Jump to content

riclima

Usuários
  • Content Count

    1,336
  • Joined

  • Last visited

About riclima

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Fortaleza/Ceará/Brasil
  • Data de Nascimento
    29/01/1941

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Fortaleza
  1. Passaredo deverá operar hangar de manutenção em Aracati Por Samuel Quintela, samuel.quintela@svm.com.br 23:00 / 29 de Novembro de 2019 ATUALIZADO ÀS 23:21 A partir de janeiro ou fevereiro de 2020, o hangar de manutenção no Aeroporto de Canoa Quebrada Dragão do Mar, deverá ser controlado pela Passaredo Linhas Aéreas. Companhia confirmou voo no Estado A Passaredo deverá ocupar o espaço da TAM Executiva, que atualmente opera o hangar de manutençãoFoto: Fabiane de Paula Com a saída da TAM Executiva do Aeroporto de Aracati, a base de operações e manutenção deverá ficar sob o comando da Passaredo Linhas Aéreas, que confirmou, ontem (29), que irá operar um voo pela Rota das Emoções, que inclui Fortaleza, Jericoacoara, o Delta do Parnaíba e os Lençóis Maranhenses. De acordo com o representante da Passaredo no Ceará, coronel Paulo Edson, a intenção é começar a utilizar a nova base a partir de janeiro ou fevereiro de 2020. Na próxima semana, a empresa deverá se reunir com o Governo para confirmar a assinatura do contrato para poder utilizar o equipamento no Aeroporto Regional de Canoa Quebrada Dragão do Mar, em Aracati. Conforme Paulo Edson, a Passaredo demonstrou interesse em operar a base em Aracati, assim que a TAM confirmou o encerramento das operações no local, conforme o Diário do Nordeste informou no dia 26 de junho. "A TAM Executiva vai sair, e aí a ideia da Passaredo é ocupar esse hangar de manutenção após a saída deles. Anteriormente, esse trabalho ficaria para a MAP Linhas Aéreas, mas essa empresa foi adquirida pela Passaredo, que ficou com a responsabilidade de operar essa função", disse. Empregos A instalação da Passaredo na nova base também deverá gerar empregos na região, considerando que a empresa terá de manter equipes de piloto, tripulação de bordo e funcionários para realizar a manutenção das aeronaves. Segundo o coronel, inicialmente, a empresa deverá levar para a cidade funcionários da central, em Ribeirão Preto, mas com o passar do tempo e terminado o período de transição, as vagas deverão ser criadas para pessoas instaladas no Ceará. A justificativa é que seria muito custoso para a companhia aérea manter funcionários de outros estados no Ceará. "Com certeza, serão gerados empregos, e serão de muita capacidade técnica, considerando que teremos uma equipe de manutenção no hangar. E ainda teremos a parte da tripulação", disse Edson. "Inicialmente, a opção é trabalhar com quem já está contratado, mas a medida que a transição for sendo feita, vão ser contratadas pessoas daqui do Ceará", completou. Novos voos Anunciado ontem (29) pelo governador do Piauí, Wellington Dias, o voo passará por Fortaleza, Jericoacoara, Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses - e o plano é começar a operar ainda em janeiro de 2020, com um avião do modelo ATR-72 600. A companhia está negociando possíveis incentivos fiscais com a administração pública das cidades e estados envolvidos na operação. Ao todo, a Passaredo deverá manter três aviões no Aeroporto de Aracati para a rota - um dos aviões fará o voo de ida, outro o de volta. A terceira aeronave ficará como reserva da operação. Aproveitando-se da saída da TAM Executiva, a Passaredo Linhas Aéreas deverá passar a operar o hangar de manutenção. Fonte: Diário do Nordeste - 30/11/2019
  2. Com concorrência maior, TAP mantém ocupação acima de 80% Por Redação, negocios@verdesmares.Com.Br 23:00 / 27 de Novembro de 2019 Mesmo com maior acirramento na Capital, companhia portuguesa estuda aumentar oferta de voos entre Fortaleza e Portugal com novas aeronaves menores do que as utilizadas, a depender da demanda. Empresa está há 21 anos em Fortaleza e há mais de 50 no País. Companhia cogita começar a utilizar os novos A321neo Apesar do aumento da oferta de voos entre Fortaleza e Europa, a veterana TAP permanece com a média de ocupação de suas seis frequências para Lisboa a partir da Capital cearense acima de 80%. A companhia ainda tem intenção de reforçar a operação, segundo o diretor geral da TAP no Brasil, Mário Carvalho. Carvalho revela que as frequências podem aumentar, dependendo do crescimento da demanda. "O Nordeste e o Brasil em geral continuam sendo as grandes prioridades da TAP. Estamos no País há mais de 50 anos e nunca deixamos de operar um destino. Aqui (Fortaleza), já estamos há 21 anos", ressalta. Além do possível aumento de frequência, o diretor aponta que a Capital está no radar da companhia para começar a utilizar as novas aeronaves Airbus A321. "Nós iniciamos em Belém, também vamos utilizar esse modelo em Natal e em 12 de junho inauguramos a rota para Maceió com ele. Em Fortaleza, nós iremos utilizar um misto entre o A330 e o A321. Ainda não temos um planejamento das frequências de cada um, mas conseguiremos ter uma oferta maior de assentos", explica. Emissores Segundo Carvalho, 60% dos passageiros da rota entre Fortaleza e Lisboa são europeus, oriundos principalmente de Portugal, Espanha, Itália e Alemanha. Para esta alta estação, ele aponta que os bilhetes já estão praticamente todos vendidos, mas coloca o rumo do próximo ano nas mãos do contexto econômico brasileiro. "A nossa dúvida é como vai ser o ano econômico em 2020. Mas já estamos com tempo suficiente para saber que temos altos e baixos. Nós temos crescido muito na América do Norte, no Brasil temos andado meio de lado. Obviamente, agora com este aumento do câmbio, pode ser que o Brasil fique um pouco mais barato e que isso atraia mais gente da Europa. Por outro lado, penaliza quem sai daqui", diz. Após o Brasil, a outra grande prioridade da companhia é a América do Norte, onde onze cidades já recebem rotas fixas da TAP - mesmo número de destinos no Brasil. Aeroportos regionais Apesar do processo de internacionalização do Aeroporto de Jericoacoara e da concessão de Juazeiro do Norte para a espanhola Aena, Carvalho avalia como improváveis rotas para estes dois destinos no momento. "Se você não tiver frequência, talvez seja uma operação muito cara porque a tripulação fica parada, entre outras coisas. Então, Jericoacoara não acredito que aconteça tão rápido. Além de ser um destino muito sazonal". Sobre Juazeiro do Norte, o diretor admite que já conversou com a Aena. "Aqui tem mercado para cargas muito bom, principalmente em Juazeiro com as frutas e calçados, que escoam por Fortaleza. Mas não vejo uma operação lá, a não ser que fosse um cargueiro", aponta Carvalho. Ao todo, a Capital tem 13 ligações semanais com o continente europeu, com mais duas a serem inauguradas em dezembro a Madrid. Fonte: Diário do Nordeste - 28/11/2019
  3. KLM reduz de quatro para três voos por semana em Fortaleza a partir de janeiro Por Redação, negocios@verdesmares.com.br 07:00 / 05 de Novembro de 2019 Companhia informou que movimentações sazonais de malha e disponibilidade de frota foram fatores decisivos KLM opera em Fortaleza desde maio do ano passadoFoto: Kléber A. Gonçalves A companhia holandesa KLM decidiu suspender, a partir de 14 de janeiro de 2020, as operações da empresa às terças-feiras entre Amsterdã e Fortaleza. A suspensão reduz de quatro para três voos por semana entre as duas cidades. Em comunicado, a aérea informou que tomou a decisão por conta de movimentações sazonais de malha aérea e disponibilidade de frota para os mais de 165 destinos que a KLM tem no mundo. "A companhia holandesa continuará com três frequências (segundas, quintas e sábados), somadas às três frequências operadas pela Air France (quartas, sextas e domingos), totalizando seis voos por semana entre a capital cearense e a Europa", disse a empresa. Ainda de acordo com o comunicado, a restauração da quarta frequência está em avaliação pela companhia. A KLM não informou se a retirada do quarto voo semanal tem relação direta com a chegada da parceira Air Europa em Fortaleza, que inicia as operações duas vezes por semana, no próximo mês de dezembro, para Madri (Espanha). "Algo que pode ser decisivo também para eles é testarem as taxas de ocupação da Air Europa. Acho estranho tirarem esse voo em janeiro, no auge do inverno europeu", avalia Igor Pires, engenheiro aeronáutico. Movimentação Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), de janeiro a agosto deste ano, a KLM transportou mais de 54,3 mil passageiros entre a Holanda e o Ceará. Apenas em agosto, a companhia movimentou pouco mais de 8 mil viajantes, cerca de 39,2% a mais na comparação com igual período de 2018. De acordo com a Anac, a empresa registrou ocupação média de 86,3% em seus voos de janeiro a agosto de 2019. Em agosto, os dados indicam ocupação média de 87,5%, abaixo dos 89,8% no registrado de agosto do ano passado. Fonte: Diário do Nordeste - 07/11/2019
  4. Voos entre Madri e Fortaleza estão com ocupações de cerca de 70% Por Hugo Renan do Nascimento, hugo.renan@svm.com.br 07:00 / 20 de Novembro de 2019 Operações da Air Europa iniciam no dia 20 de dezembro. Confira alguns serviços disponíveis a bordo dos aviões da companhia Daqui a um mês - em 20 de dezembro - a Air Europa inicia as operações entre Madri (Espanha) e Fortaleza. As ocupações dos voos nos meses de dezembro e janeiro já chegam perto de 70%. A informação foi confirmada por Gonzalo Romero, gerente geral da Air Europa no Brasil. "Nós estamos felizes com os resultados faltando um mês para o início da operação. É uma ocupação esperada para este começo e tem vindo em um bom ritmo. A partir de fevereiro e março a ocupação está em torno de 60%, mas ainda temos mais dias pela frente para as vendas", diz. Segundo ele, no início da comercialização dos bilhetes, em agosto deste ano, os brasileiros eram o principal mercado consumidor. No entanto, com o passar dos meses, os turistas europeus ganharam força e atualmente as vendas estão equilibradas. "Está crescendo muito da Europa para Fortaleza. Agora temos mais vendas de europeus e estamos equilibrados. Os italianos conhecem muito o Ceará e eles ficam mais no Estado. O resto da Europa que chega no Brasil uma parte fica no Ceará e uma outra parte faz conexão para outras cidades pela Gol", acrescenta. Divulgação O executivo diz ainda que a companhia está fazendo ações de divulgação do voo no Ceará e na Europa. "Nós estamos fazendo ações para o público final conhecer o nosso produto. Estamos falando de divulgação visual nas ruas de Fortaleza, como outdoor e busdoor, comunicação em revistas, jornais e rádios, além de termos uma boa comunicação no Aeroporto de Fortaleza. É uma comunicação forte e agressiva na cidade". Na Europa, ele afirma que a divulgação está concentrada, principalmente, na Espanha e na Itália. "Estamos fazendo muitas ações em shoppings e nas redes sociais da Air Europa. A divulgação está sendo muito boa e temos a cooperação do Governo do Ceará". Classe executiva da Air EuropaFoto: Divulgação Serviço A Air Europa começa as operações com dois voos semanais - às terças-feiras e sextas-feiras - e já no próximo ano acrescenta um voo semanal. Em Fortaleza, a empresa vai voar com o Airbus A330-200 com capacidade para 274 passageiros na classe econômica e 26 na executiva. "Nosso serviço atualmente é muito conhecido pela qualidade de atendimento da tripulação. Nós oferecemos duas cabines. Na econômica, nós oferecemos serviço de refeições (jantar e café da manhã). Nossa cabine está equipada com entretenimento de bordo com streaming através de aplicativos para celulares, tablets e notebooks. Temos também Wi-Fi a bordo com pacotes de velocidade variados", explica. Na cabine executiva, os passageiros estão dispostos em três fileiras, cada uma com dois assentos. Isso significa que nem todos os assentos têm acesso direto ao corredor da aeronave. "Nosso chef de cozinha da Business é espanhol e muito conceituado. Temos diferentes opções de comidas e cardápio muito bom de bebidas. É um serviço completo e reconhecido mundialmente". Fonte: Diário do Nordeste - 20/11/2019
  5. Video-reportagem sobre o Gripen brasileiro. https://www.aeroflap.com.br/video-reportagem-do-fantastico-sobre-o-gripen-ng-brasileiro/
  6. Cabo Verde Airlines to launch Lagos route 19 AUGUST, 2019 SOURCE: FLIGHT DASHBOARD BY: JONATHAN ROBINS LONDON Cabo Verde Airlines will open a new service to Lagos, Nigeria, starting 9 December. The route will run five times a week from the group’s hub on the island of Sol, departing on Mondays, Tuesdays, Thursdays, Saturdays and Sundays. Cabo Verde says it will operate a Boeing 757 with 161 economy class seats and 22 executive seats. The announcement comes amid a flurry of expansion announcements for the West-African nation’s flag carrier. It recently announced new routes to Angola, Brazil and Washington DC, while its international network also includes Dakar, Lisbon, Milan, Paris and Rome. In March, Icelandair Group said that a plan to acquire, through its leasing arm operation Loftleidir, a 51% shareholding in Cabo Verde Airlines – previously known as TACV– had been accepted. Cabo Verde Airlines operates three Boeing 757-200s and a single ATR 42-300 turboprop, Cirium's Fleets Analyzer shows.
  7. Embraer unveils all-electric technology demonstrator Embraer unveils all-electric technology demonstrator 16 AUGUST, 2019 SOURCE: FLIGHT INTERNATIONAL BY: KATE SARSFIELD LONDON Embraer has released images of its all-electric aircraft technology demonstrator, which it is developing in partnership with Brazilian electronics firm WEG. The companies signed a scientific and technological co-operation agreement on 29 May to jointly develop new products and solutions to enable electric propulsion in aircraft. The testbed – an adapted EMB-203 Ipanema crop duster – is "ready to receive systems and components", says Embraer and is expected to make its first flight in 2020. WEG will supply the electric motor and controller, while the cooling system will be provided by UK engineering company Parker. Embraer says the technical teams will continue to test the systems in the laboratory "over the coming months", in preparation for their integration into the demonstrator for testing under "real operating conditions".
  8. Sierra Nevada to restart Dornier 328 production in Germany Embraer avança com projeto de avião demonstrador de tecnologias de propulsão elétrica São José dos Campos-SP, 16 de agosto de 2019 – A Embraer revelou hoje, às vésperas do seu aniversário de 50 anos, imagens do avião demonstrador de tecnologia de propulsão 100% elétrica, que está em desenvolvimento. O protótipo tem um esquema de pintura especial e está preparado para receber os sistemas e componentes. O motor e inversor da aeronave estão sendo fabricados pela WEG, na sede da empresa em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, como parte do acordo de cooperação científica e tecnológica para desenvolvimento em conjunto de tecnologias de eletrificação. Dentre os avanços do projeto estão a parceria com a Parker Aerospace que será responsável por fornecer o sistema de arrefecimento do avião demonstrador da tecnologia. Durante os próximos meses, as equipes técnicas das empresas continuarão testando os sistemas em laboratório para posterior integração no demonstrador de tecnologias e realização de ensaios em condições de operação real. O primeiro voo do protótipo está previsto para 2020. Sobre a cooperação tecnológica A proposta de desenvolvimento tecnológico para eletrificação aeronáutica, formalizada num sistema de cooperação entre Embraer e WEG, anunciado em maio de 2019, é um instrumento eficaz e eficiente para a capacitação e maturação das tecnologias antes da aplicação em produtos futuros. A parceria, no âmbito de pesquisa e desenvolvimento pré-competitiva, busca acelerar o conhecimento das tecnologias necessárias à utilização e integração de motores elétricos visando o aumento da eficiência energética dos sistemas propulsivos de aeronaves inovadoras. Para os ensaios será utilizada como plataforma demonstradora uma aeronave de pequeno porte monomotor, baseada no EMB-203 Ipanema, que realizará avaliação primária das tecnologias de eletrificação. O processo de eletrificação faz parte de um conjunto de esforços realizados pela Embraer e outras empresas do setor aeronáutico que visam atender seus compromissos de sustentabilidade ambiental, a exemplo do que já vem sendo feito com biocombustíveis para redução de emissões de carbono. Ao estabelecer parcerias estratégicas por meio de mecanismos mais ágeis de cooperação, a Embraer estimula redes de conhecimento que permitem um significativo aumento de competitividade do país e a construção de um futuro sustentável. Siga-nos no Twitter: @Embraer Sobre a Embraer Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer completa 50 anos de atuação nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança, Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda. Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros. A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.
  9. Sierra Nevada to restart Dornier 328 production in Germany 15 AUGUST, 2019 SOURCE: FLIGHT DASHBOARD BY: MICHAEL GUBISCH LONDON US manufacturer Sierra Nevada intends to restart production of the Dornier 328 turboprop in Leipzig. The regional government of Saxony, where the city is located, has confirmed the plan. A press-conference invite issued by Saxony's state ministry for economy, work and transport says that Sierra Nevada and its Munich-based subsidiary 328 Support Services – the aircraft's type-certificate holder – will on 21 August disclose establishment of "a new aircraft manufacturer" at Leipzig/Halle airport. The project will be announced "in presence of representatives of [Germany's] federal government and Saxony's state government" during a national aviation conference at the regional airport, the ministry says in the invite. It asserts that the project's location in Leipzig will "strengthen" German aviation "as a whole". A Dornier 328 turboprop featuring "different configurations" will be on display during the event, to demonstrate the aircraft's "versatility", the invite adds. Powered by two Pratt & Whitney Canada PW119C turboprops, the 30-seat aircraft was developed and initially produced by now-defunct Dornier. A first flight was conducted in 1991. Fairchild acquired the German manufacturer in 1996 and introduced a jet-powered version with two PW306B turbofans. Production ceased after the collapse of the developmental Fairchild Dornier 728 regional jet programme in 2002. Cirium's Fleet Analyzer shows that 58 Dornier 328 turboprops and 50 Dornier 328-Jets – including nine business aircraft – are in service today. Some 19 of the turboprops and nine of the jets have been stored, while 79 have been retired. The largest operators of the in-service aircraft are the US Air Force (20 units), Danish carrier Sun-Air (12), German-based Private Wings Flugcharter (10), and US-based Ultimate Jetcharters (eight). During the 2016 Farnborough air show, Sierra Nevada disclosed a plan to restart production of both Dornier 328 turboprops and jets through the manufacturer's Turkish subsidiary TRJet. The US manufacturer had a target of delivering in 2019 the first aircraft under a tentative deal with Turkey's government for 50 units. Sierra Nevada and 328 Support Services have not responded to requests for comment on the Leipzig plan.
  10. Aigle Azur Vende Operações Para Porto, Faro E Madeira À Vueling 13/08/2019 Catanho Fernandes A companhia francesa Aigle Azur chegou a um acordo com a companhia de baixo custo espanhola Vueling, que integra o Grupo IAG (British Airways, Iberia, Iberia Express, Aer Lingus e Level) para ceder as suas rotas de Paris/Orly para Portugal por 22,4 milhões de dólares, cerca de 20 milhões de euros, anunciou nesta segunda-feira, dia 12 de agosto, o portal ‘aviator.com’, uma empresa de auditoria que consolida notícias de diversas origens na indústria aeronáutica. O jornal francês ‘La Tribune’ já tinha publicado que a Aigle Azur, que tem como acionistas maioritários o grupo chinês HNA e o empresário David Neeleman, estava a negociar a venda da sua operação em Orly para Porto, Faro e Madeira – cerca de dezena e meia de voos – como forma de obter liquidez para se manter a voar. Os voos para Lisboa já tinham sido cedidos à TAP Air Portugal, um negócio cujos contornos não foram divulgados. Os cerca de 1.400 trabalhadores da empresa estão representados numa comissão que foi nomeada pela empresa e na qual o governo francês tem uma presença de observador, através da Comissão Interministerial de Reestruturação Industrial (CIRI). Em princípio terão concordado Segundo o jornal francês, a Aigle Azur, que já tinha anunciado que estava a ser vítima do desinteresse dos seus acionistas principais (LINK notícia relacionada) está a procurar viabilizar algumas das suas operações onde é líder de mercado, nomeadamente para a Argélia e países mediterrânicos do Norte de África, e pretende transferir a sua base operacional para o Aeroporto de Charles de Gaulle, situado a 27 quilómetros da capital francesa. Alguns dos voos para a Argélia, manter-se-ão, por enquanto, em Paris/Orly. A Aigle Azur anunciou também no corrente mês que irá deixar de voar entre Paris/Orly e São Paulo/Campinas a partir de setembro próximo, uma medida que faz também parte do plano de reestruturação da companhia. O único voo mais longo será Paris/Orly-Bamako, capital do Mali, na África Ocidental, país que tem fronteira com a Argélia. www.newsavia.com
  11. Embraer progresses with divesting its commercial aircraft unit 14 AUGUST, 2019 SOURCE: FLIGHTGLOBAL.COM Embraer is well into the work of splitting off its commercial aircraft division into a joint venture controlled by Boeing – and the costs of the separation are now hitting Embraer's bottom line. The Brazilian company logged $19.5 million in "separation costs related to the strategic partnership between Embraer and Boeing" during the second quarter, it reports on 14 August. Those costs add to related first quarter expenses, bringing to $31.8 million the total cost of the separation during the first six months of 2019. Embraer still earned a profit of $7.2 million in the second quarter, which sharply reverses its $131 million loss in the same period last year. Last year's loss, however, reflected a $127 million charge stemming from additional costs for developing the KC-390 transport. The pending Boeing deal calls for the US manufacturing giant to buy 80% of Embraer's commercial aircraft division, which makes the E-Jets line of regional jets, for $4.2 billion. Boeing and Embraer also plan to form a joint venture to promote KC-390 sales. Embraer will retain its business aircraft unit. The companies expect the deal will close by year end. Speaking during Embraer's second quarter earnings call, chief financial officer Nelson Salgado says Embraer has already shouldered expenses related to separating the commercial unit. The costs stem from information technology work, and relate to transferring employees and infrastructure from Embraer's Sao Jose dos Campos site to its new headquarters in Eugenio de Melo, which is in the same district as Sao Jose dos Campos. Boeing is retaining Embraer's prime Sao Jose dos Campos E-Jet production site and will rename the operation Boeing Brasil – Commercial, the companies have said. Embraer's other expenses related to the deal include those of moving its Praetor business jet production line from Sao Jose dos Campos to a site in Gaviao Peixoto. Those cities are about 170nm (315km) apart. www.panrotas.com.br
  12. Cabo Verde Airlines Recebe Boeing 737-300 Para Voar Entre A Praia E Lisboa 13/08/2019 No Comments 571 Views Aviação Comercial, Cabo Verde - Aviação Comercial, Cabo Verde - Notícias, Destaques - Aviação Comercial, Notícias, Portugal - Aviação Executiva, Portugal - Notícias Redacção 1 A Cabo Verde Airlines inicia no próximo dia 30 de agosto, um novo voo internacional entre a Cidade da Praia, na ilha de Santiago, e Lisboa, anunciou a companhia nesta segunda-feira, dia 12 de agosto. Um comunicado de imprensa indica que é esperado nesta terça-feira, no Aeroporto Internacional Nelson Mandela, na Cidade da Praia, um avião Boeing 737-300, fretado pela Cabo Verde Airlines, que irá retomar os voos que antes eram feitos pela extinta TACV e que, presentemente, são assegurados apenas pela TAP Air Portugal, companhia que ficou praticamente sozinha na rota entre Santiago e Lisboa, após o encerramento da antiga companhia de bandeira cabo-verdiana. Trata-se de uma rota com grande procura, não só pelos milhares de cabo-verdianos que vivem e trabalham em Portugal, como também por turistas europeus que demandam a ilha. Para começar, o Boeing 737-300 fará três voos semanais da Praia para Lisboa, estando previsto que este avião seja ainda utilizado em outras rotas regionais em África, nomeadamente para Lagos, na Nigéria, uma rota que será aberta em breve. O primeiro voo está marcado para sexta-feira, 30, com partida às 15h35 e chegada a Lisboa às 19h50, com regresso previsto às 21h00 e chegada à Praia às 01h20 de sábado. Às segundas-feiras, a partida da Praia acontece às 15h45, com chegada a Lisboa às 20h00, estando o regresso à capital cabo-verdiana agendado para as 21h00 e chegada prevista às 01h20 das terças-feiras. Às quartas-feiras, o voo parte da Praia às 15h25, com chegada a Lisboa às 19h40, sendo que o regresso está previsto para às 21h00, com aterragem às 01h20 das quintas-feiras na Praia. Com este relançamento, a Cabo Verde Airlines pretende reforçar a sua ligação entre Portugal e Cabo Verde, como “parte integrante” da sua estratégia. O Boeing 737-300 foi subalugado a uma empresa da Europa de Leste. O avião descola na manhã desta terça-feira, dia 13 de agosto, do Aeroporto Internacional Henri Coanda, em Bucareste, na Roménia, e aterrará em Cabo Verde durante a tarde. Está prevista uma escala técnica no Aeroporto de Faro/Algarve, no sul de Portugal, que poderá ser alterada devido à greve dos motoristas de transporte de combustíveis que nesta segunda-feira levou à suspensão das escalas técnicas para reabastecimento em Faro, por escassez de combustível. www;newsavia.com
  13. ARIALDO Pinho impulsionou de tal jeito o turismo cearense, através de voos internacionais. Este ano mais dois estão na agenda. Turismo é fonte de renda inesgotável e o Ceará virou um boom. Arialdo não descansa enquanto não fechar o voo de Casablanca à Fortaleza. Coluna de Alan Neto - www.opovo.com.br
  14. Será que a MAP, a Passaredo ou a TwoFlex não poderiam utilizar seus slots em Congonhas para fazer um voo entre Congonhas e Jacarepaguá?
  15. Aigle Azur, Companhia Que Tem Neeleman Como Sócio, Em Dificuldades 08/08/2019 A Aigle Azur, que é a segunda maior companhia francesa, está a passar por momentos difíceis, em termos económicos, e as perspectivas de continuidade são incertas, tendo em conta um enorme passivo, com as rendas dos alugueres dos seus aviões atrasadas, além de outras dívidas que não foram satisfeitas junto de fornecedores. O jornal francês ‘Le Figaro’ publicou nesta quarta-feira, dia 7 de agosto, uma matéria em que alerta para a grande incerteza quanto ao futuro da companhia que emprega 1.400 pessoas. O governo francês está a acompanhar a situação. O sócio maioritário da companhia (49%) é presentemente o grupo chinês HNA, dono da Hainan Airlines e de outras companhias aéreas chinesas, além de investimentos em diversos sectores económicos e áreas geográficas, que também, nos últimos anos, tem passado por dificuldades financeiras obrigando a uma grande reestruturação, que incluiu a venda de diversos ativos. O segundo maior acionista é David Neeleman, um empresário bastante conhecido no Brasil e em Portugal, que em novembro de 2017 comprou a participação do Grupo Weaving (ex-GoFast). O ‘Le Figaro’ escreve que a Aigle Azur, que detinha no início do ano uma frota de 12 aeronaves Airbus viu-se obrigada a devolver um dos nove aviões A320 que estão ao seu serviço em junho passado. Entretanto, outra empresa de leasing está a pressionar a companhia para devolver outros aparelhos que estão alugados, dado que as rendas estão em atraso desde há muito tempo. A Aigle Azur tem dois aviões A330-200 desde julho de 2018, quando iniciou a sua primeira rota intercontinental entre Paris/Orly e Campinas/Viracopos, em São Paulo, Brasil, com três frequências semanais. A companhia voa para 25 destinos, com grande oferta para a Argélia, antiga colónia francesa no norte de África, onde serve seis cidades. Aliás a companhia tem uma grande ligação a esse país africano, e teve no passado laços comerciais com acionistas de países árabes do Mediterrâneo, que, sobretudo no início da empresa e até há cerca de dois anos, estiveram ligados à sua gestão. Atualmente a Aigle Azur voa para Portugal (Faro/Algarve, Lisboa, Madeira e Porto) com diversos voos semanais, para a Argélia, Mali, Líbano; Rússia, Tunísia e Ucrânia, além de São Paulo, no Brasil. Desde há alguns meses em dificuldades para pagar os leasings dos seus aviões, a companhia tem optado por subalugar aeronaves, tendo estado dois ao serviço da TAP Air Portugal, desde o ano passado, enquanto por outro lado, tem recorrido a serviços de outras companhias (exemplo da francesa ASL Airlines) para realizar alguns dos seus voos regulares. Presença histórica na aviação comercial europeia A Aigle Azur tem uma presença histórica de destaque na aviação comercial europeia. Foi fundada em 1946 e é, presentemente, a companhia aérea privada mais antiga de França e da Europa. Já passou por diversas fases ao longo da sua existência. Em 2001 a sua frota tinha um único avião ao serviço, quando foi comprada pelo Grupo GoFast (depois Grupo Weaving), conectado com interesses económicos de países francófonos do Norte de África. Primeiro liderado por d’Arezki Idjerouidéne, e depois por seu filho Meziane Idjerouidéne, o Grupo GoFast conseguiu fazer renascer a Aigle Azur, afirmando-a como a segunda maior companhia aérea de bandeira francesa. Em 2010 a família Idjerouidéne resolveu abrir o capital da empresa aérea, tendo como objectivo concorrer no segmento de longo curso. Em 2012 deu-se a entrada do Grupo HNA que adquiriu 48% das ações. Em 2016 o grupo Lu Azur, liderado pelo empresário francês Gérard Houa, adquire 20%, em novo aumento de capital, restando ao Grupo Weaving os 32% que vendeu em 2017 a David Gary Neeleman. Da história do empresário que fundou a Azul, todos conhecemos um pouco. Resumidamente fundou quatro companhias aéreas: Morris Air, WestJet, JetBlue e Azul. Em 2015 associou-se à TAP Air Portugal. Neste momento lidera um novo projeto de transporte aéreo nos Estados Unidos da América, para o qual encomendou 60 aviões Airbus A220-300. www.newsavia.com
×
×
  • Create New...