a expectativa. A inauguração do novo terminal estava prevista para o mês de março, foi cancela por problemas na agenda de autoridades federais. O diretor do DAP, Leandro Taborda, nesta quarta-feira estará em Passo Fundo para vistoriar o terminal, o amplo pátio de estacionamento e o acesso à pista. As obras de melhorias na pista, construção no voto TPS e pátio de aeronaves foram realizadas com verba federal com contrapartida do Estado. Com relação à programação oficial da inauguração, Taborda ainda não pode informar detalhes, pois é de competência do gabinete do secretário e do protocolo do Piratini. Infraero A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária - Infraero, assumiu a gestão do Aeroporto Lauro Kortz em Passo Fundo. O contrato com o Departamento Aeroportuário do RS – DAP, prevê que o Lauro Kortz fique sob o comando da Infraero por 24 meses, prorrogáveis ao final do prazo. A gestão terá um custo mensal superior a R$ 250 mil para os cofres estaduais. A Infraero responderá pela administração e operações no aeroporto, incluindo os serviços de pátio, como sinalização de aeronaves e segurança na área. Operações restritas Por questões técnicas, o Lauro Kortz opera apenas para voos visuais diurnos e não está liberado para pousos e decolagens de aviões com motorização a reação (jatos). O motivo é a falta de aferição do conjunto PAPI - Precision Approach Path Indicator, sistema de luzes que orientam os pilotos na reta final até o toque da cabeceira 09. As quatro unidades foram substituídas pelo fabricante a OCEM Airfield Technology e, agora, necessitam aferição por aeronave do GEIV. O conjunto da cabeceira 27 foi consertado e houve troca de placas pelos técnicos da Systems Engineer at Sealite. Após a aferição, a ANAC deve emitir um novo NOTAM para, enfim, liberar jatos e as operações por instrumentos (IFR) no Aeroporto de Passo Fundo. As empresas aéreas devem retomar seus slots em seguida. A Azul vende passagens para o destino Passo Fundo a partir de 25 de abril. Fonte: https://www.onacional.com.br/cidade,2/2022/04/05/preparativos-para-bolsonaro-inau,121634
  4. Aeroporto de Passo Fundo está sob administração da Infraero Inauguração do novo terminal de passageiros está prevista para sexta-feira Por Luiz Carlos Schneider/ON 04 de Abr · 2 min de leitura Novo terminal de passageiros está sinalizado Foto – LC Schneider-ON Você prefere ouvir essa matéria? A-A+ Segunda-feira, 04, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária - Infraero, assumiu a gestão do Aeroporto Lauro Kortz em Passo Fundo. Nas últimas semanas, os funcionários da estatal já estavam no local acompanhando obras e a retomada das operações. De acordo com o contrato firmado com o Departamento Aeroportuário do RS – DAP, o Lauro Kortz ficará sob o comando da Infraero por 24 meses. Nesse período responderá pela administração e operações do aeródromo. Isso representa a troca de equipes terceirizadas, como de segurança do local. Todos os serviços de pátio, como sinalização de aeronaves, também estão sob o seu comando. Recentemente, a Infraero entregou a administração de três aeroportos gaúchos (Pelotas, Bagé e Uruguaiana) que foram privatizados. Infraero A gestão terá um custo mensal superior a R$ 250 mil para o Estado. A proposta visa a preparação do Lauro Kortz para a privatização, o que poderá ocorrer dentro de dois anos. De acordo com o superintendente de Negócios da Infraero, Rodrigo Medeiros, “oferecemos a aeroportos públicos e privados uma completa linha de produtos e serviços, resultado da competência, da inteligência e da tecnologia desenvolvidas ao longo de quase meio século de experiência em aeroportos”. O acordo assinado com a Secretaria de Logística e Transportes prevê a possibilidade de prorrogação do contrato Inauguração O novo TPS – terminal de passageiros - do Aeroporto de Passo Fundo está com as obras concluídas. A inauguração, que estava prevista para o mês de março, foi cancela por problemas na agenda de autoridades federais. Porém, agora, tudo se encaminha para que seja inaugurado na próxima sexta-feira, 08. “O previsto é para o final de semana”, disse o diretor do DAP, Leandro Taborda, que na quarta-feira estará em Passo Fundo para vistoriar as obras. As obras de melhorias na pista, construção no voto TPS e pátio de aeronaves foram realizadas com verba federal com contrapartida do Estado. Assim, é grande a possibilidade de que o presidente Jair Bolsonaro venha para a inauguração, juntamente com Marcelo Sampaio, que assumiu como ministro da Infraestrutura. O GTE – Grupo de Transporte Especial da FAB, responsável pelos voos com autoridades federais, já manteve contato solicitando informações operacionais do Lauro Kortz. PAPIs substituídos Com abertura da pista na quarta-feira, 30 de março, o Aeroporto de Passo Fundo retomou as operações. Porém, por questões técnicas, há limitação para operações de aviões com motorização a reação (jatos) e pousos e decolagens noturnos ou por instrumentos. Para acabar com essas restrições é necessária a homologação dos PAPIs - Precision Approach Path Indicator, sistema de luzes que orientam os pilotos na reta final até o toque. Após longa novela, há duas semanas, foram substituídos pelo fabricante, a OCEM Airfield Technology, os equipamentos da cabeceira 09. Já o conjunto da cabeceira 27 foi consertado com a troca de placas pelos técnicos da Systems Engineer at Sealite. Como o sistema de luzes é instalado em ângulos de precisão, é indispensável que seja novamente aferido em voo. Assim, o que falta agora é a vinda de uma aeronave-laboratório do GEIV para calibrar o equipamento. Homologações Aos poucos, o Aeroporto Lauro Kortz enquadra-se dentro das exigências aeroportuárias. Nos últimos dias, foram expedidos sete NOTAMs – notificações oficiais relacionadas às operações. No dia 30, em duas notas, a pista foi reaberta. No dia seguinte as mesmas notas foram acrescidas da liberação operacional para aeronaves militares sem restrições. Ontem, 04/04, mais dois NOTAMs efetivando a nova posição da pista, que mudou de 08-26 para 09-27, e a alteração geográfica das cabeceiras. O último NOTAM confirma a mudança na extensão de 1.700 para 1.680 metros. Assim, mesmo que seja inaugurado na sexta-feira, o novo terminal de passageiros, pátio de estacionamento e taxiway ainda necessitam de homologação. Fonte: https://www.onacional.com.br/cidade,2/2022/04/04/aeroporto-de-passo-fundo-esta-so,121619
  5. Incrivelmente, os PAPIS ainda estavam com problemas até a última quinta-feira! Os PAPIS, apesar de estarem brilhando, somente três das cinco posições funcionavam corretamente. No entanto, foi confirmada a inauguração do novo terminal do Aeroporto de Passo Fundo para o dia 23/03/2022! Mas os voos regulares só retornam a partir do dia 05/04/2022. Ao que tudo indica, haverá a presença do presidente, governador e alguns deputados gaúchos querendo aparecer como benfeitores da obra. A Infraero irá assumir a administração do aeroporto até a concessão, que espero que seja realizada logo, com a obrigação de alargamento da pista.
  6. Só não entendi o motivo do município de Mato Castelhano receber os direitos sobre o hangar, ele deveria ser integrado aos bens do município de Passo Fundo, para imediata demolição. Este aeroporto é uma novela, sempre foi muito mal administrado pelo DAP/RS, agora será administrado pela Infraero até a concessão. Em relação às obras a empresa e o Governo Gaúcho enrolaram demais o início das obras e acho inacreditável uma empresa vender os PAPIS e não se responsabilizar pelo correto funcionamento desde o primeiro dia de sua instalação até a homologação e liberação do órgão responsável.
  7. Já fiz alguns voos com a 8I, em três deles tive atraso não significativo (menos de 30 minutos), outros três saíram pontualmente, um cancelamento que obtive direito à remarcação além de um voucher, ou seja, para mim que tenho flexibilidade de horários caso tenha cancelamento, a companhia está me servindo bem, sem qualquer receio de continuar voando nela mais algumas vezes, especialmente entre Porto Alegre e Guarulhos, que é a rota que eu mais utilizo.
  8. Sua colocação no item 3 foi perfeita! Sim, com certeza o terreno de PFB é bem diferente, não está no meio de um vale, em compensação é uma das cidades mais densas verticalmente no RS, inclusive, bem próximo da rota de pouso, há uma grande torre de antenas da Telebrás, com aproximadamente 100m e, verificando os NOTAMs de PFB no AISWEB, verifiquei que não há informação sobre a torre.
  9. Acho estranho uma aeronave estar a menos de 50m do solo em uma região serrana, se preparando para pousar em um vale, sendo que a cabeceira da pista está a 4km de distância. Suponho que estava nesta altura, pois em média, as torres de alta tensão possuem 40m de altura. Não sou piloto, mas sou curioso demais, a casa dos meus pais fica na rota de pouso do PFB, cerca de 4km da cabeceira e as aeronaves passam muito mais alto. Prefiro acreditar que tenha ocorrido uma falha na aeronave, até a investigação terminar.
  10. Enquanto isso, PFB continua com a pista fechada. No início de novembro, a ANAC divulgaria um relatório sobre a vistoria na pista, desde então ninguém mais teve notícias da liberação. GEL operando aeronaves com mais de 120 assentos? Agora me surpreendi.
  11. Prezados, não sou especialista, nem sou piloto, mas uma torre de energia a 4km de distância da pista, por mais que seja um obstáculo, não deveria ser a causa de um acidente, pois a aeronave não estava pousando em um terreno plano e sem obstáculos, estava pousando em uma região serrana. Quando citam a ausência das bolas laranjas, se fosse em horário sem iluminação ou com restrição de visibilidade em razão do clima, até acho que fariam alguma diferença, mas com o clima bom, visibilidade boa, também não me parece ser o motivo da colisão. Cartas de aproximação estavam corretas? AISWEB informava as corretas condições do aeroporto e da pista? Fico com essa dúvida, pois, há mais de 11 meses o aeroporto da minha cidade (PFB) encontra-se fechado, e a burocracia para liberar a pista reformada é enorme, com medições de aeronave laboratório para verificar a precisão das posições da pista, além do redesenho das cartas aeronáuticas.
  12. Começou a inspeção da ANAC no Aeroporto Lauro Kortz Técnicos da Agência Nacional da Aviação Civil realizam uma vistoria no solo para permitir a homologação da pista Por Luiz Carlos Schneider/ON 19 de Out · 3 min de leitura Equipe da ANAC chegou ontem à tarde -Foto–Luciano Breitkreitz-ON Você prefere ouvir essa matéria? A-A+ Conforme antecipamos com exclusividade em nossa edição de ontem, a ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, iniciou a tão aguardada inspeção na área operacional do Aeroporto Lauro Kortz. Três funcionários do órgão, responsável pela regulamentação e segurança na aviação civil, realizam uma vistoria no aeródromo. Na terça-feira, às 15h08, eles chegaram via rodoviária no Aeroporto de Passo Fundo, quando foram recebidos por Rômulo Medeiros Saraiva, do Departamento Aeroportuário da Secretaria de Logística e Transportes do Estado do Rio Grande do Sul. A vistoria é realizada em solo e a previsão é de que seja finalizada até quinta-feira, 21. Esse procedimento é fundamental para dar sequência aos trâmites técnicos necessários, que antecedem a reabertura do aeroporto. A precessão A pista do Aeroporto de Passo Fundo foi interditada para operações de pouso e decolagem em 11 de janeiro deste ano e obras de melhorias foram realizadas dentro do cronograma inicial. Porém, após a falta de homologação por trâmite burocrático, o fechamento teve uma sequência de cinco prorrogações. O objetivo da visita do pessoal da ANAC é para realizar medições na infraestrutura, que sofreu algumas alterações nas obras de revitalização da pista. A vistoria é essencial para outros procedimentos que antecedem a homologação da pista. Dentre os itens em estudo, um dos mais importantes nessa avaliação está relacionado à alteração na numeração das cabeceiras de 08/26 para 09/27, o que significa uma mudança de 10º no eixo magnético da pista. Isso ocorreu devido à precessão, fenômeno natural que altera a orientação magnética em consequência dos movimentos de rotação e transição realizados pelo planeta. Mais do que uma simples mudança dentro dos quadrantes da rosa dos ventos, a alteração reflete diretamente nas cartas aeronáuticas e nos procedimentos de aproximação por GPS, através do sistema RNAV. As cercanias As cartas com procedimentos de aproximação, espécie de mapas inseridos nos aviônicos das aeronaves, também mudam em relação às cercanias do aeroporto e, ainda, de um longo percurso de aproximação. Isso determina a exigência de análises que incluem o PBZPA – Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo, que estabelece as restrições impostas ao aproveitamento das propriedades dentro da ZPA – Zona de Proteção de um Aeródromo. Nessa área devem ser observadas modificações em relação às elevações que podem ser prédios ou mesmo alguma antena. A aferição Cumpridas todas as exigências de avaliação em solo e formatação técnica das condições da área, o próximo passo será a aferição realizada em voo e, simultaneamente, apoiada em solo. Essa etapa ficará sob a responsabilidade do GEIV – Grupo Especial de Inspeção de Voo com a utilização de aeronave-laboratório, um avião equipado com instrumentos para medições de precisão. O resultado permitirá definir para quais procedimentos a pista estará certificada. O avião utilizado nesse serviço é o conhecido Embraer Legacy 500, que na FAB recebe a denominação IU-50. Porém, após as obras, no caso do Lauro Kortz também serão ajustados os novos PAPIs - Precision Approach Path Indicator. Esse sistema luminoso fica ao lado das cabeceiras da pista e, através da visualização de luzes brancas e vermelhas, permite que os pilotos mantenham o avião dentro de uma rampa ideal no procedimento de aproximação. A homologação Após cumprir as indispensáveis etapas de avaliações técnicas, terá prosseguimento o trâmite para a homologação da pista do Lauro Kortz. Essa etapa ocorre no Comando da Aeronáutica, através do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, órgão gestor do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro. Assim, imediatamente após a homologação, o Departamento Aeroportuário do Estado irá solicitar a publicação de um NOTAM - notificação que regulamenta as operações nos aeródromos brasileiros, para retomada das operações. Atualmente, está em vigor o NOTAM E2465-R que mantém o fechamento da pista até o próximo dia 31 de outubro. Após a liberação, as empresas aéreas que mantêm slots no aeroporto devem retomar a venda de passagens tendo como destino ou origem Passo Fundo. A Gol fará a ligação com Guarulhos e a Azul com Viracopos e, ainda, voos sazonais para Florianópolis. Obras de melhorias sem ampliação da pista O projeto de melhorias no Aeroporto Lauro Kortz não contempla a ampliação da pista, que permanece com 1.700 metros de comprimento por 30 de largura. As novidades técnicas ficam por conta do aumento do PCN, indicador da capacidade operacional (peso-impacto) elevado para 42, permitindo a operação do novo Embraer E-2 da Azul. O novo índice ainda não permitirá receber aviões de grande porte como o 737-800 ou cargueiros. A segurança operacional aumentou com a retirada do barranco que havia ao lado do terminal de passageiros, pois alterava as condições do vento na pista. Além disso, foi feito o grooving, ranhuras transversais que facilitam a drenagem da água sobre a pista. As obras seguem com a edificação do novo terminal de passageiros, taxiway e pátio de aeronaves. Fonte: O Nacional Link: https://www.onacional.com.br/cidade,2/2021/10/19/comecou-a-inspecao-da-anac-no-ae,119291
  13. ANAC inspeciona o Aeroporto de Passo Fundo Após as obras, o procedimento é necessário para a aferição e a certificação da pista Por Luiz Carlos Schneider/ON 19 de Out · 3 min de leitura Cabeceira ao lado da Efrica agora tem o número 27 (Foto – Divulgação) Você prefere ouvir essa matéria? A-A+ Nessa semana, será dado um importante passo para a reabertura do Aeroporto Lauro Kortz em Passo Fundo. Com a pista interditada para operações desde 11 de janeiro deste ano, a falta de homologação por trâmite burocrático determinou uma sequência de cinco prorrogações no fechamento. Agora, está programada para essa semana a vinda a Passo Fundo de técnicos enviados pela Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC. O objetivo é realizar uma vistoria na infraestrutura que sofreu que sofreu alterações. Essa inspeção é fundamental para dar sequência aos trâmites necessários para a homologação da pista. Após essa atividade realizada em solo, será possível realizar uma aferição em voo com aeronave-laboratório do GEIV, Grupo Especial de Inspeção de Voo. Depois de cumprir todos os requisitos necessários, o aeroporto será reaberto para operações. Zona de proteção As obras de melhorias na pista foram realizadas dentro do cronograma inicial. No aspecto operacional, a principal mudança técnica foi o aumento do PCN, indicador da capacidade operacional (peso-impacto) elevado para 42. Porém, devido à precessão, fenômeno natural que altera a orientação magnética em consequência dos movimentos de rotação e transição da Terra, houve alteração na numeração das cabeceiras de 08/26 para 09/27. Isso representa uma mudança de 10º no eixo magnético da pista, alterando também as cartas aeronáuticas e os procedimentos de aproximação RNAV (por GPS). Isso determina a exigência de análises que incluem o PBZPA – Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo, que estabelece as restrições impostas ao aproveitamento das propriedades dentro da ZPA – Zona de Proteção de um Aeródromo. O diretor do DAP, Departamento Aeroportuário do RS, engenheiro Leandro Taborda, explicou que a ZPA “é aquilo que está na aproximação para as cabeceiras, como edificações e antenas”. Etapa burocrática Na metade do ano, após análise preliminar, a etapa documental já estava cumprida e aguardava pela avaliação técnica. O trâmite ocorre no Comando da Aeronáutica, através do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, órgão gestor do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro. Assim, após a inspeção em solo pela ANAC, prevista para a partir desta terça-feira, o indicativo é de que a etapa burocrática encaminha-se para a conclusão. Isso permitirá subsídios para que o pessoal do GEIV, Grupo Especial de Inspeção de Voo, realize a aferição de equipamentos, em especial os novos PAPIs - Precision Approach Path Indicator. Os sistemas, instalados ao lado das cabeceiras, através de luzes brancas e vermelhas, permite que os pilotos visualizem uma rampa ideal de descida. Depois disso, a pista cumprirá todos os requisitos necessários para a homologação e, através de um novo NOTAM, notificação que regulamenta as operações nos aeródromos brasileiros, reabrirá para operações de pouso e decolagem. Atualmente, vigora o NOTAM E2465-R que mantém o fechamento da pista até o próximo dia 31 deste mês. Novo terminal Independente da liberação da pista, as obras do novo terminal de passageiros, taxiway e pátio de aeronaves tem cronograma de finalização para dezembro. E as obras seguem de acordo com o cronograma estipulado inicialmente. O novo TPS, que fica à esquerda da via de acesso ao atual, será bem mais amplo e com uma moderna estrutura. Além disso, haverá um amplo pátio pavimentado para receber até cinco aviões comerciais de porte médio. Também está em obras uma nova taxiway para permitir a ligação da pista com o novo terminal. Empresas aéreas & aviação geral O Aeroporto Lauro Kortz tem importância para Passo Fundo e uma grande região, propiciando a conexão com as malhas aéreas nacional e internacional. As empresas Azul e Gol, que detêm slots com voos regulares para São Paulo, cancelaram a venda de passagens tendo como origem ou destino Passo Fundo. Isso ocorre devido às sucessivas prorrogações do fechamento do aeroporto, evitando transtornos para os usuários e para as empresas. Antes da pandemia, o movimento de passageiros das linhas aéreas em Passo Fundo ficava acima de 10.000/mês com pico em dezembro de 2018, quando embarques e desembarques superaram 26.000 pessoas. Assim que houver a liberação da pista, a Gol retoma a venda de passagens na ligação para Guarulhos. Já a Azul, além de Viracopos, também deverá reativar a ligação sazonal para Florianópolis. Aviação geral O Lauro Kortz é importante porta de embarque e desembarque para executivos e outros profissionais que utilizam aeronaves de pequeno porte, mono ou multimotores, a pistão, jatos ou turboélices que servem empresas e particulares. Aviões ambulância, militares, de instrução ou transporte de órgãos são responsáveis pelo movimento da aviação geral que representa uma média de 140 pousos/decolagens mensais em Passo Fundo. Até o fechamento para obras de melhoria na pista, muitos dos principais usuários mantinham aeronaves hangariadas no próprio aeroporto: um jato Citation, um turboélice Pilatus PC-12, um bimotor Seneca dois monomotores Cirrus e um Cessna. Mas, além desses, aviões de empresas com vínculos comerciais com Passo Fundo e região também respondiam por boa parte da movimentação do Lauro Kortz. Fonte: O Nacional Link: https://www.onacional.com.br/cidade,2/2021/10/19/anac-inspeciona-o-aeroporto-de-p,119274
  14. PFB merecia um novo terminal há trinta anos. O novo terminal promete ser até cinco vezes maior que o atual. Na minha opinião, se não fosse a pandemia, já iniciaria suas operações saturado! Acho pouco espaço para comportar duas operações simultâneas em aeronaves distintas (embarque/desembarque) e uma de espera (despacho e embarque próximo). Mas é melhor do que não ter ampliação nenhuma! Agora resta torcer para ser concedido à iniciativa privada o quanto antes.
  15. Luftbahn! A Swiss também tinha acordo com uma empresa de trens, salvo engano. Não cheguei a utilizar o serviço, mas recordo que quando emiti uma passagem entre GRU-ZRH, havia a opção de ir à Lucerna, comprando os bilhetes de trem junto com os aéreos.
  16. Se a ITA tivesse pensado em iniciar suas operações com aeronaves menores, acho que seria contratada pela G3 para operar voos em cidades como Bagé, Santo Ângelo, Uruguaiana e Vacaria. Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas e Santa Maria, comportam voos com o 737, espero que depois das obras do aeroporto de Passo Fundo, abram novas rotas como Curitiba, Foz e Rio de Janeiro.
  17. Joker, Será que o tráfego corporativo voltará a ser o que era antes? Muitas empresas gostaram da redução de custos com grandes escritórios físicos sendo migrados para home offices e a troca das reuniões presenciais pelas net meetings. Acredito que parte das visitas presenciais para a prospecção de novos clientes irão retornar, mas simples reuniões do cotidiano empresarial acredito que não.
  18. Eu achei bem bonito o aeroporto, discordo que tenha cara de aeroporto velho! BER não foi construído para ser um ícone da arquitetura aeroportuária, foi projetado para ser funcional com ter uma arquitetura sóbria - mesmo com todos os erros. Gostei muito das cores e dos padrões utilizados.
  19. Erechim, acredito que não tenha nenhum voo regular. A pista do aeroporto tem apenas 1200m, e o terminal é tão precário quanto o de Passo Fundo. A população de Passo Fundo é o dobro da cidade de Erechim. Por isso, acho que não tem a menor condição de Erechim roubar passageiro nem de XAP, nem de PFB.
  20. Joker, amigo, você é uma enciclopédia de dados! Um fato que impacta também no movimento do aeroporto de Passo Fundo, é que como sempre foi precário, quase todas as linhas rodoviárias intermunicipais do interior do RS, com destino à Porto Alegre, após o desembarque na rodoviária, se dirigem gratuitamente ao Aeroporto de Porto Alegre para desembarcar passageiros, especialmente os ônibus da Unesul e da Ouro e Prata. Se o norte do RS tiver um aeroporto decente, naturalmente a demanda da região vai crescer, as empresas oferecerão novos horários e destinos em preços competitivos, fazendo com que muitos deixem de optar pelo embarque/desembarque em Porto Alegre. Erechim, Lagoa Vermelha, Casca, Guaporé, Fontoura Xavier, Cruz Alta, Palmeira das Missões, são algumas das cidades que o aeroporto pode captar passageiros para Passo Fundo.
  21. Se PFB já tivesse um terminal e uma pista adequada, acredito que teria até mais movimento que XAP. A região que PFB consegue absorver passageiros é grande! Hoje, se eu preciso ter maior segurança de que um voo não será cancelado em razão do clima, especialmente em viagem bate-volta de finais de semana, eu adquiro passagem com origem e destino em XAP, já que em menos de 2h é possível chegar de carro de PFB-XAP via Ronda Alta, onde a estrada conta com muitas retas, asfalto em condições adequadas, pouco movimento na estrada em alguns horários e sem controladores de velocidade. Ou seja, muitos de Passo Fundo como eu, voam via Chapecó.
  22. Interessante, acho que um voo São Paulo-Canela irá rodar bem, a Serra atrai muitos visitantes especialmente agora, que os países da região estão com fronteiras fechadas e o turismo nacional irá absorver muitos turistas que, costumeiramente estariam indo ao exterior.
  23. Eu sou amante da aviação mesmo não fazendo parte de nenhuma empresa aérea. Gosto de viajar e conhecer sempre novos serviços, empresas, aeronaves, e, principalmente, novos destinos! Para um amante de viagens é muito triste ver esta situação e me fez pensar na utilidade da OMS, que nunca teve um plano de contingencia para uma emergência desta magnitude, pelo visto. Sei que em momento algum era esperado que um vírus tivesse a capacidade de ser propagado pelo mundo inteiro, de forma tão rápida, que colocassem a grande maioria das aeronaves no chão, que acabassem, temporariamente, com toda a cadeia econômica de produtos e serviços do turismo de negócios e de lazer no mundo todo. Grande parte dos negócios em todo o mundo ainda sofrerá impactos maiores, prejuízos imensos, mas não consigo ver com bons olhos esta MP. Ajuda governamental para as aéreas deveria se limitar ao não pagamento de taxas e tributos neste ano, tanto no âmbito federal quanto no estadual. A MP trata o passageiro como um meio de financiador temporário da empresa, retendo os valores de reembolso por 12 meses não me parece uma atitude correta, visto que muitos que viajam também são autônomos e diante da crise, também são impactados fortemente. Outro ponto falho da MP é o período de compra dos bilhetes e da data de corte dos voos. Muitos passageiros compraram passagens em meados de 2019 para voarem em meados de 2020, quando sabemos que em junho ainda teremos muitos reflexos negativos para viagens internacionais. Mas é um bom começo o acordo firmado com o MPF depois, sobre a não cobrança da diferença tarifária em grande parte dos casos.
  24. Eu não me importo com lojas espalhadas pelo caminho, mas me incomodo com quiosques exatamente no meio do fluxo. Ontem havia muito movimento no T2 de GRU, achei que a loja da Dufry, em frente ao acesso as escadas de restituição de bagagens e ao acesso à sala VIP do Bradesco, atrapalha demais! Muitos passageiros tentando descobrir para onde ir e os passageiros que já conhecem bem o terminal, sendo presos em razão do movimento.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade