Jump to content

Avião cai com mais de meia tonelada de cocaína em MS


jambock

Recommended Posts

Meus prezados:

Narcotráfico
Avião cai com mais de meia tonelada de cocaína em Mato Grosso do Sul

Os dois ocupantes da aeronave que caiu na região da Serra do Amolar, em Mato Grosso do Sul, transportando mais de meia tonelada de cocaína, foram encaminhados para Cuiabá e estão detidos na Penitenciária Central do Estado (antigo Pascoal Ramos). O piloto Roy Roger Silva Ferraz, 32 e passageiro boliviano Edgar Belen Inturias foram autuados por tráfico de drogas e 560 quilos de entorpecentes foram encontrados pelos policiais no avião bimotor Cessna prefixo N6037U .

A droga chegou na tarde desta segunda-feira à sede da Polícia Federal de Mato Grosso.

Conforme a PF, o bimotor seria de Mato Grosso e caiu por volta das 8h do sábado, em Porto Índio, área de preservação ambiental a 150 km da cidade de Corumbá (MS).

A Serra do Amolar faz fronteira entre o Brasil e a Bolívia, na divisa entre Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, na área sob responsabilidade do Destacamento Militar de Porto Índio, subordinado à unidade do Exército sediada em Corumbá.

A suspeita é de que trata-se de um avião clandestino detectado, no sábado,por radares da Aeronáutica. Também teria sido constatado que o bimotor não estava no plano de vôo da Infraero.
Fonte: O Globo via portal da Federação Nacional dos Policiais Federais mar 2011
Aeronave baseada em Mato Grosso, pilotada por brasileiro, com matrícula americana?

 

Avião que caiu em MS com drogas continua isolado no meio de serra no Pantanal
O bimotor Cessna que caiu em março de 2011 na região de Porto Índio na Serra do Amolar, divisa dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso continua do mesmo jeito que ficou, isolado no meio do Pantanal, mesmo três anos depois.
A constatação é do jornalista Silvio Andrade, que postou no Facebook, foto que fez recentemente em sobrevoo na região.
O acidente resultou na apreensão de mais de 560 quilos de cocaína que estava sendo transportada da Bolívia para uma fazenda localizada na região do município de Poconé, a 104 km de Cuiabá. O piloto Roy Roger Silva Ferraz e o passageiro boliviano Edgar Belen Inturias sobreviveram ao acidente e foram presos por tráfico de drogas.
Após a queda da aeronave, o piloto caminhou até uma fazenda próxima em busca de socorro. Já o boliviano tentou fugir, mas foi localizado na mata por soldados do comando do 17º Batalhão de Fronteira e agentes federais, um dia depois. Ele teve ferimentos no rosto e nas mãos.
Segundo a polícia, o boliviano confessou o crime e contou durante o depoimento que teria sido contratado em La Paz, por R$ 1 mil, para realizar o transporte do entorpecente até Poconé.
Os 560 quilos de cocaína estavam distribuídos em diversas malas, e encontrados na parte traseira da aeronave. O bimotor é de fabricação americana e de propriedade do piloto Roy Roger.
Fonte: Correio de Corumbá via CECOMSAER 7 jun 2014

Link to comment
Share on other sites

se os radares o captaram, prq nao o abateram? tipo, caiu antes da interceptação?

ouvi que a lei do abate nunca foi posta em pratica.

Link to comment
Share on other sites

Vixe! A Anac vai multar por falta de peso e balanceamento!

Sera que tinha slot? Vai tomar multa tb e o piloto vai perder a CHT, ficou mais de 1h30 no solo.

Link to comment
Share on other sites

Era um Baron mesmo... O Ferraz, como sempre o chamamos, era um baita companheiro, antes de entrar nesta desgraça de voar o pó. Este era o primeiro voo que foi fazer com o B58 que acabara de adquirir. Na época não pude esconder a minha tristeza e indignação em ver mais um companheiro cedendo às mentirosas vantagens de voar para o tráfico. Resumo: estragou completamente a vida dele e perdeu o maravilhoso patrimônio que tinha comprado.

 

Aprendamos com o erro dos outros...

Link to comment
Share on other sites

se os radares o captaram, prq nao o abateram? tipo, caiu antes da interceptação?

ouvi que a lei do abate nunca foi posta em pratica.

 

Entre os radares captarem (quando os primários estão funcionando ou o intruso da o azar de ser uma area monitorado pelos R99 ou radares móveis), os tucanos subirem, interceptarem o avião desconhecido, fazerem contato visual, efetuarem disparos de advertência e a ordem para o Abate, que só pode vir do presidente da República, existe um processo tão liturgico, que foi feito só para americano ver, pois é praticamente impossível ser utilizado na prãtica.

 

Com isso, já respondo sua segunda pergunta....nunca foi colocado em prática.

Já houve tiros de advertência, mais de uma vez, uma delas filmada e divulgada com caráter "educativo".

 

O abate é técnica bastante questionável, justificada em geral em nome da segurança nacional e não para o combate ao tráfico, no Brasil um país sem histórico de ataques inimigos, vai ser muito dificil ocorrer um caso.

 

 

Era um Baron mesmo... O Ferraz, como sempre o chamamos, era um baita companheiro, antes de entrar nesta desgraça de voar o pó. Este era o primeiro voo que foi fazer com o B58 que acabara de adquirir. Na época não pude esconder a minha tristeza e indignação em ver mais um companheiro cedendo às mentirosas vantagens de voar para o tráfico. Resumo: estragou completamente a vida dele e perdeu o maravilhoso patrimônio que tinha comprado.

 

Aprendamos com o erro dos outros...

 

Disse tudo...o tráfico é tentador e não só pelo dinheiro,,,,mas cobra seu preço!

Link to comment
Share on other sites

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

×
×
  • Create New...

Important Information

Saiba os termos, regras e políticas de privacidade