Jump to content

boulosandre

Usuários
  • Content Count

    8,392
  • Joined

  • Last visited

About boulosandre

  • Birthday 10/08/1974

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Sao Paulo- SP - Brasil
  • Data de Nascimento
    08/10/1974

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Sao Paulo - Lisbon
  • Interests
    Travels, sports, culture, workout, airports, finance.

Contact Methods

  • Skype
    andre.m.boulos

Recent Profile Visitors

1,633 profile views
  1. Fiz um CDG-NRT-CDG no upper-deck na Business em 2013. A AF tem um catering magnífico, a atenção da tripulação foi impecável, tudo transcorreu com perfeição. Deixará muitas saudades.
  2. Combinação de fatores, tempestade perfeita. Cenário se deteriorou muito rapidamente. O mercado é cíclico, uma hora se recupera, ainda que leve meses.
  3. Belo e sincero relato. Até os 10 anos, me lembro de ir tomar café com meus pais em CGH e admirar os aviões naquele terraço, ainda existente mas fechado há anos, em cima do terminal de desembarque, logo que se chega em CGH de carro. E desde 1985, aos 10 anos, quando viajava ou ia levar/receber alguém (coisa comum naqueles tempos), sempre subia no terraço (totalmente aberto naqueles tempos), bem em cima da atual Asa Oeste (píer todo doméstico) do T2. Era emocionante ver os Jumbos, DC10, 767....da Varig, Pan Am, JAL, Europeias, Aerolíneas, etc.. Depois que um mal-educado jogou uma bituca de cigarros no pátio de aeronaves, acabaram fechando aquele espaço. Atualmente, as melhores visões em GRU são do airside, como na ponta do Píer do T3, onde a tarde ao esperar meu voo para Lisboa, passo um tempão admirando os pousos do 380 da EK, QR, TK, outras Europeias e as decolagens de outra gama de Europeias, principalmente. Melhor que a Disney World para nós, amantes de aviação. Ansioso para ver o 789 da Virgin logo mais
  4. Concordo com a parte acima. Espero que se encontre uma solução para não deixar passar com a Alitalia o mesmo que ocorreu com a Varig. No nosso caso, ao menos, tínhamos a Tam crescendo e que pôde ocupar o espaço da pioneira no internacional, ainda que as estrangeiras cresceram muito mais. Na Itália, não há uma segunda cia nos moldes da Tam, por isto, duvido que deixem a AZ desaparecer.
  5. Será que ultrapassará CDG e AMS, onde a DL tem vários voos diários, dada a estreita parceria que tem com a AF/KL? Impressionante a força de LHR.
  6. Por isto que não deixarão desaparecer assim facilmente. A segunda parte mostra que apesar da crise, o serviço continua impecável com um catering Italiano de primeira e os voos continuam cheios. Acho bem difícil deixarem quebrar, mas precisam urgentemente fazer uma grande reestruturação e ganhar a queda de braço com os sindicatos.
  7. MCZ começa em junho pela TP. Se nem em SSA ela conseguiu se firmar, quem dirá nestes outros mercados supra citados!!! Se o pais melhrorar muito e crescer consistentemente nos proximos anos, pode ate tentar abrir outra base, se nao torçamos para consolidar estas tres atuais e ate retomar SSA.
  8. Os Italianos são muito orgulhosos e não deixarão desaparecer. Clientes acabaram de voar Business GRU-FCO-GRU e adoraram tudo, inclusive a cnx em FCO para LHR. Tudo impecável, voos lotados na ida e volta.
  9. Interessante esta relação dos maiores números de assentos, onde aparece MXP-DXB como única rota para fora da Europa. Sendo Milao (e sua zona de influência) a região mais rica e desenvolvida da Itália e nao sendo servida tão bem pela AZ, a EK se sobressai e nada de braçadas em Malpensa. Confesso que nao imaginava haver mais oferta para DXB de Milão que de Roma. Como será que sao as ofertas de TK, QR e EY nestas duas cidades? Certamente muitos daquela região viajam para outros continentes via CDG/AMS/LHR, também.
  10. 29.03 https://www.panrotas.com.br/aviacao/empresas/2020/02/delta-passara-a-operar-no-terminal-3-de-guarulhos_171424.html
  11. E a DL se mudará para o T3 em GRU, o que era meio lógico, e assim poderá usar o belo e espaçoso Lounge da Latam naquele terminal.
  12. Seria uma atitude bem ousada. A KLM colhe um grande sucesso pois seu banco de cnxs logo cedo em AMS é robusto (assim como da AF em CDG). A maioria do público da Latam é formada por Brasileiros (e do Cone-Sul) que estão acostumados a chegar logo cedo em GRU e, de lá, seguir para seus destinos finais, ou ao público mais premium com destino final em SP a ir para suas casas ou trabalho aproveitando o dia todo. Tenho minhas dúvidas se funcionaria com destinos mais premiums como Londres, Paris, Frankfurt, Milão ou Madrid, onde as concorrentes Europeias chegam logo cedo também.
  13. Não vejo mito algum. A rota de GRU foi a mais rentável por muitos anos, tendo chegado a operar quase 2 freq diárias, acontece que a SAA de uns tempos para cá sofre a concorrência da Latam (e até da TAAG com sua rápida cnx a CPT) e há muitos anos que já está mal das pernas. Torço por ela, mas há chances de ela ir à falência e cancelar todas as poucas rotas “long-haul” remanescentes. O melhor balizador da rentabilidade de uma rota é a alocação da aeronave na mesma. Basta acompanhar os movimentos das cias e consegue-se perceber onde estão as rotas mais rentáveis. O 773 da UA se tornando definitivo na rota EWR-GRU mostra isto, bem como as 3 freq diárias de 77W para DFW, MIA e JFK pela AA, ou o 773 da BA, da AF, da LX e o 748 da LH (todas com First), o upggauge em breve da TK, o 346 da IB, o upgauge para 789 da UX, os quase 3 diários de 339 da TP na alta para LIS, etc.....e assim acontece em vários outros mercados mundo afora a partir de GRU.
  14. Me lembro bem em junho 2016 quando ATL não providenciou um gate para que o 380 da Qatar pudesse acoplar e desembarcar os cerca de 500 pax do gigante. A DL disse que não tinha nada a ver com isto (ahãm).
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade