Jump to content

Voo para Miami faz pouso em Manaus por suspeita de sequestro


Elton Farias

Recommended Posts

Boeing 767 da American Airlines pousou à no Aeroporto Internacional de Manaus por suspeita de tomada da aeronave. Aeronave seguiu viagem após ser vasculhada pela Polícia Federal

Um voo da American Airlines que partiu na noite de domingo do Rio de Janeiro com destino a Miami teve que fazer um pouso de emergência em Manaus durante esta madrugada após suspeita de sequestro da aeronave. Segundo informações da Infraero, o Boeing 767 da American Airlines pousou à 0h04 no Aeroporto Internacional de Manaus e decolou novamente para Miami às 2h36.

De acordo com o Comando da Aeronáutica, o Sistema de Controle do Tráfego Aéreo identificou no radar que o voo 904 da American Airlines acionou o código relativo à interferência ilícita. Uma aeronave de defesa aérea acompanhou o voo até o pouso em Manaus.

A Polícia Federal fez uma varredura na aeronave em Manaus e descartou qualquer risco de segurança, liberando o avião para seguir para Miami. O Terra entrou em contato com a American Airlines, mas a empresa ainda não se pronunciou sobre o caso.

link: http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/voo-para-miami-faz-pouso-em-manaus-por-suspeita-de-sequestro,d80be49d678f3410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

 

Link to comment
Share on other sites

De acordo com o Comando da Aeronáutica, o Sistema de Controle do Tráfego Aéreo identificou no radar que o voo 904 da American Airlines acionou o código relativo à interferência ilícita. Uma aeronave de defesa aérea acompanhou o voo até o pouso em Manaus.

 

 

 

o código relativo à interferência ilícita é 7 5 0 0

Link to comment
Share on other sites

UOL:

 

 

Falso alerta de sequestro a avião mobiliza caça F-5 da Aeronáutica

FABIO BRISOLLA

DO RIO

 

03/02/2014 17h27

 

 

Um equivocado sinal de emergência emitido na noite de ontem por uma aeronave da American Airlines mobilizou a Força Aérea Brasileira em torno de uma suposta tentativa de sequestro em pleno voo. Com o alerta acionado, um caça F-5 da FAB foi destacado para localizar e escoltar o avião da companhia americana, que fazia a rota Rio de Janeiro - Miami.

 

O F-5 acompanhou o Boeing 767 da American Airlines até o pouso, à 0h04 desta segunda (3), no Aeroporto Internacional de Manaus, uma escala não prevista no roteiro.

 

Em solo, uma equipe da Polícia Federal ficou de prontidão, à espera da aeronave. Na incursão pelos corredores do Boeing, no entanto, os agentes constataram que não havia ameaça alguma.

 

O tal sinal de emergência fora acionado sem razão aparente.

 

Em nota, o Comando da Aeronáutica informou que o sistema de controle do tráfego aéreo identificou no radar que o voo 904 da American Airlines havia acionado o código relativo à "interferência ilícita". Esta classificação está associada ao sequestro de aeronave.

 

Diante deste tipo de alerta, a orientação é encaminhar o avião para uma aterrissagem em uma zona segura mais próxima.

 

"Por razões óbvias, em uma situação como esta, não é possível confirmar com o piloto, via rádio, se está tudo bem. O procedimento é acionar um caça para a escolta até o local do pouso", explicou à Folha um funcionário do Comando da Aeronáutica.

 

As causas que levaram à emissão do sinal de emergência ainda são desconhecidas, segundo a Força Aérea Brasileira.

 

O avião da American Airlines - que havia decolado às 22h do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio - pousou às 9h32 (no horário de Brasília) em Miami.

 

Em nota, a American Airlines não forneceu detalhes sobre o problema. Informou apenas que "lamenta por qualquer inconveniente e esclarece que a segurança dos passageiros e da tripulação é a prioridade da companhia".

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Um equivocado sinal de emergência emitido na noite de ontem por uma aeronave da American Airlines mobilizou a Força Aérea Brasileira em torno de uma suposta tentativa de sequestro em pleno voo. Com o alerta acionado, um caça F-5 da FAB foi destacado para localizar e escoltar o avião da companhia americana, que fazia a rota Rio de Janeiro - Miami.


O F-5 acompanhou o Boeing 767 da American Airlines até o pouso, à 0h04 desta segunda (3), no Aeroporto Internacional de Manaus, uma escala não prevista no roteiro.


Em solo, uma equipe da Polícia Federal ficou de prontidão, à espera da aeronave. Na incursão pelos corredores do Boeing, no entanto, os agentes constataram que não havia ameaça alguma.


O tal sinal de emergência fora acionado sem razão aparente.


Em nota, o Comando da Aeronáutica informou que o sistema de controle do tráfego aéreo identificou no radar que o voo 904 da American Airlines havia acionado o código relativo à "interferência ilícita". Esta classificação está associada ao sequestro de aeronave.


Diante deste tipo de alerta, a orientação é encaminhar o avião para uma aterrissagem em uma zona segura mais próxima.


"Por razões óbvias, em uma situação como esta, não é possível confirmar com o piloto, via rádio, se está tudo bem. O procedimento é acionar um caça para a escolta até o local do pouso", explicou à Folha um funcionário do Comando da Aeronáutica.


As causas que levaram à emissão do sinal de emergência ainda são desconhecidas, segundo a Força Aérea Brasileira.


O avião da American Airlines - que havia decolado às 22h do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio - pousou às 9h32 (no horário de Brasília) em Miami.


Em nota, a American Airlines não forneceu detalhes sobre o problema. Informou apenas que "lamenta por qualquer inconveniente e esclarece que a segurança dos passageiros e da tripulação é a prioridade da companhia".


Link to comment
Share on other sites

O Estadão disse que foi ameaça de bomba e sequestro... Esse F-5 teria decolado de onde?

Provavelmente da Base Aérea de Manaus.

 

Abraços

 

DEL

Link to comment
Share on other sites

Pelo que eu ja vi no PP é praticamente impossivel acionar o codigo 7500 de maneira "accidental". Nos aviões comerciais há alguma chance disto ocorrer sem que seja esta a intenção do piloto? Ou há algo mal contado nesta história.

Link to comment
Share on other sites

Seria caso dos EUA testando a resposta da segurança brasileira por conta da Copa?

É a história que mais parece fazer sentido. Isso ou mais um piloto americano que não sabe mexer em transponder.

 

Essa e aquela história da TAM também que estão mal contadas.

Link to comment
Share on other sites

É a história que mais parece fazer sentido. Isso ou mais um piloto americano que não sabe mexer em transponder.

 

Essa e aquela história da TAM também que estão mal contadas.

 

que história da Tam?

Link to comment
Share on other sites

O que tem de mal? Isso ocorre demais nas véspera de eventos como a Copa. Isso pode inclusive ser acordado entre os governos, para avaliar o tempo de resposta das forças armadas e PF.

Link to comment
Share on other sites

A TSA estaria agora em fevereiro nos aeroportos de MAO e BEL fazendo inspecoes sobre segurança e interferência ilicita. Será que esses fatos tem algo relacionado?

Link to comment
Share on other sites

Primeiramente , a AA esta de palhacada, como que ela nao se communca sobre o ocorrido, e autoridades brasileiras deveriao publicamente cobrar a AA.

Link to comment
Share on other sites

comandante do voo parece ter ficado com a boca calada:

 

 

 

Authorities reported that the commander of the aircraft did not give any reason for the activation of the code.

 

fonte: http://www.avherald.com/h?article=46f87847&opt=0

Link to comment
Share on other sites

Querem mais um evento estranho? Ameaça de bomba no FPSO Frade, plataforma da americana Chevron localizada na Bacia de Campos: http://oglobo.globo.com/economia/suspeita-de-explosivo-para-plataforma-da-chevron-no-rio-10937237

 

Isto ocorreu em dezembro e eu fiquei me perguntando se não estavam testando a nossa segurança...

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade