Jump to content

JJúNiORG

Usuários
  • Content Count

    308
  • Joined

  • Last visited

About JJúNiORG

  • Birthday 11/20/1988

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    São Paulo/SP/Brasil
  • Data de Nascimento
    20/11/1988

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    São Paulo

Recent Profile Visitors

446 profile views
  1. Não vejo nada demais nas declarações do ministro e parece coerente. As passagens subiram devido a queda na oferta (quebra da Avianca). As companhias remanescentes estão ampliando a oferta com a introdução de mais aviões (o que não é instantâneo no setor, leva tempo trazer avião...), o que deve fazer o preço cair (se a demanda não acelerar mais que a expansão da oferta). Microeconomia 1.
  2. Não vejo muito sentido econômico para um grupo empresarial regional possuir tantas aeronaves assim, nem os grandes bancos brasileiros possuem uma frota desse tamanho.
  3. O A321XLR não seria capaz de operar o CNF-FLL/MCO? Como tem uma capacidade inferior ao A332, esses voos poderiam ser diários por exemplo, tanto de CNF como REC, então 1 avião nem de longe seria suficiente. Além que poderia operar um REC-LIS/OPO em horário diferente da TAP, poderia ter a flexibilidade de operar rotas como: BEL-FLL/MCO, VCP-CUN, VCP-MEX, VCP-BOG, VCP-CPT (não sei se teria ETOPS suficiente), frequências adicionais no VCP-FLL (ou nos voos diurnos), etc. Provavelmente não seria um frota grande, mas teria espaço para algo como 6-10 aviões, principalmente pensando que seria para 2024 em diante. Btw, o Brasil precisa dar algum sinal de recuperação para que qualquer cia pense em um plano de investimento de longo prazo.
  4. Geralmente contratos dessa natureza e montante tem outras obrigações como "clausula de aceleração", que antecipa os efeitos ou a necessidade de quitação do contrato se algumas condições estabelecidas não forem cumpridas, essas condições podem ser manter o adimplemento de outros contratos de crédito, eventos de liquidez, alteração de controle, entre outros.
  5. Corretíssimo, inclusive o fato de uma delas fechar acordo com a Elliot, praticamente "obriga" a outra a fazer o mesmo.
  6. Acredito que é um movimento estratégico defensivo, total teoria dos jogos, onde: 1) Se tiver um leilão com 7 UPIs (algo remoto de ficar de pé), a Gol poderia levar uma (ou algumas - devido as restrições regulatórias) das UPIs pelo preço antecipado (ou algo próximo disso) 2) Se a Avianca quebra, a Gol consegue a mesma proporção de Slots (ou algo próximo disso) sem ter um desembolso adicional (no fim custou o mesmo que o item anterior (1) - nesse cenário não existe qualquer restrição regulatório (CADE ou ANAC) Acredito que essa foi forma que eles devem ter precificado que esses Slots. De forma que consideraram que o risco dos R$ 100 MM antecipados estão "cobertos" pela redistribuição dos Slots, e se não tivesse antecipado esses R$ 100 MM provavelmente a Azul já estaria com 100% desses Slots Por isso que a unica coisa que não pode acontecer para a Gol é um leilão de uma unica UPI, onde a Azul seria a unica brasileira habilitada para comprar essa operação sem sofrer restrições do CADE
  7. A GOL tem zero interesse em comprar alguma das UPI, ela só está esperando a Avianca quebrar de vez e participar da redistribuição dos Slots (onde ela ficaria com 1/3 ou 1/4 dos Slots da Avianca em Congonhas), sem ter que bater na porta do CADE para pedir a bênção para qualquer transação.
  8. A Avianca Brasil tem 1 certificado, para fazer o leilão ela precisa de + 7 novos certificados.
  9. Certíssima a Azul, mesmo que não venha a concretizar a compra, tem que fazer seus concorrentes irem até o limite máximo da oferta... Processos competitivos tem essa dinâmica naturalmente, se você não quiser comprar no minimo você quer que o seu concorrente pague caro pelo ativo.
  10. Não falo pelo code-share, mas sim pelo fato de serem da mesma aliança e "sócias" (Qatar tem participação societária na Latam), ainda assim não tem exclusividade nessa parceira... pois a Latam irá fomentar passageiros para a principal concorrente da Qatar (btw, a latam não tem nada a perder mesmo, ótimo negocio para ela, mas para a Qatar eu tenho minhas dúvidas...)
  11. Os A320 foram reconfigurados para 162.
  12. A preocupação do CADE é concorrencial, e a concentração em CGH e SDU no caso da GOL ou a Latam comprando esses SLOTs ficará ainda maior. Do ponto de vista de proteger o usuário, não to vendo nada de errado nessa sinalização do CADE.
  13. "Latam participará de reestruturação da Avianca Brasil com US$ 13 mi" https://www.valor.com.br/empresas/6195415/latam-participara-de-reestruturacao-da-avianca-brasil-com-us-13-mi
  14. Na Globo falou que desse total de USD 105 milhões, USD 40 milhões era o empréstimo (aporte) inicial para a O6 continuar operando.
×
×
  • Create New...