Jump to content

Search the Community

Showing results for tags 'MH370'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Principal
    • Aviação Civil
    • Aviação Militar
    • Direto da Redação
  • Classificados Patrocinados
    • Anuncie Aqui
  • Profissional
    • Tripulantes e Mercado de Trabalho
    • Técnica e Operações
  • Spotting & Outros Hobbies
    • Fotografia
    • Videos
    • Movimento de Aeronaves
    • Modelismo
    • Rádio Escuta/ACARS/Logs
    • Técnica e Equipamentos
  • Guia CR
    • Check-in (Flight Reports)
    • Frequent Flyer
  • Memorabilia & Off Topic
    • Papo de Hangar
    • Imagens e Documentos
    • Recordar é Viver
    • Classificados
  • Central Ponte Aérea by Contato Radar
    • Central de Relacionamento do CR
  • Serviços
    • Contato Radar Publicidade
  • Memorabilia

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Skype


Website URL


MSN


Yahoo


Jabber


Location


Interests


Cidade/UF/País


Data de Nascimento

Found 3 results

  1. Com a quede definida abrimos um novo topico: http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/03/24/familiares-de-ocupantes-do-mh370-sao-chamados-para-reuniao.htm Avião da Malaysia Airlines caiu e não há sobreviventes, diz premiê malaio 152 Do UOL, em São Paulo 24/03/201410h34 > Atualizada 24/03/201412h59 Comunicar erroImprimir Ampliar Avião da Malaysia Airlines com 239 ocupantes desaparece112 fotos 105 / 112 22.mar.2014 - Equipes realizam buscas pelo avião desaparecido da Malaysia Airlines, neste sábado (22), no oceano Índico, perto da Austrália. Autoridades australianas afirmam que há expectativa de boas condições de visibilidade. 'O clima de hoje vai ser propício para os voos no oceano, os ventos serão leves e as condições de visibilidade melhorarão', disse o porta-voz do Departamento de Meteorologia Leia mais Rob Griffith/AP O premiê da Malásia, Najib Razak, anunciou na manhã desta segunda-feira (24) que o avião da Malaysia Airlines desaparecido desde o dia 8 de março caiu no sul do oceano Índico, longe de sua rota original, e que não há sobreviventes entre os 239 ocupantes. "É com profunda tristeza e profundo pesar que devo informar que o voo MH370 acabou no sul do oceano Índico", anunciou o premiê em coletiva de imprensa convocada extraordinariamente. "Nesta noite, recebi informações de representantes do Setor de Investigações de Acidentes Aéreos do Reino Unido [AAIB]. [A empresa] Inmarsat, que forneceu as informações de satélite (...), havia feito cálculos adicionais", disse o premiê. "Com base nas novas análises, o Inmarsat e o AAIB concluíram que a última posição do MH370 foi no meio do oceano Índico", afirmou ainda. "Usando um tipo de análise nunca antes utilizada em uma investigação desse tipo, eles conseguiram jogar mais luz sobre a trajetória de voo do MH370." Por fim, Razak disse que uma nova coletiva, na terça-feira (25), trará mais detalhes sobre o caso. O anúncio veio momentos depois de que a companhia aérea divulgou nota em que dizia: "Lamentamos profundamente dizer que temos de assumir, além de toda dúvida, que o MH370 sumiu e que nenhum daqueles a bordo sobreviveu. Temos de aceitar que todas as evidências sugerem que o avião caiu no sul do oceano Índico". Antes, familiares dos ocupantes do voo haviam sido convocados para uma reunião extraordinária com autoridades da Malásia . Segundo a rede de TV SkyNews, eles receberam a opção de serem transportados em voos fretados para a Austrália. Ampliar O drama dos familiares dos ocupantes do voo MH37050 fotos 43 / 50 24.mar.2014 - Familiares dos passageiros dos voo MH370 da Malaysian Airlines choram após o anuncio do premiê da Malásia, Najib Razak, de que a aeronave caiu no sul do oceano Índico e que não há sobreviventes entre os 239 ocupantes Jason Lee/Reuters Desde a semana passada, as buscas pela aeronave vinham se concentrando numa região a 2.500 km da costa sudoeste da Austrália, onde pedaços que seriam do avião foram localizados. O voo MH370 desapareceu cerca de 40 minutos após decolar de Kuala Lumpur com destino a Pequim, na China. Uma operação de buscas composta por pelo menos 26 países foi montada. Satélites de pelo menos 15 países foram utilizados para localizar o avião. Segundo o comunicado divulgado no site da companhia, o avião transportava 227 passageiros, entre eles cinco crianças, e uma tripulação de 12 pessoas. Entre os passageiros havia 153 chineses, 38 malaios, 12 indonésios, 7 australianos, 4 americanos, 3 franceses, 2 neozelandeses, 2 ucranianos, 2 canadenses, 1 russo, 1 holandês e 1 cidadão de Taiwan. Dois iranianos viajaram com passaportes falsos (austríaco e italiano). Ampliar Conheça alguns passageiros e tripulantes do avião da Malaysia Airlines17 fotos 7 / 17 Em imagem tirada de vídeo no site YouTube, o piloto Zaharie Ahmad Shah, 53, que comandava o voo MH370 da Malaysia Airlines, aparece em frente a simulador de voo construído por ele, em sua casa. Shah trabalhava na companhia aérea desde 1981 e tinha mais de 18 mil horas de voo. Além de ser um entusiasta da aviação, o piloto gostava de cozinhar e era conhecido por levar pratos caseiros a festas e eventos de sua cidade Leia mais Reprodução/YouTube Mistério continuaVárias teorias foram cogitadas para explicar o desaparecimento do avião, entre elas sequestro, falha humana, falha mecânica e até mesmo uma desintegração da aeronave em pleno ar. Ao longo de 16 dias, a falta de informações sobre o paradeiro da aeronave causou desentendimentos entre os governos da Malásia, do Vietnã e da China, além de desespero nos parentes. Apesar do anúncio desta segunda, o mistério em torno do desaparecimento do voo permanece. Ainda não está claro, por exemplo, por que o avião mudou de rota, por que as comunicações foram desligadas e nem por que ele continuou em voo por mais de sete horas após sumir dos radares. Piloto e copiloto foram alvo de intensas investigações, que também atingiram demais membros da tripulação e passageiros. (Com agências internacionais)
  2. Por: em 05/09/18 08:44 Avião da Malaysia Airlines em selva do Camboja Foto: Reprodução/Google Maps Um homem diz ter localizado no Google Maps o avião da Malaysia Airlines desaparecido em 2014 com 239 pessoas a bordo. A aeronave sumiu dos radares após um desvio intencional da rota, mas os corpos das vítimas nunca foram encontrados. Ian Wilson acredita que, após analisar a ferramenta on-line, encontrou o avião em região de floresta do Camboja. A mancha branca, que teria forma de uma aeronave, é vista no Google Maps. "Medindo, estamos de diante de algo com 69 metros, mas há um espaço entre a cauda e a traseira da aeronave", disse Ian, em reportagem do "Metro". O relatório final do acidente com o voo MH370, que contém 400 páginas, apontou inúmeras falhas dos controladores aéreos na Malásia e no Vietnã, em particular na ativação do protocolo de "fases de emergência", depois do desaparecimento dos radares do Boeing 777. O avião havia decolado em 8 de março de 2014 de Kuala Lumpur rumo a Pequim. O documento eliminou a possibilidade de o avião estar no piloto automático, que um mau funcionamento mecânico tenha ocorrido ou que o computador fosse o culpado pela tragédia. Parente de vítimas do voo MH370 Foto: Reuters A hipótese mais provável apontada pelos investigadores é que o avião tenha caído do mar. Muitas operações de buscas foram montadas desde o acidente. Até agora, só foram achados três fragmentos de asas da aeronave. Elas estavam no Oceano Índico. O voo MH370 fez contato via satélite sete vezes nas seis horas após o avião ter deixado as telas de radar. O último momento sugere que a localização da aeronave estava perto da costa australiana, no sul do Oceano Índico. Os quatro transmissores localizadores de emergência do avião falharam e não acionaram os sinais que poderiam ajudar a localizar o Boeing. Fonte: https://extra.globo.com/noticias/page-not-found/homem-diz-ter-localizado-aviao-da-malaysia-airlines-desaparecido-em-2014-23040865.html
  3. Mistério do voo MH370 é "inaceitável", diz relatório final Austrália encerra investigação sobre voo da Malaysia Airlines e afirma que razões do desaparecimento não podem ser determinadas sem que avião tenha sido localizado. Boeing 777 sumiu dos radares há mais de três anos. O desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines é "quase inconcebível" e "inaceitável na aviação moderna", concluiu um relatório final publicado nesta terça-feira (03/10) por autoridades na Austrália. A aeronave, que desapareceu há mais de três anos, nunca foi localizada. O documento é do Escritório de Segurança nos Transportes australiano (ATSB, na sigla em inglês), que liderou as buscas ao lado da China e da Malásia. Encerra-se, assim, as investigações australianas sobre o avião perdido, que se tornou um dos maiores mistérios da história da aviação. No relatório, o órgão diz "lamentar profundamente" por não ter sido capaz de localizar a aeronave, "tampouco as 239 pessoas que estavam a bordo e seguem desaparecidas". "É quase inconcebível e, com certeza, socialmente inaceitável na era da aviação moderna, em que 10 milhões de passageiros embarcam em aviões comerciais todos os dias, que uma grande aeronave comercial esteja desaparecida e que o mundo não saiba com certeza o que aconteceu com ela e com aqueles que estavam a bordo", afirma o documento. O ATSB ainda acrescenta que "as razões para o desaparecimento do voo MH370 não podem ser determinadas com segurança até que a aeronave seja encontrada". As buscas, no entanto, não tiveram sucesso. Em janeiro deste ano, os três países responsáveis pelas investigações anunciaram o encerramento das buscas submarinas, após meses e meses de uma caçada que, "apesar de todos os esforços com o uso da melhor tecnologia disponível", foi infrutífera. "O ATSB reconhece os extraordinários esforços das centenas de profissionais dedicados, em muitas organizações na Austrália e em todo o mundo, que contribuíram com seu tempo e esforço, sem sucesso, nas buscas pelo MH370", afirma o órgão em seu relatório final. O avião da Malaysia Airlines desapareceu dos radares em 8 de março de 2014, cerca de 40 minutos após sua decolagem em Kuala Lumpur, na Malásia, com destino a Pequim, na China. Autoridades acreditam que os sistemas de comunicação foram desligados e que o avião foi desviado da rota. Informações de satélite indicam que a aeronave caiu no Índico, provavelmente por falta de combustível. A bordo do voo MH370 viajavam 239 pessoas, sendo 154 cidadãos chineses, 50 malaios (12 na tripulação), sete indonésios, seis australianos, cinco indianos, quatro franceses, três americanos, dois canadenses, dois iranianos, dois neozelandeses, dois ucranianos, um holandês e um russo. Fonte: http://www.dw.com/pt-br/mistério-do-voo-mh370-é-inaceitável-diz-relatório-final/a-40793311#nomobile
×
×
  • Create New...