Jump to content

A345_Leadership

Moderador
  • Content Count

    22,978
  • Joined

Everything posted by A345_Leadership

  1. Decisões do TCU impõem sequência de reveses a Ministério da Infraestrutura Decisões contrárias ameaçam planos do ministro Tarcísio Freitas antes de sua eventual saída em abril de 2022 Por Daniel Rittner, Valor — Brasília 13/10/2021 07h59 Atualizado há 3 dias O Ministério da Infraestrutura tem amargado uma sequência de reveses no Tribunal de Contas da União (TCU) que ameaçam ou atrasam projetos considerados prioritários para a pasta. Mesmo sendo temporária e passível de reversão, a maioria das decisões pode atrapalhar os planos do ministro Tarcísio Freitas, que corre contra o
  2. Quero acreditar que sim, mas pelo que li em um site italiano, eles participaram. Só não sei dizer da elaboração da livery ou da estratégia de branding dela. Talvez pessoalmente a pintura seja mais bonita. Há um significado, a Azzura, em alusão a Casa de Savoia, mas ficou muito pobre a bandeira da Alitalia, parece que está gratuito ali. Sem falar nas nacelles e na ausência de pintura nos winglets. Pecou muito nos detalhes.
  3. Não acho absurdo, mas acho desnecessário no momento. Operar em outro país tem custos altos e outros procedimentos. Se for tentar algo como EPA e saindo de bases não atendidas no Brasil, como IGU e NVT, quem sabe.
  4. Já tem know-how como superar isso desde a primeira linhas de TAV entre Tokyo e Osaka. Desapropriação não seria um problema, desde que tivesse uma legislação adequada e prioridade. Isso é verdade, não basta o trem chegar, mas como fazer os clientes irem até ele. A JR Tokai transformou a Estação Shinagawa em parada do shinkansen, apesar de ter aumentado alguns minutos o tempo para quem pegava na ponta, significou uma economia de uns 25-30 minutos para o público que fica na região de Minato.
  5. Parece que a Landor deu consultoria para a nova livery A Landor já foi melhor...
  6. https://contatoradar.com.br/2021/10/itapemirim-quer-voar-para-a-argentina-em-2022/
  7. Informações dão conta que a ITA não utilizará a marca Alitalia. Comprou para ninguém usar
  8. A PR não é estatal, pertence ao Lucio Tan e uma parte (8-10%) à ANA Holdings.
  9. Alitalia, Once a Carrier of the Jet Set, Nears Its Last Flight Pope’s airline says ‘arrivederci’ after Covid-19 dealtfinal blow to long-struggling company Oct. 13, 2021 10:50 am ET Eric Sylvers MILAN—Alitalia, the airline that for years symbolized Italy’s postwar boom and la dolce vita, is slated to fly its last flight Thursday, after the Covid-19 pandemic delivered a final blow to a company propped up by the country’s governments for years. The 75-year-old national flag carrier—which in the late 1960s was Europe’s third largest, behind British Airways and Air France —has
  10. Tata's takeover of Air India faces turbulence as foes lash out Burden of investment falls on family's shoulders after privatization Tata Sons' less-than-stellar record in the airline industry does not bode well for Air India, which has seen better days. © EPA/Jiji DEV CHATTERJEE, Contributing writerOctober 15, 2021 11:30 JST MUMBAI -- Tata Sons' acquisition of troubled national carrier Air India for 180 billion rupees ($2.4 billion) last week is not only expected to face a political storm but could be a
  11. Se cobrasse um preço competitivo, estaria sim. CGH-SDU é uma distância equivalente a HND-ITM, BCN-MAD, PUS-SEL.
  12. Os políticos acreditam que bajular companhia aérea dá votos. E estas, corretamente espertas, sabem tirar uma casquinha.
  13. Não lembro onde li, mas a Azul planeja um consórcio com outros investidores para fazer oferta pela LATAM. Assim ela consegue ter o poder de comprar parte da empresa sem endividar.
  14. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA Alguém surpreso? Alitalia - The Highlander Airlines.
  15. No máximo consegue um charter para as Cataratas. Mas a EK não é muito de fazer voos fretados.
  16. O tráfego longhaul da PR é baixo yield, melhor concentrar em poucos pontos e incrementar as parcerias. Vamos ver como fica a ANA nesta reestruturação, pois seria a chance de ampliar as conexões para EUA e Europa via Tokyo.
  17. Muito bom o texto, o único porém é falar que a Itália é o único país com duas empresas de trem-bala, sendo que o Japão tem isso desde 1987, que são conhecidas como JR Group, mas são empresas independentes. Mas quando há introdução de trens de alta velocidade, o reflexo é a queda de passageiros aéreos nos trechos mais curtos. A ponte-aérea entre Madrid e Barcelona era uma das maiores do mundo, mas caiu depois da introdução do AVE, o mesmo ocorreu com o KTX entre Seoul e Pusan, e o Eurostar entre Londres e Paris. No Japão, os TAVs abocanham 85-90% dos passageiros entre Tokyo e Osaka, 67% e
  18. A questão é: a LATAM tem interesse fazer CO-EU, quando pode atender offline via Iberia ou Air France? Cada mercado tem uma dinâmica. Se for pela lógica que todos têm que voar para os mesmos lugares, teríamos a então LATAM Argentina voando para NY e LATAM Paraguay para Madrid.
  19. Este crescimento da LATAM Colômbia explica o porquê da Avianca se unir com a Sky e ter a expertise LCC dela.
  20. Difícil saber, uma vez que a Vistara é joint-venture com a SIA. Pode ser que ocorram sinergias. E a Tata vai ter que lidar com 4 marcas sob seu controle, Air Asia Índia, Vistara, Air Índia e Air Índia Express. Talvez a fusão das LCC seja um começo, visto que eles tem 83% da Air Asia India e até onde sei pretendem comprar o restante da Air Asia.
  21. Tata set to acquire Air India Conglomerate emerges as top bidder for loss-making state-run airline Air India has incurred losses since its 2007 merger with another state-owned domestic carrier, Indian Airlines, as it struggled to compete with private airlines. © Reuters KIRAN SHARMA, Nikkei staff writer October 8, 2021 19:59 JST NEW DELHI -- Tata Sons, the holding company of India's largest conglomerate Tata Group, has won the bid to acquire Air India, the government announced on Friday, bringing the drawn out process of selling the debt-ridden state-run airline near to a
  22. Não vejo mercado de pax para uma terceira cidade brasileira. Não temos fluxo entre Brasil e Ásia, a despeito do maior parceiro comercial ser de lá. Arrisco a dizer que 90% do tráfego internacional ex-América do Sul vão para os EUA e Europa. Acredito em uma terceira cidade para cargo, ou até uma quarta, tipo POA, MAO, CWB, PNZ, REC, SSA, NAT, FOR, CNF, seja em dupla com uma outra cidade.
  23. Pela Ethiopian Airlines, governo do país transportou inúmeros armamentos para guerra em Tigray Nima Elbagir, Gianluca Mezzofiore, Katie Polglase, Barbara Arvanitidis, da CNN 06/10/2021 às 12:25 O governo da Etiópia usou a principal companhia aérea comercial do país para transportar armas de e para a Eritreia durante a guerra civil na região de Tigray, aponta investigação da CNN. Documentos de carga obtidos pela CNN, bem como relatos de testemunhas oculares e evidências fotográficas, confirmam que armas foram transportadas entre o aeroporto internacional de Adis Abeba e o
  24. Nenhuma companhia aérea nega as operações, vão dizer que "estudam" ou em "constante avaliação", deve ter estudos da LATAM para Pequim Para o Nordeste atrair o público asiático tem que ser barato ao ponto que a distância de voo + escala compensem. E barato que eu digo é ser menor que a Tailândia. Não houve uma época que ir à Tailândia era mais barato que ir para o Caribe? O perfil da EK é trazer e levar passageiros corporativos. Passageiro de turismo tem o yield mais baixo. Pode ser mais interessante vir cargo do que pax.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade