Jump to content

Eduardo Mello

Usuários
  • Content Count

    1,786
  • Joined

  • Last visited

About Eduardo Mello

  • Birthday 07/25/1990

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Brasil
  • Data de Nascimento
    25/07/1990

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    SBJV

Recent Profile Visitors

997 profile views
  1. Se tem árabe na jogada, tem que verificar se está tudo OK com a Deskjet.
  2. Imaginando que o trem bala brasileiro, entre SP-RJ, tivesse realmente sido construído, a ponte aérea estaria condenada?
  3. Essa proposta de avião da Embraer, nos primeiros esboços aparenta ser uma fuselagem de E170 / 175 com a deriva em T do KC-390, o que poderia ajudar a ser um projeto mais barato menos oneroso $$$. E imagino que esse novo projeto tenha relação com o programa CFM RISE, que é um motor propfan para lançar por volta de 2030. Uma das configurações que ilustram o projeto é a mesma desse avião da Embraer. https://www.airway.com.br/ge-e-safran-lancam-programa-cfm-rise-que-preve-novo-motor-20-mais-eficiente/
  4. Essa configuração só vi no CBA-123, e também vi em um MD-80 de testes, para o motor Propfan Como a Embraer tem todos os dados do CBA-123, deve ter avaliado que é viável essa configuração em um avião. A limitação que vejo é o diâmetro das pás, para não precisar em um pilone gigantesco.
  5. A cada semana recebo notificações do app Trademap, de empresas que nunca ouvi falar na vida, que protocolaram IPO na CVM. Essa semana mal começou e já teve Bluefit (rede de academias) e Madero protocolando IPO. Não vou me surpreender se logo aparecer a ITA e a Nella.
  6. Eu vejo as americanas (Delta, AA) operando com os 2 modelos (737 e A32X), como resultado de que apenas um único fabricante não dar conta de entregar os aviões na velocidade que desejam.
  7. Com perdão aos profissionais que fizeram esse projeto, mas o layout desse terminal está HORRÍVEL. As pessoas que estiverem saindo do check-in vão se misturar com o fluxo de pessoas desembarcando. Se o aeroporto receber um ATR 72, a sala de embarque já fica pequena. Com as mesmas dimensões, dava pra planejar um terminal mais otimizado, que também pudesse ser futuramente ampliado, caso o aeroporto se torne mais movimentado.
  8. Já está querendo ir para o caminho que defuntou diversas aéreas brasileiras (se arriscar no Internacional). A menos que ele esteja contando com o Fim/Compra da Latam BR.
  9. Por conta da pandemia, deve ter A320 a vontade para leasing (para conseguir os 50 aviões prometidos na frota). O problema é a empresa ter caixa ($$$) em tão pouco tempo para conseguir operar essa quantidade de aeronaves.
  10. Como consumidor, achei interessante deixar bem claro, e visível, o valor por KG do excesso de bagagem, informação que nas outras empresas era difícil de achar.
  11. Com as diversas histórias de picaretagem com empresa aérea no Brasil, é lógico que sempre vamos desconfiar. Se for contar por voar, a Flyways também Decolou. Mas já se tornou outra finada, com histórias de maracutaias envolvidas. O que torcemos é pra que a Itapemirim, ou qualquer outra nova empresa que se arrisque a voar no Brasil, tenha sucesso e continue voando por muitos anos.
  12. Não havia entendido o porque de operar em Correia Pinto-SC, sendo que a Azul já opera em Lajes, mas pelo que li, esse aeroporto foi construído para ser o substituto do aeroporto de Lajes, que não tem espaço para ampliações.
  13. Já que melou esse item, a Embraer não poderia já começar a desenvolver um E170 E2 (reduzindo um pouco o peso do E175E2), que encaixasse sob medida na Scope clauses, assim como na época dos ERJ ela criou os ERJ-140 com exatos 44 assentos?
  14. Espero que essa 2a etapa (inter) seja algo feito com bastante cautela, porque esse mercado (operação inter) é um tradicional quebrador de empresas aéreas brasileiras, principalmente quando a empresa traz Widebody pra frota. Já temos uma história recente disso.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade