Jump to content

Cidade

Usuários
  • Content Count

    345
  • Joined

  • Last visited

About Cidade

  • Birthday 07/14/1952

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    São Paulo/SP/Brasil
  • Data de Nascimento
    14/07/1952

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    São Paulo
  • Interests
    Aviação Comercial, Aviação Geral, Direito Aeronáutico e Direito do Consumidor

Contact Methods

  • MSN
    ed_cidade@hotmail.com
  1. Lito foi sensato e, como é de seu feitio, manteve uma postura técnica e profissional.
  2. Não devemos julgar. Ainda mais quando não estamos passando pelas dificuldades que os tripulantes da "OCAIR" estão a passar. Mas vale a leitura do texto abaixo a respeito da compulsão ao pouso: http://www.aerohabitat.org/airmanshiponline/1nov01/04-Landing%20Compulsion%20&%20CFIT.htm
  3. https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_2-jpg https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_8-jpg https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_7-jpg https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_6-jpg https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_5-jpg https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_4-jpg https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_3-jpg https://uploaddeimagens.com.br/imagens/photo-2019-03-04-11-45-52_2-jpg-37a02dbf-213f-450a-bf07-cadfc4d2ec1a
  4. Dois dias sem ter o que fazer em Miami... https://youtu.be/O1bXzjWPKiA
  5. Não é bem assim. O fato do vôo atrasar não significa que você tenha um "case". Lá há um conceito jurídico denominado "Act of God" que é uma regra que, na maior parte das relações contratuais, libera as partes de suas obrigações em razão de ocorrências imprevistas, inevitáveis ou incontroláveis. Essa doutrina da frustração do contrato nasceu em um case julgado em meados do século XIX e só não é aplicável naqueles casos em que o risco é inerente ao próprio objeto do contrato, como, e.g., contratos de seguro. Aqui, diferentemente, tudo o que ocorre e que, eventualmente, traga qualquer prejuízo ao consumidor é considerado "risco do negócio", devendo ser assumido pelo fornecedor, independentemente de culpa. Minha visão dessa prática protecionista demagógica é a seguinte: (i) o prejuízo acaba sendo pago pelo consumidor, pois tudo, absolutamente tudo, inclusive o lucro que remunera o capital, acaba por compor a tarifa; (ii) é uma prática que, injustamente, socializa o prejuízo, ou seja, todos pagam pelo infortúnio de alguns; (iii) não há capital que resista a tanta agressão. Há quase 130 anos o Brasil tornou-se uma república. Infelizmente, a nação jamais perdeu seu espírito monarquista, dependendo sempre das benesses do estado.
  6. Nossa... que coisa mais requentada! Isso aconteceu no dia 15 de novembro, ou seja há quase um mês atrás!
  7. Conexão rápida, tanto na ida, quanto na volta, com os vôos para MIA e MCO.
  8. Tenho um DJI Mavic e ontem mesmo o registrei. Facílimo o processo de registro.e já imprimi a "Certidão de Registro de Aeronave não Tripulada" que é bilingue.
  9. Não exagere, ele ia até bem, errando quando tocou na questão da fonia: falou bobagem, demonstrando que nunca sentou em um cockpit em vôo com fonia. Ainda assim, essa entrevista, juntamente com a reportagem do William Waack, está entre as poucas que não chegam a causar-me arrepios...
×
×
  • Create New...