Jump to content

vfman

Usuários
  • Content Count

    502
  • Joined

  • Last visited

Posts posted by vfman

  1. Eu só sei de uma coisa, se eu estivesse em uma evacuação de emergência e o cidadão na minha frente parasse para retirar a bagagem, iria tomar um empurrão daqueles.

    Eu que não ficaria passivo esperando um cidadão desses.

     

    Eu faria questão de fazer o sujeito ir até a escorregadeira a base de bicudas.

     

    (ja faço quase isso no metro quando um lerdo fica na porta...)

  2.  

     

    vfman,

     

    Um breve esclarecimento a respeito dos "90 segundos" ...

     

    Esse valor de tempo refere-se, para efeito do processo de certificação de uma aeronave, caso ocorra uma necessidade de remover rapidamente todos os ocupantes (considerando a ocupação máxima permitida) utilizando apenas metade das saídas de emergência.

     

    Qual a razão de ser 90 segundos e apenas 50% das saídas? Foi estabelecido durante testes numa situação de fogo após um acidente, que dentro desse limite máximo é improvável que a aeronave será envolvida pelas chamas que ocasione uma consequente explosão (flashover). O limite de quantidade de saídas é em função de um possível cenário que possa ocorrer quando parte das saídas estarão bloqueadas por fogo e/ou dano estrutural. É claro que é impossível cobrir todas as variáveis na eventualidade de um acidente, mas esse é o regulamento em vigor e é utilizado pelos fabricantes e autoridades aeronáuticas.

     

    A respeito do que ocorre em casos extremos, como esse em Moscou, vale uma lida no relatório do evento com um B737-200 da British Airtours, em Manchester, em 1985, que foi um marco na indústria/comunidade aeronáutica para diversas modificações e implementação de procedimentos e equipamentos.

     

    Vale observar também que caem por terra certas teorias que afirmam onde é mais provável sobreviver a bordo de um avião em caso de acidente, um assunto que volta e meia aparece na mídia.

     

    Peguei o relatório do British Airtours pra ler, realmente interessante traçar os paralelos com o acidente com o SSJ. De fato a fumaça é um grande problema e nos videos é possível ver que ela invade a cabine antes mesmo do avião parar, então muitas dessas mortes podem ser atribuídas a ela.

  3. A aeronave tomou um raio e teve problemas com raio e voltou sem comunicação. Durante o pouso, houve um bounced Landing onde ocorreu o colapso dos trens e início do fogo.

    Chuto problemas de Flight Controls devido o raio ter atingido algum Flight Computer também, lembrando que a aeronave é FBW.

     

    Bem observado, se o aterramento não era muito bom, o FBW pode ter sido danificado pela descarga elétrica, isso pode explicar o bounced landing horrível que a aeronave sofreu.

  4. Tenso demais... tem muitos vídeos circulando no zap mostrando a traseira do avião em chamas e evacuação pela porta dianteira e nenhum sinal de viaturas de bombeiros. Ao voltar ao aeroporto para pouso de emergência, os bombeiros não deveriam "cercar" o avião assim que ele parasse como se vê em vídeos de outros acidentes?!!! Ou será que o incêndio assumiu uma proporção tão grande que os bombeiros não puderam se aproximar?

     

    Li em algum lugar que a aeronave ficou sem comunicação, então talvez a torre nem soubesse com antecedência que o avião estava vindo para pouso.

  5.  

    A AC afirmou em comunicado que transporta 9000 a 12 mil pessoas por dia em seus MAXs, o que é um enorme impacto que afetará todo o sistema deles. Eu me pergunto como eles podem realocar tantos passageiros?
    Cancelando os voos MAX, ou eles têm aeronaves estacionadas de reposição, ou eles trariam de volta as aeronaves paradas? Alguma ideia de quanto tempo isso poderia levar?

     

     

    Acredito que terão que ajustar a frota restante, cancelar algumas rotas e até arrendar aeronaves pelo período de paralisação dos MAX. Como exemplo, muitas cias arrendaram outras aeronaves para suprir a parada dos 787 com problemas nos motores Rolls-Royce. A própria Latam arrendou 747-400 e 777-200 para realizar seus voos.

    • Like 1
  6. Um resumo até então:

    - A Boeing ja sabia desde agosto que o MCAS poderia apresentar problemas.

    - Vários pilotos reportaram o problema de pitch-down no modelo.

    - Ocorre o acidente da Lion Air, a Boeing diz que o avião é seguro, mas que ira rever a atuação do MCAS.

    - Operação e entregas do MAX seguem normalmente.

    - Acidente com o Ethiopian com similaridades do Lion Air

    - Boeing reitera que a aeronave é segura

    - Investigação começa, China groundea os MAX

    - Outras Cias e Paises seguem a China e colocam os aviões no chão

    - Boeing segue dizendo que são seguros, assim como as cias americanas.

    - Europa e EUA ordenam o groundeamento dos 737 MAX 8 e 9.

     

    Para o próprio Trump, o maior defensor da industria Yankee, vir anunciar a medida, é porque encontraram caroço no angu, e deve ser um belo de um caroço.

     

    Especulações para o futuro:

    - Os MAX podem ficar semanas, senão meses, no chão, impactando as operações de dezenas de cias, assim como novas rotas planejadas, renovação de frota, etc.

    - As cias com certeza iram enfiar essa bucha no rabo da Boeing

    - Possivelmente o mercado financeiro irá punir a Boeing por causa dos prejuízos que os acionistas terão, obrigando a mesma a pagar uma bela multa.

    - Programa 737 MAX pode (e deve) sofrer com cancelamentos e ameaças de cancelamentos de encomendas por parte das Cias, visando um desconto.

    - A320 agradece.

    - Cabeças brilhantes vão rolar dentro da Boeing.

    • Like 6
  7. Só que eu acho isso tudo um exagero? A Boeing é uma empresa de credibilidade e anos de mercado.

     

    A Samsung é uma empresa com anos de credibilidade no mercado e fez um celular que explodia, a Johnson & Johnson é uma empresa com anos de credibilidade no mercado e mesmo assim produziu talcos para bebês com substancia cancerígena. A Takata ERA uma empresa com anos de credibilidade no mercado e fez airbags mortais.

     

    Nenhuma empresa está imune a erros, e ao que tudo indica nem a Boeing.

    • Like 12
  8. Via avherald.com :

     

    On Mar 11th 2019 two listeners on frequency reported independently the crew declared emergency shortly after normal departure, while in the initial climb, reporting they had unreliable airspeed indications and had difficulties to control the aircraft. The listeners could not hear later transmissions due to frequency changes.

     

    Muito parecido com a ocorrência do Lion Air até agora.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade