Jump to content

Europe says goodbye to the pax A300


sinico.aeronauta

Recommended Posts

aviationweek.com

 

Monarch Airlines flew its last passenger A300 flight this month with an enthusiast flight from Gatwick to Birmingham. Monarch Airlines was the last European operator of the A300 in a passenger configuration according to Aviation Week Intelligence Network's Fleet database. In addition, China Eastern Airlines and Thai Airways are both expected to cease A300 service this year which will leave Afghanistan, Iran, Kuwait and Sudan the only remaining countries home to A300 passenger operations.


Monarch Airlines took delivery of its first GE-powered A300-600R in 1990 and operated only four of the type, all new-builds delivered directly to Monarch by Airbus. The first three have been flown into Tupelo, Miss., for part-out. The fourth is expected to be scrapped as well.

1_3.jpg

A former Monarch Airlines A300 sits at Tupelo, Miss., on a hot summer day in 2013 awaiting its inevitable fate.

Link to comment
Share on other sites

Aeronave pioneira, primeiro bimotor widebody e o pontapé inicial da Airbus.

 

Mas o programa quase foi extinto, pois não haviam compradores além de um punhado de operadores. Foi a Eastern Airlines apoiar o programa que a A300 começou a ter positive climb.

Link to comment
Share on other sites

Aeronave pioneira, primeiro bimotor widebody e o pontapé inicial da Airbus.

 

Mas o programa quase foi extinto, pois não haviam compradores além de um punhado de operadores. Foi a Eastern Airlines apoiar o programa que a A300 começou a ter positive climb.

 

Se não me engano foi o ultimo ( se não o único ) avião da Airbus com manche tradicional; logo depois vieram os sidsticks.

Me corrijam se estiver errado.

 

Lembro de ver a300 da Vasp e snme da Varig/Cruzeiro pousando em SBSP. Estavam fazendo TGL !!!! foi um show.

Link to comment
Share on other sites

 

Se não me engano foi o ultimo ( se não o único ) avião da Airbus com manche tradicional; logo depois vieram os sidsticks.

Me corrijam se estiver errado.

Bonotto, os A310 também são com manche tradicional. Não sei se o A300-600 é.

 

Lembro de ver a300 da Vasp e snme da Varig/Cruzeiro pousando em SBSP. Estavam fazendo TGL !!!! foi um show.

Que privilégio!

Link to comment
Share on other sites

Bonotto, os A310 também são com manche tradicional. Não sei se o A300-600 é.

 

Que privilégio!

 

Morava em pinheiros na época, reta final de congonhas éra ( e ainda hoje é) bem em cima de minha cabeça; acostumado aos 727 e 737-200 berrando ouvi um som muito diferente, ao olhar para cima vislumbrei uma acft diferente,

silenciosa e...grande ! Ja tinha lido sobre a compra e não acreditei no que estava vendo.

 

Isto era la pelas 08:00 da matina, mandei a escola as favas e peguei um monte de onibus até Congonhas...foram umas tres horas de TGL !

 

Na éopoca dava para ficar coladinho na 35 em um terreno baldio. Muito mágico mesmo...tinha ums 14/15 anos na época.

Link to comment
Share on other sites

Com isso o Irã se torna um grande país para nós que gostamos de aviação, pois lá ainda tem A300B2 voando! Quanto mais A300-600 que era esse da Monarch. Os A300B, A310 e A300-600 tinham manches tradicionais, a partir do A320 pra cima é que virou sidestick.

Link to comment
Share on other sites

Com isso o Irã se torna um grande país para nós que gostamos de aviação, pois lá ainda tem A300B2 voando! Quanto mais A300-600 que era esse da Monarch. Os A300B, A310 e A300-600 tinham manches tradicionais, a partir do A320 pra cima é que virou sidestick.

 

Fora os Airbus, ainda tem dois-setão, 747SP, etc. Aqueles 707 da Sahara será q ainda voam?

Link to comment
Share on other sites

Não foi a Passaredo que fretou alguns para voos chartes pro Nordeste?

 

A Passaredo operou o A310 por algum tempo, que posteriormente foi passado para a BRA, com o esquema de cores ainda da Passaredo, apenas com o nome BRA aplicado na fuselagem.

 

 

Abraços

Link to comment
Share on other sites

 

Se não me engano foi o ultimo ( se não o único ) avião da Airbus com manche tradicional; logo depois vieram os sidsticks.

Me corrijam se estiver errado.

 

Lembro de ver a300 da Vasp e snme da Varig/Cruzeiro pousando em SBSP. Estavam fazendo TGL !!!! foi um show.

Eu voei por vários anos os A300 na VASP, avião maravilhoso, pouso manteiga era uma delícia (sem trocadilhos), os passageiros adoravam, os comissários trabalhavam com dedicação, e para nós pilotos era uma aeronave muito confortável, mesmo em tiro longo, tipo Manaus, Aruba, Manaus, Guarulhos, com tripulação composta.

Link to comment
Share on other sites

Eram bonitos os A310 nas cores da Passaredo. A empresa tinha planos ousados de trazer mais Airbuses (A310 e A320) e voar charter para EUA e Europa. Mas aí veio 1999...

 

MyAviationNetPhotoID00705085.jpg

 

1999_PSE_Skyliner.jpg

 

O A310 é uma versão curta do A300?

Link to comment
Share on other sites

Tive o privilégio de ser passageiro de A300 em todas as cores que aqui operaram (VASP, VARIG e CRUZEIRO). Para a época onde predominavam os 727 e 737-200, foi algo espetacular, sem desmerecer os outros (principalmente o 727).

Fazer algumas vezes SSA-GRU em Widebody pela VASP e SSA-REC-BEL-MIA (ida pintura cruzeiro, volta pintura Varig) foi uma experiência muito boa! Deixou saudades...

Link to comment
Share on other sites

Foi em um A300 da Cruzeiro onde voei pela primeira vez: Congonhas-Salgado Filho, em 1981.. Eram novíssimos, lindos e enormes. Lembro que ao subir as escadas, olhei para a entrada de um dos motores e pensei que ali cabia um Fusca... Deixaram (e deixarão em alguns lugares) saudades.

Link to comment
Share on other sites

Baita aeronave, ápice da tecnologia franco-germânica e também hispano-britânica na época. Ironicamente, seu grande impulso comercial veio de uma linha aérea norte-americana, a Eastern Airlines, conforme citado pelo A345_Leardeship.

 

Pioneiro de uma família de grande sucesso e inovação tecnológica, que estremeceu e desmoronou a hegemonia norte-americana no mercado de aeronaves comerciais, ironicamente utilizando tecnologias norte-americanas como o fly-by-wire etc., que os conservadores fabricantes locais não utilizaram até então.

 

Voei nos A300 da VASP, aeronave fantástica!

Link to comment
Share on other sites

Os A330/40 tem as mesma fuselagem do A300?

Abraços

Em termos de largura e comprimento, não. As janelas do cockpit podem ser muito semelhantes. E creio que pela diferença da época de fabricação, novas tecnologias e materiais são usados nos A340/330 que não eram disponíveis na época do A300. Creio que metade do caminho do projeto do A340/330 foi feito pelo A300/310.

Link to comment
Share on other sites

Os A330/40 tem as mesma fuselagem do A300?

Abraços

Eu acho que a cross section é a mesma, de 222 polegadas de largura. O comprimento é claro que é diferente, mas as janelas parecem as mesmas. Os materiais devem ter evoluído.

Link to comment
Share on other sites

Eu voei por vários anos os A300 na VASP, avião maravilhoso, pouso manteiga era uma delícia (sem trocadilhos), os passageiros adoravam, os comissários trabalhavam com dedicação, e para nós pilotos era uma aeronave muito confortável, mesmo em tiro longo, tipo Manaus, Aruba, Manaus, Guarulhos, com tripulação composta.

 

Pô !!! e eu me achando previligiado por ver ums TGL´S !!!!!! kkkkk

 

Abraços

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade