Jump to content

Avião faz pouso de emergência no aeroporto Augusto Severo, RN


Saulo Ubarana

Recommended Posts

Um avião da companhia Azul precisou fazer um pouso de emergência na tarde desta sexta-feira (14) no aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, na Grande Natal. De acordo com a assessoria de imprensa da empresa aérea, a aeronave se preparava para pousar na cidade de Campina Grandequando precisou fazer uma manutenção não programada e seguiu para Natal.

A aeronave saiu de São Paulo às 7h com destino à cidade de Petrolina, em Pernambuco, e tinha escalas em Belo Horizonte e Campina Grande. A Azul informou que o voo aterrisou em Natal às 14h30. Ainda segundo a empresa aérea, parte dos passageiros foram levados de avião para Petrolina e outros seguiram de ônibus para Campina Grande.

Em entrevista à equipe da Inter TV Cabugi, passageiros informaram que o voo passou por uma turbulência e uma mulher chegou a passar mal. O piloto teria dito a alguns passageiros que a aeronave teve um problema nos freios e precisou ir para a capital potiguar.

http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2014/02/aviao-faz-pouso-de-emergencia-no-aeroporto-augusto-severo-rn.html

Link to comment
Share on other sites

A aeronave já se preparava para pouso em CPV, sobrevoou a pista arremetendo,

orbitou sobre CPV, acredito que aguardando ordens da coordenação onde seguiu

para NAT.

 

Detalhe é que mostraram o ATR quando na verdade a aeronave era um e-190.

Link to comment
Share on other sites

Legal, ele tava usando os freios no ar, daí usou demais e ficou sem freios na descida.

 

 

Sent from my GT-P5100 using Tapatalk 4

 

????

 

Exista em algumas aeronaves comerciais um indicativo de falha de pressão no sistema hidraulico ( ou algo que informe que os freios não estão 100% operacionais ) e o cmte resolveu alternar para um AD mais seguro.

Link to comment
Share on other sites

Bonoto, meu comentário foi ironia, deboche mesmo.

Porque nao pode uma luz qualquer da aeronave queimar que ja virou noticia, foi um quase acodente e que felizmente nao deixou vitimas.

 

 

 

Sent from my GT-P5100 using Tapatalk 4

Link to comment
Share on other sites

E há outro erro pois o AD2908 inicia-se em CNF ao meio dia, portanto dificilmente essa aeronave saiu de SP as 7h. A "fonte" do jornal deve ter feito uma conexão.

Link to comment
Share on other sites

E há outro erro pois o AD2908 inicia-se em CNF ao meio dia, portanto dificilmente essa aeronave saiu de SP as 7h. A "fonte" do jornal deve ter feito uma conexão.

Talvez nem tenha sido erro.

Porque nesses tipo de acontecimentos, se vacilar o redator tava dentro desse vôo e provavelmente se borrou de medo (ainda não temos registros fotográficos desses eventos tipo do que houve CaGOL) e trocou os dados.

 

Por isso que sempre digo e prestem atencao, nao confundam a obra de arte do mestre Picasso, com a pic... de aço do mestre de obra. Kkkkkk

 

Sent from my GT-P5100 using Tapatalk 4

 

Link to comment
Share on other sites

Sei que é tudo perto, mas de CPV não seria mais lógico ter alternado REC, além de menor distância tem pista maior? Assumindo que estava com algum problema de frenagem (spoilers, reverso, brakes???)

 

Pensei o mesmo, até pq após CPV o trilho seria PNZ até mais pert de REC que NAT.

Mas acredito que seja mecânico na base naquele horário especifico.

Link to comment
Share on other sites

 

Pensei o mesmo, até pq após CPV o trilho seria PNZ até mais pert de REC que NAT.

Mas acredito que seja mecânico na base naquele horário especifico.

 

Se for por distância a melhor alternativa seria João Pessoa que tem uma pista de 2,5 km, ainda mais pelo horário. Provavelmente alternar pra Natal tem haver com questão de manutenção.

Link to comment
Share on other sites

Se foi um problema de freio talvez alternou NAT pela facilidade de manutenção e até mesmo por ter 3 pistas.Se alguma coisa acontece como uma saida da pista e etc isso na fecharia o aeroporto.

Link to comment
Share on other sites

Se foi um problema de freio talvez alternou NAT pela facilidade de manutenção e até mesmo por ter 3 pistas.Se alguma coisa acontece como uma saida da pista e etc isso na fecharia o aeroporto.

 

Se fosse um problema de freio comigo, iria para REC que tem 3300 metros de pista, contra os apenas 2600 de NAT (dados da wikipedia). Deixar de usar 700 metros por ter manutenção mais fácil ou não querer fechar aeroporto me parece superficial, beirando a negligência...

Link to comment
Share on other sites

Alternar em aviação comercial possui um enorme numero de variáveis, normalmente uma decisão que não implica em tempo reduzido, ou seja , o fator limite não e tempo para decidir(exemplo pouco combustível) e sempre tomada apôs ser discutida com o CCO da empresa(Centro de Coordenacao Operacional), existem fatores que vao desde a manutenção adequada, ate se a cidade possui Hoteis, se o aeroporto possui escada para o possível desembarque e por ai vai. Nao tenho como entrar no merito do cenário acima, porem creio o colega ter discutido com o CCO e orientado por ele para que tomasse a decisão mais adequada olhando o todo, lembrando que decisão correta em aviação e sempre aquela em que se mantem a integridade do casco, numa linguagem mais leiga e aquela em que todo mundo sai andando do avião em questão.

Link to comment
Share on other sites

Se fosse um problema de freio comigo, iria para REC que tem 3300 metros de pista, contra os apenas 2600 de NAT (dados da wikipedia). Deixar de usar 700 metros por ter manutenção mais fácil ou não querer fechar aeroporto me parece superficial, beirando a negligência...

Então, a banda não toca desse jeito... De fato, a última decisão é do Cmt, porém, antes de decidir, temos que utilizar as ferramentas disponíveis. Meteorologia, apoio em solo, pista disponível, etc..Se, a análise de pouso, diz que em 1300 mts de pista a aeronave será freada, temos um dado confiável...então checamos as condições do tempo....feito isso, informamos a empresa.....se A b c d são alternados bons o suficiente, baseado em nossa experiência, e a empresa sugere irmos pra B, não tem porque questionarmos. Pela logística da companhia, essa é a melhor saída...ponto...caso nos sintamos desconfortáveis, aí, sim, vou pra A C ou D....

Depois nos explicamos....

Link to comment
Share on other sites

Ps: a análise de pouso acima citada, engloba o tipo de emergência, altitude do campo, pressão, slope, brake action, etc..

Num aeródromo, como SBGR, duas pistas operando, certamente solicitaremos pouso na 09L/27R....

Link to comment
Share on other sites

 

Se fosse um problema de freio comigo, iria para REC que tem 3300 metros de pista, contra os apenas 2600 de NAT (dados da wikipedia). Deixar de usar 700 metros por ter manutenção mais fácil ou não querer fechar aeroporto me parece superficial, beirando a negligência...

 

Repito...NAT tem 3 pistas. Se interditar uma não fecha o aeroporto!

Link to comment
Share on other sites

Nao digo que as analises nao sao boas ou que os pontos de vista sao falhos.

Só disse que se, SE, foi indicação de falha de freios, a maior. pista deve ser escolhida, porque nesse caso a LDR deve ser de mais de 2000 metros...

Link to comment
Share on other sites

Pessoal, vamos partir de um ponto: o cmte. do voo não era um despreparado Se escolheu este alternativo é porque foi o melhor na análise conjunta comandante/empresa/segurança.

Link to comment
Share on other sites

Nao digo que as analises nao sao boas ou que os pontos de vista sao falhos.

Só disse que se, SE, foi indicação de falha de freios, a maior. pista deve ser escolhida, porque nesse caso a LDR deve ser de mais de 2000 metros...

Entao me permita mudar o cenário, admita que o problema esta no autobrake (Nao deixa de fazer parte do sistema de frenagem) e ai, para onde a senhorita iria?

 

Acho muito forte usar a expressão: "Beirando a Negligencia" numa situacao dessas, ou melhor, em qualquer situação ainda mais com praticamente nenhum fato conhecido sobre a ocorrência.

 

 

Por ai, e cada vez mais usando esse Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

Problema de autobrake nao chega a ser problema. A frenagem manual consome menos pista que usar autobrake.

Teriamos apenas que ver depois como ficaria para realizar a decolagem sem autobrake.

Link to comment
Share on other sites

Problema de autobrake nao chega a ser problema. A frenagem manual consome menos pista que usar autobrake.

Teriamos apenas que ver depois como ficaria para realizar a decolagem sem autobrake.

Como é?! Então deixa ver se entendi, pra vc se o problema fosse autobrake a aeronave nem precisaria ter alternado, pousaria em CPV sem problemas, é isso?

Olha, não conheço as peculiaridades do SOP da Azul, mas admitindo que certas regras tem uma forte tendência a uniformidade em todas as empresas, diria que Autobrake é problema SIM. Nao se opera em pistas curtas sem autobrake. Simples assim

 

 

Por ai, e cada vez mais usando esse Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

Pessoal, vamos partir de um ponto: o cmte. do voo não era um despreparado Se escolheu este alternativo é porque foi o melhor na análise conjunta comandante/empresa/segurança.

 

concordo.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade