Jump to content

Fabrício163

Usuários
  • Posts

    1,586
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Fabrício163

  1. Entendo que se analisado de forma geral esse tipo de rota seria um produto inferior para alguns passageiros (talvez a maioria deles). Mas me pergunto se mesmo assim não haveria público suficiente para algumas dessas rotas. Um voo direto é um atrativo por si só, principalmente se em um horário bom.
  2. Por que aqui no Brasil parece que demonizam voos regulares com poucas frequências semanais? Parece que se não tiver demanda para diário, não vale a pena de jeito nenhum… Seria interessante algumas rotas ponto-a-ponto O&D serem operadas duas a quatro vezes por semana (CGR-GYN, CGR-POA, etc) ou mesmo rotas menos óbvias com destino a algum hub nacional (CGR-SSA). Talvez isso seja assunto pra outro thread, mas fica aí o questionamento.
  3. 29” de pitch sem espaço conforto (nao tenho certeza se é 29” mesmo, acho que é 28”). Se colocar espaço conforto as fileiras de trás vao obviamente ficar com menos de 29”. E mesmo que fosse 29” com espaço conforto ainda seria pior que o max 8 como vc mesmo observou, já que estes possuem 30” com espaço conforto. Os da Azul já nao tem 31” fora do espaço conforto há tempos. Tanto E2 quanto A320neo possuem 30” fora do espaço conforto.
  4. Não é essa a questão. Claro que as empresas querem mais é encher de assentos para diminuir o custo por passageiro. A questão é você embarcar em um avião da empresa e depois embarcar em outro com bem menos espaço para as pernas. Mesmo a Azul, com frota plural, procura ter o mesmo pitch em todos os narrowbodies (acho que só no A21N é um pouco melhor). A diferença de produto de uma aeronave para a outra não pode ser gritante. Os E2 da Azul já são mais apertados que os E1. Imagina colocar mais 2 fileiras, mantendo o espaço conforto. Iria ficar muito mais apertado que os max. A nao ser que a Embraer tenha uma solução para colocar mais fileiras sem diminuir tanto o pitch. Nao vejo como já que os lavatorios traseiros ja sao ao lado da galley. Mas enfim a Gol pode fazer o que ela quiser…
  5. Não é tão simples assim. Um 195-E2 com capacidade máxima (144 pax) teria 28” de pitch sem espaço conforto, se colocarem espaço conforto nessa configuração, o restante das fileiras ficariam impraticáveis. Iria destoar sim e muito do padrão oferecido nos max 8. Um A220 tem como configuracao típica 145pax com 31” de pitch, aí daria para colocar espaço conforto e continuar com um espaço razoável nas fileiras restantes.
  6. Por esses motivos mesmo é que eu disse ser bastante improvável que a Gol compre A220-300.
  7. O fato de o A223/CS300 conseguir roubar mercado do max 8 (como no caso da Qantas) mostra o quanto o Bombardier é eficiente, pois pode levar cerca de 30-40 passageiros a menos e mesmo assim consegue ter um custo por assento competitivo. A questão é que é pequeno para algumas rotas, daí alguma empresas clamarem por uma versão estendida.
  8. O 195-E2 pode levar 144, porém com espaço para as pernas bem mais reduzido que um 73G ou A220-300 com o mesmo número de assentos. Acredito que não seria uma boa estratégia oferecer um conforto muito inferior que o padrão da empresa só para operar E2.
  9. Concordo, mas os BCS3 poderia levar 145+, diminuindo bastante o gap dos ATR para os B38M.
  10. A Gol poderia manter o B38M e operar o BCS3 para substituir o 73G. Os E2 não são grandes o suficiente para substituir o modelo menor do 737. Seria uma forma de se aproximar da Airbus sem desistir de cara da Boeing. Mas, sei que isso é bem improvável de acontecer.
  11. Caramba, não tem uma única empresa no MUNDO pra comprar alguns E275 para manter esse programa ativo??? KLM, que já opera a versão E1, Helvetic, que é regional e opera os outros E2… Ou existe scope-clause na Holanda e Suíça também?
  12. Bom saber que já vai ficar no jeito para ampliar a largura, mas o comprimento operacional vai continuar sendo esses 1970m mesmo. Talvez na cabeceira 06 tenha como aproveitar esses 100m e fazer uma nova área de escape, que normalmente possuem 60m. Já na cabeceira 24 nao tem como aproveitar nada por causa do recuo de segurança em relação a avenida. Se bem que 100m a mais nao faria diferença alguma nas operações. Com esse comprimento a uma altitude de 458m dá para operar qualquer narrowbody.
  13. O MAX 7 é maior que o A319neo e mesmo possuindo poucas encomendas, possui mais do que o A319neo (300 encomendas só da Southwest). O A320neo fica entre o MAX 7 e o MAX8, sendo o MAX 7 com duas fileiras a menos e o MAX 8 com duas fileiras a mais. Na configuração lata de sardinha da Gol, daria para levar 162 pax. Mas a Southwest, que tem pitch de 32” em classe única nos MAX, levará 150 pax nos seus MAX 7. Enfim, foi apenas um palpite.
  14. Eu nao duvido de no futuro acrescentarem alguns max 7 na encomenda, ou até mesmo converterem alguns max 8 em max 7, que tem apenas 4 fileiras a menos que o max 8. Acredito que dê para levar até 162 pax no 7 com o mesmo conforto que se leva 186 pax no 8. Imagina levar o que um A320 leva, mas em uma aeronave mais leve. É o que faria mais sentido para a Gol, bem mais que um E2 ou A220 na frota.
  15. Acharia uma boa se o novo terminal já fosse construído com dois pisos, facilitando a instalação de duas pontes de embarque no longo prazo.
  16. Está confirmado mesmo que a pista não será mais ampliada como antes, continuando com 1950mx30m após as intervenções?
  17. Isso tem que sair o quanto antes. O terminal atual de BPS é literalmente podre, não dá nem pra usar os banheiros, pois mesmo de máscara o cheiro de b*st* é insuportável (fico imaginando as mulheres o que sofrem). Em tempo, eu achando que a pista teria pelo menos 3000m já que estão mirando voos internacionais e os caras me vem com uma pista 400m maior que a atual… Alguém sabe o que vai acontecer com o aeroporto atual? Vai continuar operando executiva e escolas de aviação ou vai fechar e virar outra coisa? Ali dava um belo empreendimento (público ou privado), bem no centro.
  18. Deveriam implodir o T1 do GIG, isso sim. Aí o RJ teria um aeroporto internacional mais condizente com a demanda e a RioGaleão, menores custos de manutenção. E deixem o Santos Dumont crescer em paz apenas para voos domésticos.
  19. De ATR já estaria bom. A Voepass já operou dois voos diários nessa rota. Saiu pra Gol entrar com o 73G para GRU.
  20. A Gol está vendendo 5 CGH-CGR-CGH em Maio e apenas 1 GRU-CGR-GRU. Acho que ela nunca operou tantos voos entre CGH e CGR. Deve ter a ver com o aumento dos slots.
  21. Encontrei um TCC sobre a implantação do aeroporto da baixada e lá diz que já existe projeto (antigo por sinal) de ampliar a pista em 210m.
×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade