Jump to content

Air France-KLM pode elevar fatia na Alitalia, diz jornal


leelatim

Recommended Posts

Air France-KLM pode elevar fatia na Alitalia, diz jornal

Agência Estado

 

Tags:

 

COMENTÁRIOS (0) -AA+

A diretoria da Air France-KLM vai decidir nesta segunda-feira, 23, se eleva ou não a participação de 25% da empresa aérea na Alitalia, segundo matéria publicada no jornal italiano Corriere della Sera, que não citou fontes.

A Air France-KLM está cansada de comprometer tantos recursos na Alitalia, que ela não controla mas na qual é a maior acionista individual, disse a publicação.

De acordo com o jornal, uma possível forma da Air France-KLM manter a fatia atual ou dobrá-la é participar de um aumento de capital no valor de 200 milhões de euros (US$ 270 milhões). Na operação, a empresa franco-holandesa desembolsaria cerca de 50 milhões de euros para manter a participação ou cerca de 100 milhões de euros para alcançar um pouco menos de metade do capital sem ter de consolidar as dívidas da Alitalia, explicou a publicação.

O ministro de Transporte da Itália, Maurizio Lupi, afirmou mais cedo que o governo italiano não se opõe à ideia de Air France-KLM aumentar sua fatia na Alitalia a 50%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Link to comment
Share on other sites

 

AIR FRANCE-KLM ADIA DECISÃO SOBRE ALITALIA

COM PERDAS RECORRENTES E DEMANDA EM RETRAÇÃO, A ITALIANA PLANEJA CAPTAR MAIS DE 300 MILHÕES DE EUROS. PARA ISSO, A AIR FRANCE-KLM DEVE DECIDIR SE AUMENTA SUA PARTICIPAÇÃO NA EMPRESA

 

 

AIR FRANCE-KLM (FOTO: DIVULGAÇÃO)

A Air France-KLM adiou a decisão sobre o que fazer com a participação de 25% no capital social da Alitalia. Em nota, os diretores da companhia afirmaram a importância de analisar as informações que o quadro executivo da Alitalia deve fornecer na reunião da próxima semana.

 

O impasse para a Air France-KLM deve-se a um possível aumento de capital da Alitalia. Com perdas recorrentes e demanda em retração, a italiana planeja captar mais de 300 milhões de euros. Para isso, a Air France-KLM deve decidir se aumenta sua participação, mantém a posição ou se deixa outros investidores diluírem sua parcela.

 

Executivos da empresa revelaram que querem decidir sobre o assunto até o fim do ano, mas a própria companhia franco-holandesa enfrenta limitações financeiras após dois anos de resultados negativos. Mais cedo, o ministro dos Transportes da Itália, Maurizio Lupi, afirmou que o governo não se opõe à ideia de a Air France-KLM aumentar sua fatia na Alitalia para 50%. A empresa franco-holandesa investiu na Alitalia em 2009, logo após a italiana evitar a falência. Em 2010, a companhia se juntou ao SkyTeam, uma aliança global liderada pela Air France-KLM e pela Delta Air Lines.

 

Fonte: Dow Jones Newswires.

Link to comment
Share on other sites

Faz bem a Air France não investir na AZA neste momento. Primeiro tem que arrumar a casa.

 

Mas acho que Roma ainda vai tentar uma solução franco-italiana. Na Itália cada vez mais idosa e desempregada, será que vão permitir enxugar a equipe?

Link to comment
Share on other sites

A345- leadership,tuas observações se confirmaram,veja nota que achei sobre um segundo plano de salvar,.....novamente,a Alitalia:

 

 

 

Itália busca acordo com bancos para Alitalia, diz ministro

 

O objetivo é manter a empresa operando e deixá-la numa situação mais forte para buscar parceiros

 

 

inShare

World Youth Day via Getty Images

 

Avião da Alitalia decolando: a Alitalia já acumulou prejuízo líquido de mais de 840 milhões de euros, dívida de cerca de 1 bilhão de euros e está ficando rapidamente sem recursos

Milão - A Itália está trabalhando em um acordo financeiro temporário com bancos para manter a deficitária companhia aérea Alitalia operando e deixar a empresa numa situação mais forte para buscar parceiros, publicou o jornal Il Sole 24 Ore, citando o ministro da Indústria, Flavio Zanonato.

 

Desde que foi privatizada por um consórcio de investidores italianos no começo de 2009, a Alitalia já acumulou prejuízo líquido de mais de 840 milhões de euros, dívida de cerca de 1 bilhão de euros e está ficando rapidamente sem recursos.

 

O conselho de administração da Alitalia se reunirá ainda nesta quinta-feira quando o recém-indicado presidente-executivo, Gabriele Del Torchio, deve buscar aprovação para um aumento de capital de 200 milhões de euros mais financiamento de mesmo montante para evitar o colapso da empresa, disseram fontes próximas do assunto.

 

"Hoje a companhia tem que ser protegida financeiramente para que possa executar seu plano de reestruturação e ser capaz de fazer alianças com outros a partir de uma posição mais forte", disse Zanonato, em entrevista ao jornal.

Link to comment
Share on other sites

Alitalia unlikely to be in for long haul without Air France: KLM

 

 

By Agnieszka Flak

MILAN | Wed Sep 25, 2013 4:03pm EDT

(Reuters) - Five years after Alitalia was rescued from bankruptcy, the options for the troubled Italian airline appear to be few: convince top shareholder Air France-KLM to support its new strategy or shut up shop.

 

Since being taken private by a consortium of Italian investors in early 2009, Alitalia has accumulated net losses of more than 840 million euros ($1.1 billion), debt of about 1 billion euros and is fast running out of cash.

 

An ambitious plan to become a strong regional player failed in the face of aggressive competition from low-cost carriers Ryanair and easyJet and from high-speed trains on its once-lucrative Milan-Rome route.

 

Alitalia's new CEO, turnaround specialist Gabriele Del Torchio, has already outlined a new plan to focus on the more lucrative long-haul market, but he desperately needs cash to buy the larger aircraft needed for inter-continental flights. The company says the new strategy will help it to break even in 2015 and return to profit in 2016.

 

At a board meeting on Thursday, Del Torchio is expected to seek approval for a 200 million euro capital increase, possibly underwritten by Air France-KLM, plus the same sum in fresh borrowing, sources close to the matter said.

 

Italy's government, meanwhile, is banking on Air France-KLM to make a cash investment and increase the 25 percent stake it bought in 2009, possibly taking control of the company.

 

Analysts expect such commitment to come with conditions, with the Franco-Dutch group unlikely to want to take on Alitalia's debt and support all of Del Torchio's long-haul ambitions, which could clash with its own.

 

Air France-KLM may want to follow the example of Lufthansa, which uses Vienna and Zurich to feed its long-haul flights out of its Frankfurt and Munich hubs, analysts said. Alitalia could also be used for point-to-point routes bypassing Air France-KLM's two main hubs, possibly linking Rome with the east coast of the United States and parts of Africa.

 

"I believe Air France-KLM is looking at more or less the same strategy: Charles de Gaulle and Amsterdam (airports) would remain the main hubs while part of their network would be operated by Alitalia on point-to-point routes," Oddo Securities analyst Yan Derocles said.

 

"This is the only solution for Alitalia."

 

POLITICAL INTERESTS

 

Air France-KLM tried to take over Alitalia five years ago, but the deal was scuppered by Italy's Prime Minister of the time, Silvio Berlusconi, who asked Italian investors to rescue the company.

 

The Rome-based airline was entrusted to a disparate group of 21 Italian shareholders, including bank Intesa Sanpaolo, road operator Atlantia and holding group IMMSI.

 

The mix of political, banking and industrial interests meant that most have long ceased to take an active interest in the airline and some are prepared to sell their stakes. A lock-up that requires investors to seek board approval before selling their shares expires on October 28.

 

The Italian government has stated that it is open to Air France-KLM raising its stake to 50 percent but has said that it would look for an alternative if the French group were to treat Alitalia as a mere appendix to its larger fleet and did not develop a hub around Rome's Fiumicino airport.

 

But in the absence of other bidders, Italy's bargaining power may be limited. Etihad Airways, mentioned by Italian media as a possible partner, has distanced itself from the struggling carrier for now.

 

Even so, a strong partner may still be needed even with the backing of Air France-KLM, which is itself squeezed by weak demand for air travel, soaring fuel costs and intense competition.

 

Analysts estimate that Alitalia requires an injection of about 500 million euros to get through to next year, with more needed to sustain its ambitions on long-haul routes.

 

A tug of war between political and economic interests is likely to emerge, with Air France-KLM unlikely to want to give up on Alitalia, which has cut costs aggressively, added 30 new routes and offers access to Europe's fourth-largest travel market.

 

"Air France-KLM has no interest in merely watching a failure of Alitalia, as this would only strengthen its competitors," research firm CM-CIC Securities said.

 

However, the possibility of an Alitalia under French-Dutch control is likely to spark protests from politicians and unions, already in uproar over Spain's Telefonica increasing its stake in Telecom Italia, saying that Italy has become a "supermarket" for cash-rich foreigners.

 

That raises the prospect of Italian state-owned holding company CDP possibly buying control of Alitalia.

 

"This would be like a hidden nationalization and that's the worst choice," said Andrea Giuricin, a transport analyst at Milan's Bicocca University. "It would mean going back five years and nationalizing the company's losses."

 

($1 = 0.7403 euros)

 

(Additional reporting by Francesca Landini in Milan, Praveen Menon in Dubai and Tim Hepher and Matthias Blamont in Paris; Editing by David Goodman)

Link to comment
Share on other sites

Não querendo por lenha na fogueira,mas vejam que a reportagem em ingles fala da Lh e AF ,elas priorizaram Hub,fechando sub feeders e trazendo voos de suas afiliadas para Fra e MUC,no caso da Lh com suas afiliadas Austrian e Swiss, e a AF trazendo todos voos a Cdg e Ams,caminho seguido pela nossa TAM,apesar das criticas,nenhuma novidade.

 

Ja os italianos parece que não querem admitir que a Alitalia tem poucas opções s receiam que sob o comando da AF- Klm ela traga todos os vôos internacionais com conexão em Cdg e Ams,uma vez que Roma não tem sustentado os voos inter e não funciona como Hub Europeu.

Link to comment
Share on other sites

Leelatim, o azar da Alitalia foi se reestruturar no meio da crise européia, com Itália sendo uma das economias mais afetadas.

 

Os italianos não querem ver a Alitalia em mãos estrangeiras, mas é única que tem condições de manter a AZA no longo prazo é a Air France ou as árabes. Alitalia é o maior parceiro da Air France na Europa.

 

A própria Alitalia já fez a lição de casa: centralizou tudo em Fiumicino e Milão passou a ser concentrada em Linate. Se a AFR assumir a empresa, acho que o hub MXP (JFK e NRT) será fechado, mas sua malha para América Latina ficará praticamente inalterada.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade