Jump to content

LipeGIG

Acionistas
  • Content Count

    23,643
  • Joined

  • Last visited

1 Follower

About LipeGIG

  • Rank
    Staff Contato Radar
  • Birthday 06/30/1972

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Rio de Janeiro
  • Data de Nascimento
    30/06/1972

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Nova York

Recent Profile Visitors

5,482 profile views
  1. Mercado menor , com gente disposta a pagar mais por exclusividade, e o que fazemos diretoria ? Apertamos mais o avião, cortamos todo serviço de bordo (tudo bem, aqui entra regulatório), continuamos focando na origem do mercado corporativo, levamos os passageiros para seu destino desejado com conexões subsidiadas e dizemos ao mercado que estamos já com 70, 80, 90% do movimento anterior.... Por que eu não me surpreendo que as cias Brasileiras continuam perdendo (muito) dinheiro ? E depois a solução é permitir a fusão ? Tá bom....
  2. Pois é, em qualquer lugar mais desenvolvido do mundo tem Low Cost e Premium. O Brasil provavelmente é o maior mercado do mundo sem diferenciação. E por acaso , tem uma aviação executiva gigantesca, vende carro importado caro, vinhos caros, sapatos caros, melhores hotéis, hospitais diferenciados.... mas na hora de voar doméstico.... como dizem os guardadores de carros... "deixa solto, patrão"
  3. Brincadeiras a parte... mas a Odebrecht sempre teve um histórico de "inflacionar" os números.
  4. Y+ falso não engana ninguém. É igual dizer que o Uno tem um modelo novo.... Uno BMW X1 , acima de tudo, é um Fiat Uno! Premium Economy em voo doméstico ? Um pouco mais de espaço. Beleza vai ter gente pagando pois é o melhor que temos, mas tem gente disposta a pagar mais que não tem o que comprar!!!
  5. Acho que aí vale você saber o que consegue fazer com o seu A320 com digamos 12J. A pandemia me mostrou que tem muita gente disposta a pagar R$ 500 a mais se souber que vai ter mais espaço e serviço diferenciado. Mas você terá que ser consistente e não se trata de um segmento que renasce do dia pra noite. Por isso talvez quem tem wide teria uma grande vantagem, pra começar.
  6. Yield depende de incentivo, TJ. O que eu posso dizer é que no Brasil desde 2004 se nivelou por baixo, com menos serviços e sem quaisquer diferenciais. Pra que pagar mais ? Yield viaja pra todo lugar. Tem yield para Jericoacoara, tem yield para Manaus, tem yield para Natal.... O conceito de que não existe yield é o mesmo que todo mundo escolhe um carro popular para comprar, que todo vai no restaurante barato jantar, que todos compram roupas nas mesmas lojas, que todos procuram o mesmo nível de hotel. O ponto é que você pode ficar no Ibis ou no Copacabana Palace Pode and
  7. Não dá pra cravar isso, TJ O fato é que se o GIG fosse o único aeroporto do Rio de certo o movimento seria maior - teria mais voos regionais e principalmente internacionais. Mas numa coisa concordo, passageiro adicional conectando em um hub são menos dois passando por outros hubs.
  8. Uma pessoa e um governo muito inteligentes. Valoriza um ativo que vale R$ 600 mm para receber R$ 1,2 bi, e daí deixa de receber R$ 10 bi. Brilhante! Prêmio Nobel de Economia!
  9. Eu concordo contigo que o governo tem culpa, mas eu diria que só parte da culpa. As Brasileiras foram covardes, não tentaram nada diferente. Vemos carregamente após carregamento de itens importantes no combate ao Covid sendo transportados por aeronaves estrangeiras, e um mundo de widebodies simplesmente parados nos aeroportos. Bons exemplos de cias que decidiram usar seus wides na Europa, Asia, Austrália, US e Canada em voos domésticos ou intra "bloco"... e o que fizeram as Brasileiras ? Nada E tem o próprio efeito extremo da pandemia que alija o Brasil do mundo turístico e cria
  10. 80% de ocupação média e aperto máximo. Jogando no lixo a chance de o A321 por exemplo ter 16 assentos de classe executiva e executar voos para Buenos Aires, Montevideo e para o Nordeste. O mais incrível, nem tentam...
  11. Interessante abrirem a "caixa preta" e ilustrarem dessa forma um dos grandes problemas do modelo de Hub - conexões que parecem rentáveis, mas que não são, mas que se cortadas, podem representar a incapacidade de outras rotas gerarem retornos positivos! Gerar EUR 50 milhões pra perder EUR 9 mm de EBIT é duro ! Agora, é notável a contribuição do VFR na Alitalia. Pelo citado , não é business que sustenta as rotas, e até mesmo as tentativas de atacar mercados grandes como ICN e MEX, ou mal atendidos como SCL, naufragaram.
  12. Obviamente o tamanho das amostras vai ser também diferente no tocante ao tamanho dos hubs. Pro seu ponto, MSP é hub da Delta com mais de 300 voos diários. Dizemos então que por isso o Rio não pode ser hub de 30 voos ? Hub vai muito além do que a RM produz; ele tem o poder de capitalizar com a alimentação de outros mercados, mas sem hub, não tem alimentação O Brasil não tem como se diversificar pois segue há mais de 2 décadas crescendo e concentrando. Mas... quem reclama ? Hub no Rio ?
  13. Não faz sentido com o balanço da cia, F-GSPN. Comprar alguns Airbus significa equilibrar as receitas futuras em EUR de uma cia que tem um percentual de sua receita total sendo gerado em outra(s) moeda(s), mas não faz sentido comprar tudo de Airbus pois significa ficar refém de arbitragens financeiras sobre o financiamento em EURO. Quando a Delta compra Boeing, a grande vantagem é que todo o faturamento doméstico é feito em USD, então você tem expectativa de geração futura de caixa em USD a 1 x 1 sempre, em linha com a dívida. Ao comprar Airbus, se hoje o EUR está 1,12 par
  14. Esse é um bom ponto Delmo. O ATR poderia por exemplo desenvolver algumas conexões através de alguma outra cidade do sul que não seja Porto Alegre.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade