Jump to content

Smiles propõe reduzir capital em R$ 1 bilhão


A345_Leadership

Recommended Posts

Valor 15/04/2014 14h45


A Smiles, empresa de programa de fidelidade controlada pela companhia aérea Gol, vai reduzir o capital social em R$ 1 bilhão, conforme proposta da direção para assembleia geral ordinária e extraordinária, marcada para o dia 30 de abril.


Pela proposta, o capital social da Smiles passará de R$ 1,132 bilhão para R$ 132,173 milhões. Segundo justificativa da direção, "o capital social atual é excessivo para o normal desenvolvimento dos negócios da companhia e para a consecução de seus objetivos sociais, haja vista a possibilidade da otimização de sua estrutura de capital".


A redução do capital social da Smiles em R$ 1 bilhão não altera o número de ações nem o percentual de participação de cada acionista. Isso quer dizer que os acionistas receberão, em dinheiro, a devolução desse volume que a Smiles vai abrir mão.


A Gol detém hoje 54,5% do capital social da Smiles, sendo o acionista que mais vai receber recursos por meio da redução de capital da Smiles. A empresa de participações General Atlantic possui 17,90%. Outros 27,62% do capital estão em circulação por meio de ações negociadas no Novo Mercado da BM&FBovespa.


Cada acionista vai receber R$ 8,185 por ação ordinária, sem correção monetária, entre a data da assembleia e o pagamento.


Após decorrido o prazo legal de 60 dias sem que tenha havido qualquer oposição ou manifestação de credores que inviabilize a operação proposta, a administração divulgará o prazo para restituição aos acionistas e a data na qual as ações serão negociadas ex-provento. Até a definição dessa data, as ações continuarão a ser negociadas com todos os direitos a elas atribuídos antes da proposta de redução de capital.


Para devolver dinheiro aos acionistas com a redução do capital social, a Smiles vai usar recursos de caixa e contratar dívida com instituições financeiras, no valor de até R$ 700 milhões.


A Smiles informa que a captação de recursos será feita por meio de emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em regime de garantia firme de subscrição pelos bancos coordenadores. Os títulos terão prazo de vencimento de até 18 meses, a partir da data de emissão das debêntures e o pagamento ocorrerá em até 18 parcelas mensais iguais e consecutivas.


"É importante mencionar que, ainda que os recursos atualmente mantidos em caixa não sejam suficientes para restituir aos acionistas o valor integral da redução ora proposta, a companhia tem demonstrado capacidade de geração de caixa suficiente para, em poucos meses, liquidar a dívida proposta acima e gerar excedentes", aponta a direção da Smiles na proposta enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).


No mesmo documento de convocação e propostas para assembleia de 30 de abril, a Smiles pede o alongamento do cronograma do plano de outorga de opções de compra de ações, que será feito agora em cinco etapas, ao longo de cinco anos, em vez de três etapas em três anos, como estava definido até agora.


A Smiles também colocará em votação na assembleia de 30 de abril o plano de remuneração dos executivos.


A companhia informa ainda que passará a contar como despesa operacional o aluguel do imóvel em que funciona a sede da companhia, no valor anual de R$ 806,4 mil.


Bolsa

Em uma abertura predominantemente de quedas na BM&FBovespa, as ações da Smiles operam no sentido oposto e sobem.


Há pouco, o Ibovespa caía 0,98% a 51.092 pontos. As ações da Smiles subiam 2,73%, a R$ 39,11. Os papéis da Gol operavam próximo da estabilidade, com leve alta de 0,16%, a R$ 12,44.

Link to comment
Share on other sites

Caraca, depois vcs não gostam quando eu falo certas coisas.

 

Gol precisava de 1 bilhão, fez o IPO, vendeu 42,7% das ações do Smiles por R$1,132 bilhão. Pegou R$1,1 bilhão do caixa do Smiles dando como garantia prestação de serviços futuros (milhas antecipadas). Em fev/14 vendeu + 2,8% das suas ações diretamente para a GA. Agora eles vão diminuir o capital, pegar empréstimos bancários (R$700 milhões), raspar o caixa (em dez/13 tinha R$383 milhões), pra poder dar mais R545 milhões pra Gol.

 

Isso porque está tudo bem, dando lucro operacional. :lala:

 

http://www.mzweb.com.br/smiles/web/download_arquivos.asp?id_arquivo=2622C079-CAD7-4F6A-BCD4-84FF7E2BDC2A

Link to comment
Share on other sites

Caraca, depois vcs não gostam quando eu falo certas coisas.

 

Gol precisava de 1 bilhão, fez o IPO, vendeu 42,7% das ações do Smiles por R$1,132 bilhão. Pegou R$1,1 bilhão do caixa do Smiles dando como garantia prestação de serviços futuros (milhas antecipadas). Em fev/14 vendeu + 2,8% das suas ações diretamente para a GA. Agora eles vão diminuir o capital, pegar empréstimos bancários (R$700 milhões), raspar o caixa (em dez/13 tinha R$383 milhões), pra poder dar mais R545 milhões pra Gol.

 

Isso porque está tudo bem, dando lucro operacional. :lala:

 

http://www.mzweb.com.br/smiles/web/download_arquivos.asp?id_arquivo=2622C079-CAD7-4F6A-BCD4-84FF7E2BDC2A

Nunca vi uma empresa simplesmente contrair um dívida 6 v o valor do caixa sem fazer nenhum investimento,apenas para dar dinheiro aos seus acionistas? Incrível,para não comprometer o endividamento da Gol que estava nos limites (mas reduziu o nível quando fizeram o IPO do Smiles) e agora,um anão depois,a Gol necessita de mais capital e endivida o Smiles para suprir sua necessidade de capital.

Link to comment
Share on other sites

Atualizado: 15/04/2014 17:23 | Por InfoMoney, InfoMoney

Na prática: entenda por que os acionistas da Smiles ganharão R$ 8,18 por cada ação

 

Valor é referente à proposta de redução do capital social da empresa em R$ 1 bilhão

Compartilhar0

 

 

 

 

Acionistas da Smiles receberão R$ 8,18 por ação com redução de capital (Divulgação)

SÃO PAULO - O conselho de administração da Smiles (SMLE3) aprovou na noite da véspera a redução de capital social da companhia em R$ 1 bilhão, por julgar "excessivo" para o desenvolvimento dos negócios da empresa. Ou seja, a empresa diz julgar que esse capital é ocioso e pode ser distribuído. Na prática, isso representará aos acionistas R$ 8,18505 por ação ordinária.

 

A conta é bem simples: pega-se o montante que será reduzido do capital (R$ 1 bilhão) e divide-se pelo número de ações em circulação no mercado (122.173.912) para encontrar quanto cada acionista irá receber ao final. Esse valor representa 21% do que valia o papel no fechamento da última segunda-feira (15), quando era cotado a R$ 38,07 - na prática: para cada 5 ações SMLE3 que o investidor tinha, ele receberá 1 nova ação em dinheiro.

 

Segundo o analista Eduardo Machado, da Amaril Franklin Corretora, um movimento como esse é bem visto. "O mercado preza pela eficiência operacional de uma empresa", explica o analista. A reação do mercado comprova isso: as ações da Smiles chegaram a subir 3,81%, a R$ 39,52, mas fecharam estáveis em R$ 38,07. Enquanto isso, o Ibovespa marcou forte queda de 2,21% nesta sessão, a 50.454 pontos.

 

Por que uma empresa reduz seu capital?Normalmente, vê-se essa operação mais com ações consideradas defensivas, como elétricas e saneamento. Isso porque empresas do setor elétrico, por exemplo, investem a partir de leilões de concessões e não podem usar o capital que resta para reinvestir sem ter participado de nenhum leilão, então elas costumam devolver esse montante ao acionista, comenta Franklin.

 

Um célebre investidor que defende essa prática é Warren Buffett, que diz que muitas vezes uma empresa está na posse de um montante elevado e naquela obrigação de gerar valor ao acionista acaba fazendo algumas operações equivocadas, lembra. "O mercado cobra e essa pressão acaba sendo prejudicial a algumas companhias, que na euforia acabam utilizando o dinheiro de uma forma errônea. Por isso, muitas vezes o melhor é devolvê-lo aos acionistas".

 

Vale mencionar que a redução do capital da Smiles ainda precisa ser votada em assembleia marcada para o dia 30 de abril, quarta-feira. Com isso, a empresa ainda não comunicou quando as ações passarão a ser negociadas "ex" direito de restituição. Segundo a companhia, se aprovada, a restituição ocorrerá mediante entrega de recursos próprios, oriundos do caixa da companhia e contratação de dívida junto à instituição financeira, no valor de até R$ 700 milhões.

 

A captação de recursos ocorrerá mediante emissão de debêntures simples pela companhia, não conversíveis em ações, em regime de garantia firme de subscrição pelos bancos coordenadores. O prazo de vencimento final será de até 18 meses, a partir da data de emissão das debêntures e o pagamento ocorrerá em até 18 parcelas mensais iguais e consecutivas.

Link to comment
Share on other sites

Nunca vi uma empresa simplesmente contrair um dívida 6 v o valor do caixa sem fazer nenhum investimento,apenas para dar dinheiro aos seus acionistas? Incrível,para não comprometer o endividamento da Gol que estava nos limites (mas reduziu o nível quando fizeram o IPO do Smiles) e agora,um anão depois,a Gol necessita de mais capital e endivida o Smiles para suprir sua necessidade de capital.

 

O caixa não é problema. Se a empresa tem EBITDA, baixa alavancagem e muitos recebíveis, fica fácil acessar o mercado através de dívida estruturada. A GOL de fato está limpando o caixa do Smiles para capitalizar a empresa. Não tem nada de ilegal nessa operação mas fica evidente que a capacidade de endividamento da GOL chegou ao limite pois a empresa está levantando dinheiro via Smiles.

 

Ninguem falou mas somente de impostos, são R$ 150 MM nessa brincadeira aí ... outra coisa que me chamou a atenção é o prazo da debenture que a Smiles irá emitir, que será de 18 meses ... certamente haverá outra emissão pois tenho dúvidas que o Smiles conseguirá repagar R$ 700 milhões em 18 meses. Podem contar com outra emissão perto do vencimento .... só lembrando que uma operação como essa custa ao menos 3,5% entre estruturação e distribuição ... posto isso, o custo total dessa operação pode chegar próximo aos R$ 200 MM, considerando impostos e taxas !!!

 

Hummmm .... sei não hein .... custo alto demais .... tenho dúvidas se os minoritários e investidores do Smiles, principalmente os fundos, irão aprovar a operação. Eles estão pagando caro para a GOL levantar essa grana !!!

Link to comment
Share on other sites

 

Ninguem falou mas somente de impostos, são R$ 150 MM nessa brincadeira aí ...

 

 

Uma observação ... o imposto é incidente se esse PL é resultante de lucros acumulados ou de capitalização de reservas. Pelo que entendi, o PL que será reduzido é oriundo de lucros acumulados.

Link to comment
Share on other sites

Caraca, depois vcs não gostam quando eu falo certas coisas.

 

Gol precisava de 1 bilhão, fez o IPO, vendeu 42,7% das ações do Smiles por R$1,132 bilhão. Pegou R$1,1 bilhão do caixa do Smiles dando como garantia prestação de serviços futuros (milhas antecipadas). Em fev/14 vendeu + 2,8% das suas ações diretamente para a GA. Agora eles vão diminuir o capital, pegar empréstimos bancários (R$700 milhões), raspar o caixa (em dez/13 tinha R$383 milhões), pra poder dar mais R545 milhões pra Gol.

 

Isso porque está tudo bem, dando lucro operacional. :lala:

 

http://www.mzweb.com.br/smiles/web/download_arquivos.asp?id_arquivo=2622C079-CAD7-4F6A-BCD4-84FF7E2BDC2A

 

Volto a dizer que: Astrologia e economia, ambos veriam estar no mesmo caderno de um jornal. Quem tiver curiosidade busque a ata de reunião de acionistas de Gol, e leiam o que é colocado ali. Como analogia, semelhante a uma propaganda de governo, ou seja, está tudo muito bem, e o que não está, logo-logo receberá os recursos do fundo bla, blá, blá, com inauguração no próximo mês.

 

Pegam um rapaz, digo isto muito respeitosamente, pois é um excelente profissional, mas, sem o menor cacoete prá aviação, enfim, deslocam um profissional de área diametralmente oposta à aviação e querem que faça milagres.

 

Não existe mágica. A aviação sempre se ressentiu das oscilações do petróleo, isto em todas as suas fases, porém, a coisa agora assumiu dimensões impraticáveis, e assim como empresas aéreas de todo o mundo, ou quebraram, ou estão pré-falimentares, no Brasil não será diferente.

 

A TAM foi “salva” (ainda não estou bem certo disso) pela LAN. Cadê a “LAN” da Gol?

 

Por fim, depois que um ‘executivo’, piloto, dá uma paradinha no Caribe com um B777, prá comemorar o sucesso em um negócio, da empresa aonde ele trabalha, é demitido, e depois (agora sim!), vai dar palestra????

 

Navegador.

Link to comment
Share on other sites

O IPO foi em abril/13, 2013 o primeiro balanço. Só tem R$207,8 milhões de lucros acumulados.

 

Dei uma olhada no balanço de 2013 do Smiles e o Capital Social subscrito era de R$ 1,132 bi e zero de dívida financeira. Posto isso, há espaço para fazer a operação sem a incidência de impostos. Por outro lado, o Lucro operacional foi de R$ 180 MM, ou seja, a debenture de R$ 700 MM demandará 3,9 anos para ser paga. Como o prazo da debenture será de 18 meses, certamente haverá uma nova emissão.

 

Por incrível que possa parecer aos olhos de um cidadão comum, uma empresa que não possui dívida tende a ter uma taxa de desconto maior que outra idêntica com um nível de alavancagem satisfatório, ou seja, o mercado penaliza empresas que utilizam apenas o capital próprio pois esse dinheiro é mais caro que o dinheiro de terceiros. Quem estiver curioso para entender essa lógica basta perguntar ao tio Google o que significa WACC e CAPM.

 

No final a estrutura de capital da Smiles que hoje é 100% capital próprio passará a ter um nível de alavancagem bem alto pois serão utilizados R$ 300MM do caixa (em 2013 estava em torno de R$ 380 MM) + R$ 700 MM em dívida financeira para financiar a redução de capital.

Link to comment
Share on other sites

 

Volto a dizer que: Astrologia e economia, ambos veriam estar no mesmo caderno de um jornal.

 

Navegador, existe uma grande diferença entre ciências econômicas e finanças. Finanças é um ciência exata, matemática simples (somar, diminuir, dividir e multiplicar). A operação proposta é finanças pura, sem bruxaria e bateção de tambor. Já astrologia ....

Link to comment
Share on other sites

Mera operação de aumento de caixa da Gol. Otimização de capital e de fluxo de caixa. Trocam investimento em subsidiaria por caixa.

 

Vale muito mais para a Gol captar R$ 500 milhões desse jeito, a custo zero, e melhorar o perfil de divida da empresa, do que tomar isso como divida.

 

Inteligente.


E ela mantem seu percentual no Smiles e seu direito aos lucros futuros.

 

Obviamente vão ter que pagar a divida, e por isso vão receber menos no futuro.

Link to comment
Share on other sites

Mera operação de aumento de caixa da Gol. Otimização de capital e de fluxo de caixa. Trocam investimento em subsidiaria por caixa.

 

Vale muito mais para a Gol captar R$ 500 milhões desse jeito, a custo zero, e melhorar o perfil de divida da empresa, do que tomar isso como divida.

 

Inteligente.

E ela mantem seu percentual no Smiles e seu direito aos lucros futuros.

 

Obviamente vão ter que pagar a divida, e por isso vão receber menos no futuro.

 

Lipe,

 

Melhora o balanço da VRN e piora o balanço do Smiles .... no consolidado a GOL se beneficia pois o Smiles não é uma subsidiária integral. No final a conta vai ficar para os demais acionistas do Smiles. Concordo que é uma operação inteligente e até non brainer para qualquer CFO. Já para os minoritários do Smiles a história é diferente.

Link to comment
Share on other sites

Lipe,

 

Melhora o balanço da VRN e piora o balanço do Smiles .... no consolidado a GOL se beneficia pois o Smiles não é uma subsidiária integral. No final a conta vai ficar para os demais acionistas do Smiles. Concordo que é uma operação inteligente e até non brainer para qualquer CFO. Já para os minoritários do Smiles a história é diferente.

Uma dúvida, a GOL não joga todo o valor do Smiles no seu balanço apesar de ter somente parte das ações?

Link to comment
Share on other sites

Mera operação de aumento de caixa da Gol. Otimização de capital e de fluxo de caixa. Trocam investimento em subsidiaria por caixa.

 

Vale muito mais para a Gol captar R$ 500 milhões desse jeito, a custo zero, e melhorar o perfil de divida da empresa, do que tomar isso como divida.

 

Inteligente.E ela mantem seu percentual no Smiles e seu direito aos lucros futuros.

 

Obviamente vão ter que pagar a divida, e por isso vão receber menos no futuro.

Ou seja Lipe,salva a Gol de se endividar ainda mais( pois está no seu limite) porém prejudica os minoritários do Smiles

Link to comment
Share on other sites

Uma dúvida, a GOL não joga todo o valor do Smiles no seu balanço apesar de ter somente parte das ações?

 

A GLAI possui mais de 50% das ações do Smiles, portanto consolida sim esse resultado. No consolidado não há diferença contábil pois cria-se um passivo de um lado e compensa-se do outro lado (ativo) com caixa. No final a soma é zero. Masss, existe uma grande diferença entre uma empresa com zero de alavancagem para outra super alavancada. Os minoritários do Smiles passarão a lidar não com o consolidado da GLAI mas sim com as suas obrigações no balanço alavancado do Smiles. Thats my point !!!

Link to comment
Share on other sites

Abel, não sou contador, então quando vc diz que a GLAI por ser controladora pode "consolidar" os números do Smiles, vc quer dizer lançar em suas demonstrações 100% da receita, despesa, lucros, etc. ou somente o valor correspondente a sua participação, que atualmente está em 54,5%?

Link to comment
Share on other sites

 

Navegador, existe uma grande diferença entre ciências econômicas e finanças. Finanças é um ciência exata, matemática simples (somar, diminuir, dividir e multiplicar). A operação proposta é finanças pura, sem bruxaria e bateção de tambor. Já astrologia ....

 

É verdade Abel_BSB, concordo com o que vc comentou, mas, o que pretendo dizer é que usam estas "ferramentas" para argumentarem o "inargumentável". O discurso não está alinhado aos fatos, com o que estamos vendo, o real da coisa. Sim, claro que ambas as disciplinas são se extrema importância, e escrevo isto com convicção, mas a distorção chega a ser irritante.

 

Abraço,

 

Navegador.

Link to comment
Share on other sites

Navegador, não discordo do seu ponto. Sou economista e vejo vários colegas atuando de maneira no mínimo questionável . A crise de 2008, que ainda não terminou, é um exemplo claro. E vc tocou no ponto certo, a falsa complexidade para tentar encobrir a verdadeira face da jogada. E o regulador comprado e bem pago, reforça o ponto. Nesse caso, GOL, a operacao não é complexa, porém a história tem que ser melhor contada.

 

 

Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

AF, existem algumas condições para consolidar resultados. A primeira é possuir o controle do ativo, ou seja, mais de 50%. A segunda é esse ativo representar no mínimo 30% do capital da controladora. Se a controladora possuir 100% do ativo mas esse não atingir 30% do capital, a controladora não é obrigada a consolidar a controlada. Como ambas são de capital aberto, quem determina se será ou não consolidado é a CVM. Mais tarde respondo o resto da pergunta.

 

Abs

 

Abrl

 

 

Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

Navegador, não discordo do seu ponto. Sou economista e vejo vários colegas atuando de maneira no mínimo questionável . A crise de 2008, que ainda não terminou, é um exemplo claro. E vc tocou no ponto certo, a falsa complexidade para tentar encobrir a verdadeira face da jogada. E o regulador comprado e bem pago, reforça o ponto. Nesse caso, GOL, a operacao não é complexa, porém a história tem que ser melhor contada.

 

 

Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk

 

Nobre Abel_BSB, obrigado pelas explicações. Tenho aprendido com Suas colocações aqui no CR. Logo se percebe que você é Economista, e como sou bastante leigo neste ‘ofício’, tenho pegado carona em Suas explicações, o que está sendo de grande utilidade para maior compreensão desta dinâmica.

 

Abraços,

 

Navegador.

Link to comment
Share on other sites

Ou seja Lipe,salva a Gol de se endividar ainda mais( pois está no seu limite) porém prejudica os minoritários do Smiles

 

Negativo. Os minoritários recebem seu quinhão tambem.

Não é nocivo ao minoritario.

 

O Smiles, pessoal, não precisa de caixa para ganhar dinheiro. E ter divida não é ruim. Despesa financeira, até um nivel é bom.

Nenhuma empresa é otimizada com 100% de capital e 0% de divida.

 

Custo de Capital não é algo fácil, mas garanto a vocês, que no caso do Smiles, a operação é boa para todos.

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade