Jump to content

Fernandinho

Usuários
  • Content Count

    113
  • Joined

  • Last visited

About Fernandinho

  • Birthday 03/01/1979

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Maceió-AL
  • Data de Nascimento
    01/03/1979

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Brasília - DF
  1. Oi KTR! Olha só, salvo alguma previsão expressa na norma coletiva (ou algo ainda mais específico que me fuja à mente), esse pagamento adicional/variável pode ser pago por km, da mesma forma que ele pode até mesmo nem ser pago. É cláusula contratual, afinal de contas, e se o concorrente quiser fazer algo melhor é uma opção dele. Até acho que remunerar por km, considerando a distância em linha reta entre dois pontos, é mais prático para a empresa. Pouco importa se rolou um super engarrafamento na Dutra (rs), o pagamento variável devido a quem fez o trecho SSA/GRU vai ser sempre o mesmo
  2. Penso do meio jeito. Se já pagou tudo, não faz muita diferença gastar 15k ou 18k porque a moeda ficou 20% mais cara. Isso para quem conta o dinheiro. Para quem não faz conta, 50k ou 60k é a mesma coisa.
  3. PT-WRT, sou analfabeto de pai e mãe em penal e processo penal. Detestava na faculdade e devo ter passado pescando de algum colega. Por isso não me atrevo a debater o assunto no aspecto legal/doutrinário/jurisprudencial. Sei o tamanho das minhas pernas e a hora de por o rabo entre elas. Apenas quis ressaltar que existem discussões muito interessantes sobre umas questões psicológicas/neurológicas envolvendo memória e, particularmente, a prova testemunhal (nos EUA, pelo que entendi, a vítima também é considerada eyewitness). Nos crimes sexuais percebi que a insistência sobre
  4. PT-WRT, sobre prova testemunhal, sugiro a leitura do livro abaixo: https://www.amazon.com.br/Witness-Defense-Accused-Eyewitness-English-ebook/dp/B00XHMGAJ8/ref=asc_df_B00XHMGAJ8/?tag=googleshopp00-20&linkCode=df0&hvadid=379708092693&hvpos=&hvnetw=g&hvrand=13009238919731496142&hvpone=&hvptwo=&hvqmt=&hvdev=c&hvdvcmdl=&hvlocint=&hvlocphy=1001541&hvtargid=pla-810887831699&psc=1 É muito bom, li em menos de uma semana. Tem um caso específico sobre abuso sexual. Familiares paranoicos questionam tanto as crianças, insistem tan
  5. Pergunta bem de leigo mesmo: na situação em que o helicóptero estava, que tipo de comando era possível dar? As circunstâncias eram bem desfavoráveis, evidente, mas me parece improvável que o piloto tenha optado conscientemente por tentar pousar em uma rodovia muito movimentada, logo após um viaduto. É bem parecida com a situação de alguém que vai atravessar a rua e é surpreendido pelo carro que vinha uma faixa depois e não tinha nenhuma visão do pedestre, já que havia um ônibus encobrindo. Antes do viaduto ou no próprio viaduto a aeronave seria bem mais visível, além da possibilidade (sen
  6. Olha, eu tava na fila 25 e não vi nada disso. Tinha gente até dormindo.
  7. Eu estava no voo. De repente todas as luzes e o sistema de entretenimento apagaram. Ficaram apenas as luzes de emergência. Ele começou a descer logo depois e uma das conversas com a torre/controle saiu no pa, dizendo que tinha um problema sério, tinha perdido todos os sistemas elétricos, inclusive o alijamento. Não houve escândalo no avião, mas evidentemente todo mundo ficou com medo. O pouso foi ben duro, deu uma sensação de que quicou um pouco. A espuma foi jogada no trem de pouso principal. Esperamos cerca de 1h para sair. Já no terminal, ouvi falar (aí já pode ser boato, não sei) qu
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade