Jump to content

PFB-CGH

Padrinho 1º grau
  • Content Count

    254
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by PFB-CGH

  1. Interessante! Me preocupa o fato da etiqueta ser impressa sem o peso, isso ocorre com o totem da Latam em Porto Alegre, onde o peso fica registrado na hora da entrega da bagagem apenas no sistema. Em eventual violação da bagagem a ausência do peso documentado na etiqueta é um problema.
  2. Não há balanças para a pesagem das bagagens neste balcão? Recentemente minha bagagem foi violada, com diversos itens subtraídos do seu interior, neste caso, a diferença do peso entre o despacho e a restituição, foi um dos pontos usados para fixar os danos materiais judicialmente.
  3. Problemas de produção em avião da Boeing faz empresa rever controle de qualidade Fabricante diz que não há ameaças de segurança imediatas, mas partes da fuselagem não cumpriram os padrões; oito aeronaves estão estacionadas 7.set.2020 às 15h43 Ouvir o texto Diminuir fonte Aumentar fonte NOVA YORK | THE WALL STREET JOURNAL Problemas de produção em uma fábrica do jato Dreamliner 787 da Boeing levaram reguladores da segurança aérea a rever falhas de controle de qualidade de quase uma década, segundo um memorando interno do governo e pessoas inteiradas do assunto. A fabricante de aeronaves disse ao órgão regulador do setor nos Estados Unidos que produziu certas peças em suas fábricas na Carolina do Sul que não cumpriram seus próprios padrões de projeto e fabricação, segundo um memorando interno de 31 de agosto da Agência Federal de Aviação (FAA na sigla em inglês), visto por jornal The Wall Street Journal. Em consequência de partes "desconformes" na fuselagem da cauda, ou o corpo do avião, que ficaram aquém dos padrões de engenharia, segundo o memorando e essas fontes, uma revisão de alto nível na FAA está considerando ordenar inspeções intensas ou aceleradas que poderão incluir centenas de jatos. Avião da United Airlines modelo Boeing 787 Dreamliner em San Francisco, California - Louis Nastro - 11.abr.2016/Reuters O memorando, uma atualização rotineira ou sumário de questões de segurança pendentes no escritório da FAA em Seattle, que supervisiona questões de projeto e fabricação da Boeing, diz que tal diretriz de segurança pode incluir aproximadamente 900 dos cerca de mil Dreamliners entregues desde 2011. O texto final depende do resultado das atuais revisões pela Boeing e a FAA, assim como de decisões de autoridades graduadas da agência. A extensão das revisões reflete que as preocupações do órgão regulador são significativas. A Boeing disse aos reguladores que um defeito resultante de lapso de qualidade não representa uma ameaça de segurança imediata para a frota de Dreamliners, segundo fonte do The Wall Street Journal. Os jatos de cabine larga têm um excelente histórico de segurança e são frequentemente usados em rotas internacionais. Os reguladores não estão preparando ações imediatas e não indicaram publicamente que medidas poderão tomar. Mas esse deslize, combinado com outro defeito em linha de montagem descoberto recentemente, levou a Boeing a tomar a medida incomum no final de agosto de voluntariamente dizer às companhias aéreas para estacionarem oito de seus 787 para reparos imediatos. Desde então, a Boeing confirmou publicamente que os oito não estavam seguros para continuar em serviço. Ambos os defeitos levaram a Boeing a determinar que os oito jatos não cumpriam "exigências para voo e pouso seguros" com solidez estrutural, segundo o memorando da FAA, que resumiu a situação do exame da questão pelo órgão. A Boeing também determinou que o segundo defeito por si só não constitui um risco iminente à segurança. Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/09/problemas-de-producao-em-aviao-da-boeing-faz-empresa-rever-controle-de-qualidade.shtml
  4. Interessante, acho que um voo São Paulo-Canela irá rodar bem, a Serra atrai muitos visitantes especialmente agora, que os países da região estão com fronteiras fechadas e o turismo nacional irá absorver muitos turistas que, costumeiramente estariam indo ao exterior.
  5. Tenho a mesma opinião, Lipe. Eu resolvi torrar todos os 400 mil pontos que eu tinha em programas por produtos, pois não pretendo viajar a turismo antes de agosto de 2021. Acredito que enquanto não houver uma troca de estações opostas nos hemisférios, não saberemos os verdadeiros impactos do coronavírus no planeta. Muitos acreditavam que no Brasil não haveria mais que 1000 vítimas fatais, em razão do nosso clima, mas quando observamos o caos que já estamos vivendo em regiões quentes do nosso país, fica claro que o vírus gosta do calor também. Quando um destino estiver se livrando do pico da pandemia, uma origem estará entrando no pico. Nova York, Milão, Madrid, Paris, Londres, acredito que por um bom tempo não serão as opções dos turistas.
  6. Eu sou amante da aviação mesmo não fazendo parte de nenhuma empresa aérea. Gosto de viajar e conhecer sempre novos serviços, empresas, aeronaves, e, principalmente, novos destinos! Para um amante de viagens é muito triste ver esta situação e me fez pensar na utilidade da OMS, que nunca teve um plano de contingencia para uma emergência desta magnitude, pelo visto. Sei que em momento algum era esperado que um vírus tivesse a capacidade de ser propagado pelo mundo inteiro, de forma tão rápida, que colocassem a grande maioria das aeronaves no chão, que acabassem, temporariamente, com toda a cadeia econômica de produtos e serviços do turismo de negócios e de lazer no mundo todo. Grande parte dos negócios em todo o mundo ainda sofrerá impactos maiores, prejuízos imensos, mas não consigo ver com bons olhos esta MP. Ajuda governamental para as aéreas deveria se limitar ao não pagamento de taxas e tributos neste ano, tanto no âmbito federal quanto no estadual. A MP trata o passageiro como um meio de financiador temporário da empresa, retendo os valores de reembolso por 12 meses não me parece uma atitude correta, visto que muitos que viajam também são autônomos e diante da crise, também são impactados fortemente. Outro ponto falho da MP é o período de compra dos bilhetes e da data de corte dos voos. Muitos passageiros compraram passagens em meados de 2019 para voarem em meados de 2020, quando sabemos que em junho ainda teremos muitos reflexos negativos para viagens internacionais. Mas é um bom começo o acordo firmado com o MPF depois, sobre a não cobrança da diferença tarifária em grande parte dos casos.
  7. Hoje pela manhã havia uma aeronave da Icelandair no aeroporto de Porto Alegre, será que estava servindo o voo da Cabo Verde?
  8. Amigo, A partir do dia 12/03 só visualizo o voo AD4252. E a G3 normal, com suas 2 frequências diretas entre GRU-PFB
  9. VCP-PFB que chegaram a ser 4 diários, nesta semana parece que só terá 1. A chegada da Gol, com 2 frequências diárias deve estar impactando bastante a Azul.
  10. Depois da notícia do upgrade da aeronave na rota GRU-LIS-GRU, eu que tinha apenas a passagem de ida pela Azul até a Porto, acabei comprando a volta pela Latam via LIS. Será minha primeira viagem na executiva de uma aeronave A350 da Latam.
  11. Lipe, Salvo engano, antigamente, a Gol já operou POA-SCL, mas com a Latam operando, acredito que por um bom tempo, não irá se interessar pela rota.
  12. As tarifas da LA na rota GRU-LIS estão bem altas nas datas que procuro, superando inclusive as tarifas de GRU-FRA.
  13. Que excelente notícia para a região! Único aeroporto que não inicia obra nenhuma é o de Passo Fundo, nem com recursos garantidos, licitação realizada...
  14. Como viajante frequente à Europa, acho que faltam voos diretos para BRU e DUB. BRU além de não ter concorrência, conta com uma grande infraestrutura de voos intra-europa e uma malha ferroviária excelente. DUB é praticamente um reduto de brasileiros e também distribuiria passageiros pelo UK com facilidade, apesar de não fazer parte do reino, utiliza o mesmo sistema migratório dele, fora da área Schengen, e ainda teria a vantagem de ter taxas aeroportuárias mais baixas que LHR. FCO, sempre achei que a LA havia entrado na rota pensando na quebra da AZ, não acompanhei números, mas acredito em um retorno da LA na rota para o próximo ano com a Alitália quebrando ou não.
  15. Eu não me importo com lojas espalhadas pelo caminho, mas me incomodo com quiosques exatamente no meio do fluxo. Ontem havia muito movimento no T2 de GRU, achei que a loja da Dufry, em frente ao acesso as escadas de restituição de bagagens e ao acesso à sala VIP do Bradesco, atrapalha demais! Muitos passageiros tentando descobrir para onde ir e os passageiros que já conhecem bem o terminal, sendo presos em razão do movimento.
  16. Sinceramente, espero que não leve cinco anos para o retorno do POA-MIA. Recentemente renovei meu visto estadunidense em POA, e a fila de requerentes não era pequena!
  17. Prezados Amigos, É preciso utilizar o mesmo e-mail cadastrado aqui no Fórum para o apadrinhamento? Não sou da área, mas sou apaixonado pela aviação. Contem com a minha modesta ajuda inicial.
  18. Realmente achava que era de passageiros, como forma de marcar presença em horário diferenciado. Inclusive havia pensado um dia utilizar a rota para conectar com o voo da QR. Obrigado pessoal.
  19. Eu sou um que deixarei de voar para VCP. Antes PFB era atendida apenas pela AD, agora em agosto a G3 passou a ofertar voos diretos para GRU. E já vi os preços da AD mudarem com a chegada de sua concorrente.
  20. A ponte CGH-SDU continua sendo a principal rota nacional, mas a relevância das viagens à negócios paulatinamente está diminuindo, não apenas pela crise, mas o formato de alguns negócios que acompanham a evolução da tecnologia, inserindo cada vez mais sistemas de conferência. Vai continuar sendo a mais importante e mais movimentada rota nacional, mas é muito assento vazio! Falando em ponte, ao consultar hoje o FR24, verifiquei que a rota mais movimentada de GRU é POA?! Me causou surpresa, visto que eu acreditava que fosse BSB.
  21. Com esse corte em POA, acredito que o voo entre POA-GRU de ATR, perto da meia noite, passe a ser realizado de A320 ou E95 em breve.
  22. Se alguém não se interessa por notícias de uma empresa, ou ainda, caso não goste dela, basta não acessar o tópico. O fato de Azul entrar na ponte, não quer dizer que ela deva oferecer o menor preço. A escolha continua sendo do cliente. Encontrei passagens na ponte por 109 reais com a Azul. Mas claro que se eu optar por um horário de pico, em uma segunda ou sexta-feira, os preços estão tão altos quanto as demais.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade