Jump to content

riclima

Usuários
  • Content Count

    1,349
  • Joined

  • Last visited

About riclima

Previous Fields

  • Cidade/UF/País
    Fortaleza/Ceará/Brasil
  • Data de Nascimento
    29/01/1941

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Fortaleza

Recent Profile Visitors

533 profile views
  1. Novidade nos painéis informativos: https://www.aeroflap.com.br/aeroporto-de-brasilia-inova-no-design-dos-paineis-informativos-de-voos/
  2. Mais um capítulo... https://www.aeroflap.com.br/viracopos-consegue-interromper-processo-de-retomada-do-aeroporto-pela-anac/
  3. Airbus talks up A220’s regional credentials as NAC firms order By Cirium23 January 2020 Save article Nordic Aviation Capital has firmed up its order for 20 Airbus A220-300s, prompting the manufacturer to highlight the aircraft’s relevance in the regional aviation market. Regional aircraft lessor NAC had signed a memorandum of understanding for 20 A220s in June 2019. Airbus chief commercial officer Christian Scherer states that NAC’s A220 order “shows this aircraft is just as relevant in the regional world as it is in the mainline one”. The aircraft is designed to serve the 100-150 seat market. At the end of 2019, Airbus held 595 A220 orders, up 47% on the number of orders secured for the aircraft before the European manufacturer acquired the programme from Bombardier in mid-2018. Other deals signed by Airbus include the sale of 60 A220-300s to Air France-KLM, 70 A220-300s to JetBlue Airways, an agreement to sell 60 jets to former JetBlue founder David Neeleman’s US start-up, project-named Moxy, and a letter of intent for Air Lease to acquire 50 A220-300s. Source: www.flightglobal.com.br
  4. Why jet stalwart Embraer is embracing the turboprop By Flight International24 January 2020 Save article If the stars align, the world could have the first all-new large turboprop passenger aircraft for four decades within five years. The irony is that this is the proposition from Embraer – a stalwart of jet-powered regional aircraft that helped contribute to the near-extinction of the turboprop “race”. Source: Andre Cros/Ville de Toulouse/Wikimedia Commons Embraer’s case for a next-generation turboprop airliner is a strong one – pointing to the environmental and economic benefits, as well as the market disruption it could bring. Today’s market leader, ATR, and its large-turboprop competitor, the De Havilland Canada Dash 8 – along with smaller turboprops such as the Saab 340 and Embraer Brasilia – owned the regional sector for much of the late 20th century. That all changed in the mid-1990s, when a modified Canadian business jet design with 50 seats crashed their party. Embraer was quick to identify the threat from the Bombardier CRJ, and created its own 50-seater, the ERJ. The two OEMs shipped 2,000 small regional jets between them from 1993 to 2005. Their value proposition to regional operators was compelling: big jet-like passenger experience, faster sector times and competitive economics. Turboprop manufacturers were caught in a perfect storm, as the regional jet generation arrived in tandem with a high-profile US turboprop accident – the infamous Roselawn tragedy in which 68 people died – combining to effectively render obsolete the propeller-driven airliner in North America. By the early 2000s, turboprop production was at a trickle. Only ATR and, ironically, Bombardier, kept the faith. In 2003, just 29 aircraft were delivered globally while over 300 Bombardier and Embraer jets were shipped. But the props weren’t done. New technology like active noise control improved the passenger experience, while engine upgrades enhanced performance. Bombardier created an enlarged Dash 8 that could carry 70-80 passengers at jet-like speeds. And the rising fuel price from around 2005 hit small-jet economics hard. So the large turboprop sector bounced back as the 50-seat jet era ended. Deliveries averaged a healthy 100 aircraft per year during the 2010s, with ATR the market leader. Embraer – a major player in the market with its E-Jet series – believes the sector is ripe for disruption. It is confident it can create a headache for the current turboprop players without diluting the market for its jet portfolio. The question is: will Embraer’s prospective new partner Boeing have the appetite to support such a venture? We won’t have to wait too long to find out. Source: www.flightglobal.com
  5. ANA’s third A380 emerges from Airbus paint shop with orange turtle livery By Lewis Harper24 January 2020 Save article Japanese carrier ANA’s third and final “Flying Honu” Airbus A380 rolled out from the airframer’s paint shop in Hamburg today. The latest example is due to join ANA’s two in-service A380s on the Tokyo-Honolulu route in July. Source: Airbus ANA’s third A380 All three are painted with special liveries depitcting the Hawaiian green seat turtle. The first two superjumbos feature blue and green colour schemes respectively. The carrier took delivery of its first A380 in March 2019, and its second in May. ANA currently flies between Tokyo and Honolulu 10 times weekly with the A380; Boeing 777-300ERs operate the remaining four weekly flights. Source: www.flightglobal.com
  6. LOT Polish Airlines parent agrees to buy Condor By Lewis Harper24 January 2020 Save article The owner of LOT Polish Airlines has agreed to purchase former Thomas Cook Group subsidiary Condor. The German leisure airline said on 24 January that the deal with Polish Aviation Group (PGL) secures “our future in the long term”. “We are pleased that Condor, Germany’s most popular leisure airline, has gained in the PGL and LOT stable, experienced and dynamically developing partners who secure the future of our business,” says Condor chief executive Ralf Teckentrup. “Together we will serve twice as many passengers, thus forming one of the largest aviation groups and the leading leisure airline group in Europe.” The Condor brand will be retained, along with “its successful management team”, PGL states. “Condor will become the centre of PGL’s leisure strategy with a focus on growth in Germany as well as adjacent markets, building one of the leading European leisure airlines,” the Polish group adds. A bridging loan of €380 million ($419 million) provided by German state bank KfW – needed because Condor faced an “acute liquidity shortage” as a result of Thomas Cook’s collapse – will be repaid as part of the agreement. PGL’s purchase of Condor is expected to close by April 2020, “once customary antitrust approvals are obtained and Condor exits the protective shield proceedings”. Condor’s future had been uncertain before the collapse of its parent in September 2019. In May, the leisure carrier announced it had received several bids for the business – including from Lufthansa Group. Source: www.flightglobal.com
  7. AVIAÇÃO COMERCIAL Binter Vai Voar Das Canárias Para Santander E Vitória Com O Embraer E195-E2 19/01/2020 A Binter Canarias anunciou a abertura de mais dois destinos na Península Ibérica a partir de abril deste ano, que serão servidos com os novos aviões Embraer E195-E2, com capacidade para 132 passageiros. As novas rotas são para Santander, na Cantábria, com início em 2 de abril, e para Vitória/Foronda, na cidade de Vitória Gasteiz, no País Basco, que tem o primeiro voo marcado para o dia 1 de abril. A Binter está a promover uma campanha de promoção com tarifas mais baixas até 16 de fevereiro, com preços desde 31,25 euros para Santander; e desde 30,65 euros para Vitória/Gasteiz, para voos entre 30 de março e 30 de junho deste ano. As duas novas rotas terão frequências bissemanais, com voos alternados das ilhas de Grã-Canária e de Tenerife. As compras devem ser feitas através do site da companhia aérea. A abertura das novas rotas resultam de contratos de promoção e de marketing que foram assinados pela Binter com os governos autónomos da Cantábria e do País Basco, para incentivo e lançamento das novas rotas, numa perspectiva de maior conectividade entre as cidades continentais e as ilhas (e vice-versa), ao mesmo tempo que é potenciado um maior intercâmbio turístico entre essas regiões. O acordo com o Governo da Cantábria já tinha sido anunciado no início do mês de dezembro. Quanto a Vitória/Foronda, a sociedade de promoção do aeroporto local – a VIA – que é comparticipada pelo Governo Basco, entre outras entidades públicas e privadas, anunciou na semana passada que a Binter, através de uma empresa do grupo – a ‘Gestión Aeronáutica Integral Canária SL’ – tinha ganho a licitação para a promoção das ligações aéreas entre aquele aeroporto e as ilhas Canárias, por ter apresentado a proposta de valor mais baixo – 220 mil euros. A entrada da Binter em Vitória foi uma decisão muito saudada pelos agentes de viagens nas duas regiões espanholas, pois vai substituir, de alguma forma, a saída da Ryanair que, até ao passado dia 7 de janeiro, realizava voos entre as suas bases operacionais das Canárias e a cidade basca, com um índice de ocupação muito interessante (LINK notícia relacionada). fonte: www.newsavia.com
  8. A Airbus está tentando de qualquer maneira baixar os custos de produção do A-220, pois parece que ele não gerando lucro para a empresa. O avião está vendendo bem, mas a que preço???
  9. Azul encerra voos entre Fortaleza e Juazeiro do Norte a partir de janeiro de 2020 Por Redação, negocios@svm.com.br 15:18 / 14 de Dezembro de 2019 Bilhetes já não estão mais sendo comercializados no site da companhia A companhia opera atualmente voos de Juazeiro para Fortaleza, Campinas e Guarulhos A Azul Linhas Aéreas deixará de operar na rota entre Fortaleza e Juazeiro do Norte a partir de 7 de janeiro de 2020. A informação foi confirmada pela companhia que também vai alterar outros voos no Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes. Os bilhetes já não estão mais sendo comercializados no site da Azul. A Azul informou que vai manter as operações entre Juazeiro do Norte e Guarulhos e que os voos de Campinas para Juazeiro passam a ser circulares (Campinas-Juazeiro-Petrolina). Já Recife passa de dois para um voo diário. "A empresa afirma que permanece buscando oportunidades para melhor servir Juazeiro do Norte. Tais alterações buscam maior eficiência operacional e da frota no momento e poderão ser revistas após a temporada de verão", completa a Azul por meio de nota. Fonte: www.diariodonordeste.com.br
  10. Movimentação de passageiros em Jericoacoara. https://www.aeroflap.com.br/aeroporto-de-jericoacoara-ja-atendeu-100-mil-passageiros-em-11-meses/
  11. Passaredo deverá operar hangar de manutenção em Aracati Por Samuel Quintela, samuel.quintela@svm.com.br 23:00 / 29 de Novembro de 2019 ATUALIZADO ÀS 23:21 A partir de janeiro ou fevereiro de 2020, o hangar de manutenção no Aeroporto de Canoa Quebrada Dragão do Mar, deverá ser controlado pela Passaredo Linhas Aéreas. Companhia confirmou voo no Estado A Passaredo deverá ocupar o espaço da TAM Executiva, que atualmente opera o hangar de manutençãoFoto: Fabiane de Paula Com a saída da TAM Executiva do Aeroporto de Aracati, a base de operações e manutenção deverá ficar sob o comando da Passaredo Linhas Aéreas, que confirmou, ontem (29), que irá operar um voo pela Rota das Emoções, que inclui Fortaleza, Jericoacoara, o Delta do Parnaíba e os Lençóis Maranhenses. De acordo com o representante da Passaredo no Ceará, coronel Paulo Edson, a intenção é começar a utilizar a nova base a partir de janeiro ou fevereiro de 2020. Na próxima semana, a empresa deverá se reunir com o Governo para confirmar a assinatura do contrato para poder utilizar o equipamento no Aeroporto Regional de Canoa Quebrada Dragão do Mar, em Aracati. Conforme Paulo Edson, a Passaredo demonstrou interesse em operar a base em Aracati, assim que a TAM confirmou o encerramento das operações no local, conforme o Diário do Nordeste informou no dia 26 de junho. "A TAM Executiva vai sair, e aí a ideia da Passaredo é ocupar esse hangar de manutenção após a saída deles. Anteriormente, esse trabalho ficaria para a MAP Linhas Aéreas, mas essa empresa foi adquirida pela Passaredo, que ficou com a responsabilidade de operar essa função", disse. Empregos A instalação da Passaredo na nova base também deverá gerar empregos na região, considerando que a empresa terá de manter equipes de piloto, tripulação de bordo e funcionários para realizar a manutenção das aeronaves. Segundo o coronel, inicialmente, a empresa deverá levar para a cidade funcionários da central, em Ribeirão Preto, mas com o passar do tempo e terminado o período de transição, as vagas deverão ser criadas para pessoas instaladas no Ceará. A justificativa é que seria muito custoso para a companhia aérea manter funcionários de outros estados no Ceará. "Com certeza, serão gerados empregos, e serão de muita capacidade técnica, considerando que teremos uma equipe de manutenção no hangar. E ainda teremos a parte da tripulação", disse Edson. "Inicialmente, a opção é trabalhar com quem já está contratado, mas a medida que a transição for sendo feita, vão ser contratadas pessoas daqui do Ceará", completou. Novos voos Anunciado ontem (29) pelo governador do Piauí, Wellington Dias, o voo passará por Fortaleza, Jericoacoara, Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses - e o plano é começar a operar ainda em janeiro de 2020, com um avião do modelo ATR-72 600. A companhia está negociando possíveis incentivos fiscais com a administração pública das cidades e estados envolvidos na operação. Ao todo, a Passaredo deverá manter três aviões no Aeroporto de Aracati para a rota - um dos aviões fará o voo de ida, outro o de volta. A terceira aeronave ficará como reserva da operação. Aproveitando-se da saída da TAM Executiva, a Passaredo Linhas Aéreas deverá passar a operar o hangar de manutenção. Fonte: Diário do Nordeste - 30/11/2019
  12. Com concorrência maior, TAP mantém ocupação acima de 80% Por Redação, negocios@verdesmares.Com.Br 23:00 / 27 de Novembro de 2019 Mesmo com maior acirramento na Capital, companhia portuguesa estuda aumentar oferta de voos entre Fortaleza e Portugal com novas aeronaves menores do que as utilizadas, a depender da demanda. Empresa está há 21 anos em Fortaleza e há mais de 50 no País. Companhia cogita começar a utilizar os novos A321neo Apesar do aumento da oferta de voos entre Fortaleza e Europa, a veterana TAP permanece com a média de ocupação de suas seis frequências para Lisboa a partir da Capital cearense acima de 80%. A companhia ainda tem intenção de reforçar a operação, segundo o diretor geral da TAP no Brasil, Mário Carvalho. Carvalho revela que as frequências podem aumentar, dependendo do crescimento da demanda. "O Nordeste e o Brasil em geral continuam sendo as grandes prioridades da TAP. Estamos no País há mais de 50 anos e nunca deixamos de operar um destino. Aqui (Fortaleza), já estamos há 21 anos", ressalta. Além do possível aumento de frequência, o diretor aponta que a Capital está no radar da companhia para começar a utilizar as novas aeronaves Airbus A321. "Nós iniciamos em Belém, também vamos utilizar esse modelo em Natal e em 12 de junho inauguramos a rota para Maceió com ele. Em Fortaleza, nós iremos utilizar um misto entre o A330 e o A321. Ainda não temos um planejamento das frequências de cada um, mas conseguiremos ter uma oferta maior de assentos", explica. Emissores Segundo Carvalho, 60% dos passageiros da rota entre Fortaleza e Lisboa são europeus, oriundos principalmente de Portugal, Espanha, Itália e Alemanha. Para esta alta estação, ele aponta que os bilhetes já estão praticamente todos vendidos, mas coloca o rumo do próximo ano nas mãos do contexto econômico brasileiro. "A nossa dúvida é como vai ser o ano econômico em 2020. Mas já estamos com tempo suficiente para saber que temos altos e baixos. Nós temos crescido muito na América do Norte, no Brasil temos andado meio de lado. Obviamente, agora com este aumento do câmbio, pode ser que o Brasil fique um pouco mais barato e que isso atraia mais gente da Europa. Por outro lado, penaliza quem sai daqui", diz. Após o Brasil, a outra grande prioridade da companhia é a América do Norte, onde onze cidades já recebem rotas fixas da TAP - mesmo número de destinos no Brasil. Aeroportos regionais Apesar do processo de internacionalização do Aeroporto de Jericoacoara e da concessão de Juazeiro do Norte para a espanhola Aena, Carvalho avalia como improváveis rotas para estes dois destinos no momento. "Se você não tiver frequência, talvez seja uma operação muito cara porque a tripulação fica parada, entre outras coisas. Então, Jericoacoara não acredito que aconteça tão rápido. Além de ser um destino muito sazonal". Sobre Juazeiro do Norte, o diretor admite que já conversou com a Aena. "Aqui tem mercado para cargas muito bom, principalmente em Juazeiro com as frutas e calçados, que escoam por Fortaleza. Mas não vejo uma operação lá, a não ser que fosse um cargueiro", aponta Carvalho. Ao todo, a Capital tem 13 ligações semanais com o continente europeu, com mais duas a serem inauguradas em dezembro a Madrid. Fonte: Diário do Nordeste - 28/11/2019
  13. KLM reduz de quatro para três voos por semana em Fortaleza a partir de janeiro Por Redação, negocios@verdesmares.com.br 07:00 / 05 de Novembro de 2019 Companhia informou que movimentações sazonais de malha e disponibilidade de frota foram fatores decisivos KLM opera em Fortaleza desde maio do ano passadoFoto: Kléber A. Gonçalves A companhia holandesa KLM decidiu suspender, a partir de 14 de janeiro de 2020, as operações da empresa às terças-feiras entre Amsterdã e Fortaleza. A suspensão reduz de quatro para três voos por semana entre as duas cidades. Em comunicado, a aérea informou que tomou a decisão por conta de movimentações sazonais de malha aérea e disponibilidade de frota para os mais de 165 destinos que a KLM tem no mundo. "A companhia holandesa continuará com três frequências (segundas, quintas e sábados), somadas às três frequências operadas pela Air France (quartas, sextas e domingos), totalizando seis voos por semana entre a capital cearense e a Europa", disse a empresa. Ainda de acordo com o comunicado, a restauração da quarta frequência está em avaliação pela companhia. A KLM não informou se a retirada do quarto voo semanal tem relação direta com a chegada da parceira Air Europa em Fortaleza, que inicia as operações duas vezes por semana, no próximo mês de dezembro, para Madri (Espanha). "Algo que pode ser decisivo também para eles é testarem as taxas de ocupação da Air Europa. Acho estranho tirarem esse voo em janeiro, no auge do inverno europeu", avalia Igor Pires, engenheiro aeronáutico. Movimentação Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), de janeiro a agosto deste ano, a KLM transportou mais de 54,3 mil passageiros entre a Holanda e o Ceará. Apenas em agosto, a companhia movimentou pouco mais de 8 mil viajantes, cerca de 39,2% a mais na comparação com igual período de 2018. De acordo com a Anac, a empresa registrou ocupação média de 86,3% em seus voos de janeiro a agosto de 2019. Em agosto, os dados indicam ocupação média de 87,5%, abaixo dos 89,8% no registrado de agosto do ano passado. Fonte: Diário do Nordeste - 07/11/2019
  14. Voos entre Madri e Fortaleza estão com ocupações de cerca de 70% Por Hugo Renan do Nascimento, hugo.renan@svm.com.br 07:00 / 20 de Novembro de 2019 Operações da Air Europa iniciam no dia 20 de dezembro. Confira alguns serviços disponíveis a bordo dos aviões da companhia Daqui a um mês - em 20 de dezembro - a Air Europa inicia as operações entre Madri (Espanha) e Fortaleza. As ocupações dos voos nos meses de dezembro e janeiro já chegam perto de 70%. A informação foi confirmada por Gonzalo Romero, gerente geral da Air Europa no Brasil. "Nós estamos felizes com os resultados faltando um mês para o início da operação. É uma ocupação esperada para este começo e tem vindo em um bom ritmo. A partir de fevereiro e março a ocupação está em torno de 60%, mas ainda temos mais dias pela frente para as vendas", diz. Segundo ele, no início da comercialização dos bilhetes, em agosto deste ano, os brasileiros eram o principal mercado consumidor. No entanto, com o passar dos meses, os turistas europeus ganharam força e atualmente as vendas estão equilibradas. "Está crescendo muito da Europa para Fortaleza. Agora temos mais vendas de europeus e estamos equilibrados. Os italianos conhecem muito o Ceará e eles ficam mais no Estado. O resto da Europa que chega no Brasil uma parte fica no Ceará e uma outra parte faz conexão para outras cidades pela Gol", acrescenta. Divulgação O executivo diz ainda que a companhia está fazendo ações de divulgação do voo no Ceará e na Europa. "Nós estamos fazendo ações para o público final conhecer o nosso produto. Estamos falando de divulgação visual nas ruas de Fortaleza, como outdoor e busdoor, comunicação em revistas, jornais e rádios, além de termos uma boa comunicação no Aeroporto de Fortaleza. É uma comunicação forte e agressiva na cidade". Na Europa, ele afirma que a divulgação está concentrada, principalmente, na Espanha e na Itália. "Estamos fazendo muitas ações em shoppings e nas redes sociais da Air Europa. A divulgação está sendo muito boa e temos a cooperação do Governo do Ceará". Classe executiva da Air EuropaFoto: Divulgação Serviço A Air Europa começa as operações com dois voos semanais - às terças-feiras e sextas-feiras - e já no próximo ano acrescenta um voo semanal. Em Fortaleza, a empresa vai voar com o Airbus A330-200 com capacidade para 274 passageiros na classe econômica e 26 na executiva. "Nosso serviço atualmente é muito conhecido pela qualidade de atendimento da tripulação. Nós oferecemos duas cabines. Na econômica, nós oferecemos serviço de refeições (jantar e café da manhã). Nossa cabine está equipada com entretenimento de bordo com streaming através de aplicativos para celulares, tablets e notebooks. Temos também Wi-Fi a bordo com pacotes de velocidade variados", explica. Na cabine executiva, os passageiros estão dispostos em três fileiras, cada uma com dois assentos. Isso significa que nem todos os assentos têm acesso direto ao corredor da aeronave. "Nosso chef de cozinha da Business é espanhol e muito conceituado. Temos diferentes opções de comidas e cardápio muito bom de bebidas. É um serviço completo e reconhecido mundialmente". Fonte: Diário do Nordeste - 20/11/2019
×
×
  • Create New...