Jump to content

Aerolíneas volverá a necesitar este año millonarios subsidios


leelatim

Recommended Posts

Aerolíneas volverá a necesitar este año millonarios subsidios

 

08.05.14 Los recursos no están contemplados en el Presupuesto y serán 64% superior a lo proyectado para este año.

FOTOS (1)

 

HerramientasEtiquetasAyudaAerolínes ArgentinasGuarda notaCompartirEnviar por mail

 

 

ImprimirAgrandar textoAchicar texto

 

 

Aerolíneas Argentinas le sigue dando pérdidas al Gobierno nacional. Una nueva proyección indica que la empresa estatal necesitaría este año subsidios por unos 4.560 millones de pesos, lo que implicará un gasto 64 por ciento superior al presupuestado por el Estado nacional. Las cifras fueron dadas a conocer ayer por el extitular del gremio de Pilotos, Jorge Pérez Tamayo.

Pérez Tamayo, comandante de Aerolíneas Argentinas y miembro del consejo directivo de la CGT que lidera Hugo Moyano, afirmó que si se mantiene ese nivel de gastos durante los próximos trimestres del año, la firma demandará esa cantidad de pesos para poder seguir volando en cielos de cabotaje e internacionales.

El presidente de Aerolíneas Argentinas y Austral, Mariano Recalde, había asegurado en enero que ambas compañías redujeron su déficit durante el año pasado un 44,1 por ciento. Según sus estimaciones representan 194,6 millones de dólares menos que el Estado tuvo que aportar para el sostenimiento de la empresa.

Esa información parece ser ahora cosa del pasado. Si los gastos continúan así, la empresa tendrá que ser subsidiada adicionalmente con otros 1.780 millones de pesos, mucho más de lo previsto en el Presupuesto nacional por el Ministerio de Economía de la Nación, advirtió el piloto.

Según el sindicalista, el holding Aerolíneas Argentinas sólo invirtió unos 245 millones de dólares en infraestructura desde su nacionalización en 2008 de los 4.500 millones de dólares que le giró el Estado. De los 700 millones de dólares financiados Banco Nacional de Desarrollo de Brasil, para la compra de 20 aviones Embraer 190AR, sólo se pagó hasta el momento el 25 por ciento.

Pérez Tamayo dijo también que los simuladores de vuelo de Boeing 737 NG no son propiedad de Aerolíneas Argentinas y que pertenecen a la firma Altheon, subsidiaria de Boeing Airplane Corp, especializada en sistemas de capacitación, que los cedió en el marco de un régimen de comodato. El simulador de Embraer 190AR de las aeronaves que opera Austral Líneas Aéreas sí pertenece a la empresa dado que fue integrado al acuerdo de compra de las 20 aeronaves que hoy opera la subsidiaria de Aerolíneas.

Link to comment
Share on other sites

Mas é importante manter "a bandeia argentina nos ares", então vamos gastar os preciosos dólares que necessitamos para manter esta hemorragia estatal, mesmo que eu não tenha condições de voar Aerolíneas.

Link to comment
Share on other sites

Incrível como ano após ano essa estatal argentina dos ares não consegue sequer pagar as contas....e como se não bastasse, a Argentina não está podendo se dar ao luxo de subsidiar uma empresa aérea...com as reservas internacionais em queda.

Link to comment
Share on other sites

Aos entendidos do mercado financeiro: Existe a possibilidade de um calote no BNDES ?

Obviamente que sim. Ainda mais se for um país amigo e alinhado com os interesses da presidenta.

 

(Oficialmente todo empréstimo deveria ter garantias, mas o BNDES está virando depósito de empréstimos, digamos, não tão seguros assim, Eike que o diga)

Link to comment
Share on other sites

Obviamente que sim. Ainda mais se for um país amigo e alinhado com os interesses da presidenta.(Oficialmente todo empréstimo deveria ter garantias, mas o BNDES está virando depósito de empréstimos, digamos, não tão seguros assim, Eike que o diga)

Obviamente que sim. Ainda mais se for um país amigo e alinhado com os interesses da presidenta.(Oficialmente todo empréstimo deveria ter garantias, mas o BNDES está virando depósito de empréstimos, digamos, não tão seguros assim, Eike que o diga)

Esses empréstimos que o BNDES faz deveriam ter ao menos algumas aeronaves como garantia,ao menos um par delas quitadas...mas pelo visto,nos vizinhos muy amigos, o nosso banco de fomento virou motivo de piada...segue lá ,segue cá levando calotes sem o nosso governo sequer interferindo

Link to comment
Share on other sites

Off topic...

 

Tem um filme bom do Enrique pineyro piloto que da entrevista no vídeos postado pelo diegobenfica, que mostram alguns problemas que já aconteceram na aerolineas e que resultaram no acidente do voo 3142 da Lapa, o filme é Whisky Romeo Zulu.

Link to comment
Share on other sites

Apenas para comparação:

 

Passageiros/ano/milhões:

 

1980

01 - 13.008 - Brasil

02 - 05.588 - Argentina

03 - 05.133 - Venezuela

04 - 04.808 - Colômbia

05 - 01.980 - Peru

06 - 00.688 - Chile

 

2012

01 - 94.617 - Brasil (7,2x maior)

02 - 20.944 - Colômbia (4,3x)

03 - 12.898 - Chile (18,7x)

04 - 09.721 - Peru (4,9x)

05 - 09.557 - Argentina (1,7x, ou seja, nem dobrou o número)

06 - 07.822 - Venezuela (1,5x, igual aos argentinos)

 

Agora, quais foram os países que - bem ou mal - liberaram seus mercados?

Link to comment
Share on other sites

Infelizmente, enquanto a Cristina ou pessoas do lado dela, estiverem no poder, nada mudará.

Daqui em diante, se criará mais proteção a AR, mais dificuldades para qualquer outro player do mercado.

Link to comment
Share on other sites

Infelizmente, enquanto a Cristina ou pessoas do lado dela, estiverem no poder, nada mudará.

Daqui em diante, se criará mais proteção a AR, mais dificuldades para qualquer outro player do mercado.

Rodolfo, agora só com medidas extremas como a expulsão das concorrentes (LAN), dar calote em todo mundo (BNDES), exigir que todo argentino voe AR.

 

Ainda acho que chegará um ponto - neste ou em outro governo - que verão que a AR do jeito que é não dá. Ou fazem falência controlada ou vende.

 

O governo malaio - mesmo antes do MH370 - admitiu que não vale a pena resgatar a MAS.

 

Tirando os investimentos, o que o governo argentino gastou com AR desde 2008 - na casa de bilhões - era possível criar duas ou três AR.

Link to comment
Share on other sites

Rodolfo, agora só com medidas extremas como a expulsão das concorrentes (LAN), dar calote em todo mundo (BNDES), exigir que todo argentino voe AR.

 

Ainda acho que chegará um ponto - neste ou em outro governo - que verão que a AR do jeito que é não dá. Ou fazem falência controlada ou vende.

 

O governo malaio - mesmo antes do MH370 - admitiu que não vale a pena resgatar a MAS.

 

Tirando os investimentos, o que o governo argentino gastou com AR desde 2008 - na casa de bilhões - era possível criar duas ou três AR.

 

Eles caminham para isso. Eles tem n mil problemas e o principal é o sindicato. Nem por vontade do papa eles conseguem enxugar a folha de pagamento.

Claro que tem outros problemas, como rotas completamente deficitárias, estrutura antiga, etc.

É um problema cronico mas por próprio orgulho, eles nunca deixarão de ter uma empresa de nome e bandeira argentina. A AR pode consumir 10% do PIB que ela continuará existindo.

 

Há ainda um problema bem grave que é a corrupção sistemica dentro dos órgãos argentinos.

Olha o que foi noticiado hoje pelo Clarín:

http://www.clarin.com/politica/Recalde-frenar-informe-Auditoria-Aerolineas_0_1138086197.html

 

E agora começam a investigar se não teve uma corrupção binacional (Brasil - Argentina), onde funcionários da Embraer teriam pago a pessoas da Aerolineas Argentinas para a escolha dos 20 aviões e tê-los vendido superfaturados.

http://diariohoy.net/politica/juez-vuelve-a-pedir-informacion-por-sobreprecios-y-coimas-en-compra-de-aviones-de-aerolineas-26373

Link to comment
Share on other sites

Eles caminham para isso. Eles tem n mil problemas e o principal é o sindicato. Nem por vontade do papa eles conseguem enxugar a folha de pagamento.

Claro que tem outros problemas, como rotas completamente deficitárias, estrutura antiga, etc.

É um problema cronico mas por próprio orgulho, eles nunca deixarão de ter uma empresa de nome e bandeira argentina. A AR pode consumir 10% do PIB que ela continuará existindo.

 

Há ainda um problema bem grave que é a corrupção sistemica dentro dos órgãos argentinos.

Olha o que foi noticiado hoje pelo Clarín:

http://www.clarin.com/politica/Recalde-frenar-informe-Auditoria-Aerolineas_0_1138086197.html

 

E agora começam a investigar se não teve uma corrupção binacional (Brasil - Argentina), onde funcionários da Embraer teriam pago a pessoas da Aerolineas Argentinas para a escolha dos 20 aviões e tê-los vendido superfaturados.

http://diariohoy.net/politica/juez-vuelve-a-pedir-informacion-por-sobreprecios-y-coimas-en-compra-de-aviones-de-aerolineas-26373

Mas será que mesmo sem reservas internacionais o governo seguirá bancando a deficitária Aerolineas?

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade