Jump to content

chico

Usuários
  • Content Count

    3,734
  • Joined

  • Last visited

About chico

  • Birthday 05/22/1980

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Rio do Sul/SC/Brasil
  • Data de Nascimento
    22/05/1980

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Rio do Sul/SC/Brasil
  • Interests
    Aviação, Automobilismo e Automóveis, Economia e Negócios

Recent Profile Visitors

1,422 profile views
  1. Na verdade ela assinou contrato de leasing pra dois A320 neo com a ACG, ainda serão entregues. A companhia possui atualmente 11 ATRs, sendo seis 42 e cinco 72, todos da série 500 (mas com idade média de 21 anos)... Não sei se manterão os ATRs no futuro...
  2. E parece que a Airbus ainda vai continuar investindo no A330neo, visto que pretendem estender a "versão" com MTOW de 251 toneladas recém certificada do A330-900 pro modelo menor A330-800, que com isso vai ter um alcance "gigantesco"...(ou pode-se aproveitar pra carregar mais carga em rotas curtas) https://simpleflying.com/easa-airbus-a330-900-mtow/?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebook
  3. Olha, provavelmente a Gol está renegociando esse empréstimo, e a Delta também, pois creio que não há interesse da Delta em ficar com ações da Smiles, ainda mais se a Gol quebrar - se o principal parceiro da Smiles quebrar, ela vai comprar passagens aéreas de quem? Latam? Azul? Difícil... Então sei lá, talvez cheguem a um meio-termo, com a Gol pagando uma parte (tipo uns US$ 100 milhões) e rolando o resto mais pra frente... Em termos né, porque se a Gol quebrar o valor da Smiles deve cair abruptamente... Pergunta de leigo: a Gol ainda possui ADRs (ou BDRs, sei lá) na bo
  4. Acabei de ler no Airliners, que conforme documentos apresentados pela LATAM no "Chapter 11", a Delta cancelou a compra dos 4 A350, pagando uma multa de US$ 62 milhões pelo cancelamento da compra... Agora mesmo é que a LATAM vai sofrer pra arrumar rotas onde "enfiar" os A350!
  5. Conforme notícia abaixo, a Southwest deve receber entre 2020 e o final de 2021 "apenas" 48 737Max ao invés dos 107 previstos até recentemente... Aparentemente serão 27 ainda em 2020 (se possível), todos já construídos, sendo estes já de pedidos diretos com a Boeing. O restante em 2021, sendo 16 de lessors... A produção deve retornar lentamente, atingindo 31 aeronaves/mês em meados ou fim de 2021 - lembrando que a produção era de 52 aviões/mês, e se não me engano este ano era pra chegar a 57 aviões/mês ou algo do tipo... E lembrando também que a Boeing possui cerca de 400 aeronav
  6. Me desculpe mas não concordo, ao menos em termos financeiros - o 787 e o 777X são fontes de preocupação sim (especialmente o último), mas eles ainda estão conseguindo entregar algumas unidades, e a demanda pelo 777F ainda deve se manter - a LH, por exemplo, pode trocar encomendas do 77X por 77F... Já o 737 Max talvez esteja liberado em Agosto, Setembro deste ano, pra enfim poderem recomeçar as entregas - e a linha 737 representava quase 50% da divisão comercial... Pense que a Boeing fabricou quase 400 Max que não pode entregar até o momento - ou seja, ela teve de pagar os fornecedore
  7. A LATAM Cargo tem os 767F, estes podem trazer cerca de 50 toneladas, só não sei com quantas escalas hehe... Mas a questão também é volume x peso, penso que o avião poderia ficar "lotado" em volume mas ficaria longe da capacidade máxima em peso, pois não me parecem ser materiais "pesados"... Se não me engano o An-124 veio "lotado" mas carregava "apenas" 40 toneladas...ou seja, é um problema de volume, não de peso... Teriam de estudar se não seria mais viável colocar os 77W da LATAM - mundo afora já temos visto vários voos só com carga em aeronaves de passageiros...e os 77W possui
  8. Vi agora notícia / reportagem o qual o governo italiano estuda a forma como a Alitalia retornará - possivelmente apenas com 25-30 aviões (ao menos inicialmente), o que pode significar o corte de cerca de 8.000 funcionários, de 11.000 para 3.000... A Alitalia possui atualmente 113 aviões, sendo que entre 2001 e 2004 tinha entre 160 e 185 aviões e mais de 20.000 funcionários... Agora, se a Alitalia não voltar com o voos longhaul (ou mesmo que voltar, vai priorizar pra onde? GRU? EUA? Ásia que aparentemente será menos afetada pelo coronavírus?), pode ser a grande oportunidade pra LATAM
  9. Só se for a Air Asia X que só tem A330... A Air Asia que tem A320/321 vai muito bem
  10. Parece que a Flybe tinha 19 voos diarios pra AMS, aeroporto o qual está praticamente impossível de conseguir slots... Sei que o momento é péssimo, mas será que a Latam não teria interesse em slots lá? Obviamente que pra começar a operar apenas daqui a alguns meses...
  11. Exato - por serem BEM mais longos, a receita por quilômetro é mais baixa, mas o custo também... Enfim, só dá pra ter idéia de onde é rentável (ou não) quando a companhia faz upgrade ou downgrade de frequencias e equipamentos - se está perdendo dinheiro, sempre vai tentar reduzir o custo (seja em voos, seja em equipamento menor / custo menor) antes de cortar de vez a rota...e onde estiver dando um bom dinheiro, acaba fazendo upgrade pra ganhar mais dinheiro, ou pra evitar a entrada de concorrentes...
  12. Conforme tópico no Airliners e o artigo https://leehamnews.com/2020/01/30/boeing-looks-to-produce-about-220-maxes-in-2020/#more-32421 A Boeing negociou com a Spirit a entrega de apenas 220 (!) 737 Max em 2020 - antes do grouding, a previsão era de produzir cerca de 680 aeronaves em 2020!! Conforme o artigo, a produção deve seguir o seguinte ritmo: 5 unidades em Abril; 10 unidades em Maio; 15 unidades em Junho; 20 unidades em Julho; 25 unidades em Agosto; 30 unidades em Setembro; 35 unidades em Outubro; 40 unidades em Novembro; 4
  13. Sim, a produção do 737 (exceto por algumas unidades NG para fins militares) está paralisada no momento. Vale lembrar que a produção foi cortada em Abril de 2019 para 42 unidades/mês, quando deveria ser de 52 - e tinham planos de aumentar pra 57 agora em 2020... Então, só em 2019 tivemos 10 unidades/mês x 8 meses (Maio-Dez) = 80 unidades produzidas a menos que o previsto. E, se a produção ficar suspensa até Junho, são pelos menos outras 300 unidades (6 meses x 50 unidades por mês), e o problema é que dificilmente vão conseguir retomar a produção rapidamente para o nível anterior
  14. Não sei, tenho minhas dúvidas se a LATAM vai conseguir manter os vôos, pois se a ocupação já estava em 55-60% antes da Gol iniciar os vôos, imagina agora... Daqui a pouco o prejuízo de manter esses vôos com 767 não compensa o desconto no ICMS...e o problema é que o incentivo pede no mínimo 5 vôos semanais com aeronave de corredor duplo certo? Talvez a AA pudesse ajudar a trazer mais passageiros americanos, não sei... Ou talvez a LATAM devesse mudar os destinos, pois não acho que vai ter público pra ela e pra Gol em MIA e MCO...talvez JFK? Vôos pra Europa? Com a entrada da Air Europ
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade