Jump to content

MarceloF

Usuários
  • Content Count

    862
  • Joined

  • Last visited

About MarceloF

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Somewhere / Over / The rainbow
  • Data de Nascimento
    27/01/1984

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Somewhere
  1. O agradecimento normalmente flutua na mediocridade do profissional. Enquanto existir manete pra empurrar, vai ter que ter alguém pra empurrar a manete. Alguns pra empurrar e prosseguir a decolagem quando não deveria, e outros para prezar pela segurança da aeronave, incluindo as vidas a bordo e a imagem da empresa - Isso é proporcional ao quanto se valoriza o profissional. Ainda assim, se a experiência fosse algo a ser valorizado, seria recompensada com um plano de carreira devidamente cumprido, que pelo que entendi é um dos pleitos deles. O salário deles é o menor do mundo em seu setor. O do presidente da empresa está no top 10 de presidentes de empresa no Brasil (Atrás somente de bancos e ex-estatais). Mas fica à vontade para divagar opiniões com pouco ou nenhum fundamento.
  2. Não entendo certas discussões aqui no fórum. Se olhar pro passado, é mais do mesmo! O ciclo funciona assim: - Uma grande empresa vai ficando obsoleta, não consegue se atualizar e acumula prejuízos há alguns anos, possui grandes passivos e decisões erradas que se perpetuam na capacidade de gerar receita e otimizar processos. - Uma pequena empresa , pagando pequenos salários e cheia de inovações e idéias revolucionárias entra comendo pelas beiradas e revirando o mercado que a empresa grande abandonou com o tempo. - A grande começa a falhar e a pequena se aproveita das lacunas que as grandes vão se forçando a abrir. - A grande quebra e a pequena torna-se a nova grande, que um dia ficará obsoleta e por aí vai... A história da aviação é assim! Não há absolutamente nada de surpreendente nesses relatórios.
  3. Essa barreira do automatismo completo vai ser quebrada depois que os dentistas se tornarem robôs. A aviação ainda tem muita lenha pra queimar, e o custo de suportar aviões autônomos em larga escala, no atual espaço aéreo é enorme!
  4. Encontraram os destroços do Malaysian em uma das praias de Madagascar.
  5. Que espetáculo!! A humanidade merece um prêmio por essa. Sobre achar o -VLU. O Malaysian já se sabe que caiu no mar... O -VLU, nem isso.
  6. O recente acidente com um Superjet 100, que vitimou 41 pessoas após um pouso de emergência em Moscou, levou as autoridades russas abrirem uma investigação contra a própria organização de aviação civil do país. O Procurador-Geral da Rússia, Yury Chaika, em audiência no Parlamento, declarou que 550 pilotos tiveram suas licenças suspensas por falta de aptidão e habilidade, e outros 160 certificados de voo foram anulados no país depois de inspeções do Ministério Público. Entre os problemas encontrados estavam a falta de conhecimentos técnicos por parte dos pilotos, incluindo profissionais de companhias aéreas, muitos sem proficiência para resolver situações de emergência. De acordo com o promotor, o sistema de aviação russo sofre com uma continua falta de objetivos e não possui um programa de segurança definido. “A questão do treinamento dedicado de pilotos ainda continua sendo urgente”, alertou Chaika. O Procurador-Geral ainda criticou de forma contundente o Ministério do Transporte Russo e a agencia de aviação civil, a Rosaviatsia, afirmando que o governo negligenciou historicamente padrões mínimo de treinamento e manutenção. O problema com proficiência pode estar ligado, entre outros, com a falta de escolas de instrução na Rússia, assim como a quase ausência de instalações apropriadas e de instrutores qualificados. Dois centros de treinamento foram fechados após ser constatado que não tinham condições mínimas de oferecer um curso adequado aos pilotos. Também houve casos de aviadores que receberam licenças de piloto comercial após cursarem programas de treinamento incompletos. O temor do Procurador-Geral é que centenas ou milhares de licenças tenham sido emitidas ao longo dos últimos anos sem que o piloto tenha recebido o treinamento adequado. Outra denúncia se refere a finalização deficiente das autoridades de aviação, tornando usual que aeronaves com manutenção irregular mantenham seus certificados de aeronavegabilidade em dia. Após o acidente com o Superjet 100, um grupo de investigadores ligados ao Gabinete do Procurador-Geral encontrou 400 aeronaves com manutenção irregular ou incorreta. De acordo com relatório parte dos problemas está relacionado ao modelo confuso e burocrático que a Rosaviatsia regula e fiscaliza o setor. A Chaika também criticou o Ministério dos Transportes por não ter elaborado e ratificados processos legais referente aos procedimentos de certificação de aeronaves, de processos de produção e treinamento do pessoal da aviação civil. No dia 5 de maio o voo Aeroflot 1492 se acidentou durante um pouso forçado no aeroporto internacional de Sheremetyevo, nos arredores de Moscou, vitimando 41 pessoas. Segundo as autoridades o Sukhoi Superjet 100 (o primeiro avião comercial completamente projetado na Rússia após o colapso da União Soviética) estivesse com todos seus sistemas operando normalmente, o pouso foi realizado de forma pouco usual, extrapolando limites estruturais da aeronave. Após o pouso a aeronave rompeu seus tanques de combustível iniciando um incêndio. O procedimento de pouso e o de evacuação de emergência está sob análise das autoridades, que encontraram uma série de erros primários. Segundo Sergey Furgal, governador de Khabarovsk, onde fica a planta industrial que produz os Superjet 100, a investigação preliminar aponta como falha humana o motivo do fracassado pouso forçado. “Foram os pilotos que cometeram vários erros durante o pouso, seja por falta de experiência ou por estresse”, afirmou Furgal. “[o avião] estava se aproximando da pista em um ângulo errado e com velocidade excessiva”. https://aeromagazine.uol.com.br/artigo/acidente-na-russia-revela-que-pais-pode-ter-milhares-de-pilotos-sem-conhecimentos-basicos_4381.html?fbclid=IwAR3zjf5nULmbyGxyqDom0QEBrO01-oiNTkzvPWHM6EwwxgL4lB1TqOpD88o
  7. Acho que vc está me confundindo... Não tenho nem CHT de PP!!
  8. O elec sys do ATR é um pouco diferente do que estamos acostumados a ver por aí. As bombas hidráulicas do avião são todas elétricas, não existem engine driven pumps que nem na maioria dos aviões. No entanto, o avião possui 2 geradores em cada motor: DC e ACW. Em condição normal, seria algo como: ENG 2 -> ACW GEN 2 -> ACW BUS 2 -> GREEN HYD PUMP -> LDG GEAR Em condição anormal, poderia ser: ENG 1 -> ACW GEN 1 -> ACW BUS 1-> ACW BUS 2 -> GREEN HYD PUMP -> LDG GEAR Ou ainda: ENG 1 -> ACW GEN 1 -> ACW BUS 1 -> BLUE HYD PUMP -> HYD X-FEED -> LDG GEAR Se falharem as duas ACW buses, ou as duas Main HYD pumps, ainda dá pra estender mecanicamente... E antes disso (não é algo exatamente previsto, mas possível) ainda dá pra usar a AUX DC Pump pra estender o trem, mas tem que ser feito devagar, de forma bem antecipada, e lembrar de fechar a X-FEED, pois ela não deve agüentar recolher trem e flap ao mesmo tempo durante a arremetida.
  9. Gostei do tom do Jerome. Só entrou em contradição quando foi perguntado sobre demanda na aviação regional, falou em tamanho de avião, e depois explicou que tem mercado que não sustenta duas empresas aéreas... Mas gostei da resposta, foi de alto nível.
  10. Há um bilionário extremamente bem sucedido que diz: "Don't hate the player, hate the game!". Perfeita a tua colocação, Kyloren. Ela é, ao mesmo tempo, lamentável, mas sobretudo perfeitamente condizente com a realidade.
  11. Acho legal todo mundo conjecturando sobre não voar avião com apenas um piloto. O publico leigo sequer sabe que os co-pilotos também voam e gerenciam o vôo, ao contrário da crença popular de que co-piloto é apenas um ajudante pra executar as tarefas. "Posso visitar a cabine do piloto?", "Mas você é piloto ou co-piloto?" e por aí vai. Só que os exames de saúde terão que ser um tantinho mais rigorosos, os descansos monitorados, e a aviação vai terminar de perder a graça.
  12. Se o cara acha que é mais aviador em relação à quem voa ATR, por voar A320, eu tenho más notícias pra ele...
  13. Se o seu vôo é importante, compre outra passagem em outra cia na tarifa full que permite reembolso integral. Até lá, se o Submarino providenciar a reacomodação, tu pede o reembolso da outra passagem. Se não providenciarem, tu não perde o vôo e processa o Submarino.
  14. O problema de VCP foi a cifra exagerada na concessão. Inflaram demais os números. Mas não tenham dúvida de que colocando mais um terminal e uma pista, o aeroporto poderá atingir a relevância que Atlanta tem para os EUA, por exemplo.
×
×
  • Create New...