Jump to content

SkyLiner

Usuários
  • Content Count

    4,627
  • Joined

  • Last visited

About SkyLiner

  • Birthday 09/27/1982

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Brasil
  • Data de Nascimento
    01/01/1980

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Belo Horizonte

Contact Methods

  • Website URL
    http://
  1. Pode ser um monte de coisa. Design, pressa, cansaço ou alguma “digital instagrammer” mais preocupada com curtidas do que com sua porta.
  2. Fiz GRU FCO 2 semanas atrás no 772 da AZ, voando na Y. Avião com interior já dando sinais de cansaço, serviço de bordo simples, IFE sem tomadas ou sequer uma porta USB. Espaço entre as poltronas não era ruim, no entanto. Por sorte eu tinha meu livro, filmes e séries baixados no iPad e tinha carregado meu power bank... Dentre as opções que testei recentemente entre o Brasil e Europa (IB, KLM, Air Europa, AF, AZ), até agora incrivelmente a Iberia e a KLM foram as mais adequadas.
  3. O que seria suficiente? 1.000h de Aeroboero fazendo TGL com aluno em aeródromo não controlado pra lá de onde o Judas perdeu as meias? 1.000h anotadas, sendo 400 voadas, no meio da Amazônia em operação ilegal e sem padronização e segurança?
  4. Não consigo entender esse pano preto de gente supostamente esclarecida a respeito da pouca experiência do co-piloto. É óbvio que quanto maior a experiência, maior a habilidade do aviador em lidar com situações anormais, mas isso não torna a operação com um aviador "pouca hora" insegura. Inclusive porque com 200-300h, ele certamente passou recentemente por treinamento e está com ele fresco na memória. Se fosse assim, a Azul podia fechar as portas. Tirar a discussão do foco principal por conta da experiencia de um dos pilotos é de uma idiotice semelhante àquele projeto de lei no Brasil de obrigar as cias aéreas a divulgar pros passageiros a quantidade de horas dos pilotos de seu voo...
  5. Sobre pouso com chuva forte: a maioria dos SOPs proíbe, embora a chuva em si não feche aeroporto em termos de mínimos de procedimento, ou seja teto e/ou visibilidade (a não ser em aeroportos específicos, como CGH por exemplo, onde a autoridade proíbe a operação com chuva forte). A informação deve ser a mais atualizada disponível e a informação que os aviadores tinham na aproximação final pode não ser a que temos aqui. Talvez eles não tiveram acesso ao SPECI mais atualizado ou então nós não tivemos acesso à informação mais atualizada transmitida pra eles na aproximação final. Já fiquei parado no ponto de espera de CGH com uma chuva que na interpretação minha e do comandante era de leve pra moderada, mas que o órgão ATC declarou na fonia como chuva forte. Aí não tem o que fazer. É questão legal.
  6. Melhorar a burocracia é uma coisa. Flexibilizar a regra de quem pode portar a arma a bordo é outra. E BEM perigosa.
  7. LHR já está o caos hoje, com o fechamento de Gatwick por praticamente 24h por conta de drones...
  8. Me solidarizo com as perdas dos passageiros. Mas não dá pra comparar o prejuízo que alguém leva ao perder uma passagem aérea com o prejuízo de alguém que pode perder seu emprego e o sustento da sua família...
  9. Eu acho incrível que não haja uma maior pressão das próprias companhias pra que se tenha uma efetiva melhora do controle de tráfego aéreo no Brasil, dado o enorme prejuízo que se vê diariamente em termos de consumo de combustível, por conta de controle ineficiente. E isso sem contar os gastos quando ocorrem contingências muitas vezes evitáveis ou que seriam menos severas com um gerenciamento de fluxo melhor.
  10. A tripulação falhou? Mais do que isso, o SISTEMA falhou. Provavelmente falharam: - Os aviadores, que muitas vezes não focam sua atenção ao crosscheck do cálculo, confiando cegamente no EFB e no FMC. - O comissário, o mecânico, o despachante, que frequentemente entram na cabine falando alto, interrompendo os pilotos que muitas vezes estão em briefing ou cross-checando performance. - O EFB? Talvez, mas não acredito. Ele tem algumas proteções, por exemplo se você inserir um ZFW abaixo do Minimum ZFW, ele não aceita o cálculo. Mas se inserir um valor errado, mas dentro do range, aí não tem jeito... Por sorte dessa vez a falha DO SISTEMA não causou algo pior. Antes de saírem apontando o dedo pra um, foquem no sistema e na prevenção.
  11. A grande questão que muita gente não entende é: Rota sazonal não dá certo com avião grande demais. Se 2 voos por dia de 787/A350 não encherem, corta-se uma das frequências e pronto. Não dá pra mandar "meio" A380 em uma rota. Ou cancela o voo ou manda o avião metade vazio.
  12. Exato. Não gosto do humorismo dele, mas até aí as substâncias que ele consome ou deixa de consumir, ilícitas ou não, são problema dele. Incrível como o fórum está virando mais do mesmo. O corporativismo barato não consegue enxergar as falhas do sistema e dos funcionários, e o risco à segurança que essa falha acarreta. O funcionário não está ali destacando bilhete só pra ver se o passageiro distraído chegou ao portão certo (ou pra rir dos que erraram). Ele está ali pra se certificar que não entre passageiro clandestino no voo.
  13. O que não isenta a falha - inclusive do ponto de vista de security - do agente do portão.
  14. Bagagem de tripulante sempre será visada, justamente por teoricamente levantar menos suspeita.
×
×
  • Create New...