Jump to content

Gol e Azul entram na rota da Star Alliance com saída da TAM


claluhe

Recommended Posts

A Star Alliance, maior aliança global de companhias aéreas, procura um novo parceiro no espaço aéreo brasileiro. Com a anunciada saída da TAM, que após a união das operações com a chilena LAN vai ingressar na Oneworld em 2014, e a reduzida conectividade da Avianca (colombiana que atua no país), o Brasil pode ter a médio-longo prazo dois operadores do mercado dentro de uma mesma rede de parceiros estratégicos.

Embora ambas as companhias descartem a possibilidade de voos mais altos, a Azul e, principalmente, a Gol são estrategicamente cobiçadas nesse mercado.
Getty Images
A decisão estratégica da TAM aumentou a importância da Gol, que há uma década foge das alianças

Com a mudança de bandeira da TAM, maior companhia aérea do país com 41,9% de share, ante 33,7% da Gol, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas, a Star Alliance perderá a liderança de oferta de assentos na América Latina, sob risco de cair para o terceiro posto.

Hoje, a Star tem 28,4% das poltronas através de seus parceiros, como é o caso da Copa Airlines e da própria Avianca, seguida pela Oneworld (15,4%) e Sky Team (11,7%).

Segundo as projeções da Capa (Centre for Aviation & Innovata), a Oneworld terá 27% do mercado com a mudança da TAM, ante 16,8% da Star Alliance e os mesmos 11,7% da Sky. Em um cenário hipotético, caso a Gol, hoje fora do cenário das alianças, siga para a Sky Team, este grupo cresceria para 24,7%.



“É uma questão importante para ser avaliada. Um parceiro forte na América do Sul, especialmente no Brasil, é fundamental. Tenho certeza que todos os integrantes da Star Alliance avaliam essa questão, embora isso não seja algo simples. Deve demorar alguns anos”, ilustrou Nils Haupt, diretor de comunicação corporativa da Lufthansa, uma das cinco fundadoras da Star, para as Américas.

Oficialmente, a Gol descarta qualquer aliança. “A companhia segue um modelo de alianças bilaterais com diversas companhias globais”, se limitou a dizer a companhia, em nota.

Desde que surgiu no mercado no início dos anos 2000, a empresa da família Constantino sempre fugiu dos grupos de grandes parceiros. No entanto, esse caminho pode ser inevitável, já que a Oneworld avalia a possibilidade de vetar as alianças bilaterais de seus membros.


Hoje, a Gol é parceria da American Airlines, da Iberia e da Qatar, todas no grupo da One.

Terceira maior do país com 17,3% de share, a Azul vê a possibilidade de alianças apenas em um futuro distante. “Hoje não é prioridade de modo algum. A nossa conectividade ainda é baixa e é isso que importa em uma aliança. Temos pouco a oferecer”, diz Gianfranco Beting, diretor de Comunicação e Marketing da Azul.

 

http://economia.ig.com.br/empresas/2013-09-12/gol-e-azul-entram-na-rota-da-star-alliance-com-saida-da-tam.html

Link to comment
Share on other sites

Das duas citadas podem descartar a Gol, acredito que seja impossível a Delta deixar ela entrar em uma outra aliança que não seja a Skyteam, já a Azul é uma possibilidade, mais acredito que isso não ocorrera tão cedo, se seguir o modelo JetBlue, ela não fará parte de nenhuma aliança.

Link to comment
Share on other sites

Das duas citadas podem descartar a Gol, acredito que seja impossível a Delta deixar ela entrar em uma outra aliança que não seja a Skyteam, já a Azul é uma possibilidade, mais acredito que isso não ocorrera tão cedo, se seguir o modelo JetBlue, ela não fará parte de nenhuma aliança.

Tb acho difícil a Azul entrar,afinal a Jetblue tem 15% nas mãos da mãe da Star, a Lh e mesmo assim não esta na Star,tem apenas acordos com cias individuais,a exemplo da TAM que distribui pax em Ny pela Jetblue.

 

De qualquer forma a Azul não tem relação nenhuma com a Jetblue,apenas tem em comum seu fundador,sao empresas independentes e talvez a Az opte por algum acordo,mas aliança tb acho difícil

Link to comment
Share on other sites

Tb acho difícil a Azul entrar,afinal a Jetblue tem 15% nas mãos da mãe da Star, a Lh e mesmo assim não esta na Star,tem apenas acordos com cias individuais,a exemplo da TAM que distribui pax em Ny pela Jetblue.

 

De qualquer forma a Azul não tem relação nenhuma com a Jetblue,apenas tem em comum seu fundador,sao empresas independentes e talvez a Az opte por algum acordo,mas aliança tb acho difícil

Exatamente!

 

Citei a JetBlue pois a forma de trabalhar da AZUL é exatamente idêntica ao modelo JetBlue, bom o conceito foi criado pelo mesma cabeça hehehe

Link to comment
Share on other sites

Com foco no objetivo do negócio, seria melhor "nenhuma" parceira, ou uma "pequena" ? Portanto: "Star Alliance: Avianca Brasil é o que voces tem para o momento".

 

E outra: tem que ver se realmente a OW proibe suas membros de fazerem acordos interline / codeshare fora da Aliança. Enquanto isso nao ficar muito claro, "a TAM sai da Star, mas a Star nao sai da TAM" hahahaha (a JJ ainda vai ganhar muito dinheiro com interline, distribuindo pax das ex-parceiras de aliança... ja que as estrangeiras precisam de distribuição no Brasil. TAM e GOL podem oferecer essa conectividade... Entao a faca e o queijo estao com quem?)

Link to comment
Share on other sites

Com foco no objetivo do negócio, seria melhor "nenhuma" parceira, ou uma "pequena" ? Portanto: "Star Alliance: Avianca Brasil é o que voces tem para o momento".

 

E outra: tem que ver se realmente a OW proibe suas membros de fazerem acordos interline / codeshare fora da Aliança. Enquanto isso nao ficar muito claro, "a TAM sai da Star, mas a Star nao sai da TAM" hahahaha (a JJ ainda vai ganhar muito dinheiro com interline, distribuindo pax das ex-parceiras de aliança... ja que as estrangeiras precisam de distribuição no Brasil. TAM e GOL podem oferecer essa conectividade... Entao a faca e o queijo estao com quem?)

Da mesma forma que a Star, a exemplo da,Lh,precisa distribuir seus pax aqui e tem a TAM como melhor opção a. TAM precisa de interline em Fra com seus pax tb,mesma,situação ,acredito que algum acordo seguira
Link to comment
Share on other sites

Da mesma forma que a Star, a exemplo da,Lh,precisa distribuir seus pax aqui e tem a TAM como melhor opção a. TAM precisa de interline em Fra com seus pax tb,mesma,situação ,acredito que algum acordo seguira

Checked... Entendem agora porque em FRA foi a LAN quem saiu do T2 e veio pro T1 ficar junto com a JJ ?? :yeah:

Link to comment
Share on other sites

Se a azul interessar na star, ai a casa cai de vez! Vai continuar crescendo vertiginosamente, abrirá definitivamente o mercado internacional para ela. De quebra vai se completar mais um ciclo da aviação, Azul se torna a major, o pior salário vira o maior salário. A cada ciclo de quebra no Brasil isso vem acontecendo, dessa vez não será diferente. Para o bem da categoria espero que isso não aconteça, mas se analisarmos o cenário com frieza, não tem como ser diferente. A Azul veio para dominar o mercado e vai muito bem nessa proa...

Link to comment
Share on other sites

Duvido que a Azul entre na Star.

Que os caras vão querer em campinas???

Pra fazer parte de qualquer aliança tem que ter a aviação em GRU.

 

Faz sentido o que voce fala, mas vale ressaltar que a Azul esta crescendo em GRU com a aquisicao da TRIP.

Link to comment
Share on other sites

Faz sentido o que voce fala, mas vale ressaltar que a Azul esta crescendo em GRU com a aquisicao da TRIP.

Se levarmos em conta a situação atual, quem tem mais presença em GRU, Azul ou AVB?

Link to comment
Share on other sites

A Gol não fez parceria com a Iberia, que é da OW?

 

Eu vejo a GOL fazendo um acordo com a LH, com codeshare ou não, mas sem entrar na Star.

 

A LH precisa de conexões em GRU e GIG para atender seus clientes. Se pesar o pragmatismo dos negócios, e não as bandeiras coloridas das alianças, que parecem significar cada vez menos hoje em dia, isto deverá conduzir a um acordo com a GOL.

Link to comment
Share on other sites

Posso estar enganado mas sabia q a Avianca já estaria aprovada na Star aguardando apenas a saída oficial da TAM.

A Avianca Brasil entra ano que vem na S.A. já foi comunicado que a avb e avc se uniriam em uma única marca e o programa amigo seria lifesmile, e só a Tam sair para a AVB entrar de uma vez só ela vai pegar e acho tb a Gol vai pegar todos das alianças OW,SA e Skyteam eu não duvido nada disso

Link to comment
Share on other sites

O "bem bolado" vai continuar: na Tam permanecerão além da Oneworld os acordos interline e codeshare, principalmente com a Lufthansa.

O que interessa, nesse momento é gerar e manter o Business. Pouco importa de onde vem. Há um problema seríssimo de não haver mais aquele fluxo de contas corporativas que haviam antes.

Isso sem falar da mensalidade da "jóia" da Star; na época da Varig/1998 éra de USD 7 milhões ao mês, inclindo o Amadeus full (completão para lojas e call center) e a Varig Travel. Será que esse custo o gringo banca?

Ou fica aquele vácuo que vimos antes com a saída da RG da Star, até a AVB criar músculatura.

Link to comment
Share on other sites

A GOL se um dia resolver entrar em alguma aliança seria a Skyteam! Azul em VCP, vai adiantar o que para as companhias da SA?

 

A AVB pode até não ter uma malha forte, mas se organizar bem, é útil, e o suficiente de inicio para SA, melhor que nada, e próximo ano já deverá estar dentro!

Link to comment
Share on other sites

A GOL se um dia resolver entrar em alguma aliança seria a Skyteam! Azul em VCP, vai adiantar o que para as companhias da SA?

 

A AVB pode até não ter uma malha forte, mas se organizar bem, é útil, e o suficiente de inicio para SA, melhor que nada, e próximo ano já deverá estar dentro!

 

Convenhamos... A malha da AD em GRU já está maior que a da ONE.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade