Jump to content

Sertanejo

Usuários
  • Content Count

    73
  • Joined

  • Last visited

About Sertanejo

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Sinop
  • Data de Nascimento
    01/01/1970

Profile Information

  • Location
    Brasil

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Vi parte da audiência, o governo está certo em deixar o livre mercado agir e se o novo operador quiser habilitar o aeroporto para voos internacionais que o faça mas também reconheço que aí é fechar a tampa do caixão pro Galeão. Um dia o RJ vai ter espaço pros dois aeroportos mas até chegar lá, a Rio Galeao já faliu ou passou o GIG pra frente a tempos. Discussão interessante à frente!
  2. Péssimo edital, as solicitações são estranhas demais, pediram 4C em Sorocaba. Além de ter que alargar 15mts a pista como é que vai fazer pra liberar a faixa de pista (150 Mts cada lado) com os hangares e tudo mais? Tiraram obrigações até de manter o IFR em SJP. Tão ruim quanto os editais do 6 lote de concessões da Infraero.
  3. Só pra jogar mais lenha na fogueira, o trip cost do 700 comparado com o 800 não muda muito; o 700 é uma aeronave menor e com mais performance pra alguns aeroportos mas de custos similares ao 800. Outra coisa, o 800 foi reclassificado para 3C o que abriu infinitas opções de aeroportos aqui no Brasil pra ele. A diferença em acessar novas demandas seria de fato a Gol ter uma aeronave do porte do Ejet e do A220, onde teriam custos mais baixos que o 700/800 sendo um avião para uns 100-120 pax.
  4. PR-MAU alternou FLN indo pra POA, aí perdeu trip e avião; só tinha um avião em Jundiai e foi justamente esse pra lá!
  5. Parece que a ANAC vai aceitar 12 apenas se a FAA liberar também, perece que lá também não pode voar 12. Mas entendo também que 12 vai deixar o avião mais apertado e também não vai mudar o peso máximo de decolagem, ou seja, limitaria o avião a voos bem curtos.
  6. Sim...E o barulho que fez da marca? Precifica isso por favor, precifica também os slots de Congonhas, o fato da Gol perder os acordos de ICMS, os novos acordos de ICMS que serão feitos devido o Caravan, o valor dos Caravans (todos próprios), o valor institucional de prometer ao governo 200 cidades...Tudo isso perto do valor que perdeu na MAIOR crise da história da aviação; não vejo como um mal negócio. Sem falar que sua análise de utilização da frota desconsidera spares, AOG, heavy check, 90% dos aeroportos brasileiros não operam noturno etc etc As tuas análises são matematicamente preci
  7. Sorte que os números não falam a verdade absoluta; a análise fria (apesar de bem feita) não leva em consideração muitos outros fatores. Sim, uma frota ainda maior de Caravans poderia interligar o Brasil ainda mais.
  8. Comparar o Voe Minas com a Azul não tem nexo. O projeto não tinha poder de venda que a Azul tem e tampouco a conectividade que a empresa oferece. Tentaram vender algo de nicho, com um RM sofrível (mesmo bandas tarifárias, o ticket médio era caro demais) e sem conectividade alguma.
  9. 90% deles tem limitação pro 3C, o ATR42 é 2C
  10. Devem estar começando a surgir porque o mercado de aeronaves deve estar muito barato, encorajando empresários. Sinceramente eu não creio no sucesso dessa e da Itapemirim mas caso a investida seja real, desejo sucesso.
  11. A TAP nunca precisou da Azul ou Gol no Brasil. Sozinha ela segue bem nas rotas daqui, apesar que, o fato da AD e DN saírem da condição de investidores não inviabiliza os acordos de code-share entre as empresas, que devem ser mantidos.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade