Jump to content

Arup presta consultoria para Changi/Odebrecht no GIG


F-BVFA

Recommended Posts

Seguem alguns projetos da empresa em aeroportos:


Terminal de passageros do novo aeroporto de Nagoia: http://www.arup.com/Projects/Central_Japan_International_Airport.aspx


Plano de desenvolvimento a longo prazo do aeroporto de Copenhagen: http://www.arup.com/Projects/Copenhagen_airport_masterplan.aspx


Terminal 3 do Aeroporto Internacional de Dubai (DXB): http://www.arup.com/Projects/Emirates_Terminal_3_Dubai_Airport.aspx


Terminal 5 (JetBlue) do Aeroporto Internacional de Nova York -Kennedy(JFK): http://www.arup.com/Projects/JetBlue_Terminal_5.aspx


Terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de Hong Kong (HKG): http://www.arup.com/Projects/Hong_Kong_International_Passenger_Terminal.aspx


Concourse central do Aeroporto Internacional de Hong Kong (HKG): http://www.arup.com/Projects/HKIA_Midfield_Concourse.aspx


Masterplan do Aeroporto Internacional de Toronto: http://www.arup.com/Projects/Toronto_Pearson_International_Airport.aspx


-----------

Arup Assists Airports of the Future Consortium Win Bid for Rio de Janeiro International Airport

24 December, 2013

CAPA


Global engineering firm provided aviation consulting to the group formed by Odebrecht and Changi Airport Group


Arup, a multidisciplinary engineering and consulting firm with a reputation for delivering innovative and sustainable designs, announced today it assisted the Airports of the Future consortium, formed by the Brazilian construction firm Odebrecht and the Singaporean operator Changi Airport Group, to win the recent auction of the Rio de Janeiro International Airport known as Galeao. Held in Sao Paulo, the amount offered was $8 billion (BRL 19 billions), about 294% of the minimum bid of $2.4 billion (BRL 4.82 billion). The concession of the airport is for 25 years.


Working alongside the consortium for more than a year, Arup developed the master plan of the airport; detailed the project phases; gathered information about air traffic forecasts; calculated the amount of material required for the execution of the project; and assisted in the evaluation of the existing airport conditions for the bid preparation.


"Increasingly, airport development is being implemented by the private sector," said Regine Weston, Arup's project director and principal aviation consultant. "We are privileged to work around the globe with airports, airlines and private groups, such as Airports of the Future, who are committed to developing world class airports to serve their local communities and welcome the world into their homes."


In this first stage, the planned improvements in the Rio de Janeiro International Airport include creating at least 26 new aircrafts gates, a new aircraft apron, and a new garage for vehicles. The initial phase, which is scheduled to be complete by January 2016, will include special accommodations for the 2016 Olympic Games to be hosted in Rio. Additional terminal processing, aircraft gates, car parking and a new runway will be built by the end of the concession.


"It was a great win and we are excited to have this work in our portfolio of projects in Rio," said Ricardo Pittella, principal andBrazil group leader for Arup. "We have had the opportunity to work on many important projects in the city, including the Line 4 Metro, Rio 2016 Olympic arenas, and now the airport. We are happy to have the opportunity to contribute to the growth of our city."


Arup has great expertise in working with airport projects. The company was responsible for implementing development solutions to support Olympic activity in other host city airports such as London Heathrow (UK) 2012 and Beijing (China) 2008. Arup is also leading projects at rapidly growing airports in Hong Kong, Dubai and New York City.

Link to comment
Share on other sites

A Ove & Arup é responsável pelos cálculos estruturais e trabalha junto com os arquitetos na concepção estrutural dos terminais. Um dos trabalhos mais famosos foi o de Kansai. É um dos melhores (ou melhor) escritórios de engenharia do mundo.

Link to comment
Share on other sites

Eu já acho que o projeto tem que seguir esse conceito.

Temos que esquecer os T1 e T2 e imaginar que qualquer coisa functional precisa estar no eixo da pista 10-28, e não no eixo da 15-33.

 

Pra mim o T1 é chão.... aquilo não tem conserto viável.

Link to comment
Share on other sites

Eu já acho que o projeto tem que seguir esse conceito.

Temos que esquecer os T1 e T2 e imaginar que qualquer coisa functional precisa estar no eixo da pista 10-28, e não no eixo da 15-33.

 

 

Também acho. Os formatos meia lua (ou "lua completa") já passaram do tempo.

 

Talvez o único lugar que funcionem melhor seja DFW, mas por causa do tamanho. GIG é ruim. CDG T1 com seus satélites é ruim.

 

Com um raio maior viram um "quase quadrados" como o T2 de CDG, aí pode funcionar também.

 

Um formato "Quadrado" desperdiça menos espaço e é mais fácil de ampliar conforme a necessidade.

Link to comment
Share on other sites

Péssimo aproveitamento do espaço. O terminal deve ser "paralelo" aos atuais, porém sem o formato de meia-lua.

Cobucci, o terminal tem que ficar paralelo e mais próximo possível das pistas para economizarem tempo em taxiamento e estacionamento. Fazer paralelo aos terminais atuais seria necessário construir mais área. Não me surpreenderia se a Changi apresentar conceito similar, mas depende de onde será a terceira pista.

Link to comment
Share on other sites

Espero que com essas consultorias internacionais, a Odebrecht aprenda a construir um terminal que não chova dentro. No SSC alguém relatou que desembarcou no T1 de GRU por esses dias, e o alagamento já começava na ponte de embarque. -_-

 

 

dição do dia 30/12/2013

31/12/2013 00h38 - Atualizado em 31/12/2013 00h58

Balconista usa guarda-chuva para se proteger de goteiras no Galeão Temporal fez com que as goteiras se multiplicassem.
Mais cedo, o problema foi o calor, que provocou muitas reclamações.
23 comentários
3049449.jpg

Uma cena inusitada surpreendeu os passageiros do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro na noite desta segunda-feira (30). A balconista da lanchonete precisou usar um guarda-chuva para se proteger das goteiras.

O temporal que atingiu a cidade fez com que as goteiras se multiplicassem e molhassem parte do piso do Terminal 2, entre os setores de embarque e desembarque. Mais cedo, o problema foi o calor, que provocou muitas reclamações.

Segundo a Infraero, o sistema de ar condicionado foi prejudicado pelas obras de expansão do aeroporto. Quanto às goteiras, a Infraero disse que equipes de manutenção estão trabalhando para resolver o problema.

A partir de agosto, o aeroporto vai ser administrado por um consórcio privado.

http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2013/12/balconista-usa-guarda-chuva-para-se-proteger-de-goteiras-no-galeao.html

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

 

Pra mim o T1 é chão.... aquilo não tem conserto viável.

 

É o que eu acho que vai acontecer no futuro quando não tiver mais como contornar a ineficiência decorrente de um lay out completamente inadequado.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade