Jump to content

Marcelo Costa

Usuários
  • Content Count

    72
  • Joined

  • Last visited

About Marcelo Costa

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Aracaju/Sergipe/Brasil
  • Data de Nascimento
    24/04/1982

Profile Information

  • Location
    Aracaju

Recent Profile Visitors

426 profile views
  1. Dúvida de mero acompanhante do fórum: Como ficou a forma de pagamemto do ressarcimento da Boeing a Gol pelos problemas no Max? Certamente ajudaria no caixa da empresa.
  2. A Parte da Entrevista coletiva, antes da parte das perguntas e o comunicado do governo português. https://www.rtp.pt/noticias/economia/acordo-tap-governo-fica-com-725-por-55-milhoes-de-euros_v1241954
  3. Entrevista do Ministro das Finanças e Ministro da Infraestrutura em coletiva. Acompanhando nas Rádio Renascença (Rádio da Arquidiocese de Lisboa), neste momento. O que se falou até agora: Haviam outras soluções e possibilidades na mesa, mas não foram faladas quais seriam. Nacionalização só seria mencionada em caso extremo. O Acordo será assinado ao logo desta ou da próxima semana Por quaisquer caminhos o foco deles lá na frente era evitar que a Azul fosse Acionista majoritário, pois entre outras coisas haveria o temor da perda de Lisboa como HUB e o risco de insolvência da empresa e a impossibilidade do conselho europeu derrubar a ajuda a TAP, face os sucessivos prejuízos da empresa e possível impacto do deficit do orçamento de estado. Segundo o ministro de finanças, solução já equacionada, mesmo a TAP não tendo, segundo ele se enquadrado totalmente nas condições mais flexíveis para ajuda nos moldes anteriormente negociados. A equipe de gestão será escolhida pelo acionista privado, com a chancela do estado, através de consultoria internacional. Até lá será trabalhada uma comissão provisória de gestão que trabalhará tipo numa transição. Independente de qualquer coisa o Atual CEO deixa o cargo neste fim de semana. O Ultimo entrave, como falado no link postado pelo The Joker, que era a taxa de juros do valor do empréstimo feito pela Azul, foi a pouco equacionado. será mesmo de 7% Vem aí um processo de Reestruturação profundo, com revisão de rotas, procedimentos e conceitos da TAP, que segundo o ministro das finanças será feito em conjunto com os acionistas e trabalhadores. Evitou falar em números, mas o enxugamento será pesado. A Rádio Renascença fala, segundo apuração dela, de 30%, com foco em antecipação de aposentadorias e revisão de sua estrutura, principalmente no modelo de expansão adotado nos últimos anos. Ministro das finanças fala em TAP Viável, mas ao mesmo tempo saudável e firme para o pais, com força do Hub de Lisboa, inclusive para o que ele chama de desenvolvimento da economia e da vida nacional, agora e quando as coisas voltarem ao normal.
  4. Conformado acordo https://www.publico.pt/2020/07/02/economia/noticia/estado-fica-725-capital-tap-1922884 Coletiva do Conselho de ministros ao vivo pela RTP, sobre a TAP https://www.rtp.pt/noticias/
  5. Efeitos da Suspensão das operações da Azul em GRU https://catracalivre.com.br/viagem-livre/aeroporto-de-guarulhos-suspende-temporariamente-operacoes-no-terminal-1/
  6. Devem ser para buscar aqueles que seguirão a risca a determinação das autoridades americanas, para que seus cidadãos, deixem rapidamente, o Brasil, até que a OMS declare o fim da Pandemia.
  7. Depois de nova avaliação de cenário, nova decisão. https://economia.uol.com.br/noticias/estadao-conteudo/2020/03/17/gol-suspende-voos-internacionais-ate-30-de-junho-em-razao-do-coronavirus.htm
  8. Por ora enquanto não saem medidas específicas para o setor, temos isso aqui pra hoje....Certamente alguma divida envolvendo-as deve se encaixar nisso aqui. Norma autorizada pelo Conselho Monetário Nacional na manhã de Hoje. https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/03/governo-tenta-conter-efeitos-do-coronavirus-e-facilita-renegociacao-de-dividas.shtml https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/03/maiores-bancos-do-brasil-negociam-vencimento-de-dividas-de-empresas-afetadas-por-coronavirus.shtml
  9. E o calo no sapato tá apertando.... https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/03/latam-reduzira-voos-em-70-devido-ao-coronavirus.shtml A Reportagem não diz quais seriam os destinos domésticos da Latam afetados. O curioso é que ao mesmo tempo, no final da reportagem ela menciona a azul, informado quais as rotas domésticas dela suspensas já a partir de sábado.
  10. https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/01/13/cinco-voos-sao-desviados-do-aeroporto-de-salvador-por-causa-de-problema-na-pista-principal.ghtml https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/01/14/aeroporto-de-salvador-tem-mais-voos-cancelados-por-causa-de-buraco-em-pista.ghtml
  11. https://exame.abril.com.br/negocios/azul-assina-acordo-para-compra-da-twoflex/
  12. A Reportagem completa - e longa - está no link, mas tem alguns pontos que achei interessantes, porque parte do que ela diz já foi bem discutido aqui. Plano de Elliott, Gol e Latam barra crescimento da Azul em Congonhas O fundo de investimentos Elliott Management, maior credor da Avianca Brasil, tentou entrar em acordo com a Azul antes de fechar as parcerias com Gol e Latam no novo plano de recuperação judicial, aprovado no dia 5 pelos credores e homologado pela Justiça na sexta-feira à noite. O Valor apurou que, dias antes de ser anunciado o novo plano de recuperação judicial da Avianca Brasil, o Elliott, credor de US$ 515 milhões da Avianca, procurou a Azul, propondo receber uma garantia para apoiar o primeiro plano de recuperação judicial: um pagamento antecipado ao fundo de US$ 90 milhões. Segundo fontes, a Azul não aceitou. O fundo, foi em busca de Gol e Latam, que aceitaram a proposta, desbancando o plano da Azul. O fundo solicitou a cada uma um pagamento de US$ 35 milhões e, em contrapartida, as três companhias dividiriam parte dos recursos captados com o leilão de sete empresas (as unidades produtivas isoladas, ou UPIs) a serem criadas com o fatiamento da Avianca Brasil. Esta partilha de valores consta dos contratos assinados pelo fundo e as duas aéreas, aos quais o Valor teve acesso. A manobra do fundo - controlado pelo bilionário americano Paul Singer e conhecido por sua estratégia agressiva em companhias onde é acionista e das quais é credor - frustrou os planos da Azul. Esta queria obter, em especial, mais voos entre Rio e São Paulo a partir do aeroporto de Congonhas, onde Gol e Latam dominam a ponte-aérea. O imbróglio envolvendo as quatro maiores companhias aéreas do país começou há cerca de cinco meses. O empresário Germán Efromovich, que controla a Avianca Brasil ao lado do irmão José Efromovich, procurou John Rodgerson, presidente da Azul, em novembro. "Quero que você me compre. Você precisa comprar a Avianca", disse Germán, segundo uma fonte. Rodgerson respondeu que não daria para comprar, que era difícil. Semanas depois, em dezembro, a Avianca entrou em recuperação judicial. Sua dívida é de R$ 2,4 bilhões. Em janeiro, José Efromovich chegou a dizer à Azul que a Gol estava disposta a oferecer US$ 300 milhões pela Avianca. A pressão deu resultado. A Azul aceitou o plano desenhado pelo escritório Galeazzi & Associados. {...} A proposta precisaria ser aprovada pelos credores e homologada na Justiça. Mas antes de ser avaliada pelos credores e diante da negativa da Azul, o Elliott buscou uma alternativa. A meta era antecipar o recebimento de parte das dívidas da Avianca Brasil. [...] Cada uma se comprometeu a fazer empréstimos DIP (sigla para "Debtor In Possession", empréstimo com caráter de investimento prévio) para a Avianca. Gol e Latam fizeram, cada uma, um empréstimo no dia 9 de abril, de US$ 5 milhões, e farão outro no dia 16, no valor de US$ 3 milhões. As duas aéreas também se comprometeram a comprar do Elliott dois empréstimos DIP feitos à Avianca, no valor de US$ 5 milhões cada um. E se comprometeram em contrato a pagar, cada uma, US$ 35 milhões ao Elliott, divididos em quatro parcelas mensais, pagas entre abril e julho, no valor de US$ 8,75 milhões cada. Trata-se de uma antecipação ao Elliott da quantia a ser arrecadada no leilão das UPIs e será descontado do preço que Gol e Latam pagarão pelas UPIs, caso consigam fazer os arremates no leilão. Esse pagamento foi divulgado pela Gol em fato relevante, mas não pela Latam. De acordo com os contratos, se Gol e Latam não fizerem nenhuma proposta pelas UPIs no dia do leilão, ainda terão de pagar US$ 70 milhões ao Elliott. E todo valor que ultrapassar US$ 140 milhões no leilão das duas UPIs será dividido entre Elliott, Gol e Latam. [...] Enquanto isso, a Avianca tem uma "queima" de caixa da ordem de R$ 1 milhão por dia, dinheiro que vem principalmente dos empréstimos feitos por Azul, Gol e Latam. Esses recursos não devem durar mais do que dois meses, segundo fontes a par da situação. Os Efromovich já vinham negociando com o Elliott a situação financeira de outros negócios. Em dezembro, a United Airlines concordou em emprestar US$ 465 milhões à holding Synergy, dos Efromovich, para que estes pudessem pagar uma dívida ao Elliott. A United ficou com ações da Avianca da Colômbia como garantia. O fundo também é credor dos irmãos nos Estaleiros Mauá e Eisa. {...} https://www.valor.com.br/empresas/6211677/plano-de-elliott-gol-e-latam-barra-crescimento-da-azul-em-congonhas
  13. Sobre isso algo me saltou os olhos, na página 110 do link balanço, postado no segundo link. Segue a tradução feita no site da Cambridge Dictionary Situação atual com a Oceanair Linhas Aereas S.A. Em 10 de dezembro de 2018, a Oceanair Linhas Aereas SA (vide Nota 9-Saldos e transações com partes relacionadas) e AVB Holdings S.A., ambas empresas coligadas separadas não integradas ao Grupo, requeridas para pedido de recuperação judicial perante o 1º tribunal de falências e recuperação judicial de São Paulo, Brasil. Derivado deste evento, o Grupo está atualmente avaliando os possíveis impactos relacionados a todos os acordos comerciais firmados entre empresas do Grupo e Oceanair Linhas Aereas S.A., incluindo 4 contratos de sublocação para as seguintes aeronaves: 1 A330, 1 A330F, 2 A319. O Grupo solicitou formalmente a rescisão e devolução da aeronave em conformidade com os termos e condições estabelecidos em cada um dos acordos de sublocação. No que diz respeito à devolução da aeronave sublocada, o Grupo está avaliando o processo de reincorporação dessas aeronaves à operação do Grupo ou eventualmente, sua venda a terceiros. A partir da emissão dessas demonstrações financeiras, nenhuma dessas aeronaves foi incorporada à frota do Grupo
  14. Na verdade ela presta os dois serviços a depender da localidade. No caso da Avianca é energia mesmo. O link que o amigo tentou posta é este aqui: https://www.valor.com.br/empresas/6131249/justica-determina-que-copel-restabeleca-energia-avianca-brasil
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade