Jump to content

CabinCrew

Usuários
  • Content Count

    2,266
  • Joined

  • Last visited

About CabinCrew

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    SP Capital
  • Data de Nascimento
    20/09/1984

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Brasil

Recent Profile Visitors

1,505 profile views
  1. Mesmo que contratem novos funcionários na ABSA, ainda assim vai dar uma boa briga. Se é tão fácil, por que já não fizeram? Tentam baixar nosso salário a anos. Só agora que as mentes geniais que habitam a jabuticabeira tiveram essa ideia?
  2. Porque o SNA não vai deixar barato. Pegar outro CNPJ para diminuir salários na marra, é ilegal. Além de possível fraude tributária. Se fosse tão fácil, tava todo mundo fazendo ou a própria Latam teria feito antes porque eles SEMPRE quiseram baixas nossos salários. É o sonho de consumo deles desde que a TAM foi comprada. Acredito que, e peço que me corrijam se eu estiver errado, que nem em países mais liberais que o nosso e sem tanta amarras trabalhistas, das quais sou contra, isso não seja tão fácil. Ah, quero pagar salários menores, mando todos embora, faço um novo contrato e voila, todo mund
  3. Se eles derem esse passo mesmo, vai começar uma belíssima batalha judicial..... Peguem o balde de pipoca.
  4. Eu discordo. Acho que faz parte do DNA de cada empresa o respeito/desrespeito com os tripulantes. Esta no DNA da Latam, e do jeito de administrar chileno nos tratar como lixos, como mal necessário, apenas custo. Vejo na liderança do Kakinoff um respeito pelos funcionários que simplesmente inexiste na gestão da Latam, seja no Chile seja no pau mandado do Brasil. Na Azul o que vejo é que o respeito é mais para parecer que existe do que existir de fato, mas pelo menos se preocupam em fazer parecer. Na Latam, Hahahahaha não tão nem aí.
  5. Aeronaves modernas são projetadas para pousar na água e permanecerem UM BOM tempo flutuando. Da tempo e sobra de evacuar e pegar esse bote.
  6. Vivendo o dia a dia da aviação digo pra vocês que o número de variáveis que a gente vivência no dia a dia é tão grande, mas tão grande, quando o tempo tá ruim então, não vejo aviões comerciais sem pilotos voando em menos de 30/40 anos. E a questão dos salários, não passa só por oferta e demanda. O respeito pelos tripulantes por parte daqueles que mandam nas empresas é cada vez menor e não por culpa dos tripulantes, o que vejo é que o mundo corporativo está se tornando tão pragmático e desalmado, o foco na 'eficiência' é tão grande e a preocupação com o ser humano tem ficado tão abaixo dos míni
  7. Empresa aérea não gosta de tripulante. Tripulante é o mal necessário.
  8. Certo, e esse reforço da fiação é um serviço rápido de fazer? Justamente essa parte achei que fosse mais demorada e complexa.
  9. Uma coisa que não entendi, eu tinha ficado com a impressão de que a atualização dos Max era bem complexa, envolvendo hardware e software. Essas atualizações foram sendo adiantadas antes da Recertificação? Eu achei (talvez muito ingenuamente) que nada tinha sido feito ainda.
  10. Saiu o relatório final, negligência atrás de negligência. https://www.aeroin.net/helicoptero-que-caiu-e-matou-ricardo-boechat-ficou-tres-anos-sem-trocar-o-oleo/
  11. A transição só é mais rápida entre aeronaves da família Airbus. Do 320 pro 330, 350...Do 350 para qualquer Boeing tem que fazer 100% do treinamento para a nova aeronave. Pilotos por gentileza me corrijam se eu estiver errado, mas acredito que seja por aí.
  12. Uma parte até faz sentido outra parte não faz. O doméstico está retomando a demanda com consistência, porém duvido que o suficiente para trazer narrows a mais do que a frota já tem hoje. Quem redigiu tal mensagem me parece imbuído de estar noticiando que a empresa vai precisar de gente num curto período de tempo em prol da negativa da redução permanente de salários. Eu respeito isso, porém vale ressaltar que boa parte da frota widebody está parada e que a afa é que todos os A350 serão devolvidos e que o futuro do widebody na Latam Brasil será 767/787/777. Com a frota wide parada e já com muito
  13. Porque eles não queriam manter todo o contingente. O que eles queriam MESMO era demitir esses 2700 pra recontratar depois conforme o mercado aquecer. Na conta que eles fazem, compensa, se compensa mesmo ou não são outros 500. Com o grupo atual, dá pra tentar atingir de fato a redução que eles querem. O que comprova isso é que caso aprovado o acordo a empresa já se comprometeu a não abrir nenhuma seleção externa até todos os 2700 demitidos voltem pra companhia e/ou sejam consultados se querem voltar e declinem a proposta. É aquela história, se eles vão cumprir o acordado é outra história mas é
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade