Jump to content

boulosandre

Usuários
  • Content Count

    8,489
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by boulosandre

  1. Concordo. Este se recuperará bem mais rapidamente e caso o Brasil volte a crescer e gerar empregos de forma consistente, de 2022 em diante poderá até ser maior que 2019.
  2. https://www.aeroin.net/dhl-inaugura-hub-carga-aerea-aeroporto-guarulhos/ DHL inaugura hub de carga aérea no Aeroporto de Guarulhos Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram. Como parte de seu plano de fortalecimento das operações de transporte doméstico de ponta a ponta, a DHL Supply Chain, líder global em armazenagem e distribuição, anuncia hoje a inauguração de seu Hub de carga aérea no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Enquanto terminal de cargas dedicado, o Hub consolida, paletiza e prepar
  3. Interessante? Terminal antiquado, apertado, antigo, lembra os aeroportos Europeus dos anos 60 e 70. Apesar da conveniência da proximidade do centro de Berlim, será fechado com um atraso de 10 anos, pelo menos. O novo BER precisa agora de uma cia com Hub lá para não ficar tão dependente de FRA, MUC, além de AMS, CDG e LHR para se chegar a outros continentes.
  4. Muito mesmo. Espero que a EK volte em 2021 com seus 380 para GRU, se não é o fim da baleia na Am do Sul, uma pena. E de quadrimotor, só teremos os 747 da LH em GRU e EZE
  5. Me referi justamente ao período pós-pandemia. Como bem disse o naia, Orlando vem se tornando um novo destino de residência de Brasileiros endinheirados (Vide a família do Gugu Liberato). É também um grande destino de eventos (que deve retomar a médio prazo). Mas também não vejo espaço para um GIG-MCO. MCO funciona de hubs como GRU, VCP e até CNF, que por sinal tem um forte mercado emissor (juntando todo o estado, GO e DF). No mundo pós-pandemia, nada será como antes (pelo menos nos próximos 3-4 anos): a demanda de negócios vai cair (reuniões presenciais dando lugar a video calls) e com es
  6. Mas pela configuração do GIG-ATL mostra q é pouco premium. MCO então, mais ainda.GIG- NYC até tem chance de Ser retomado mas os efeitos da pandemia tem que ser bem arrefecidos com uma possível descoberta da vacina e imunização em massa.
  7. Tive o privilégio de voar em 3 de suas 4 classes: a First na parte anterior do main deck, quanta exclusividade...e ainda poder usufruir do "First Class Terminal" em FRA (fiz ORD-FRA num dos primeiros voos do 748 nesta rota) , a Business no upper-deck com direito a visita ao cockpit (quanto charme voar "lá em cima") e na Premium Economy, também bastante confortável. Que o 748 da LH ainda voe a GRU por muitos anos. Que aeronave linda para se admirar no belo T3 do nosso principal aeroporto!!
  8. Fiz um CDG-NRT-CDG no upper-deck na Business em 2013. A AF tem um catering magnífico, a atenção da tripulação foi impecável, tudo transcorreu com perfeição. Deixará muitas saudades.
  9. Será que ultrapassará CDG e AMS, onde a DL tem vários voos diários, dada a estreita parceria que tem com a AF/KL? Impressionante a força de LHR.
  10. Me lembro bem em junho 2016 quando ATL não providenciou um gate para que o 380 da Qatar pudesse acoplar e desembarcar os cerca de 500 pax do gigante. A DL disse que não tinha nada a ver com isto (ahãm).
  11. O mais importante na minha opinião é que até agora Latam e AA operavam em conjunto nesta rota, com grande demanda e muito tráfego corporativo e, a partir desta cisão, elas irão competir de verdade e, mesmo antes de sabermos da parceria AA/Gol, a AA já tinha dobrado a aposta (re)lançando a terceira freq diária e definitiva entre SP e Miami. Esta competição será saudável para o passageiro e, em períodos de baixa temporada (no lazer), pode levar ao aumento da demanda (se o câmbio e economia ajudarem tb).
  12. Sim, e “coincidentemente”, a crise no Brasil (e mais forte ainda no Rio) também começou antes de 2018, final de 2016, logo após as Olimpíadas, para ser preciso. Uma conclusão que podemos tirar sobre a estratégia da AA nos últimos anos foi querer aumentar seus loads cortando rotas que já não eram tão rentáveis e fez isto em todo o país. Para ficarmos nos casos de rotas BR-EUA, a DL e a Latam também fizeram isto (sem esquecer que a Korean cortou seu LAX-GRU). A “conservadora” UA manteve suas rotas somente diminuindo sua oferta e agora, num cenário mais positivo, também foi a primeira a aume
  13. Também gosto, minha aliança preferida mas não vejo a AD entrando nela. Vai preferir ficar independente mesmo, a não ser que a proposta da UA seja “irrecusável”.
  14. prezado Lipe, a Latam deve ter avaliado que estes 5 slots diários em CGH faziam mais sentido economicamente se usados em outras bases. O resultado da Latam segue fraco mas ainda não reflete esta alteração e poderia ser mais fraco ainda caso mantivesse. O mercado de aviação é muito volátil e depende de uma série de fatores, rotas com yield bom há algum tempo não são mais. O Rio sofreu mais que os outros estados esta crise criada nos governos Petistas e ainda sofre, são empresas saindo do Rio, o mercado de Oil&Gas que não decola, Eletrobras diminuindo, Petrobras saindo de vários mercados, Oi
  15. Duvido que fechem a base. O GIG tem sua área de influência e e irão pelo menos manter estes voos mencionados acima. Sobre o GIG-CGH, os slots em CGH são muito preciosos e certamente avaliaram serem mais rentáveis em outro(s) destino(s).
  16. Sim, pelo menos no momento. Esta rota chegou a ter mais de 10 freq diarias, atualmente são 5, e somente pela Gol.
  17. https://brasilturis.com.br/aeroporto-de-guarulhos-novas-rotas-multiplas-funcoes/ Desde que foi concedido à iniciativa privada, em novembro de 2012, o Aeroporto de Guarulhos – que completa 35 anos nesta segunda-feira (20) -, em São Paulo, vem apresentando melhorias na estrutura e novas rotas que hoje conectam o estado paulista a 104 destinos – 51 internacionais e 53 domésticos – de 40 companhias aéreas. No ano passado, o aeroporto registrou 42,2 milhões de passageiros, com share doméstico de 64%. Para se ter uma ideia, no ano anterior à concessão, o número de viajantes em Guarulhos chegou
  18. O Brasil deveria sim, mas tivemos a pior recessão da história nos últimos 4 anos, além da Latam e Gol não terem aeronave adequada para cobrir outras cidades menores. Ainda assim, desde o ano passado, há o anúncio de novos destinos por parte da Gol e Latam para alguns destinos antes só servidos pela AD. Sobre contra-ataque com redução de tarifas, é verdade em parte, pois muitos dos destinos secundários só a AD opera. Por outro lado, em rotas de cidades maiores a GRU para cnxs internacionais, Latam e Gol levam vantagem por servirem mais cidades e com mais opções de horários ao longo do dia.
  19. Eu achava que GIG MVD rodava ao menos na alta temporada, mas este ano nem isto. Deve retornar no verão 20/21. Estranho não haver o GIG-CGH, rota que atualmente só a Gol opera. Por outro lado, há o GRU-SDU. Ja das rotas internacionais a partir de GRU, ASU e MVD são bem relevantes e mesmo MDZ é muito interessante por ser um dos principais destinos turísticos Argentinos, ajudando a atrair ainda mais Americanos.
  20. Não tenho ideia se, proporcionalmente, ela ganha mais dinheiro no Intl. que no doméstico mas o sucesso do doméstico depende cada vez mais do aumento de suas operações internacionais. Vejamos: somente o anúncio de NY fez a busca por este destino aumentar 54%, são mais pax voando de dezenas de cidades a VCP para voar no Intl, talvez estes pax não rentabilizem tanto esta rota (salvo tarifas cheias e Business), mas permitem que algumas rotas se sustentem e que, para parte dos pax, se cobre tarifas mais altas em rotas domésticas. Exemplo: talvez não fosse possível oferecer 2 diários para DOU, com o
  21. https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/aviacao/gru-airport-vence-routes-awards-pelo-segundo-ano-consecutivo/ GRU Airport vence Routes Awards pelo segundo ano consecutivo O GRU Airport foi reconhecido com o prêmio Routes Americas Awards pelo fomento à conectividade aérea global e por promover experiências aos seus passageiros. A premiação aconteceu nessa quarta-feira (5), durante a feira Routes Americas, que acontece em Indianápolis, nos EUA. O aeroporto conquistou o prêmio na categoria “acima de 20 milhões de passageiros processados por ano”. Esta é a segunda vez que o ae
  22. Verdade Lipe. Por ora, o anúncio do segundo MIA GIG é somente para alta temporada no Brasil e, tanto este quanto o JFK GIG deveriam permanecer ao longo de 2021. A AA é a Americana mais consolidada no Brasil e pode vir a operar até 6 diários em GRU e 3 no GIG. Vamos aguardar os próximos passos. Agora vamos ver se o JFK GIG da DL retorna na alta temporada Brasileira.
  23. Acho que ficam as duas no T3. Lembre que o Lounge da AA é no T3 e a DL poderá usar o belo e amplo Lounge da Latam neste mesmo terminal.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade