Jump to content

Delta encomenda 15 unidades do A321


José Geraldo

Recommended Posts

Olá, senhores, bom tarde.

 

"SÃO PAULO - A companhia aérea americana Delta Air Lines encomendou nesta segunda-feira 15 unidades do modelo A321 da fabricante europeia Airbus. Os aviões serão entregues a partir de 2018 e serão utilizados para renovar a frota da empresa e torná-la mais eficiente do ponto de vista do consumo de combustíveis.

Com o pedido, a lista de aeronaves do tipo que a Delta já contratou chega a 45. Além disso, a americana conta com outros 126 aviões da Airbus em sua frota. O primeiro A321 encomendado pela companhia iniciará suas atividades no começo de 2016, informou a empresa.

A Delta decidiu passar a investir cerca de metade de seu fluxo de caixa operacional no próprio negócio. Só neste ano, a expectativa é que sejam alocados US$ 2,3 bilhões — parte deles, na renovação da frota. Até 2018, a empresa espera sempre investir de US$ 2 bilhões a US$ 3 bilhões anualmente.

“Essa oportuna encomenda de aeronaves faz parte de nosso contínuo esforço de eficiência para substituir nossos aviões”, explicou, em nota, Richard Anderson, presidente da companhia americana. “As novas unidades vão melhorar a experiência a nossos clientes e beneficiar nossos acionistas”.

Todos os motores dessas novas aeronaves da Airbus adquiridas pela Delta serão fabricados pela CFM International, empreendimento conjunto entre General Electric (GE), dos Estados Unidos, e Snecma, da França. "

 

Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/3571230/delta-air-lines-encomenda-15-unidades-do-a321-da-airbus#ixzz33Uzbco5j

Link to comment
Share on other sites

O A321 parece que encontrou um terreno legal nos EUA. Caindo nas graças das empresas americanas. A JetBlue já o utiliza, com os sharklets, assim como a US Airways e a American.

 

A única coisa estranha é ver o CFM56 como motor para ele. Não seria o Leap -X? Se não for, eu acredito que o CFM56 é um motor um pouco "underated"/"underpowered" para o A321, mesmo tendo 33mil libras. O projeto original do CFM56 era para algo em torno de 20mil libras. E a arquitetura básica do motor é praticamente a mesma, desde o CFM56-2 e CFM56-3 para o CFM56-5 e CFM56-7, mudando praticamente a parte da fan case, cada um com suas particularidades (por exemplo o -7 com palhetas de corda larga). Mas todos eles têm apenas 1 estágio de turbina de alta, onde, de fato se gera a potência do motor, lá vai se transformar pressão em velocidade (energia de fluido em trabalho). Isto, o que pode acarretar: 1- menor margem para degradação do motor (um dos parâmetros: EGT), quanto mais forçado, maior a EGT e menor a margem de tolerância. 2 - maior "desgaste" do motor, já que vou gerar mais potência, vou esquentar mais, logo, vou submeter meus materiais a um esforço maior.

 

Enfim, a Lufthansa tem toda a frota de A320 family com motor CFM56, com exceção dos A321. que usam motor IAE V2500. Por exemplo...

Link to comment
Share on other sites

Na falta de um novo B757 é "o que tem pra hoje".

Acho que você pegou um dos "X" da questão. Realmente, na aviação americana doméstica hoje, o "workhorse" das rotas mais longas (Ex: LAX-JFK), é o 757.

 

Link to comment
Share on other sites

Li aqui mesmo no fórum, uma matéria sobre a DL reclamando a falta de um substitudo pro 757.

Acho que a Boeing não está nem aí pro recado. Uma frota de 135 757s é o que a DL tem hoje.

E pelo jeito a DL não gostou muito dos 737-900.

Link to comment
Share on other sites

Li aqui mesmo no fórum, uma matéria sobre a DL reclamando a falta de um substitudo pro 757.

Acho que a Boeing não está nem aí pro recado. Uma frota de 135 757s é o que a DL tem hoje.

E pelo jeito a DL não gostou muito dos 737-900.

 

Quem também está nesta enrascada é a Icelandair. Ok, numa menor proporção. Creio que sejam 16 757's (correção, 24). Mas veja a frota de 757 da United e da American. Ignorar uma demanda desta, dentro do seu país, pelo amor. Do que me lembro, o 787-3 seria um substituto para ele, mas seria um tiro de bazuca para matar um rato. Digo, "o 787 é muito avião para nós". Esta foi a opinião da Icelandair na época.

 

A frota mundial de 757 chegou próxima de 1000 aeronaves. Em ocupantes, o 737-900ER supre, mas o que mata ele é o porão e o alcance. Isto só levando em conta os fatores "físicos" da aeronave. Não sei de consumo específico de cada um, custo operacional, nem nada. Da manutenção, com certeza, o motor de três spools da RR - O RB211, sai mais caro que manter um simples CFM56. Não sei comparando com o PW2000 do 757.

 

E a American já está indo de A321...

Link to comment
Share on other sites

E cada dia que se passa a Boeing perde terreno pra Airbus....

 

Principalmente por causa do A321, que a Boeing não tem um rival a altura e muitas empresas estão substituindo os 757 pleos A321.

Ou a Boeing toma providencia em lançar o 737-9MAX com um bom alcance e capacidade ou verá mais e mais encomendas do A321. A Airbus achou um mapa da mina com esse A321.

 

:anta: :anta:

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade